[Resenha]A Grande Ilusão - Harlan Coben

A Grande Ilusão
Harlan Coben
Editora Arqueiro


Maya Stern é uma ex-piloto de operações especiais que voltou recentemente da guerra. Um dia, ela vê uma imagem impensável capturada pela câmera escondida em sua casa: a filha de 2 anos brincando com Joe, seu falecido marido, brutalmente assassinado duas semanas antes. Tentando manter a sanidade, Maya começa a investigar, mas todas as descobertas só levantam mais dúvidas. Conforme os dias passam, ela percebe que não sabe mais em quem confiar, até que se vê diante da mais importante pergunta: é possível acreditar em tudo o que vemos com os próprios olhos, mesmo quando é algo que desejamos desesperadamente?
Para encontrar a resposta, Maya precisará lidar com os segredos profundos e as mentiras de seu passado antes de encarar a inacreditável verdade sobre seu marido – e sobre si mesma.


“O fantasma da morte persegue você, Maya”.

Há tempos eu estava procurando algum livro com essa pegada mais investigativa, que despertasse meu interesse, para dar um tempo dos meus queridos romances. Decidi escutar minha intuição e me deliciar com mais um lançamento de Harlan Coben. Não li muitos livros desse autor, mas os poucos que li foram muito bons! E este aqui não foi diferente, adorei!

Maya se vê no pior momento da sua vida. Meses atrás perdeu sua única irmã, que foi brutalmente assassinada, e agora acaba de perder seu marido, também assassinado. Para completar, duas semanas após a morte do marido, ao checar as gravações de uma câmera de segurança, ela flagra uma cena que pensou que jamais poderia acontecer novamente; o marido e a filha de dois anos brincando na sala de tv. Isso seria possível, mesmo após ela ter presenciado a morte dele?

“Quando eliminamos o impossível, o que sobra, por mais improvável que seja, deve ser a verdade.”

Por ser uma ex-militar de alto escalão, Maya começa a se perguntar se existe alguma ligação entre essas duas mortes e qual o papel de cada um à sua volta que poderia ter contribuído ou ocasionado a morte de ambos, incluindo ela mesma, já que se culpa por não ter impedido as mortes e com a dúvida de que não era ela o alvo o tempo todo.

“Ela sabia, mas não conseguia acreditar, não conseguia aceitar, preferia dizer a si mesma que tudo não passava de um grande equívoco”.

O livro é todo narrado em terceira pessoa e acompanhamos Maya em suas investigações misteriosas em busca de desvendar todo esse mistério, enquanto corre contra o tempo para tentar sair do lugar de primeira suspeita da polícia pela morte do marido. Quanto mais ela investiga, mais se vê surpreendida por toda a teia de mentiras que era a sua vida e ela nem suspeitava. ­Será que ela conheceu o marido algum dia ou era tudo uma grande ilusão? 
Uma das divulgações do livro feita pela editora Arqueiro me chamou muita atenção e desde essa época estava aguardando o lançamento; ‘Você acha que sabe a verdade. A verdade é que você não sabe nada’. E é exatamente assim. 

“Dizem que não é possível enterrar o passado. Talvez seja verdade, mas o que isso significa de verdade é o seguinte: os traumas do passado reverberam e ecoam até o presente e assim permanecem vivos”.

Enquanto tenta lidar com todos esses problemas, ela ainda precisa superar um trauma que a persegue quando ainda era uma piloto de helicóptero em serviço militar, quando por um erro dela, vários civis inocentes morreram. Acredito que o objetivo do autor tenha sido que ela desvendasse um mistério enquanto ia se auto desvendando também, como uma espécie de superação.

Enfim, a trama é incrível e eu fiquei verdadeiramente surpreendida pelo final. Achei Maya uma heroína brilhante, que mostrou verdadeiro crescimento dentro da história e nos presenteou com uma reviravolta importantíssima no final. Recomendo muito a todos, pois tenho certeza que gostarão muito da leitura e de todo o mistério envolvido.

“As mentiras não morrem nunca. Você até pode tentar sufocá-las, mas elas sempre encontram um jeito de voltar à vida.”

8 comentários:

  1. Oi Naty!
    Amei sua resenha, tenho mta vontade ler os livros de Coben, leio mto comentários positivos da escrita dle, espero um dia conseguir ler suas obras...
    Bjs e parabéns pela resenha!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, já li todos os livros do Harlan Coben, são os melhores, mas se for para começar a ler, comece pelos da série Myron Bolitar. Fiquei tão apegada que quando terminou (a série do sobrinho dele também - Mickey Bolitar) fiquei algumas semanas sem conseguir ler nada de tanta saudade! Vale muuuito a pena.

      Excluir
    2. Que bom, obrigada Aline ;)
      A escrita do Harlan é otima! Clara, objetiva, interessante e cativante. Deixa sempre um gostinho de quero mais.
      Assim que conferir alguma obra dele venha me contar, beijao

      Excluir
    3. Vanessa, vou seguir a dica! Ainda não li nada dessas duas séries, mas escuto falar muito bem!

      Excluir
  2. Li um livro do autor e gostei, espero ler outros. Esse parece ser muito bom, tem misterio que adoro e me deixou curiosa em saber qual é a do marido da personagem o que aconteceu com ele.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sim! é uma leitura bem tensa, eu adorei!
      Venha me contar depois o que achou

      Excluir
  3. Sempre fico com vontade de ler quando vocÊ resenha os livros dele. Já add na minha lista, só esperando a oportunidade.

    =)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. leia logo mulher, se gosta dessa leitura meio policial, vai adorar!

      Excluir

Laura Lendo...

Lud Lendo...

Luiza Lendo...