20 novembro 2017

[Resenha] A Faca Sutil - Fronteiras do Universo #2


Perdida em um mundo novo, Lyra Belacqua encontra Will Parry — um fugitivo que logo se torna um aliado mais que necessário. Pois este novo mundo é povoado por Espectros sugadores de alma, e no céu as feiticeiras disputam espaço com anjos. Will procura pelo pai, um explorador desaparecido há anos, e Lyra busca a origem do Pó. No entanto, o que os dois encontram é um segredo mortal e uma arma de poder absoluto, capaz de decidir o resultado na guerra que se forma ao redor deles. O que nenhum dos dois suspeita é do quanto suas vidas, seus objetivos e seus destinos estão conectados... até que precisam se separar.




 
Livro: A Faca Sutil  || Autor: Philip Pullman || Série: Fronteiras do Universo #2
 Editora: Suma de Livros ||  Ano: 2017 || Gênero:  Ficção Juvenil. 
Classificação: 4 estrelas || Resenhista: Amanda

 Ele ousa fazer o que homens e mulheres sequer ousam pensar.

Esse segundo livro vem para abalar nossas estruturas. Depois da morte trágica ocorrida no primeiro livro, nós nos sentimos tristes, mas confiantes de que agora as coisas vão ser mais calmas. Ledo engano! Recheado de aventuras, essa série vem me lembrando cada vez mais os contos de fadas originais, com mortes trágicas e heroicas, sangue e muita tensão.
Lord Asriel finalmente consegue abrir caminho para outro mundo e começa os preparativos para a grande guerra contra a Autoridade. Que seria Deus. Com isso ele pretende abolir de todos os mundos seus castigos e julgamentos injustos que impedem o ser humano de ser realmente livre.
Depois de uma longa jornada, Lyra, nossa protagonista cruza a janela para outro mundo com seu inseparável daemon em sua busca pelo Pó, deixando seus amigos, o agora rei dos ursos Iorek Byrnison, o aerostata Lee Scoresby e a fada Serafina Pekkala para trás. Cada um tentando descobrir seu lugar na grande guerra que está por vir. A única certeza que todos tem é que vão lutar pela menina. Mas pelo que ela lutará?

Me parece que o lugar de combater a crueldade é onde ela está, e o lugar onde se presta o socorro é onde ele é necessário.

Will Parry de apenas doze anos, está fugindo de homens estranhos que invadiram sua casa mais de uma vez. Ele resolve deixar a mãe com sua antiga professora de piano, antes de voltar para sua casa em busca do "tesouro" de sua mãe, o estojo verde que contém as cartas que seu pai enviara a ela, dez anos antes de desaparecer por completo do mundo. Ele consegue escapar por pouco, mas acaba acidentalmente, matando um dos homens. Agora, sendo procurado também pela polícia, o garoto acaba por achar uma janela para outro mundo, voltando a ter alguma esperança. Ninguém poderia achá-lo ali, ele estaria seguro.

Ninguém poderia ir atrás dele ali; o homem que revistara a casa não teria como saber onde ele estava; a polícia nunca o encontraria. Ele tinha um mundo inteiro onde se esconder.
Pela primeira vez desde que saíra correndo pela porta de sua casa, naquela manhã, Will começou a se sentir a salvo.

Nesse novo mundo chamado Cittàgazze, que parece estar completamente desabitado, ele encontra nossa Lyra. Consultando o aletiômetro, a menina descobre que não só pode confiar em Will, como que sua missão é levá-lo de volta ao pai dele. Mas ainda cismada pelo misterioso Pó e querendo descobrir mais a respeito dele e qual sua função real, Lyra decide continuar sua investigação e vai com Will ao mundo dele, para a faculdade Oxford. Com um estranho choque de realidade a menina estranha tudo ao seu redor que está tão diferente e ao mesmo tempo tão familiar do que em seu próprio mundo. 

O que eram esses mistérios? Haveria, afinal, um único mundo, que passava o tempo sonhando com outros mundos?

Mary Malone está tendo dificuldades em continuar seu estudo sobre a matéria escura. Com falta de verba e em vias de ter seu laboratório permanentemente fechado, a cientista se depara com Lyra que, guiada pelo aletiômetro, conta toda a verdade para Mary, afirmando vir de outro mundo e contando sobre o Pó, que a doutora conhece como "matéria escura". Chocada, Mary vê a menina fazer uma demonstração de como a matéria escura funciona e em seu estado de transe se comunica, recebendo respostas em tempo real de tudo o que pergunta. Antes de ir embora, a menina promete voltar no dia seguinte para mostrar a experiência fantástica aos colegas cientistas da doutora.
Mas Lyra acaba sendo enganada e tendo seu aletiômetro roubado. Para recuperá-lo e poder ajudar Will, eles precisam encontrar um artigo mágico que está em Cittàgazze, chamado Faca Sutil. Enquanto isso, Serafina e suas irmãs feiticeiras tem uma reunião para decidir seus próprios passos na grande guerra. Convidado a participar e dar sua opinião Lee Scoresby deixa claro que seu único interesse é ajudar Lyra a quem ama como uma filha. Para isso ele resolve ir atrás do cientista que desapareceu e foi convenientemente dado como morto por lorde Asriel, o doutor Stanislaus Grumman, na tribo que o tinha acolhido como seu xamã.

Não consigo ver o futuro, mas consigo ver muito bem o presente. E estou com vocês nessa guerra, se é que minhas balas valem alguma coisa.

As feiticeiras por outro lado estão divididas. Serafina como rainha do clã das feiticeiras do Lago Enara decide ir atrás de Lyra no outro mundo e protegê-la, enquanto Ruta Skadi que é rainha de outro clã, decide ir atrás de lorde Asriel, para lutar ao seu lado.
Mas Cittàgazze não é tão pacífico quanto parece e eles logo descobrirão os perigos que esse mundo assombrado esconde.
Com uma escrita envolvente, nós somos complemente absorvidos pela história de Pullman. À princípio, por envolver crianças nós tendemos a pensar numa história mais leve e delicada, mas logo vemos que a história tem seus momentos mais violentos, onde os vilões não tem a menor sombra de remorso em matar o que aparecer em seu caminho. É um livro capaz de agradar tanto o público jovem quanto adultos, já que contém a dose certa de magia, mistério e ação para encantar a ambos.


Compartilhe!

12 comentários :

  1. Oi Amanda, o livro parece conseguir manter o ritmo nessa segunda parte da história e isso é bem positivo. Se entendi certinho, temos antigos personagens e novos bem cativantes e curti ler a resenha, concordo que o livro deve agradar ao público jovem e ao público adulto ;) ;)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Lili!
      São sim. A lyra é a mais desenvolta, mas não tem como não amar o jeitinho discreto do Will também <3

      Excluir
  2. Olá!!
    Gostei mto da capa e o enredo me prendeu atenção, não conheço ainda o volume anterior á este, mas quem sabe consigo ler em breve...
    Bjs!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Leia sim, Aline. Você não vai se arrepender *-*

      Excluir
  3. Que bom que a sequência não deixa a desejar, continua com muitos acontecimentos e a aventura não para com a personagem indo atrás do artigo mágico, é uma pena Lyra ter que deixar os amigos para trás, gosto de todos. E parece ser mais pesada a historia e angustiante com as mortes e perigos.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ai, é muito triste mesmo. Houveram duas mortes nessa séria que me deixaram de coração partido, mas que ao mesmo tempo a gente acaba reconfortado porque eles voltam mais tarde de uma forma inesperada pra matar a saudade <3

      Excluir
  4. Oi Amanda.
    A continuação parece não ter perdido o ritmo e parece que acontece várias reviravoltas. Parece que tem tudo para agradar tanto um público mais jovem, como um mais adulto.
    Adorei a capa desse livro! É linda.
    Bjs

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Exatamente, Pamela! Esse é o espírito mesmo, ele não tem um perfil exato, prende a todo mundo!
      Eu também amei as novas capas, apesar de ainda ser apegada às primeiras hehe'
      Bjss

      Excluir
  5. Olá, nesse volume as aventuras de Lyra ficam ainda melhores, ainda mais quando o Will entra em cena. É impossível não se cativar pelo universo criado pelo autor, que desafia nossas mentes a imaginar tamanha criatividade. Beijos.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, Alisson :D
      Ééé! Eu também amei o Will, cara. Assim, gosto muito da Lyra, de verdade. É só que ela é muito efusiva, sempre falante e precipitada. O Will é mais calmo, mais tranquilo. Eles se equilibram muito bem!
      Beijos ;)

      Excluir
  6. Nossa, tem tanto tempo que li esse livro, que nostalgia! Quero ler tudo de novo!!

    ResponderExcluir





Copyright © 2017 Every Little Book. TODOS OS DIREITOS RESERVADOS | OddThemes | ILUSTRAÇÃO: Yuumei