[Resenha] Tá todo mundo mal - Jout Jout

Tá todo mundo Mal
Jout Jout


Do alto de seus 25 anos, Julia Tolezano, mais conhecida como Jout Jout, já passou por todo tipo de crise. De achar que seus peitos eram pequenos demais a não saber que carreira seguir. Em tá todo mundo mal, ela reuniu as suas "melhores" angústias em textos tão divertidos e inspirados quanto os vídeos de seu canal no YouTube, "Jout Jout, Prazer".
Família, aparência, inseguranças, relacionamentos amorosos, trabalho, onde morar e o que fazer com os sushis que sobraram no prato são algumas das questões que ela levanta. Além de nos identificarmos, Jout Jout sabe como nos fazer sentir melhor, pois nada como ouvir sobre crises alheias para aliviar as nossas próprias!


Antes de começar a falar sobre o livro em sim, só gostaria de reforçar que sou totalmente a favor de livros de Youtuber, pois vejo esse segmento como um nicho que movimenta muito dinheiro e editoras nada mais são que empresas, logo empresas funcionam a base de dinheiro. O quanto você vai gostar/ aproveitar o conteúdo do livro é uma questão de quanto você é o público alvo daquele livro.

Sem crises, parece que você não se transforma. E, se você não muda, você para. 


Já assisti muito o canal da Jout Jout e hoje em dia, de vez em quando, ainda dou um play, mas ainda assim o conteúdo escrito não conversou comigo, é claro que em 1 ou 2 crises houve identificação, mas de resto me soou tão cansativo surtar por A ou B que toda a maturidade que eu sempre encontrei nos vídeos tornou-se inexistente nas páginas; adoro a maneira com a Julia ou Jout Jout aborda questões de empoderamento feminino (com dá pra conferir no tão famoso vídeo do Batom vermelho que ajuda a identificar relacionamentos abusivos) e consequentemente gostei da maneira que em uma das suas crises Julia nos fala sobre o medo de andar da pós graduação até o ponto de ônibus no centro do Rio de Janeiro pelo simples fato de ser mulher, levantando o questionamento de que até quando esse absurdo passará despercebido?
Ás vezes tinha um rapaz ou outro que podia me acompanhar, o que me trazia alívio- e ódio de ter que depender de um rapaz para sentir alívio. 
Com uma linguagem coloquial o livro é praticamente uma conversa onde, se você viu uma ou duas vezes qualquer vídeo, você será capaz de escutar a voz dela em sua cabeça; é uma leitura leve, beirando o raso em alguns momentos e apesar de ser tipo um bate papo ainda sim levei uma eternidade para conseguir terminar, simplesmente não encaixava uma crônica atrás da outra.
 A gente cresce e continua tomando decisões sem sentido. 
Metade do livro é um copy/paste de algumas partes do conteúdo que está de graça lá no youtube, mas entendo que esse tipo de livro é um subproduto para um público que compraria qualquer outra coisa que levasse o nome/ Ideologia Jout Jout (há canais que optam por vender camiseta, caneta...).

Sempre mantive uma relação meio mágica com o ato de ler; livros sempre me levaram para outros mundos e em diversas entrevistas de autores sempre há aquela pergunta: O que te levou/ inspirou a escrever este livro? Com algumas respostas mais elaboradas e outras mais diretas o ponto de convergência sempre foi: - Essa é uma história que estava na minha mente pedindo para ser escrita. Okay, mas o que isso tem a ver com o livro das crises da Jou Jout, Julia em algumas crônicas nos conta sobre momentos de terapia para resolver as crises de como terminar o livro, sobre o que escrever, sobre o medo de publicar e de como essa publicação seria recebida, eis aqui a resposta do porquê Jout Jout resolveu escrever:
Sempre quis escrever livros, várias editoras querem que eu escreva, minha mãe quer, provavelmente a família Jout não vai se opor, então me dá esse contrato aqui que eu quero assinar. 
Só gostar dos vídeos não me tornou público para amar o livro, a narradora é o que salva o conteúdo, pois se fosse uma outra voz/personalidade poderia ter sido um belo desastre literário; porém como sempre a companhia das letras nos entrega um produto final muito bem-acabado, diagramado e revisado.

8 comentários:

  1. Nossa Karina, concordo totalmente com o seu comentário do primeiro parágrafo, sobre o mercado de livros dos youtubers, tem muita gente que começou a gostar de ler por causo disso. Pena que não deu pra se identificar tanto assim. Não costumo ler livros de youtubers, simplesmente pq não sou muito curiosa, e não tenha nenhum que sinta que preciso ler! Pena que o livro não deu muito certo pra você :/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Pois é ju, mesmo eu que gosto de alguns videos dela o conteudo escrito não conversou muito, mas conheço outros fãs dela que amaram o livro !

      Excluir
  2. Eu não tenho muito interesse em ler livros de youtubers, porém não tinha visto uma resenha de nenhum. O que me chamou atenção neste foi que ela passou todas os tipos de frustração que passamos ou passaremos na vida, e que a gente super se identifica com ela. Não sei se leria, não se leria um livro que compraria, não não teria problema algum em ler

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Então Gi , vejo nesse tipo de livro um ótimo presente se você souber que a pessoa é fã do autor, eu prefiro investir meu dinheiro num outro tipo de livro, mas melhor ganhar esse livro do que aquela roupa estranha que a sua tia/avô/parente sempre acha que vc vai amar rs

      Excluir
  3. Oi Karina,
    Nunca assisti nenhum vídeo da Jout Jout e não sei muita coisa sobre o conteúdo de seus vídeos (peguei uma coisa o outra na internet, mas nada muito aprofundado). Não tenho preconceitos com livros de youtubers, mas também não me interesso em ler, principalmente, se não acompanho o trabalho do mesmo. Acredito que o livro seja para o seu público mesmo, para quem gosta do tipo de trabalho que ela faz. Algumas coisas podem até ser interessantes, principalmente se ela fala de experiências próprias em temas que merecem ser comentados. Em um geral o livro não me chama atenção e não me desperta interesse em lê-lo.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Gi, tem um video dela que chama : Não tire o batom vermelho, esse indico para geral jogar no youtube e assistir , agor o livro indico pra quem é super fã mesmo, bjos.

      Excluir
  4. Já tinha visto esse livro, mas não despertou minha curiosidade em ler. Não conheço o canal e nem leio livros de youtubers, nada contra é que não achei nenhum que me interessasse, já vi comentários de pessoas dizendo que não tem conteúdo. É uma pena que ao contrário do canal o livro deixa a desejar. Acho muito legal ela abordar esse tema das mulheres nos vídeos.

    ResponderExcluir
  5. Oi, Karina!!
    Eu não nunca li nenhum livro de youtubers, mas sinceramente acho que esse livro é mais indicado para adolescente. Mas concordo que é muito bom que esses jovens comecem a ler os livros dos youtubers pois o que realmente interessa e que cada vez mais pessoas comecem a se interessar pela a leitura!!
    Beijoss

    ResponderExcluir

Laura Lendo...

Lud Lendo...

Luiza Lendo...