04 novembro 2017

[Resenha] Edenbrooke - Julianne Donaldson


Marianne Daventry fará qualquer coisa para escapar do tédio de Bath e das atenções amorosas de um pretendente indesejado. Então, quando chega um convite de sua irmã gêmea, Cecily, para se juntar a ela em uma enorme casa de campo, ela agarra a chance na hora. Pensando que vai poder relaxar e desfrutar de seu amado interior inglês enquanto sua irmã tenta fisgar o belo herdeiro de Edenbrooke, Marianne descobre que até mesmo os melhores planos dão errado. De um aterrorizante encontro com um salteador a um aparentemente inofensivo flerte, a jovem se encontra envolvida em uma aventura inesperada e cheia de romance e intrigas, suficientes para manter sua mente agitada. Ela será capaz de controlar seu coração traidor, ou um estranho misterioso irá arrebatá-lo? O destino estava pensando em algo diferente de um verão relaxante quando mandou Marianne para Edenbrooke.

Livro: Edenbrooke || Autor:  Julianne Donaldson || Editora: Universo dos Livros
  Ano: 2017 || Gênero: Romance, Regência, Romance de Época.
Classificação: 5 estrelas || Resenhista: Lud


Edenbrooke se passa na Inglaterra Regencial e conta a história de Marianne Daventry, que se vê morando com a avó depois que a mãe faleceu, e o pai simplesmente foi embora para sofrer sozinho a perda da esposa. Mas ante de ir, o pai deixa uma das filhas gêmeas em Londres com parentes, e a outra com a avó em uma cidadezinha, Bath.

Marianne não entende por que foi separada da irmã, enquanto ela fica em Londres aproveitando a vida, e indo em todos os bailes e conhecendo todos os tipos de diversão que se possa ter quando se é jovem. Mas mesmo que tivesse vindo com ela, Cecily encontraria um meio de sair dali, porque ela sempre conseguia o que queria. Desde pequena, Marianne aprendeu a nunca competir com a irmã, porque sempre sairia perdendo. 

Em um belo dia, ela recebe uma carta da irmã a convidando para ir para Edenbrook, uma propriedade de uma amiga de sua mãe - aliás, melhor amiga da mãe falecida - com a permissão, ou melhor, ultimato da avó, ela embarca para lá com sua acompanhante, Betsy. 

No meio da viagem, quase chegando, elas são atacadas por um assaltante e o cocheiro é ferido. Quando Marianne vê uma estalagem, ela corre por ajuda e dá de cara com um cavalheiro que, no primeiro momento, a trata de forma rude, e ela responde a altura. E essa resposta é um tapa na consciência de nosso mocinho, que passa a ajudá-la durante a noite.

Enquanto esperam o médico, eles conversam e se divertem, mas ele não diz o seu nome por medo de ela estar atrás de sua herança, assim como a irmã que ele conheceu nos bailes em Londres. Mas claro que ele sabe quem ela é, ele só não estava disposto a acreditar que essa moça que tanto o conquistou,fosse mais uma das que queriam se casar com ele a todo custo. 

Já em Edenbrooke, eles se encontram e criam um laço de amizade e cumplicidade, que começa a se transformar em algo muito mais do que ela quer admitir. E tudo se torna mais complicado, quando sua irmã entra no jogo para fisgar Philip. Marianne agora tem que decidir se deixa a irmã ter o que quer como ela sempre fez, ou ela irá lutar pelo amor de Philip. 




Aiiiiiii, meu coração não aguenta desse jeito. 

Devo dizer que achei uma nova autora favorita. Nunca tinha lido nada da Julianne, mas a escrita me pegou de uma forma, que acabei o livro com tamanho sentimento de felicidade, de como há muito tempo não ficava. 

A base da história pode ser clichê para algumas pessoas: a mocinha que não se enquadra no padrão da época, com o mocinho perfeito e rico, mas essa história carrega muito mais do que isso. 

Você pode me perguntar: O que tem de diferente da maioria dos livros de épocas que estão sendo lançados no Brasil? 
Eu posso responder com absoluta certeza que é a escrita da autora, a forma como ela desenvolve o enredo e te carrega por um mar de sentimentos distintos, até que você se encontra sofrendo e aos prantos pela personagem, que nesse momento já é a sua melhor amiga do mundo. 

A descrição dos sentimentos da personagem é o ponto alto aqui, é tão bem aproveitado no enredo, que faz o leitor criar um laço com a personagem e se simpatizar com a mesma. Como não acontecer isso, quando você tem cada sentimento da personagem exposto para você? 

Esse tipo de escrita é oque falta em muitos livros que leio por aí, o autor não expõe com profundidade os sentimentos dos personagens e você lê e não se apega a eles, infelizmente. 

O livro é contado pela mocinha, então temos todo o lado dela da situação, mas como eu li o 0,5 antes de ler esse, eu já estava apaixonada pelo Philip, que nesse livro não ganha tanta descrição de sentimentos como ela, e deveria ter, porque ele é apaixonante. O conto que vem antes narra a vida dele e como ele acabou sendo o herdeiro, até o ponto onde ele a vê pela primeira vez, e essa cena se repete nesse livro, mas contado pelos olhos dela. E devo dizer que isso foi divertido, eu sabia exatamente o que ele pensava quando era narrado aqui, por conta do conto.

Edenbrooke é uma leitura doce e envolvente, com um humor inesperado e um romance que realmente te pega, um herói apaixonante e um pano de fundo, às vezes melodramático, que só contribui para um enredo bem construído.

Bem, eu recomendo muito o livro, foi uma leitura que eu desidratei bastante, mas sou manteiga derretida mesmo.

Compartilhe!

9 comentários :

  1. Olá!!
    Amei esse livro, não conhecia acredita?
    Enredo parece lindo e bem envolvente msm, qro conhecer pra ontem...
    Bjs e parabéns pela resenha!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. ALineeeeee,
      amiga leia esse livro, eu gostei muito da escrita da autora, e quando acontece isso é amor na certa.

      =)

      Excluir
  2. Fiquei com vontade de ler o livro, parece ser uma leitura bem gostosa, os personagens já me ganharam só de ler a resenha, parecem muito fofos juntos, mesmo mas sei que vou passar raiva com essa irmã da personagem (sempre tem que ter alguém rs), mas que graça tem um livro se não despertar esse sentimento no leitor rs.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oie Maria,
      leia sim esse livro, espero que você goste muito !!
      =)

      Excluir
  3. Oi Lud, tô com vontade de te dar um abraço por essa resenha haha, pense num livro que amei e fui pega desprevenida pela escrita dessa autora que não conhecia mas que também entrou pras minhas favoritas, quero outros livros dela com certeza <3 Se perguntassem o que essa história tem de especial eu diria, nada e tudo :) A trama não tem novidade mas a autora consegue fazer o leitor se apaixonar pelos personagens, terminei com mesma sensação de felicidade que você e me sentindo amida da protagonista rsrs. Não conhecia esse 0,5 que você citou e vou procurar pois se Philip me encantou só pelos olhos da Marianne imagina vendo os pensamentos dele <3

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. aaaaaaaaaaaaa adoro quando encontro pessoas que leram o mesmo livro... e melhor ainda quando são da mesma opinião que a sua. Muito amor por autora, quero mais <3

      Excluir
  4. Olá, apesar da premissa genérica, a caracterização dada aos personagens assim como a escrita da autora convergem para que a leitura seja cativante e fluída. Só acho que a autora deveria ter dado mais destaque ao Philip, pois só pela resenha já me simpatizei por ele. Beijos.

    ResponderExcluir
  5. Oi Lud.
    Eu AMO romances de época e estou sempre atrás de novos livros e aberta a conhecer obras de novos autores. Não li nada de Julienne e depois dessa resenha fiquei com bastante vontade de ler Edenbrooke.
    Marianne parece ser a irmã boazinha e personagem que nos ganha logo de imediato, ao contrário da irmã teimosa e que se acha melhor do que todo mundo.
    Philip parece ser um ótimo personagem, que tem todos os motivos para desconfiar das razões das garotas ao se aproximar dele. Qual é o nome do conto que você leu que conta a história do ponto de vista dele? Fiquei com vontade de lê-lo.
    Parabéns pela resenha. Mais um livro para a lista de desejados.
    Bjs

    ResponderExcluir





Copyright © 2017 Every Little Book. TODOS OS DIREITOS RESERVADOS | OddThemes | ILUSTRAÇÃO: Yuumei