24 julho 2017

[Resenha] A Química Que Há Entre Nós - Krystal Sutherland

Grace Town é esquisita. E não é apenas por suas roupas masculinas, seu desleixo e a bengala que usa para andar. Ela também age de modo estranho: não quer se enturmar com ninguém e faz perguntas nada comuns.
Mas, por algum motivo inexplicável, Henry Page gosta muito dela. E cada vez mais ele quer estar por perto e viver esse sentimento que não sabe definir. Só que quanto mais próximos eles ficam, mais os segredos de Grace parecem obscuros.
Mesmo que pareça um romance fadado ao fracasso, Henry insiste em mergulhar nesse universo misterioso, do qual nunca poderia sair o mesmo. Com o tempo, fica claro para ele que o amor é uma grande confusão, mas uma confusão que ele quer desesperadamente viver.


Livro:  A Química Que Há Entre Nós||  Autor: Krystal Sutherlandn
Editora: Globo Alt || Classificação: 3 estrelas || Resenhista: Amanda
 Ano: 2017 || Gênero: Fantasia


A Química entre nós é um desses livros que a gente termina e fica um tempinho de ressaca. É o primeiro livro da autora que eu leio, mas a escrita conquista totalmente. Parava o tempo todo para marcar uma quote <3

"- Ah, por favor. Ninguém quer ser esquecido.
- Porque... tantos motivos. Porque eu tenho dezessete anos. Porque eu não me importo em ficar sozinho. Eu gosto, na verdade. Estive cercado por adolescentes que estão sempre entrando e saindo desses relacionamentos tóxicos e dramáticos, e isso nunca teve nenhum apelo para mim (...).
- Você entende que está perdendo um monte de coisas ótimas ao escolher ser dessa maneira, não é? Às vezes você não sabe que as coisas serão extraordinárias até que elas são."

Grace é uma aluna que acaba de ser transferida e ela é um mistério. Na verdade, uma esquisitona, mesmo. Ela usa roupas de garoto, muitas vezes parece vir sem tomar sequer banho, o cabelo loiro curto demais que desponta em todas as direções... e usando uma bengala. Grace manca.
Henry, que ao contrário de sua irmã maluca, sempre foi um modelo de bom comportamento na escola, à principio nem a repara. Mas quando ambos são chamados para se tornarem editores do jornal e Grace recusa de forma rude, ele fica impactado. Depois de trabalhar dois anos, puxando saco e sendo ótimo aluno, ele consegue o cargo de editor chefe e essa menina acaba de chegar do nada e consegue o cargo junto com ele e diz que não? Ele vai atrás dela, mesmo sem entender completamente porque ele está dando tanta importância a isso, mas só fica mais confuso.

"- Por que a luz do sol está tão brilhante? - ela parecia estar raiando de todos os lugares, crestando minhas veias ensopadas de vodca e ponche, queimando minhas entranhas como fogo selvagem. - Talvez Drácula não fosse um vampiro, apenas um alcoólatra inveterado que estava sempre de ressaca.
- Agora, essa é uma história que eu leria - disse Baz."
Quem é Grace Town? No dia seguinte, porém, o professor o agradece por ter convencido a senhorita Town a entrar para o jornal, mesmo que apenas como assistente, deixando Henry ainda mais perdido. Os dois começam a se aproximar e Henry a cada dia se vê mais próximo e mais interessado em desvendar Grace. Que segredos ela esconde? Por que vai ao cemitério todo dia depois da escola? Por que nem tenta se misturar? Todos os professores parecem cuidadosos ao redor dela e sua atitude misteriosa e levemente hostil atiça a curiosidade de Henry cada vez mais e mais.

"Não posso mentir e dizer a você que ficar na frente de alguém e lhe oferecer sua alma e receber uma rejeição não vai ser uma das piores coisas que podem acontecer com você. Você vai se perguntar por dias ou semanas, ou meses ou anos mais tarde, o que é que tem de tão errado, ou quebrado ou feio, que essa pessoa não poderia amar você do jeito que você a amava. Você vai procurar por todos os motivos dentro de si pelos quais não quiseram estar com você e vai encontrar um milhão."

A família do Henry é muito divertida, morri de rir com os pais dele vestidos de Vulcanos para se apresentarem para a primeira namorada do filho. A irmã rebelde e cientista amalucada - terror dos professores de ensino médio. Os amigos diferentões. E as referências! Nossa, as referências são ótimas. Morri de rir dele dizendo que não deveria ter julgado Edward Cullen com tanta dureza e com os diálogos de HP (Grace nunca leu os livros ou sequer viu os filmes, é uma das partes mais chocantes, sem dúvida).

A escrita da autora é fluída, o livro é curtinho e cheio de grandes questionamentos e passagens que te fazem pensar. Sobre o universo, sobre as pessoas, sobre o esquecimento, o amor - como acontece e por que. Para quem quer ler um livro que não pesa muito no romance e faz várias referências literárias A Química Entre Nós é a escolha perfeita!



Compartilhe!

12 comentários :

  1. Olá Amanda!!
    Qro mto ler esse livro, conhecer a escrita da autora que ouvi flar mto bem, o enredo me prendeu bastante, espero não demorar mto pra ler.
    Bjs!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Aline.
      Que bom, lei a e volte pra dizer o que achou <3
      Bjs!

      Excluir
  2. Oi Amanda, apesar da história de Grace ser meio misteriosa o livro parece ser leve e com pouco drama, super envolvente e encantador. Curti a resenha, essa é mais uma de muitas resenhas positivas que tenho lido desse livro e isso só tem aumentado minha curiosidade. A capa não me chamou a atenção, mas imagino que deva ter um motivo na história pra ela. Gostei e espero ter a oportunidade de ler futuramente ;)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Lili!
      A capa dele me chama a atenção, mas também acho que podiam ter colocado algo diferente... espero que goste da leitura <3

      Excluir
  3. Só digo que quero esses Pais pra mim ! Amei o final ...e achei meio freak a explicacao de como a Grace vive MAS isso deu um toque mto legal na historia !

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. hahhahahaha
      Cara, eu achei o final meio shakespeariano demais pro meu gosto, mas gostei do livro como um todo, apesar dos pesares. Os pais dele são meu sonho de consumo!

      Excluir
  4. Acho essa capa uma graça e fiquei intrigada com a Grace quais mistérios envolvem a garota. A leitura parece ser agradável e que envolve o leitor e adoro historias que tenham referencias literárias.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Maria.
      Então você vai adorar esse livro! Ele tem varias referências e diálogos geek super engraçados <3

      Excluir
  5. Oi, eu achei essa capa tão linda e pensei preciso ler. Só que todas as resenhas que eu li, nenhuma falou tanto sobre ele, só diziam que fatos decepcionaram, não foi o final que imagitanam e confesso que isso me desmotivou. Mas só em saber que tem referências já melhora.
    E pra você chocar eu estou com a Grace, nunca li, nem assiti nenhum filme de HP.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. PERA PARA TUDO!
      Como assim??????? Malu, menina, vai ler HP pelo amor de Deus. Olha eu cheguei a publicar a passagem do livro no meu face e dizer que eu shippava os dois até saber que ela não tinha lido ou nem sequer visto os filmes de HP e que ela era uma má influencia e ele devia correr para as colinas HAHAHAHHAHAHA
      Parei.
      Olha, zoeiras à partem, o livro vale a pena. É engraçado, bem estilo geek mesmo. Apesar de ter alguns fatores que realmente desapontam um pouco, eu curti a leitura. E ele é bem fininho, então você lê rapidinho (mas se mesmo assim decidir que não quer ler ele agora, vai ler HP!!!!!!) haushusauhas
      Beijos!

      Excluir
  6. Olá,
    Eu tenho procurado exatamente livros assim, nesse ritmo, e tenho amado, preciso voltar urgentemente para o lado negro da força, mas eu adorei tanto a descrição dos personagens, principalmente da irmã maluca, preciso ler agora.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Aline!
      Nem me fale, o lado negro da força está me chamando aqui também hahahahha

      Excluir





Copyright © 2017 Every Little Book. TODOS OS DIREITOS RESERVADOS | OddThemes | ILUSTRAÇÃO: Yuumei