20 dezembro 2017

[Resenha] O Garoto Quase Atropelado - Vinícius Grossos

"Uma história inesquecível sobre adolescentes que escolheram acreditar no que sentiam. Você vai se emocionar" - Bruna Vieira, autora do Depois dos quinze.
Um garoto sofreu com um acontecimento terrível.
Para não enlouquecer, ele começa a escrever um diário que o inspira a recomeçar, a fazer algo novo a cada dia.
O que não imaginou foi que agindo assim ele se abriria para conhecer pessoas muito diferentes: a cabelo de raposa, o James Dean não-tão-bonito e a menina de cabelo roxo, e que sua vida mudaria para sempre!
Prepare-se para se sentir quase atropelado de uma forma intensa, seja pelas fortes emoções do primeiro amor, pelas alegrias de uma nova amizade ou pelas descobertas que só acontecem nos momentos-limite de nossas vidas.
Estar vivo e viver são coisas absolutamente diferentes!



Livro: O Garoto Quase Atropelado || Autor:  Vinícius Grossos
Editora: Faro Editorial  || Ano: 2015 || Gênero: Joven Adulto, Depressão, Suicídio
Classificação: 3 estrelas || Resenhista: Lud

Começamos a história com o nosso personagem principal escrevendo em um diário, uma forma de terapia indicada pela a psicóloga que ele frequenta, depois de um acontecimento trágico em sua vida, que não é relatado exatamente o que é no primeiro momento. 

"A tristeza é uma benção, pois quando a temos significa que temos um coração."

Ele vive com sua mãe e irmão, que a toda hora estão de olho nele, sempre o vigiando, caso ele faça algo estúpido. E toda essa preocupação faz com que ele se sinta sufocado em sua casa e saia para dar uma volta de bicicleta, e nesse passeio, ele é quase atropelado por uma garota de cabelo de raposa. 

E nesse momento tudo muda, não só pelo encantamento que a garota tem sobre ele no primeiro instante, mas pelos sentimentos que esse quase atropelamento desperta nesse menino, preso em seu próprio mundo de tristeza

“Sabe aquele momento em que você realmente é quase atropelado por alguma coisa e vê sua vida passando rápido diante de seus olhos, e , então, nada acontece e você está apenas lá, parado, os olhos arregalados, o medo cantando nos ouvidos e o coração martelando de forma doentia? E aí nesse instante você percebe que está tudo bem, você respira e é como se tivesse uma oportunidade. E no fim das contas, tudo se resume a apenas um sentimento: você realmente se sente vivo”
Ele encontra a cabelo de raposa mais uma vez, assim como seus dois amigos - James Dean não-tão-bonito e a menina de cabelo roxo -, e assim começa uma nova aventura na vida desse menino, ele encontra novamente a amizade, como o primeiro amor, mas também a dor e a tristeza nessas novas pessoas. 

"Amizades verdadeiras nascem dos momentos mais inusitados e impróprios."



"Nunca esqueça nem deixe de se permitir sentir-se quase atropelado. Isso não impedirá que os momentos ruins aconteçam, mas fará os momentos felizes valerem ainda mais a pena."

Bem, eu vi esse livro super bem cotado, além do autor ser uma simpatia em pessoa, então me arrisquei e fui conhecer a escrita do Vinícius. Demorei para resenhar, porque não tive uma opinião formada quando acabei de ler, tive alguns pensamentos controversos, mas acho que agora posso tentar dizer o que achei. 

A escrita me pegou um pouco de surpresa, algumas vezes era tranquilo ler, e algumas vezes não fluía tão bem assim. O começo da narrativa foi lento para mim, mas depois que a história pegou no tranco, mas não é o primeiro livro com o mesmo assunto que acontece isso comigo, então o problema pode ser meu. 

Quanto aos personagens, eles são muito diversificado, cada um com suas camadas e cores, e eu adorei essa mistura no livro. Mas o personagem principal não me conquistou como deveria, algumas vezes, os pensamentos dele eram de uma pessoa de 50-60 anos, aqueles pensamentos de quem já viveu muito na vida e sabe das coisas. Mas não é o caso do personagem, então pode ser uma mistura do autor com o personagem que não ficou bem separado ao ser escrito. 

Diversas partes, enquanto eu lia, eu não compreendia para onde o livro estava indo. Não consegui compreender muitas das atitudes dos personagens desses livros, principalmente a mãe, irmão e o pai. Depois que finalizei,  não compreendi o personagem principal, mas nem vou me aprofundar aqui, porque acho que apenas quem leu vai entender, e já debati o livro com a Ká.(uhuhu)

E um detalhe: algumas partes do livro me lembraram muito As Vantagens de Ser Invisível. 

Bem, apesar de tudo isso, eu acho que algumas frases foram de impacto, então uma estrelinha a mais. Eu quero ler mais um livro do autor, para conferir se realmente a escrita dele não é para mim, já que esse é o primeiro livro do Vinícius que leio. 

“A vida é feita de lembranças não? Às vezes, eu apenas penso… Ninguém é completamente feliz neste mundo. Acho que a vida de todos é feita de coisas boas e coisas ruins. E, no final, quando as coisas ruins chegam e a gente se sente perdido e mal, as boas recordações servem para nos agarrarmos e tentarmos suportar.”

Compartilhe!

10 comentários :

  1. Admito que tenho dificuldades em me simpatizar, com leituras que o começo e meio lento, e a trama custa a pegar no tranco, talvez até seja pelo fato de que o personagem principal, não tenha lhe cativado. Enfim, pela sua resenha e possível notar que a leitura teve mais pontos negativos, que positivos, e isto me deixou com mais receio de ler a obra, apesar de ter muita vontade de conhecer a escrita deste autor.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu às vezes, pego algum livro que me prende de imediato, mas acaba se revelando depois. Mas nesse caso, não curti muito, mas faz parte.. Vale a pena você ler e tirar suas próprias conclusões, até porque no skoob, ele tem pouquíssimas criticas negativas.

      =)

      Excluir
  2. Já li alguns livros do autor mas esse foi de longe o meu favorito

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Esse foi o primeiro, mas não curti muito.. mas quem sabe com os outros eu me identifique mais!

      =)

      Excluir
  3. Oi Lud!
    Antes quando eu pegava um livro para ler e a leitura não fluía eu insistia, hoje acabo desistindo. Eu já havia colocado "O garoto quase atropelado" na lista de desejados, li várias resenhas e muitas eram elogios então me interessei, um ponto que você citou, e que já ouvi sobre a história, é a narração não bater com a idade do protagonista, acho que o autor deveria ter prestado mais atenção nesse ponto. Enfim, a história é bem leve e pretendo dar uma chance a ela.
    Bjs

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Com certeza Vitória, mesmo lendo resenhas, vocÊ tem que dar uma chance aos livros, e tirar suas próprias conclusões. Eu recomendo sim o livro, porque para mim, pode não ter funcionada, mas para muitos deu certo.

      Excluir
  4. Começo de leitura lento desanima continuar, gosto quando já começa agil, mas ate que parece uma leitura gostosa por ter amizade, só achei estranho ficar sem compreender algumas coisas talvez deveria ter deixado mais claro o autor.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Maria, acho que quando se trata de temas assim mais dramáticos e reflexivos, todos os autores deixam algumas coisas para tirarmos as nossas conclusões! Eu nem sempre gosto disso, mas faz parte.

      Excluir
  5. Oi, Lud!!
    Não conhecia esse autor mas fiquei curiosa para saber o que aconteceu realmente personagem principal, mas confesso que não curto muito livros com uma leitura mais lenta.
    Bjoss

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oie Marta,

      dê uma chance a livro, quem sabe ele te prenda mais do que a mim!

      =)

      Excluir





Copyright © 2017 Every Little Book. TODOS OS DIREITOS RESERVADOS | OddThemes | ILUSTRAÇÃO: Yuumei