[Resenha] O Sol Também é Uma Estrela - Nicola Yoon


O Sol Também é Uma Estrela 
Nicola Yoon

Natasha: Sou uma garota que acredita na ciência e nos fatos. Não acredito na sorte. Nem no destino. Muito menos em sonhos que nunca se tornarão realidade. Não sou o tipo de garota que se apaixona perdidamente por um garoto bonito que encontra numa rua movimentada de Nova York. Não quando minha família está a 12 horas de ser deportada para a Jamaica. Apaixonar-me por ele não pode ser a minha história.
Daniel: Sou um bom filho e um bom aluno. Sempre estive à altura das grandes expectativas dos meus pais. Nunca me permiti ser o poeta. Nem o sonhador. Mas, quando a vi, esqueci de tudo isso. Há alguma coisa em Natasha que me faz pensar que o destino tem algo extraordinário reservado para nós dois.
O Universo: Cada momento de nossas vidas nos trouxe a este instante único. Há um milhão de futuros diante de nós. Qual deles se tornará realidade?



"Ela chega perto outra vez e eu vou em frente, porque parece que é assim que eu sou com essa garota. Talvez parte de se apaixonar por alguém seja se apaixonar por si mesmo. Gosto de que sou com ela. Gosto de dizer o que estou pensando. Gosto de prosseguir apesar dos obstáculos que ela coloca. Normalmente eu desistiria, mas não hoje."
Sabe aquele ditado "Os opostos se atraem"? Eu, enfim, descobri o verdadeiro significado dessa frase. Natasha e Daniel são como água e vinho: ela é toda ciência e fatos, ou seja, o lado racional, não acredita no acaso, nem em destino, apenas naquilo que ela possa explicar através de uma teoria e de maneira lógica, claro. Daniel é o poeta, o lado romântico de tudo, acredita no destino e que tudo acontece por um motivo, como o fato de que ele e Natasha deveriam se conhecer porque o destino quis que assim fosse.

Daniel está a caminho de uma entrevista para entrar na faculdade de Yale, quando ele encontra Natasha andando na rua, ouvindo música, e aparentemente muito distraída, ele então decide segui-la, porque acredita que recebeu um "sinal". Mas o destino iria pregar uma peça nele. Natasha, que aparentemente seria sua alma gêmea, estava prestes a ser deportada para a Jamaica, já que por um erro do seu pai, foi descoberto que eles viviam ilegalmente no Estados Unidos. 

A autora tem uma forma simples, mas ao mesmo tempo tão poética de escrever, que me encantou. Esse foi meu primeiro contato com sua escrita, porém espero que não seja o último. Seu primeiro livro "Tudo e Todas as Coisas" fez muito sucesso e vai virar filme. 

"É difícil amar alguém que não ama a gente".

A narrativa é feita em primeira pessoa por Natasha e Daniel, entretanto, a autora não se limitou a apenas isso, há uma narrativa em terceira pessoa na história, dos personagens secundários que aparecem no decorrer da trama, como a Irene, que é segurança, Samuel, que é o pai de Natasha, enfim, diversos personagens que conhecemos. A impressão que tive era que estava sendo feita uma pausa na história deles para dar lugar aos outros personagens. 

E por incrível que pareça, esse foi um dos pontos altos da história para mim; eu me apeguei a cada um dos personagens e aprendi a admirar cada um por sua própria força, como o pai de Natasha. Eu o odiei no começo do livro, mas ao mesmo tempo, eu o entendia. Irene foi minha heroína, eu fiquei quase o livro inteiro com o coração apertado por causa dela. 

Daniel foi um personagem apaixonante, apesar de viver um dilema de vida: seus pais coreanos queriam que ele fizesse medicina, porém seu coração não estava nisso. Eu até os entendia, apenas queiram o melhor para seus filhos, uma oportunidade de vida melhor, e qual pai ou mãe em sã consciência não quer o melhor para seu filho? 

"Não é possível convencer alguém a amar a gente."

O sol também é uma Estrela basicamente se resume no dia que esses dois jovens se conhecem e o amor que surge entre eles. Eu não sou lá nenhuma fã de amores instantâneos, entretanto, esse livro me convenceu de que aqueles sentimentos eram verdadeiros e eu, sim, me vi torcendo pelo casal e com medo por eles. 

A autora se aprofundou em diversos temas durante a leitura, como a imigração, a coragem que é necessária para abandonar seu país de origem e partir rumo ao desconhecido, em busca de uma nova oportunidade ou até mesmo uma vida melhor, mas ela não parou por aí; falou sobre depressão, racismo, deportação e discriminação racial, e ela falou de tudo isso de uma forma incrível. 

Natasha é uma mulher sensacional, de caráter forte e personalidade explosiva. Ela não desistiu quando não restava nenhuma esperança e isso me levou a admirá-la, pense numa pessoa arretada é essa mulher. Ela também se viu em um dilema, mas acreditou e não deixou sua esperança morrer. 

"Dizemos a nós próprios que existem motivos para as coisas que acontecem. Mas, na verdade, só estamos contando histórias para nós mesmos. Inventando. Elas não significam nada."

Esse é um daqueles livros que vou refletir durante algum tempo, para ver se encontro uma razão para os acontecimentos, mas que será uma referência quando o assunto for aceitação. Então, se você curte livros do gênero não deixe, de conferir.

8 comentários:

  1. Oi, Marlene. Eu ainda não li nada da autora porém quero muito. Não sabia bem o que esse livro tratava, mas fiquei encantada pela premissa e já vou tentar ler!
    Beijo, Leitora Encantada

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. OI Mi.
      Leia sim, você não vai se arrepender.
      Bjs.

      Excluir
  2. Quero ler esse livro a personagem tem fibra e é bem prática, também não gosto de romances instantâneos, prefiro quando acontece aos poucos. Mas aconteceu com o personagem e se convence o leitor é o que importa rs. Fiquei querendo saber o desenrolar da história dos dois.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Maria.
      Eu também não sou lá nenhuma fã, mas adorei e entende o porque que o amor deles tinha que ser miojo, leia tenho certeza que irá adorar.
      Bjs.

      Excluir
  3. Eu vi muita gente falando desse livro no último mês. A história parece realmente maravilhosa pelo que contou, eu só não sei se esse livro em especial daria ceto pra mim. Pelo menos não agora. A gente percebe que um livro realmente conquistou a gente quando como você disse, "eu me apeguei a cada um dos personagens e aprendi a admirar cada um por sua própria força". A gente entende e por vezes admira o que os personagens fazem. Realmente espero ter a chance e o prazer de ler uma obra como essa.

    ResponderExcluir
  4. O que mais gostei deste livro é madurecimento dos personagens. Além da personalidade forte da Natasha. Outro ponto que chamou atenção é a nacionalidade de cada individuo do livro. Acho esse duvidas o que mais faz eu quero conhecer a historia mais a fundo

    ResponderExcluir
  5. Oi, Marlene!!
    Esta é a primeira resenha que leio sobre esse livro e estou apaixonada pela a história!! Fiquei bem interessada em ler esse livro e conhecer todos os personagem que você descreveu!!
    Beijoss

    ResponderExcluir
  6. terminei o primeiro livro há pouco tempo e achei incrível! AMEI a Maddy, achei a personagem super bem escrita; e, claro, como disse na minha resenha, fiquei mega envolvido!

    amei o post! abraços! <3
    Alex, do blog Um Bookaholic.
    umbookaholic.com | Canal | @umbookaholic: instagram/twitter

    ResponderExcluir

Laura Lendo...

Lud Lendo...

Luiza Lendo...