[Resenha] Quase Um Romance - Megan Maxwell

Quase Um Romance
Megan Maxwell


Desde a perda dos pais e o fim de um relacionamento complicado, Rebecca tem levado uma vida solitária. No entanto, quando esbarra em Pizza – uma cachorrinha abandonada que parece precisar tanto de afeto quanto ela –, a jovem pressente que sua vida está prestes a mudar. Paul Stone é campeão de Moto GP, e pai de Lorena, uma menina encantadora que ele cria sozinho. Administrar a carreira e a família não é um trabalho fácil, ainda mais quando as mulheres em seu redor parecem interessadas apenas no piloto famoso, e não no homem real. Quando os dois se esbarram – com uma ajudinha de Pizza e Lorena –, Paul tem certeza de que encontrou o que vinha procurando há muito tempo. Já Rebecca não está assim tão disposta a abrir espaço em sua vida para uma nova relação, mas como resistir à amizade, aos sorrisos e aos olhares de Paul?

Nesse livro temos Rebecca, uma linda jovem de 24 anos que devido às decepções amorosas, se dedica exclusivamente à sua carreira e sua família, que consiste em seus dois irmãos: Kevin e Donna. Mesmo sendo mais velha, casada e com filhos, Donna ainda é motivos de preocupação para Rebecca, assim como o irmão que é mais um espirito livre, vive viajando pelo mundo.

Por isso Rebecca tem uma quase não vida, por assim dizer. Tudo parece estar parado, ela tem a mesma rotina há tempos, e tudo isso vem abaixo quando ela encontra uma cachorrinha dentro de uma caixa de pizza, que balança os alicerces de sua pacata vida, mas não é apenas ela que dará uma sacudida na nossa protagonista.

Um dia, ela conhece Paul Stone, um famoso piloto de Moto GP. Ele é um pai solteiro sexy e engraçado, que não parece se intimidar com a postura de Rebecca que insiste em dar sinais claros de que não quer um relacionamento com um homem. Ainda mais com um tão charmoso quanto Paul. Dessa forma, continua se concentrando firmemente em seu trabalho. Mas o charmoso piloto não está nenhum pouco disposto a deixar escapar essa mulher que, de alguma forma, mexe tanto com ele. Aos poucos, ele quebra uma por uma, as barreiras que o impede de conquistar a jovem advogada.

Além desse abalo em sua vida, no campo profissional, Rebecca sofre um certo preconceito por conta do superior dela. Ele simplesmente não a vê à altura de qualquer cargo por ser mulher, mas tudo muda quando ela vê uma oportunidade e agarra, deixando todos muito cientes de sua eficiência. Enfim, tudo parece estar indo bem na sua vida: uma promoção que valoriza a sua competência profissional, amigos fieis e um homem que a completa de forma única, de um jeito que ela jamais pensou.

 Mas quando ela começa a ir a fundo em seu trabalho, subindo de cargo, Rebecca começa a descobrir algumas coisas erradas e passa a investigar do que se trata tudo isso, caindo dentro de um esquema maior que ela, e que poderá custar a vida das pessoas que ela mais ama.



Preciso começar falando que foi o meu primeiro contato com a escrita da Megan como um romance - chicklit, no caso - o que eu tinha lido dela era Desejo Concebido, que é mais um gênero histórico. Então, os contemporâneos da autora eu não cheguei a ler, seja erótico ou chicklit.

Eu gostei da escrita da Megan, é direta, simples e rápida. Não tem como se perder na narração. Algumas ideias apresentadas na história não foram desenvolvidas de um modo mais profundo, o que deixou o livro com um toque mais leve. Esse ponto é meio 8 ou 80, porque eu acho que esse gênero não tem um grande drama em si, é um gênero mais leve, mas, por outro lado, pode dar a impressão de a autora não desenvolveu o que se propôs no texto. 

Os personagens, Rebeca e Paul, se completam de uma forma boa, pois os dois são meio contrários quanto as atitudes e personalidades, mas no final, você consegue vê-los como um casal.  Claro que a cachorrinha encantou em toda cena que apareceu, ainda mais peralta do jeito que era. Foi um toque a mais para o enredo. Os personagens secundários tiveram grande participação, então não ficou apenas focado em duas pessoas, e foi bem condizente com a proposta.  

Megan tem sua fama por escrever eróticos muito bem, e nas cenas que desenvolve o lado mais picante do relacionamento dos protagonistas é muito bem construída, é narrado de maneira que, sem muito esforço, o leitor consegue visualizar os dois personagens em momentos mais íntimos, como na garagem junto de uma duccati.

A capa é muito lindinha e condiz muito com a história, eu amo quando isso acontece. A diagramação  que pecou, ao meu ver, poderia ter detalhes a mais.

Vi muitas pessoas reclamando que nem parece a escrita da Megan, mas eu acho que, quando se troca de gênero, tem uma diferença na escrita para se adequar ao que é proposto. Então, eu acho válido essa diferença. Por isso muitos autores usam pseudônimos quando trocam de gênero literário. Mas creio que isso revela o quanto a autora é versátil.

Apesar de a história apresentar muitos elementos, e nem todos eles bem conectados, ao final da leitura eu me encontrei feliz, achei o livro leve e fofo, acho que é exatamente o que se propõe os livros do gênero Chicklit, por isso a nota 4 e não 3.

Quase um Romance tem uma proporção bem exata de problemas familiares que nada têm a ver com o mocinho, e sim com uma mulher de gênio forte, que entre uns dramas e outros, é muito bem resolvida. Além de uma pitada de cenas picantes e um tom mais leve de narração. 



Nenhum comentário:

Postar um comentário

Laura Lendo...

Lud Lendo...

Luiza Lendo...