[Resenha] F*ck Love - Tarryn Fisher



F*ck Love
Louco Amor
Tarryn Fisher

Helena Conway se apaixonou. Contra sua vontade. Perdidamente. Mas não sem motivo. Kit Isley é o oposto dela desencanado, espontâneo, alguém diferente de todos os homens que conheceu. Ele parece o seu complemento. Poderia ser tão perfeito... se Kit não fosse o namorado da sua melhor amiga. Helena deve desafiar seu coração, fazer a coisa certa e pensar nos outros. Mas ela não o faz... Tentar se afastar da pessoa amada é como tentar se afogar. Você decide fugir da vida, pulando na água, mas vai contra a natureza não buscar o ar. Seu corpo clama por oxigênio sua mente insiste que você precisa de ar. Então você acaba subindo à superfície, arfando, incapaz de negar a si mesma essa necessidade básica de ar. De amor. De desejo ardente. Você pode pensar que já viu histórias parecidas, mas nunca tão genuínas como essa. Tarryn, a escritora apaixonada por personagens reais, heroínas imperfeitas, mais uma vez entrega algo forte, pulsante, que nos faz sofrer mas também nos vicia. Depois dela, todas as outras histórias começam a parecer como contos de fadas. Se você não quer se viciar, não leia a primeira página.


Ahhhh que livro F*DA!!!! Muuuuito muito bom! Sério, leiam! Para começar, vou evitar entrar muito na história, porque para mim isso foi o mais sensacional, eu não sabia absolutamente nada sobre o livro, havia lido apenas a sinopse (que não entrega muito, ainda bem) vou falar mais para vocês sobre os personagens e como me senti durante a leitura, se você veio aqui à procura de spoilers, sinto muito decepcionar, mas tentarei entregar o mínimo possível da história.

F*ck love é cheio de realidade (como tudo da Tarryn). Cheia de altos e baixos, nada é perfeito, os personagens são fudidos e normais.

“Sei que a vida não é simples, porque eu não sou simples. Na verdade, estou aprendendo que sou mais do que simples e menos do que normal. Apaixonar-se por um cara é uma coisa, mas se apaixonar pelo namorado da sua melhor amiga por causa de um sonho é… 
É, estou fodida”


A começar por nossa protagonista, Helena, que não é nenhuma princesa de conto de fadas, pelo contrario, ela tem pensamentos tão reais, daqueles que todo mundo tem e finge não ter porque se assumisse que pensa assim, seria considerada uma pessoa má (mesmo que todo mundo pense assim, falar não pode);

Helena se acha bem normal, é bonita, mas não tem nada demais. Estuda para ser contadora, sempre foi muito boa com números e fatos, criatividade e insegurança não é com ela. Ela namora com Neil que por sua vez é lindo e a trata super bem, apesar de ser bem controlador ele  gosta dela exatamente como é. Previsível e estável, ele é um verdadeiro filho da puta, mas vocês vão descobrir isso logo.

O único problema de Helena, é que ela se apaixona pelo namorado da melhor amiga, que é uma vaca por sinal. Mas esse sentimento gera muito conflito interno em nossa protagonista, pois ela tenta evitar se sentir assim porque é errado, mas depois, ela pensa em sua felicidade também.


"- Somos muito diferentes - Ele sorri. - Sou um otimista e você é uma pessimista. Evito o confronto, enquanto você o procura.
- Se é assim, então em que somos iguais?
- Nós dois estávamos em busca de algo que fosse verdadeiro. Algumas vezes, a verdade de uma pessoa é o amor de outra."

E o tal namorado da amiga? Kit. Passei por várias mudanças de sentimentos com relação a ele. Ele é um cara bom na verdade, mas é um covarde, e um acomodado, e isso é o que me fez odiá-lo em certos momentos. Mas ele também tem um bom caráter, e apesar de não tomar decisão na vida, ele sabe o que quer, sempre soube, só não faz nada sobre isso.

“Sinto-me em pedaços. Tão magoada. Mais deslocada e fracassada do que nunca. Quando embarco no avião, peço uma bebida. E sei que estou vestindo bege, que o meu cabelo está todo bagunçado e que as pessoas estão olhando para mim. Mas elas não podem enxergar o meu coração. Se pudessem ver o que se passa no meu coração, elas entenderiam o motivo de a minha maquiagem estar toda borrada.”

A melhor amiga, Della (que eu chamo de vaca do inferno) é uma idiota convencida, que tem certeza absoluta que o mundo gira a sua volta, ela é detestável. Mas elas são amigas desde novas, e foram capazes de manter a amizade através de todas as mudanças da vida. A Helena sabe bem como a Della é, mas a ama, e a conhece tão bem quanto a si mesma.

Durante a história vamos nos envolvendo nas mudanças na vida dos personagens ao longo de alguns meses (que juro parece muito mais que isso). O livro é um triângulo amoroso sim, mas é tão diferente de tudo o que já li que aconselho a quem não gosta do estilo que se aventure.

“Quero fazer parte do mundo mágico, não do mundo dos trouxas. Pego o meu exemplar surrado de Harry Potter e o Cálice de Fogo, que está cheio de dobras nas pontas das páginas. Este livro não sai da minha mesa de cabeceira desde que o li pela primeira vez, há seis anos. É o meu favorito dos sete. Eu o trouxe para ler no avião, para ganhar coragem. Para me lembrar do motivo que me leva a fazer o que estou fazendo. É o meu Felix Felicis”

Cheio de referências a Harry Potter, o que me fez rir em vários momentos, deixo aqui essa cena no avião, porque gargalhei muito nessa hora. Como toda Potterhead de verdade, amei as referências ao mundo bruxo, e me senti ainda mais conectada à personagem principal. Helena é uma mulher que ama verdadeiramente, xinga, se deixa influenciar por um namorado abusivo, se impõe quando precisa. Da casa Corvinal, sai em busca da magia que há dentro de si, porque está cansada de viver em um mundo trouxa e acredita que há magia dentro dela,  só precisa achá-la.



Cruamente falando, F*ck love é sobre uma mulher que se apaixona pelo namorado da melhor amiga. Mas é muito mais que isso, é sobre a descoberta de um amor inesperado, sobre enxergar as pessoas verdadeiramente, e principalmente sobre descobrir quem você quer ser, e simplesmente ir atrás disso. Mais do que uma relação amorosa, é sobre o auto descobrimento. A Helena teve um sonho, imaginou a vida de um jeito, viu quem queria ser, e foi atrás de realizar isso, bem consciente do medo, mas sem desistir.
“A vida está em constante mudança, como as estações. É imprevisível na maior parte do tempo. Feliz. Infeliz. Satisfatória. Tediosa. Desordena toda a ordem, e então muda mais uma vez. Aprendi que a verdadeira transformação deve vir de dentro para fora. Cruzar o país para ampliar a visão. Transformar o coração e a mente para conquistar sanidade. Mas o principal é se revoltar quando a estação muda. Revoltar-se, nem que seja para aplacar a sua sede.”

A Tarryn nos traz tanta coisa para pensar. Não consegui parar de ler até acabar o livro, li em 7 horas e sinceramente, acho que me arrependo, esse livro merece ser lido aos poucos, merece ter suas palavras absorvidas lentamente, mas não é culpa minha se fiquei tão envolvida e em um estado de euforia que fui capaz de esquecer que o mundo existia.
“Você não deveria ter de convencer ninguém a escolhê-la como prioridade. O amor não é uma simples questão de escolha."

Um livro cheio de verdades, que retrata a natureza do ser humano em suas diferentes formas, cada personagem tem qualidades e defeitos, e algo com que cada um se identifique, acho que essa é uma das principais características da escrita da Tarryn, os personagens que ela cria.

Por fim, só posso insistir para que leiam F*ck Love, e depois leiam todos os outros livros da autora por que ela é dessas que PRECISAM ser lidas.

Confiram mais sobre os outros livros da autora:



Sinopse do A Oportunista
Olivia Kaspen acaba de descobrir que seu ex-namorado, Caleb Drake, por quem era obcecada, perdeu a memória. Com uma incrível habilidade de tirar proveito das situações, ela acredita estar diante de uma segunda chance para ter Caleb de volta.
E para que seu plano dê certo, Olivia precisa manter sua verdadeira identidade e seu passado sórdido em segredo. Porém, surge um obstáculo inesperado: a atual namorada de Caleb, a perversa Leah Smith.
Inicia-se então um jogo entre duas mulheres dispostas a tudo para conquistar o homem que parece ter apagado todo o seu passado.
Para encobrir as consequências de suas mentiras, Olivia cria uma teia de novos eventos, em um processo que pode levá-la a descobrir que sua busca pelo amor talvez a tenha feito ultrapassar limites muito perigosos.




12 comentários:

  1. Olá Lala!!
    Amei sua resenha, estou de olho nesse livro desde o lançamento, não só nele, mas nos livros citados da autora tbm, tenho mta vontade de ler e conhecer a escrita dela já que todos flam bem.
    Bjs!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Aline!!
      Espero que leia logo e goste tanto quanto eu.
      Bjos

      Excluir
  2. Oi, estou muito curiosa sobre este livro, muitas opiniões diferentes, tem gente que gosta de uma, tem gente que gosta da outra, só vou saber quando ler.
    Não gostei da comparação com a Bíblia, mas ainda quero ler.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Malu!
      Eu também estava super curiosa até lê-lo, mas sendo da Tarryn eu já embarco logo na leitura, sou super fã da autora!
      Bjos

      Excluir
  3. Oi Lala, achei a capa desse livro linda e essa é a primeira resenha verdadeiramente positiva que vejo dele, algumas que li eram positivas com ressalvas e gostei da tua resenha. Ainda não li nada da autora mas pelo que vejo nas resenhas o bom dela é que seus personagens são bem humanos, com "defeitos" e que cometem erros, quem não comete né?!, e isso é tratado de forma normal e assim o leitor acaba se identificando e isso é legal. Achei a resenha interessante e apesar de ainda ter um pé atrás pelo fato de Della ser melhor amiga dela fiquei curiosa e talvez mais a frente eu resolva ler ;)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Lili!
      Os personagens dela de fato são a melhor parte da história. Impossível não se identificar...
      Então... a Della é uma personagem super chata, apesar de eu ser totalmente contra traição ela é tão detestável que passei a torcer para que isso acontecesse de uma vez!
      Espero que goste da leitura
      Bjos

      Excluir
  4. Olá,
    Você foi tão enfática e animada pra falar sobre esse livro que acho que quero ler um triângulo amoroso kkk. Adorei a resenha, e as referências a Harry Potter, vou confessar que gosto de livros com muitas referências. Também gostei da melhor amiga, adoro esse tipo de personagem super confiante, são os melhores

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Aline
      As referencias são sensacionais.
      Espero que vc goste da leitura!
      Bjos

      Excluir
  5. Quero muito ler e acho essa capa linda. Só porque não gosto de Triângulos amoroso tinha que ter (rs) ainda bem que é deferente assim acho que não passo raiva. Que dilema da personagem é uma situação difícil se apaixonar justo pelo namorado da melhor amiga que pelo menos não presta assim acho que a culpa diminui rs. Pena que o personagem é acomodado e não toma atitude.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Maria.
      Vc passa por uma mistura de sentimentos com essa leitura, mas é maravilhoso.
      Espero que vc leia e goste da leitura tanto quanto eu!
      Bjos

      Excluir
  6. Laura, que resenha bonita.
    Fiquei bem animado com essa resenha. Aliás, gosto tanto do blog que toda vez que vejo que tem resenha nova, esboço um sorriso todos-os-dentes, tamanha a felicidade. Esse blog é show! Continue assim, gosto demais do teu trabalho, Dieison, do Rio Grande do Sul.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada Dieison!!
      Lisonjeada com todo esse carinho.
      Esperamos continuar sempre atendendo as expectativas...
      Abraços!

      Excluir

Laura Lendo...

Lud Lendo...

Luiza Lendo...