[Resenha] A Ameaça Sombria - Melissa Grey

A Ameaça Sombria
Trilogia Echo # 2

Resenha livro 01

O mundo de Echo mudou por completo quando a garota menos esperava. Até pouco tempo, ela era apenas uma espectadora da guerra milenar entre os Avicen e os Drakharin, dois povos mágicos que habitam a Terra em segredo. Agora, depois de encontrar e libertar o pássaro de fogo - uma figura mítica importante para os dois grupos - e de descobrir o poder que carrega dentro de si, Echo precisa entender qual papel deve desempenhar para colocar um fim definitivo nesse conflito.
Para complicar, a libertação do pássaro de fogo deu nova vida a um ser antagônico a ele, o kuçedra. Feito de trevas e sombras, o kuçedra espalha medo e morte por onde quer que passe - principalmente se controlado pelas pessoas erradas. Enquanto tenta encontrar uma solução para esse novo obstáculo, Echo vai perceber que a linha que separa a luz das trevas é bem mais tênue do que esperava...


Em A Ameaça Sombria, se passaram três meses desde a batalha final na Alemanha em que Echo se tornou o Pássara de Fogo. Agora, Echo e Caius, Dorian, Jasper e Ivy estão escondidos em um dos lugares seguros de Jasper - um armazém abandonado, já que todos estavam sendo procurados. 

Mas a ferida de Jasper, causada pela arma do Príncipe Dragão, não está se curando. Eles desconfiam que Tanith tenha lançado algum feitiço sobre a espada, não permitindo que a pessoa se cure, mesmo tendo apenas um arranhão. E assim, o grupo é obrigado a recorrer a um feiticeiro, mesmo sabendo que eles não são confiáveis e sempre possuem um preço. E então, Quinn se junta ao nosso grupo de foragidos. 

Logo que isso acontece, o Ninho é atacado por um ser antigo de pura maldade, matando os Avicen e deixando vários caídos com uma doença misteriosa que ninguém sabe como combater. Esse ser é o Kuçedra, uma poderosa força oposta e escura. Em toda mitologia, onde há luz, há escuridão. Onde O Pássaro de fogo representa a luz e liberdade, a Kuçedra é o oposto, sugando toda a luz do mundo e  se alimentando de almas.

E assim, Echo parte em busca de mais informações sobre si mesma e sobre esse ser que surgiu ao mesmo tempo em que o Pássaro de Fogo ascendeu, além de ir atrás de uma cura para todos os Avicen presos em um sono sombrio, inclusive a Ala. Mas ela não é a única nessa busca, Tanith está em busca do Kuçedra, assim como Echo é seu "recipiente", Tanith busca uma forma de ser esse recipiente para esse ser vil e assim derrotar todos os seus inimigos, inclusive os humanos. 

Com essa nova entidade ameaçando à todos, será que Avicen e Drakharin deixarão anos de diferenças de lado e se unirão para vencer o Kuçedra de uma vez por todas?


Eu estava esperando que esse livro superasse o primeiro, que desse uma aprofundada na história juntamente com o crescimento dos personagens. Mas não foi bem assim. Do meu ponto de vista,  foi mais sobre os personagens criando elos e sobre autoconhecimento e não tanto sobre a história avançando. 

No começo, temos uma narrativa mais lenta, com poucos acontecimentos, enquanto Echo, Caius, Dorian, Jasper e Evy se recuperam da batalha que finalizou o livro 1 de um modo desesperador. Nesse primeiro pedaço, temos os aprofundamento das relações entre eles e consequentemente uma ligação que significa mais do que eles imaginam. Mas Jasper não está se curando como deveria, mesmo com todo o esforço de Evy, e eles são obrigados a procurar um feiticeiro, mas não qualquer um, mas sim um que fosse de confiança. Então adiciona-se Quinn ao grupo.

Sua relação com Jasper é antiga e muito conturbada, é nítido o desconforto de Jasper ao lado do feiticeiro. Porém, conforme as coisas vão acontecendo, Quinn acaba virando parte do grupo. E é justamente ele que dá o pontapé no relacionamento entre Jasper e Dorian. Já vimos um indécio desse casal no livro anterior, mas é nesse, que Dorian decide parar de evitar a situação e, impulsionado pelo ciume, começa a avaliar melhor o que ele sente e o que ele realmente quer. 

E aí temos o triângulo amoroso  Caius, Echo e Rowan. Para mim, não é bem isso. Porque Echo tem sentimentos por Caius, e mesmo pensando que possa ser por causa de Rose, ela sabe a verdade. E as partes onde temos o Rowan, na minha opinião, foi apenas a Eco com medo. Sabe quando você está assustado e procura aquela coisa/lugar que é familiar, antes de tudo mudar? Isso é o Rowan para Echo. Ela não o ama realmente, ele não pertence mais ao mundo dela, eles não se conhecem mais, não são as mesmas pessoas que eram antes. 

E a formação do vilão. Isso sim foi um ponto alto da história, porque é nesse livro que a Príncipe Dragão mostra para o que realmente veio. Um vilão sem escrúpulos, manipulador e sem coração, Ainda mais sendo influenciado pelo Kuçedra. Aguardo grandes batalhas no próximo livro. 

Bem, o meu problema com A Ameaça Sombria foi a falta de informações e também as informações jogadas. Eu entendo que esse livro prepara para o terceiro, onde vai explodir a ação, mas achei que faltou a construção da mitologia. Faltou a Echo indo atrás do que ela realmente é, o que ela é capaz de fazer. E não teve nada disso, achei cansativo de ler em diversos momentos. Apesar disso, não achei um livro ruim, apenas não avançou tanto quanto minha curiosidade queria. 

4 comentários:

  1. Oi Lud!
    Pelo enredo parecer bacana a autora poderia ter desenvolvido mais a história, eu não curto livro assim, cansativos então...dá preguiça de ler... rsrs
    Bjs

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oie Aline, se fosse o primeiro de uma série eu ficaria com o pé atrás também, mas como continuação eu relevo, porque faz parte ter alguns momentos de não ação.

      Excluir
  2. Que pena que esse volume é menos envolvente, eu esperava mais adrenalina, ser mais contagiante e menos arrastado e esse triângulo odeio isso, ainda bem que não é bem assim, pois da uma amenizada na irritação que passo com esses personagens indecisos que não sabem de quem gosta aff rsrs. Espero que o terceiro seja mais agitado de uma melhorada.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oie Maria,

      acho q é a síndrome do segundo livro - tem isso do primeiro ser MARA e o segundo nem tanto! kkkk
      Não posso falar nada de Triângulos, porque eu os amo! <3

      Excluir

Laura Lendo...

Lud Lendo...

Luiza Lendo...