10 novembro 2017

[Resenha] O Ultimo Adeus - Abbi Glines #13

River Kipling, mais conhecido como Capitão, está em Rosemary Beach para montar um restaurante de luxo para seu patrão. Dono de um passado sórdido e de um presente misterioso, ele não vê a hora de concluir o trabalho e ir embora da cidade para realizar seu sonho: abrir um negócio próprio à beira-mar num lugar onde ninguém tenha ouvido falar dele. Mas, quando Capitão conhece Rose Henderson, sua ânsia de partir de repente fica em segundo plano. Há algo na risada dela que é familiar demais, e o modo como ela olha para ele o faz lembrar de alguém importante que perdeu há muito tempo. No entanto, a única coisa que Rose revela é que é uma mãe solteira que trabalha duro para sustentar a filha. Enquanto tenta desvendar os segredos da linda ruiva de óculos engraçadinhos e curvas estonteantes e entender por que ela mexe tanto com seus sentimentos, Capitão precisa fugir da marcação cerrada de Elle, a ex-namorada que não mede esforços para afastá-lo de Rose. Ao mesmo tempo, tem que encarar os fantasmas de seu passado para se tornar um homem melhor e construir um futuro do qual possa se orgulhar.
Nesta sequência da série Rosemary Beach, Abbi Glines mais uma vez escreve uma narrativa ardente e emocionante. Com personagens verossímeis e heróis imperfeitos, O último adeus fala sobre o inesgotável poder de transformação do amor.

Livro: O Último Adeus || Autor:  Abbi Glines || Série: Rosemary Beach #13
Editora: Arqueiro || Classificação: 4 estrelas || Resenhista: Karina
 Ano: 2017 || Gênero: Romance, NA, Contemporâneo 

Estamos, finalmente, no penúltimo livro da série Rosemary Beach e apesar de ser o de número 13 na ordem da série, ele pode ser facilmente lido fora do contexto, River ou Capitão/ Cap [para os íntimos] apareceu mais constantemente nos últimos dois livros pois estava inserido no núcleo de Mase e Reese, mas vale lembrar que ele é também irmão de Blaire (mocinha do primeiro livro).
A vida não era um jogo. Era uma dádiva. E escolher tirar esse presente de outra pessoa não era fácil. O que fizemos — o que ele fez — jamais estaria certo. Não significa que eu mudaria aquilo. Toda vez que eu puxava um gatilho, sabia do preço. Sabia o que isso significava. E embora eu não fosse Deus, e escolher quem deve viver ou morrer não fosse meu trabalho, eu escolhia de qualquer maneira...

Cap está de residência fixa em Rosemary Beach por um determinado tempo, mesmo não se envolvendo muito com o núcleo abastado de série, ele tem uma última função antes de deixar de trabalhar para o pai de Reese, ele precisa montar um restaurante de alto padrão, antes de poder deixar seu emprego atual [que descobrimos qual era lá no livro 11/12].

Rose é mãe solteira e será funcionaria de Cap no restaurante, só tem um pequeno problema, Rose lembra demais alguém do passado de Cap, passado esse que ele gostaria muito de poder esquecer. Colocando a filha sempre em primeiro lugar, Rose é a pessoa que vai tirar Cap da zona de conforto; ele até tenta se manter afastado, é mais grosso do que o usual, mas nada parece assustá-la.

Senti uma pressão no peito ao ver seus olhos brilharem de tanto rir. O azul claro deles me era familiar, mas havia algo mais. Era como se eu já a tivesse visto rir antes. Como se já tivesse escutado sua risada. Observá-la fez meu peito doer de um modo sem sentido. Como se.... Eu sentisse saudades dela. Mas eu nem a conhecia.

Enquanto vamos descobrindo aos poucos o passado de Cap, já sabemos logo de cara porque Rose está em Rosemary Beach, então por mais que eles queiram se evitar, e se proteger nesse processo todo, algumas situações são inevitáveis. Esse é um livro que ao meu ver, destoa bastante do que vinha sendo apresentado em Rosemary Beach, está com toda certeza, mais cheio de ação, intriga, tem quase um que de máfia (não sei se gosto dessa última particularmente), mas sendo Abbi Glines a minha Drama Queen preferida, é obvio que a carga dramática e as cenas hots estão lá no melhor estilo Abbi de ser.

[...]  Eu era uma sobrevivente e não imploraria a ninguém para que me quisesse. Fiz isso uma vez quando era criança, e minha mãe me deixou mesmo assim. Nunca mais. Nem mesmo por River Joshua Kipling.

Franny é a criança mais fofa que Abbi poderia ter criado, doce e decidida a conhecer e conquistar o pai, a garotinha garante risada e mostra como a genética pode ser incrível (ela é uma mistura perfeita do pai e da mãe); não dá para contar muito sem entregar quem é quem e qual o papel de cada personagem no livro, Abbi entrega logo nas primeiras páginas o que vamos ver se desenrolar, mas a graça aqui não é o quem eles são, mas sim, como chegaram até aquele momento e o que vão fazer a partir dali.

Tem gente que reclama que a série é mais do mesmo, que é infinita e tem preguiça, mas em momento algum, me arrependo de ter lido todos, sempre que olho para a a estante dá um quentinho no coração, os plots e/ou a escrita podem até seguir uma receita, mas é como se cada descoberta fosse única, todos os reencontro são dignos de suspiros.

Nessa história em particular, além de termos uma mocinha que sofreu horrores, temos um garoto que sofreu igualmente, que lida com uma culpa que não teve, tudo isso nos leva a um recomeço inacreditavelmente fofo; finalmente nesse livro também descobrimos quem é o casinho da Nan (aquela que odiamos desde o primeiro livro) e como o próximo livro é o ultimo da série, a minha expectativa não poderia estar alta, volto em breve para contar o que achei, por hora tentem não se apaixonar perdidamente pelo Cap (eu falhei miseravelmente rs).

Compartilhe!

9 comentários :

  1. Oi Karina, gostei da resenha, de saber que o livro pode ser lido separadamente e que tem ação, intriga, romance, máfia??!! rsrs, fiquei interessada, eu gosto de histórias onde ambos os protagonistas tem problemas a superar e histórias com crianças fofas <3 Curti a resenha, li poucos livros dessa série, mas quero sim continuar ;)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Aaaai Lili eu sou suspeita mas Abbi nunca vai ser demais na minha estante ! Tomara que vc curta tanto quanto eu ! Bjos.

      Excluir
  2. Oiie!!
    Eu tenho MTA vontade de ler as obras da autora, sempre acompanho resenhas delas e cada vez mais fico ansiosa e curiosa pra conhecer...
    Os enredos me agradam e por gostar do gênero espero q em breve consiga ler ...
    Bjs!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. HAhahahah que invejinha boa de tu que ainda vai se apaixonar por todos eles ! Leia e seja bem vinda ao clube das que querem ir morarem Rosemary Beach ! Bjooos.

      Excluir
  3. Ainda não li nenhum livro da série, mas tenho curiosidade em ler, são bem comentados, ainda bem que esse pode ler de forma separada. Gostei por ter ação que adoro, da uma adrenalina na leitura e mostra a superação entre os dois personagens por seus sofrimentos no passado.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Esse definitivamente tem bastante ação e eu diria ate q um pouco de suspensa ! Abbi sempre consegue nos deixar wow ! Espero q vc goste, bjos.

      Excluir
  4. Olá, nunca li nenhum livro da série, mas confesso que com tantos volumes a repetição de plots pode ficar cansativa, mas deve funcionar pra quem gosta da escrita da autora e fica curioso para saber mais dos outros personagens apresentados em livros anteriores. Beijos.

    ResponderExcluir
  5. Oi Karina.
    Eu gosto muito dessa série. Já li todos os livros e estou sentindo saudades dos personagens.
    Sim, os livros tem aquela formulinha que se repete nos livros seguintes e sabemos como tudo vai terminar, mas o gostoso mesmo é acompanhar a trajetória dos personagens.
    Bjs

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Aiiii Pam eu tbm já estou com saudades! A boa noticia é que Sea Breeze já já chega no Brasil <3 espero que Sea Breeze surpreenda e aqueca os corações igual a Rosemary Beach ( pq lá na gringa já saiu 2 livros que une as duas series @

      Excluir





Copyright © 2017 Every Little Book. TODOS OS DIREITOS RESERVADOS | OddThemes | ILUSTRAÇÃO: Yuumei