[Resenha] Nimona - Noelle Stevenson

Nimona
Noelle Stevenson

Sinopse: Nimona é uma metamorfa sem limites nem papas na língua, cujo maior sonho é ser comparsa de Lorde Ballister Coração-Negro, o maior vilão que já existiu. Mas ela não sabia que seu herói possuía escrúpulos. Menos ainda uma deliberada missão. Até conhecer Nimona, Ballister fazia planos que jamais davam certo. Felizmente, a garota tem muitas sugestões para reverter esse quadro. Infelizmente, a maioria envolve explosões, sangue e mortes. Agora, Coração-Negro não só tem que enfrentar seu arqui-inimigo e ex-amigo, o célebre e heroico Sir Ambrosius Ouropelvis, mas também impedir que a fiel comparsa destrua todo o reino ao tentar ajudá-lo. Uma história subversiva e irreverente que mistura magia, ciência, ação e muito humor sobre camadas e mais camadas de reflexão – entre uma batalha e outra, é claro.
          

Nimona começou como um Webcomic em 2012 quando a autora estava na faculdade, e foi publicada em forma de livro pela primeira vez pela Harper Collin's em 2015, ganhando já no ano seguinte, um Eisner Award (o oscar dos quadrinhos). E nesse mesmo ano, a editora Intrínseca nos trouxe a incrível história dessa metamorfa.

Tudo começa quando Nimona cai de paraquedas na vida do recluso vilão Lorde Ballister, Coração-Negro, afirmando ser sua maior fã e querendo ser sua comparsa. A partir daí, Nimona e Ballister se envolvem nos planos mais loucos para derrubar a cruel Instituição que controla a sociedade onde vivem. Mas no decorrer dos acontecimentos, o nem tão vilanesco assim, Lorde Ballister começa a perceber que os poderes de sua pupila, podem não estar tão bem controlados assim.

A riqueza do roteiro está em como Noelle consegue misturar referencias pessoais ao construir uma história situada em uma época meio medieval e meio futurista ao mesmo tempo. Enquanto temos vestimentas e costumes medievais, também temos experimentos científicos complexos, noticiários e armas à laser. Esse mundo fantástico é o cenário perfeito para os personagens maravilhosos apresentados. 

Em um primeiro momento, Nimona é engraçada, com a dose certa de humor negro, é impossível não se empolgar e se entregar ao nosso lado negro junto com ela, e quando olhamos com mais calma para as ações e reações pela qual Nimoma é conduzida, percebemos suas motivações; essa é um tipo de HQ construída em camadas, quase como se o passado dos personagens moldassem suas ações no presente, não como um tipo de vingança puramente maligna, mas como reprodução de um comportamento aprendido .

Já Lorde Ballister, de coração negro só tem mesmo o nome e assim como Nimoma tem planos que são alimentados por situações vividas no passado em sua época de treino. Ele é como uma consciência, o tempo todo reprimindo e tentando colocar juízo em Nimona. Nos faz entender que até para ser vilão há um código de honra a ser seguido, enquanto o contraponto do modelo de vilão temos Ambrosius, o herói que é egoísta e de moral bem duvidosa, é difícil não ter sentimentos conflitantes sobre esse personagem tão bem construído.
É uma leitura leve e divertida, mas que também trata de coisas importantes como preconceito, fraquezas e aceitação. É sobre como ás vezes, o silêncio não é a melhor opção, mostra que você não precisa suportar seus problemas sozinho. Nimona também se trata de uma garota empoderada, afinal a autora deixou a personagem livre para tomar suas próprias decisões e crescer, ainda que por meio de ações controversas e muitas vezes sanguinárias; até mesmo as personagens secundarias femininas são empoderadas, temos uma cientista muito importante que auxilia o desfecho da história e a comandante do centro de treinamento, mesmo com ações bem controversa é totalmente poderosa, essa é uma história recheada de personagens Girl Power.



Nimona é um livro colorido, onde as cores não só tornam o traço ainda mais fofo, mas contribuem para nos fazer embarcar em uma storyboard mais tensa, da mesma forma que faz a transição perfeita para momentos mais leve. 

Com personagens magníficos e fora do padrão que se espera para uma história de super heróis, é uma leitura rápida e maravilhosa. 

A editora também lançou uma edição com um papel bom e que valoriza as cores utilizadas pela autora e ilustradora. No todo, Nimona é uma obra imprescindível na estante de todos que gostam de uma boa história ou para qualquer outra pessoa que quer se aventurar pelo mundo dos quadrinhos. Super recomendo!

4 comentários:

  1. Parece ser uma historia interessante com essa mistura meio medieval e meio futurista e com esse personagens que parecem bem inusitados, gostaria de ler. Além de nos passar reflexões sobre os temas que aborda, é ideal também para presentear.

    ResponderExcluir
  2. Nimona foi uma ótima leitura pra mim. li ele agora em Fevereiro, e ganhei ele pela caixa do Turista Literário. Nimona é uma personagem... que me deixa sem palavras. Eu simplesmente amei! A arte de todo livro também é algo me deixou entusiasmada. AMEI, AMEI, AMEI!

    ResponderExcluir
  3. Historia de aventuras são um amor.
    Essa chegada da Nimona é surpreendente, ela é bem forte. Acho que Lorde Ballister não ira aguenta a força que ela possui, até porque parece que ela não tem medo dele. Enfim, achei interessante a historia

    ResponderExcluir
  4. Oi, Gabi!!
    Adorei a indicação de Nimona!! Achei a história bem divertida e interessante!! Fiquei bem curiosa para saber mais sobre a história. A edição ficou linda, amei a indicação!!
    Beijoss

    ResponderExcluir

Laura Lendo...

Lud Lendo...

Luiza Lendo...