[Resenha] Aristoteles e Dantes descobrem os segredos do universo

Aristóteles e Dante descobrem os segredos do universo
Benjamin Alire Sáenz


Dante sabe nadar. Ari não. Dante é articulado e confiante. Ari tem dificuldade com as palavras e duvida de si mesmo. Dante é apaixonado por poesia e arte. Ari se perde em pensamentos sobre seu irmão mais velho, que está na prisão.
Um garoto como Dante, com um jeito tão único de ver o mundo, deveria ser a última pessoa capaz de romper as barreiras que Ari construiu em volta de si. Mas quando os dois se conhecem, logo surge uma forte ligação. Eles compartilham livros, pensamentos, sonhos, risadas - e começam a redefinir seus próprios mundos. Assim, descobrem que o amor e a amizade talvez sejam a chave para desvendar os segredos do Universo.


Esse livro foi super hypado quando lançado, o que me criou muitas expectativas; no mês passado, Benjamin Alire Sáenz participou do da 1º edição da Flipop e causou muitas lágrimas durante sua mesa, então finalmente chegou a hora de descobrir os mistérios de Aristóteles e Dante.
Certa noite de verão, caí no sono desejando que o mundo fosse diferente quando eu acordasse. Quando abri os olhos de manhã, estava tudo igual.

Antes de começar a história do Aristóteles e do Dante foi bom eu ter prestado atenção na frase que abre o livro para que me ajudasse entender no fim da leitura o que eu tinha achado, a frase diz:

Para todos os garotos que tiveram de aprender a jogar com regras diferentes.

O plot se passa no ano de 1987, temos o foco em dois adolescentes com idades aproximadas de 15/ 16 anos, de descendência mexicana que moram nos Estado Unidos. A narração é em primeira pessoa e do ponto de vista do Aristóteles, que nos apresenta à uma família calada. Aristóteles é o filho caçula de uma família onde o pai  “lutou” na guerra do Vietnã e tem seus traumas até hoje, as irmãs mais velhas são casadas e tem filhos (esse núcleo participa menos da rotina do Ari), Aristóteles tem também um irmão que está preso e nunca é mencionado em casa (é quase como se eles tivesse morrido para a família); A mãe é a mais comunicativa e a pessoa que mais conversa com Ari, porém ainda sim, é reservada.

É na piscina do clube que Aristóteles conhece Dante, que ao contrário de Ari, é super comunicativo, com uma mãe que é psicóloga e um pai que é professor de inglês (interação nessa família não é o que falta); e o primeiro contato deles é super espontâneo, Ari não sabe nadar e Dante se oferece para ajudá-lo, a partir daí, os garotos vão desenvolver uma amizade e descobrem alguns segredos do universo.

Eu era praticamente invisível. Acho que gostava de ser assim. Até que surgiu Dante.

Voltando lá na primeira frase, quando terminei o livro, ela fez muito mais sentido e concordo totalmente com ela; embora o livro se passe em 1987, a temática é atemporal, a temática é extremamente válida nos dias de hoje. Benjamin escreve de uma maneira muita bonita e poética sobre as descobertas de garotos; no livro, existe a temática de romance LGBT, mas o foco está na auto descoberta e na aceitação ou não desses fatos. Acredito que  a maneira que as situações são colocadas, podem sim, mudar o mundo de pessoas que vivam situações semelhantes, porém, mesmo assim, as expectativas geradas foram maiores que as sensações entregues.

Dante estava com a expressão diferente. Parecia um anjo. E tudo o que eu queria era meter a mão na cara dele. Não conseguia suportar minha própria crueldade.

Enquanto o Aristóteles é o personagem mais chato e mimado que pode se ter em um livro,  Dante é o personagem mais fofo que sabe onde está e para onde quer ir; os pais de ambos são incríveis e bem desenvolvidos, embora eles tenham os estereótipos meio forçados de vez em quando. A obsessão do Ari com o irmão foi uma das coisas que muito me irritou e que não é necessária para entregar a mensagem da importância das relações entre irmão, pais e filhos.

Às vezes, você faz coisas não porque pensou naquilo, mas porque sentiu. Sentiu demais. E nem sempre você pode se controlar quando sente demais.

Apesar de toda a repetição das situações que me pareceu encheção de linguiça, os capítulos curtos tornam a leitura muito rapidinha, dá facilmente para ler em apenas um dia e se você não for o público alvo como eu,  ainda sim, vale a leitura, até porque nunca encontrei ninguém que dissesse que não gostou do autor, recentemente no twitter, o Benjamin disse que está trabalhando numa continuação da história do Aristóteles e do Dante.

7 comentários:

  1. Ainda não tive oportunidade de me deparar com a escrita do autor, mas em uma coisa eu concordo todos que já leu alguma de suas obras gostaram. E a primeira resenha que leio deste livro em especial, e gostei muito da temática, principalmente por se passar em uma época em que os homossexuais não eram tratados de forma aceitável, e mostrar este descobrimento da sexualidade, um envolvimento de amizade, enfim, algo que me despertou bastante interesse.

    Participe do TOP COMENTARISTA de AGOSTO, para participar e concorrer Ao livro "Dois Mundos", o primeiro da série "Tesouros da Tribo de Dana" da escritora Simone O. Marques, publicado numa edição linda pela Butterfly Editora.
    http://petalasdeliberdade.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  2. Oi Karina, acho a capa desse livro bem bonita e a história parece ser leve e interessante apesar de não ser uma leitura que eu corra pra ler. O fato da história se passar em 1987 deve apresentar problemas ainda maiores com a aceitação e auto descoberta dos protagonistas, mas gostei de saber que os pais de ambos são incríveis a seus modos e bem desenvolvidos. Gostei muito da resenha *__*

    ResponderExcluir
  3. Os livros Hypados.. estamos sofrendo com isso ultimamente. Não que os livros sejam ruins, longe disso, mas estraga um pouco nossa magia com eles!
    MAs esse está na minha lista, porque o autor é <3

    ResponderExcluir
  4. Ainda não li nada do autor, mas tenho vontade de ler esse livro, os personagens são bem reais pois na realidade tem muitos assim, mais extrovertidos e mais calados. Pena que em algumas partes é repetitivo isso cansa a leitura, mas não desistirei rs.

    ResponderExcluir
  5. Gostei muito dessa premissa do livro e principalmente sobre o fato que se passa numa época que os gays não eram muito aceitos pela sociedade. Fiquei curiosa pra ler o livro pra saber mais sobre esse descobrimento da sexualidade, entre as amizades, e com isso os afetas.
    Com certeza vou ler e já adicionei na minha lista.
    Beijos.

    ResponderExcluir
  6. Quero muito ler este livro, está na minha lista de desejados desde o seu lançamento, mas ainda não tive a oportunidade para comprar.

    A história parece incrível e acho super importante cada vez mais os autores escreverem livros sobre a temática LGBT, mesmo o foco deste livro sendo a auto descoberta dos dois.

    ResponderExcluir
  7. Olá Karina ;)
    Na época que esse livro foi lançado fiquei super interessada em ler ele, mas com o tempo e a lista de livros crescendo, meio que me esqueci dele sabe.
    Adorei a premissa do livro, e já ouvi críticas positivas sobre a escrita boa do autor, por isso e pelos seus comentários do livro fiquei animada para pegar finalmente o livro e ler!
    Creio que eu va gostar mais do Dante, até porque me identifico mais com ele, e espero gostar da interação entre os dois personagens.
    Obrigada pela indicação, adorei!
    Bjos

    ResponderExcluir

Laura Lendo...

Lud Lendo...

Luiza Lendo...