16 outubro 2017

[Resenha] O Feiticeiro de Terramar - Ursula K. Le Guin


Há quem diga que o feiticeiro mais poderoso de todos os tempos é um homem chamado Gavião. Este livro narra as aventuras de Ged, o menino que um dia se tornará essa lenda.
Ainda pequeno, o pastor órfão de mãe descobriu seus poderes e foi para uma escola de magos. Porém, deslumbrado com tudo o que a magia podia lhe proporcionar, Ged foi logo dominado pelo orgulho e a impaciência e, sem querer, libertou um grande mal, um monstro assustador que o levou a uma cruzada mortal pelos mares solitários.
Publicado originalmente em 1968, O feiticeiro de Terramar se tornou um clássico da literatura de fantasia. Ged é um predecessor em magia e rebeldia de Harry Potter. E Ursula K. Le Guin é uma referência para escritores do gênero como Patrick Rothfuss, Joe Abercrombie e Neil Gaiman.
O primeiro livro do Ciclo de Terramar conta a história de um menino órfão que vivia na pequena ilha de Gont, no arquipélago Terramar.
Livro: O Feiticeiro de Terramar|| Série: Ciclo Terramar #1
 Autor: Ursula K. Le Guin ||Editora: Arqueiro
Classificação: 3 estrelas || Resenhista: Luiza
 Ano: 2016 || Gênero: Fantasia, YA





Ele era um menino simples, que desde cedo descobriu que tinha aptidão para a magia. Sua tia, uma bruxa, começa a ensiná-lo os princípios básicos de magia e logo Duny domina tudo que aprendeu, todos os nomes, feitiços e etc. Até que chega um dia em que a sua aldeia é brutalmente atacada e Duny usa seus poderes para tentar salvar a todos. Porém, o uso extensivo e profundo de magia esgota completamente o seu organismo, deixando-o em um estado de quase coma.

Enquanto ele se recupera, as notícias de seus feitos circulam por toda a terra, atraindo a atenção do mago Ogion, que visita Gont para conhecer o novo herói da região. Ao constatar que o menino tem de fato os poderes que falam, Ogion decide tomá-lo como aprendiz quando completar 13 anos, idade em que o menino será nomeado.

Nesse mundo, o nome das coisas e pessoas contém todo o poder sobre elas. Para aprender magia, deve-se aprender o nome das coisas. Para ter total poder sobre uma pessoa, basta saber o seu nome, o seu verdadeiro nome. Assim, as pessoas o contam apenas para aqueles em que mais confiam.

Quando chega a data do aniversário de 13 anos, Ogion vai para Gont e dá o nome de Ged ao menino, que parte com ele para virar seu aprendiz. Ged adota o apelido de Gavião, como passa a ser chamado pelas pessoas.

Ele tem muita sede de aprender, muita ânsia de aventuras, e vontade de usar a sua magia para desbravar o mundo. Ogion ensina a ele o princípio das coisas, mas à sua maneira, sem pressa e sempre mostrando o significado por trás de toda magia.

Mas Ged que mais, ele quer aprender mais, usar mais magia, fazer mais coisas. E, depois de um incidente que poderia ter custado a sua vida por causa de sua arrogância e ingenuidade, ele decide abandonar Ogion e parte para a ilha de Roke, onde tem uma escola de Magos. Ged acreditava que as coisas seriam diferentes, e lá ele aprenderia "magia de verdade".

Depois de uma chegada bastante intrigante, ele finalmente começa sua jornada em Roke. Faz amigos e também inimigos, e a sua arrogância mais uma vez o fará correr risco de vida. Só que, dessa vez, ele pode ter liberado uma criatura sombria e muito poderosa, que o caçará até os confins do mundo. Gavião não sabe como vencê-la e precisa de muitas respostas para corrigir os seus erros, partindo assim em uma grande jornada em busca de seu futuro ou da sua ruína.
"Pois eu tinha me esquecido de quanta luz há no mundo, até você devolvê-la a mim."

Esse é um livro que está há muitoooo tempo na minha lista, e só me animei de ler quando a Arqueiro lançou aqui. Ursula Le Guin é considerada uma das precursoras do gênero, tornando-se, futuramente, referência para muitos autores best-selles de fantasia. Esse livro foi lançado na década de 60, uma época onde esse tipo de história não tinha muita ênfase, ainda mais escrito por uma mulher. Não fez tanto sucesso quanto merecia, mas ainda é bastante aclamado.

Com a época em que foi escrito em mente, contata-se logo que o sistema de magia criado pela autora é genial. Todo o conceito de nome das coisas e das pessoas, a organização do mundo, a escola de Magos mostra que a autora estava criando uma tendência que futuramente seria espelhada em muitas sagas.
O fato de o protagonista se negro também não passou despercebido, assim como a ausência de violência exagerada. Tudo nesse livro é organizado de uma forma a passar uma história elaborada, mas de forma simples e fácil de entender.

Ged é aquele tipo personagem típico, que já estamos muito bem familiarizados. Ele fica famoso ainda criança e deixa essa fama "subir" à cabeça tornando-o arrogante e destemido. Com isso, comete muitos erros que afetam sua vida de forma irrevogável, assim como a vida daqueles que o cercam. A partir disso ele passa por uma jornada de muito aprendizado, mas também repleta de aventura e descobertas.

Ele navega por mares, encontra dragões, tesouros valiosíssimos, fica entre a vida e a morte, passa vários perrengues e acaba aprendendo na marra com tudo isso.

Também faz amigos preciosos que o ajudarão bastante na sua jornada e que contribuirão bastante para a formação do famoso mago Gavião.

Eu gostei muito da premissa, consegui entender porque é um livro aclamadíssimo, mas não me prendeu muito por causa da linguagem com um tom mais formal, bem característico de livros escritos nessa época. Talvez se eu tivesse lido em outra época, poderia ter amado. Achei bem massante em várias partes, mesmo sendo um livro super curto. A narrativa não tem muitos diálogos, então o imenso número de partes descritivas não ajudou nesse quesito também.

O aguardado confronto final também não me empolgou muito, teve um tom quase poético, não muito envolvente. Eu esperava um vilão mais bem caracterizado e com motivações mais concretas e, por mais que a autora tenha essa postura de não escrever cenas violentas, achei que o confronto final poderia ser mais intenso.

Acabei demorando dias um livro que poderia ser lido em horas, mas não me arrependo. Por ser o primeiro livro da série, pode ser que melhore mais pra frente. Sei que esse é apenas o início da jornada do grande mago Gavião, então lerei o próximo com certeza.

É uma leitura indicada para todas as idades, com bastante aventura e ação. Venham conhecer o início da jornada do grande mago Gavião!
"É muito difícil para o mal se apropriar da alma que não o consente."

Compartilhe!

6 comentários :

  1. Bom, quando houve o lançamento deste livro fiquei super empolgada com a leitura, até porque tinha uma premissa bacana, com uma estória de fantasia muito bem descrita, mas me lembro que na época li muitas resenhas com criticas negativas, exatamente pelas mesmas questões que você pontuou, uma linguagem mais culta, referente da época, e que fez com que a leitura não fluísse fazendo com o leitor em momentos se sentisse cansado. Como eu não tenho costume de ler muitos livros desse gênero, optou por não dar uma chance a obra, por ter receio de não curti muito, ou de até mesmo querer abandonar a leitura.

    ResponderExcluir
  2. Adoro o gênero fantasia, magia e aventura. Mas confesso que não gostei muito deste livro, não bateu a química. Deve ser porque o confronto final foi algo a desejar. Sinto que não vou gostar e acabar abandonando a leitura.
    Mas sua resenha é ótima, beijos.

    ResponderExcluir
  3. Queroooo!!
    apensar dos pontos negativos, esse livro me chama !!!
    Vou dar uma chance e depois te chamo para comentar!

    =)

    ResponderExcluir
  4. Esse livro esta na minha lista de compras, mesmo com esses poréns ainda quero ler rs. Adoro ação e magia nas historias, Ged é do tipo que vai com muita sede ao pote, gostei que ele errou bastante, pois acredito que com isso ele amadureceu e aprendeu com seus próprios erros. Também gosto de um final bem elaborado, mas quem sabe o próximo seja melhor.

    ResponderExcluir
  5. Gosto de livros de fantasia, que bom que a história te bastante aventura e ação, lendo sua resenha fiquei bem curiosa para ler este livro, pois gosto de ler este estilo de história, então adicionei O Feiticeiro de Terramar em minha lista de leituras.

    ResponderExcluir
  6. Gosto bastante de livro de fantasia, mas esse não conseguiu me ganhar por isso creio que não faria a leitura.
    Mas por ser o primeiro creio que no segundo a trama irá evoluir.

    ResponderExcluir





Copyright © 2017 Every Little Book. TODOS OS DIREITOS RESERVADOS | OddThemes | ILUSTRAÇÃO: Yuumei