12 dezembro 2017

[Resenha] O Labirinto dos Espíritos - Carlos Ruiz Zafón


Na Barcelona de fins dos anos de 1950, Daniel Sempere já não é aquele menino que descobriu um livro que havia de lhe mudar a vida entre os corredores do Cemitério dos Livros Esquecidos. O mistério da morte da mãe, Isabella, abriu-lhe um abismo na alma, do qual a mulher, Bea, e o fiel amigo Fermín tentam salvá-lo. Quando Daniel acredita que está a um passo de resolver o enigma, uma conjura muito mais profunda e obscura do que jamais poderia imaginar planta a sua rede das entranhas do Regime. É quando aparece Alicia Gris, uma alma nascida das sombras da guerra, para os conduzir ao coração das trevas e revelar a história secreta da família... embora a um preço terrível.






Livro:  O Labirinto dos Espíritos || Autor: Carlos Ruiz Zafón ||Editora: Suma
Classificação: 5 estrelas || Resenhista: Daiana
 Ano: 2017 || Gênero: Suspense

  Skoob |  | Editora | Compre

A verdade são as bobagens que as pessoas dizem quando pensam que sabem alguma coisa, Daniel.

Labirinto dos espíritos é o quarto e último livro da série O Cemitério dos Livros Esquecidos, e, segundo o próprio autor, não há uma ordem certa de leitura.

O quarto livro é uma história entrelaçada por outras histórias e que liga todos os mistérios dos personagens e acaba com todas as pontas soltas.

A história se inicia com o sequestro de Maurício Valls, antigo diretor do presídio Montjuic. Uma nova personagem é então inserida na trama para desvendar esse inexplicável desaparecimento, a complexa e enigmática Alicia Gris. Seu caminho logo se cruza com o de Daniel, personagem que tanto já conhecemos e que já não é mais o menino do nos qual nos lembramos.  A partir desse ponto, faremos uma viagem ao passado, aos acontecimentos dos livros anteriores, aos mistérios da família de Daniel e da antiga e saudosa Barcelona. 

Os novos personagens foram muito bem apresentados, e os antigos também tem seus destaques. Amei cada descoberta e cada reviravolta. São muitas as referências, e estão presentes também, os diálogos inteligentes e sarcásticos, típicos da narrativa do Zafón.

Às vezes, quando os deuses não olhavam e o destino se perdia pelo caminho, até gente boa tinha um pouco de sorte na vida.
É um livro que nos faz pensar um pouco sobre o preço que estamos dispostos a pagar para desvendar segredos terríveis; uma obra que te ensina sobre a humanidade e até onde vai a sua capacidade em ser má.
- O destino conhece-nos melhor do que nós nos conhecemos, Fermín

O livro foi tecido de maneira muito mais sombria do que os outros. É uma obra que se compõe por diferentes gêneros, e que desde o primeiro livro, deixa qualquer previsibilidade de lado. Uma criação excepcional do Zafón, e narrada com maestria.

Além dos cenários incríveis de Barcelona, a escrita de Zafón ainda é como uma pintura. Ele conseguiu mais uma vez que o terror e o suspense se misturassem de maneira dolorosa, forte e poética. O leitor é absorvido por uma história que o faz ter sentimentos únicos, e sua respiração suspensa várias vezes.

Soube desde o princípio que queria viver entre livros e comecei a sonhar que um dia as minhas histórias poderiam acabar num daqueles volumes que tanto venerava. Os livros ensinaram-me a pensar, a sentir e a viver mil vidas.



É também uma série que nos faz sair da nossa zona de conforto, que mescla delicadeza e elementos sombrios, e que nos permite refletir sobre a própria natureza humana.
Todos os livros, foram de fato, viscerais.

A Suma de Letras mais uma vez nos presenteou com uma edição incrível, e, mesmo sendo o último livro da série, eu  ainda não me despedir do Cemitério dos Livros Esquecidos; com certeza voltarei aos seus labirintos muitas e muitas vezes.
Conta ao mundo as nossas histórias e não esqueças que existimos enquanto alguém se lembra de nós.

Compartilhe!

8 comentários :

  1. Fico impressionada com a forma como este autor retrata a humanidade, e sua capacidade de fazer o possível e impossível, para conseguir aquilo que deseja inclusive ser mau. Infelizmente ainda não pude ler sua obras, porém o mistério e esta mescla de gêneros, e o que me atraí, além de que e notório o quanto sua escrita e envolvente e cativante.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Pode apostar, Lana! Zafón é incrível! Espero que possa ler em breve! Bjs!

      Excluir
  2. Esse livro esta sendo bem elogiado alias a série, então esta na minha lista, parece ser fantástico, adoro mistério e terror, parece que foi muito bem trabalhado, a leitura deve ser bem gostosa, adoro reviravolta e tem os personagens que nos conquistam. Deve nos deixar pensando em tudo que o ser humano é capaz de fazer.

    ResponderExcluir
  3. Oii!
    Cada vez que conheço obras do autor fico mais curiosa pra ler, a leitura parece excelente, agradável e super bacana, eu espero mto uma oportunidade pra conhecer mais a fundo....
    Bjs

    ResponderExcluir
  4. Oi Daiana!
    Já percebi que os leitores gostam muito da escrita do Carlos Ruiz, e que muitas vezes seus livros abordam pontos que mexem conosco. Confesso que não tinha muito vontade de ler nada dele por não se encaixar nos gêneros que gosto de ler, mas essa resenha me deixou curiosa, fala tão pouco e tanto sobre a história ao mesmo tempo, gostei bastante, principalmente dessas mesclagem que o autor fez.
    Beijos

    ResponderExcluir
  5. Gosto muito da escrita e da criatividade do autor apesar da Leitura não ser indicada para qualquer um porque algumas metáforas são difíceis de compreender Mas é bem interessante a obra

    ResponderExcluir
  6. Oi, Daiana!!
    Que pena que nunca li nada do Carlos Ruiz Zafón!! Gostei muito da indicação da série O Cemitério dos Livros Esquecidos, vou adicionar esses livros na minha lista de compras!!
    Bjoss

    ResponderExcluir





Copyright © 2017 Every Little Book. TODOS OS DIREITOS RESERVADOS | OddThemes | ILUSTRAÇÃO: Yuumei