[Resenha]A Esperança é uma Torta de Maçã – Sarah Moore Fitzgerald


A Esperança é uma Torta de Maçã – Sarah Moore Fitzgerald
Editora Record, Galera Júnior, 2016.

Skoob | Editora | Compre



Oscar é o melhor amigo e vizinho de porta de Meg. Ele tem o incrível dom de consertar qualquer problema assando tortas de maçã perfeitas. Mas nem suas renomadas tortas conseguem aplacar a tristeza de seu pai, ainda de luto pela morte da esposa. Quando Meg recebe a notícia de que irá se mudar para a Nova Zelândia por seis meses, ela fica devastada com a ideia de ficar tanto tempo longe do amigo. Para piorar tudo, a casa de Meg é alugada pela família da terrível Paloma Killealy, que inventa todo tipo de mentiras sobre o garoto na escola. De repente, Oscar desaparece. Sua bicicleta e suas roupas são encontradas no litoral, e todos acreditam que o pior aconteceu e ele cometeu suicídio. Com a ajuda do irmãozinho de Oscar, Meg decide investigar o paradeiro dele, e por mais difícil que seja, nunca abrir mão da esperança.


Olá pessoal! Já começo a resenha dizendo que esta obra foi uma grata surpresa. Particularmente falando, eu não havia me interessado tanto por esse livro quando vi sobre seu lançamento (nem pela capa, nem pela sinopse). Maaas, acabei o ganhando de presente de final de ano de uma pessoa querida, que havia lido e gostado bastante, e sabendo da minha paixão por livros, decidiu me presentear. E ai, me vi naquela situação de: você já leu? E ai o que achou? Rs... Claro que tive que ler! E repito, foi uma grata surpresa. Li em poucas horas, porque é mais curto do que tenho costume de ler e também porque a escrita foi bastante agradável e atraente.
“Você não deveria desistir das pessoas quando elas desaparecem”.
Meg e Oscar são vizinhos e melhores amigos desde sempre. É possível notar logo de cara um certo tipo de admiração de Meg em relação ao melhor amigo, a quem ela atribui um lindo dom, de saber confortar as pessoas, de consertar seus problemas. E é exatamente por causa desse ‘dom’ que ela não consegue admitir a ‘verdade’ que todos insistem em contar; que Oscar se suicidou. Meg e seus pais estavam passando alguns meses fora do país, na Nova Zelândia e é quando ela fica sabendo do desaparecimento de seu amigo e eles retornam. 
“O pessimismo é um sentimento contagioso que está em todos os lugares”.
Ao retornar, Meg fica surpresa sobre como as coisas mudaram em tão pouco tempo. Oscar, que era um dos garotos mais populares da escola passou a ser um cara sozinho, desprezado pelos outros e sofria bullying. Em seu velório, outra garota, Paloma, se proclamou como sua melhor amiga. E Meg não conseguia aceitar que todos na cidade acreditavam sequer que Oscar, que para ela estava apenas desaparecido, tinha mesmo se suicidado. 
“Eu me vi encarando a morte de Oscar pela primeira vez. Era como tropeçar no primeiro degrau de uma escada que eu nunca tinha notado, e não conseguir me impedir de subir incansavelmente até o topo”.
Oscar, bastante presente no livro, tinha uma maneira única e encantadora de ajudar o próximo. Ele sempre tinha uma espécie de ‘premonição’ que alguém por perto estava precisando de ajuda e corria para fazer tortas de maçã. Meg aparentemente era a única que sabia e acreditava nesse ‘poder’ que o amigo tinha de fazer as pessoas se sentirem melhores ao comer a torta. Com Meg longe, ele acabou fazendo amizade com outra garota, a Paloma. E é onde todos os problemas de Oscar começaram.
“Eu também queria dizer um monte de coisas para ele. Coisas que tinham gradualmente se tornado mais claras pouco antes da partida. Mas, às vezes, as coisas que você mais quer dizer são as que, por algum motivo, geram mais dificuldade”.

Enfim, a forma como a autora desenvolveu o livro foi ótima. Nos deu uma visão bem ampla de tudo o que tinha acontecido, dos erros, dos desencontros entre os personagens (que eram obviamente apaixonados um pelo outro, apesar de serem melhores amigos). E nos deixa com aquela sensação de que isso poderia acontecer com a gente também.

Os arrependimentos de Meg por ter sido uma amiga ruim ultimamente, por não ter dito que gostava dele, por não ter estado presente quando ele precisava de ajuda... Foi o que mais gostei no livro. Muitas vezes não, conseguimos enxergar os sinais que os adolescentes, ou até adultos, que estão com problemas nos dão, mas eles sempre estão ali. Basta que a gente também queira enxergar e ajudar.

O livro é um importante lição sobre bullying, amizade, esperança e segundas chances. Vale muito a pena!

“Você pode achar que comer tortas de maçã seria a última coisa que alguém desejaria no meio de uma crise, mas, no final das contas, a menor garfada pode tornar tudo suportável outra vez”.

11 comentários:

  1. Nathy, que livro incrível! Ainda não sabia da existência dele mas após sua resenha me apaixonei por ele. São em momentos como esse que percebemos que aqueles que mais tem a oferece são os que mais necessitam de ajuda, como foi o caso de Oscar. Eu realmente senti uma tristeza quando terminei a resenha, fiquei imaginando o que a Meg teve que suportar. E um outro fato é sobre como a Paloma interferiu na vida do Oscar de uma maneira tão intensa.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. poxaaa que bom que a resenha te conquistou! corre e lê o livro que com toda certeza vai te conquistar ainda mais! :D

      Paloma bitch totalll hahahaha, Meg e Oscar <3

      Excluir
  2. É a primeira vez que leio algo a respeito desse livro, e adorei os temas abordados, em especial o bullying, que sempre rende leituras emocionantes e educadoras.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. As vezes não notamos como pequenos comentários ou atitudes podem influenciar negativamente uma pessoa. Algo que nem mesmo nós notamos que é bullying, mas para quem recebe, é a pior coisa do mundo. Obrigada pelo comentário!

      Excluir
  3. Oiee!
    Confesso que olhando pra capa desse livro ninguém pode imaginar a história bonita que tem nessas páginas. Sinceramente quando vi fiquei até com preguiça de ler a resenha, achei que era mais um só pra distrair.
    Fiquei supresa com todo o conteúdo que ele carrega, a história me parece ser bem tocante, e isso me agrada muito, essas histórias que nos fazem pensar na vida, prestar atenção ao nosso redor, sempre me atraem.
    Gostei muito e fiquei curiosa sobre o que realmente levou Oscar a cometer o suicídio.
    Bjokas!

    ResponderExcluir
  4. Que graça esse livro...Faz tempo q qro ler mas ainda não tive oportunidade....Adorei a resenha, parabéns!!
    Bjs

    ResponderExcluir
  5. Fiquei impressionada com os acontecimentos, como a vida de Oscar mudou assim tão de repente e pelo visto ele era um garoto adorável, ou ele já passava por algum problema e ninguém se dava conta. Pela capa não se espera uma historia que parece ser densa e sofrida que mexe com o leitor.

    ResponderExcluir
  6. Como assim gente ? Eu não diria que esse tema pesado estaria nesse livro, não quando eu olho pra essa capa e vejo um romance besta e não a história de um menino que cometeu suicídio e uma melhor amiga que não estava lá quando era precisa e que sente muita tristeza por causa disso. Chocada aqui mas super curiosa para saber como a escritora desenvolveu a história ^^

    ResponderExcluir
  7. Costumo gostar muito de histórias onde melhores amigos se gostam pq geralmente tem alguns mal entendidos e a declaração no final é linda *_* amei a resenha e leria com certeza

    ResponderExcluir
  8. Meu Deus, que livro lindo, vou admitir que já queria ler assim que vi o nome, melhor tituxe livro, não parece que vai tratar de um assunto tão pesado quanto suicídio, apesar de acreditar que o personagem está vivo kkk. Ele parece ser uma história bem graciosa. Adorei a resenha.

    ResponderExcluir
  9. Oi, Nathy!!
    Nunca imaginei que esse livro fale-se de assuntos tão sérios!! Fiquei bastante surpresa!! Gostei muito da resenha maravilhosa!! Sem dúvida fiquei curiosa para ler esse livro!!
    Beijoss

    ResponderExcluir

Laura Lendo...

Lud Lendo...

Luiza Lendo...