[Resenha]Quando Finalmente Voltará a Ser Como Nunca Foi - Joachim Meyerhoff


Quando Finalmente Voltará a Ser Como Nunca Foi
Joachim Meyerhoff


 Isso é normal? Crescer entre centenas de pessoas com deficiência física e mental, como o filho mais novo do diretor de um hospital psiquiátrico para crianças e jovens? Nosso pequeno herói não conhece outra realidade - e até gosta muito da que conhece. O pai dirige uma instituição com mais de 1.200 pacientes, ausenta-se dentro da própria casa quando se senta em sua poltrona para ler. A mãe organiza o dia a dia, mas se queixa de seu papel. Os irmãos se dedicam com afinco a seus hobbies, mas para ele só reservam maldades. E ele próprio tem dificuldade com as letras e sempre é tomado por uma grande ira. Sente-se feliz quando cavalga pelo terreno da instituição sobre os ombros de um interno gigantesco, tocador de sinos.Joachim Meyerhoff narra com afeto e graça a vida de uma família extraordinária em um lugar igualmente extraordinário. E a de um pai que, na teoria, é brilhante, mas falha na prática. Afinal, quem mais conseguiria, depois de se propor a intensificar a prática de exercícios físicos ao completar 40 anos, distender um ligamento e nunca mais tornar a calçar o caro par de tênis? Ou então, em meio à calmaria, ver-se em perigo no mar e ainda por cima derrubar o filho na água? O núcleo incandescente do romance é composto pela morte, pela perda do que já não pode ser recuperado, pela saudade que fica - e pela lembrança que, por sorte, produz histórias inconcebivelmente plenas, vivas e engraçadas.

Esta, mais uma vez, foi uma leitura bem diferente das que estou acostumada a ler. Quando finalmente voltará a ser como nunca foi nos traz uma bela história, vista através dos olhos de uma criança.

Joachim é uma criança muito esperta e curiosa, logo nas primeiras páginas do livro, ele se depara com um morto num jardim. Sua reação é um tanto diferente do que podia se esperar de uma criança, pois ele vai correndo até sua escola e conta para todo mundo o que descobriu. Neste momento, já podemos perceber que o mundo gira de uma forma diferente para o garoto, de uma forma bem peculiar e que conheceremos através desta obra.

"MEU PRIMEIRO MORTO FOI UM APOSENTADO.
Bem antes que um acidente, uma doença e a senilidade levassem as pessoas queridas e mais próximas da minha família; bem antes que eu fosse obrigado a aceitar que meu próprio irmão, meu pai jovem demais, meus avós e até mesmo minha cadela, companheira de infância, não eram imortais; e bem antes de eu manter um diálogo constante - tão alegre, tão desesperado - com meus mortos, certa manhã, encontrei um aposentado morto."

O garoto vive com sua família e sua cadela de estimação em um local um tanto inusitado. Um hospital psiquiátrico. É isso mesmo que você acabou de ler! Seu pai é psiquiatra e diretor do hospital, então a família vive lá, pois é um local muito grande e tem uma casa especial para o diretor.

Joachim gosta de dormir ao som dos gritos dos pacientes, o que é muito estranho, mas para ele tudo era normal, já estava habituado a tudo isso. Também era amigo de alguns pacientes e não tinha medo ou receio de alguns deles. Claro, no hospital viviam alguns "perigosos", porém, se mantinha afastado da maioria. Já alguns, apenas não eram bem compreendidos pelas pessoas, não eram em nada perigosos, mas Joachim os entendia muito bem, ou pelo menos tentava.

O livro é dividido em memórias, então em cada capítulo podemos acompanhar fases e acontecimentos da vida de Joachim e sua família. No começo, estranhei um pouco esta divisão, mas depois consegui captar a jogada do escritor.

A família se diverte com jogos, onde cada um tem sua especialidade e é questionado sobre ela. Cada um tem direito a uma assinatura de revista sobre um determinado assunto, achei isso um máximo, gente! Esses jogos traziam muita união à família, assim como os filmes que todos assistiam em algumas noites.



 Ele e seus dois irmãos vivem em pé de guerra, naquela eterna provocação fraterna. Mas ainda assim, são muito amigos entre si. Quando alguém está doente, sempre tem alguém para ajudar!
Só não gostei muito das parte em que Joachim tinha algumas crises de fúria, o garoto começava a gritar loucamente do nada e era muito difícil contê-lo. Que garoto difícil, mas mesmo com esses momentos, gostei muito dele.

Ao decorrer do livro, os anos vão passando e muitas coisas vão mudando, a relação entre a família principalmente. As coisas ficaram um pouco turbulentas em certos momentos e torci muito para que tudo voltasse ao normal.

Enfim, foi um livro muito agradável de se ler. As memórias de Joachim ora são engraçadas, ora são tristes. Vemos que no fundo, esta é uma família normal, sujeita as fases ruim e surpresas da vida. O autor soube mesclar os acontecimentos e despertar a curiosidade de uma forma excepcional. Mesmo sem ter havido um "clímax" no livro, ocorrendo sempre de forma bem suave, foi muito tocante, em alguns momentos senti aquele aperto no coração... E as surpresas foram inevitáveis!

Bom, espero que tenham a oportunidade de ler esta obra e gostem tanto quanto eu. Com certeza, ela ficará guardada em um cantinho muito especial de minha memória.


17 comentários:

  1. GENTE, que agoniazinha! Eu tenho PAVOR de hospitais psiquiátricos, imagina dormir dentro de um? Não me surpreende que o garotinho tenha uma mente diferente do restante das crianças de sua idade. Histórias contadas por crianças são meu ponto fraco ♥

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá!

      Sabe, Joachim nem se importa em viver neste lugar, já se acostumou com tudo!

      Beijo.

      Excluir
  2. Lindo!
    Li poucas resenhas sobre a obra, mas já deu pra perceber do valor que trás aos leitores, tenho mta curiosidade em ler, espero conseguir em breve!
    Parabéns pela resenha!
    Bjs!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá,

      O livro possui uma bela história, não perca a oportunidade de ler, vale muito a pena.

      Beijo.

      Excluir
  3. Parece um pouco sombrio, uma família que mora em um hospício, e ainda tem essa cena em ele encontra um morto, ui! Talvez por isso o Joachim seja um tanto diferente, presenciar e ainda virar rotina esse tipo de coisa na vida de uma criança pode não ser muito saudável. Não estou dizendo que não gostei,o oposto, acho que deve ser uma história muito interessante.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá,

      O garoto já se acostumou com tudo, mesmo morando neste lugar, a família é bem unida e vivem bem :)

      Beijo.

      Excluir
    2. Oi, acho que só lendo pra entender como de fato funciona essa família. 😘

      Excluir
  4. Bom, vendo título do livro eu não conseguia imaginar que o livro viria com esta história. Nossa, uma criança vivendo junto com os pacientes de um hospício...
    Fiquei bem curiosa para conhecer a história contada pelo Joachim.
    Espero poder ler um dia.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá,

      Assim que tiver oportunidade, leia. É uma boa história!

      Beijo.

      Excluir
  5. Que diferente, mas é estranho alguém morar em um lugar assim, acho que teria receio, bom mas pra quem mora desde pequeno se acostuma e o personagem parece que gosta e não acha estranho, fez até amizades, a historia parece mostrar como as famílias são com seus problemas e seus momentos bons.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá,

      É bem assim que acontece mesmo, uma família normal, morando em um lugar diferente.

      Beijo.

      Excluir
  6. O livro já começa com uma capa meio louquinha, não estou dizendo que é feia mas que é bem intrigante. E ai você descobre que o livro envolvem crianças e ainda que moram em um hospital psiquiátrico, parece bem intrigante também.
    E tudo isso torna ainda maior a vontade de conhecer a história desse pequeno e tudo o que ele passa ao longo da sua vida.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá,

      Eu fiquei apaixonada por essa capa e pela história também. <3

      Beijo.

      Excluir
  7. Olá,
    A premissa do livro é muito interessante, conhecer uma família normal que vive em um meio pouco convencional, principalmente pelo fato de ser narrado por uma criança que cresceu nesse meio, pra ele é o normal, onde ele se sente confortável, amei isso. Pra mim pareceu que o protagonista também tem algumas dificuldades, vamos dizer intelectuais, o que torna ele ainda mais interessante, e mais normal ainda pra mim, uma criança comum.
    Adorei a resenha *-*

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá,

      Eu não costumo ler livros onde o protagonista é uma criança, é bem interessante ler sua forma de ver o mundo.

      Beijo.

      Excluir
  8. Ahim, eu não curto muito livros com narradores infantis, porque fico meio perdida. Rs.. só li O menino do pijama listrado e pretendo ler o quarto. Eu vi uma vez resenha de uma pessoa que não curtiu o livro e resolvi ler a sua que foi bem positiva. Eu fiquei com uma pulga atrás da orelha pra ler esse livro, porque parece ser diferente de tuuuudo que eu já li. Pra tirar conclusões, só lendo, num é? Quero dar uma chance para ele. Achei o título e a capa muito legais!!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá!
      Acho que vc precisa ler para tirar suas conclusões, é um livro muito bacana.

      Beijo.

      Excluir

Laura Lendo...

Lud Lendo...

Luiza Lendo...