16 janeiro 2018

[Resenha] Demolidor: Homem Sem Medo - Paul Crilley



Matt Murdock foi criado apenas por seu pai, Jack, um pugilista decadente com uma última chance de se dar bem – chance que lhe custou a vida. Provocado e atormentado por outras crianças, a vida de Matt muda drasticamente após um terrível acidente que acaba por cegá-lo ao tentar salvar um idoso. O resultado? Inteligência aguda e força de vontade implacável, que o ajudam a administrar seus supersentidos. A história do Demolidor é uma saga de amor, dor, decepção e força. Testemunhe as estranhas maquinações por trás da vida de um dos mais amados super-heróis do universo Marvel nesta inédita e surpreendente adaptação em prosa da obra de Frank Miller & John Romita Jr.




Livro: Demolidor: Homem Sem Medo ||  Autor: Paul Crilley 
Editora: Novo Século ||  Ano: 2017 || Gênero: Ficção, super heróis.
Classificação: 3 estrelas || Resenhista: Luiza

Demolidor: O Homem Sem Medo é a adaptação para romance do HQ de Frank Miller e John Romita Jr. lançado na década de 90, que conta a história de Matt Murdock.

Com passado e presente alternados, conhecemos a trajetória do menino Matt, filho do pugilista Jack Murdock.

Jack era um lutador de box famoso, que estava no auge da sua carreira, mas tinha muitos problemas com bebida alcoólica e acabava por muitas vezes descontando em Matt. Por seu bom desempenho nas lutas, atraiu a atenção do chefão da Máfia, Fisk, que começou a obrigá-lo a trabalhar para ele, complicando ainda mais a vida de Jack.

Matt era um bom menino, fazia o que podia pelo pai e se virava como podia. Sofria muito bullying de seus colegas na escola, até que isso começou a afetá-lo de uma tal forma que precisava extravasar. E assim começou a frequentar o ginásio de luta quando não tinha ninguém e ali aprendeu a ser mais forte. Tendo herdado o talento do pai, começou a adquirir uma força que ajudou-o a enfrentar aqueles que o alvejavam na escola.

Até que um dia uma tragédia acontece e Matt sofre um grave acidente após salvar um senhor de ser atropelado. E esse acidente o deixa com uma sequela horrível: ele fica cego.

E agora? Como serão as coisas para Matt? Seu pai de cara sofre um baque e percebe que precisará mudar seu modo de agir, pois seu filho precisará de cuidados.

Matt acorda para um pesadelo. De alguma forma, os sons parecem muito MUITO altos, ele consegue ouvir até os batimentos cardíacos das pessoas, tudo isso bem ao mesmo tempo deixando-o a ponto de enlouquecer. O que está acontecendo?

Sua vida muda, ele precisa se adaptar à sua nova condição e um treinador misterioso surge para treiná-lo. Matt aprende a usar seus novos sentidos, tornando-se muito mais do que um mero lutador, ele é um sobrevivente, um guerreiro. Mesmo sem saber nem a identidade nem as motivações de seu treinador, Matt segue em frente.

E no seu caminho, ele conhece Elektra, uma menina extremamente misteriosa que o desafia o tempo todo a testar seus limites. Ele não sabe muito sobre ela, mas a conexão é imediata.

Vemos também o ponto de vista dos vilões da máfia, do apogeu ao declínio do chefão, Fisk, com direito a tramas de assassinatos e esquemas de chantagem. Além de ver por dentro da mente do psicopata Lark, um homem sombrio, que mata sem pestanejar e sente muito prazer nisso.

O tempo passa, tragédias acontecem e mudanças irrevogáveis acontecem na vida de Matt Murdock, levando-o ao caminho que estava destinado a trilhar como o vigilante de Hell’s Kitchen.
"A maior parte das pessoas se contenta em passar pela vida feito sonâmbula. Ele olha ao redor todos os dias e vê seus rostos, seus traços são um borrão de desespero e tristeza. Um bando de ninguéns. Pessoas que apenas... ficam à deriva pela vida que o bom Deus deu a elas. Nem sequer olham. Nem sequer vivem. Apenas deslizam de um dia para o outro, ignorantes do mundo ao redor delas."


Eu não esperava gostar desse livro, super sério rs. Nunca fui muito fã de Demolidor, ele era um dos heróis da Marvel que menos me interessava. Mas, esse livro mudou, pelo menos um pouquinho, a minha opinião.

Achei muito legal conhecer a história mais detalhada, com pensamentos e diferentes pontos de vista. Essa é certamente uma experiência que os quadrinhos não proporcionam.

A narrativa é bem ágil, com rápidas sucessões de eventos, sem enrolação e bem direto ao ponto. Em certo nível, isso me incomodou um pouco, porque ficava difícil me conectar com os personagens. Dá realmente a aparência de um livro escrito através de um HQ, eu achei que o autor fosse suavizar um pouco toda essa dinâmica de cenas. 

O que definitivamente me irritou mais foi a tradução de tudo, todos os termos, apelidos, inclusive o nome do bairro - Hell’s Kitchen - para “Cozinha do Inferno”. Nãaaaaaao, isso NÃO se faz cara. Ok, aqui se fala português e tal, mas nomes próprios de pessoas e lugares fazem parte da identidade da história original.

Gostei de conhecer mais sobre o Matt, sua personalidade e motivações, e principalmente o que se passava na cabeça dele com todas as mudanças. Foi bem legal também ver essa versão de como ele conheceu a Elektra, por mais que eu a ache uma personagem muito insossa rs.

O ponto alto, para mim, foi conhecer melhor os vilões. Ver a o que se passa na mente do sociopata, Lark, foi fenomenal e deu mais embasamento para construir todo o cenário. 
Vemos como o Rei do Crime vai ganhando espaço até a sua ascensão e como Matt iniciou a sua jornada como Demolidor.
"Nesse ponto da vida de Larks, ele se considera uma espécie de perito no que diz respeito a expressões faciais criadas por coações. Analisar tais coisas se tornou um passatempo para ele. Ou talvez "obsessão"seja o termo correto. Esses momentos são o alimento de sua alma. Para alguns, é pintar. Para outros, escrever. Para Lark, é testemunhar as emoções dos que estão prestes a morrer."
Esperava mais sobre a amizade com Foggy, espero que tenha uma continuação em breve, porque o final (que é apenas o começo) pede muito isso.

No geral, gostei bem mais do que imaginava. Achei, sinceramente, que iria odiar. Óbvio que tem muitos pontos que poderiam ser melhores, mas, ainda sim, indico muito para quem quer conhecer a história do Demolidor e não gosta de ler quadrinhos. Certamente indico para os fãs da série da Netflix, mas não sei se os leitores do HQ vão curtir muito, já conhecendo a história e tudo mais.

É uma leitura ágil, cheia de aventuras e reviravoltas que com certeza vai te entreter bastante, e te levar a querer mais histórias do herói de Hell’s Kitchen!
"No fim, tudo se resume a isso. Poder. E não apenas crime - tudo. Amor. Vida. Casamento. Empregos. Divórcio. Tudo se resume às dinâmicas de mudança de poder: quem tem mais, e como vai fazer para conseguir mais."

Compartilhe!

10 comentários :

  1. Oi Luiza, confesso que não lembrava da história do Demolidor e achei legal conhecer um pouquinho dele através da resenha e o livro parece estar muito bom, a história é movimentada mesmo com a questão da tradução a leitura parece valer a pena. Eu curti e se surgir a oportunidade vou querer ler sim ;)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Lili,
      É realmente uma leitura que vale a pena para conhecer mais sobre a origem dele. Leia simm!

      Excluir
  2. Quando vi a capa achei que não me interessaria, mas pela sua resenha parece que vale a pena, fiquei até curiosa, pois não sabia essa origem do Demolidor ou não lembrava vai saber rs. Gostei por não ter enrolação e pelo visto ter muita ação que adoro.

    ResponderExcluir
  3. Oi Luiza!
    Preciso confessar que não sou mto de ler livros do tema há um bom tempo, mas me interesso em conhecer, o maridão, vou indicar á ele que é super fã...

    Bjs!!

    ResponderExcluir
  4. Oi,
    Eu tinha receio de ler adaptações das historias em quadrinhos porque sou muito fã das hqs, até li guerra civil nessa versão mas não cheguei a amar. Sou grande fã da série e das hqs mas não acho que este livro seja pra mim. Fiquei sabendo que a Mulher-Gato vai ser adaptada pela Sarah J Maas, essa eu pretendo ler (rs) mais pela Sarah do que pela Catwoman.

    ResponderExcluir
  5. Não costumo ler livros de HQ e nem de super heróis. A história deste livro parece ser bem interessante, sobre o Demolidor. Que bom que você gostou mais do que você esperava desta história.
    Quem sabe futuramente eu leia Demolidor: Homem Sem Medo.

    ResponderExcluir
  6. Oi Luiza.
    Confesso que o Demolidor também não é meu heróis favorito. Vi o filme e não gostei muito. Mas acho que deve ser bem diferente a experiência de acompanhar a história em HQ.
    Que bom que você se surpreendeu com a leitura.
    Meu irmão viu a série do Demolidor na Netflix e gostou bastante.
    Bjs

    ResponderExcluir
  7. Bom que bom que você gostou ao menos mas eu não tenho um juízo para começar uma coleção de quadrinhos assim da Marvel pela universo dos livros porque o preço é bem salgado e eu não tenho juízo para ficar correndo atrás de edições antigas mas também ainda não assistir a série Demolidor então tô bem neutra em relação a isso se eu assisto e leio ou não

    ResponderExcluir
  8. Oi Luiza!
    Não sou de ler hq's, mas venho me interessando cada vez mais pelas de heróis. Ao contrário de você, eu sempre gostei do Demolidor, o do filme, mas não conhecia muito da sua história, interessante acompanhá-lo desde criança, e falar um pouco do pai dele, gostei bastante.
    É uma pena essas traduções que fazem no Brasil mudando nomes originais, mas acredito que isso não tenha mudado o encantamento do livro. Bela capa, na verdade todas que vi dessa coleção são lindas.
    Beijos

    ResponderExcluir





Copyright © 2017 Every Little Book. TODOS OS DIREITOS RESERVADOS | OddThemes | ILUSTRAÇÃO: Yuumei