24 dezembro 2016

[Resenha] Cidade dos Fantasmas - Daniel Waters

Cidade dos Fantasmas
Daniel Waters




Após uma catástrofe que matou milhões de pessoas, uma fenda se abre entre as dimensões e as cidades passam a ser assombradas por fantasmas. Verônica não passa um dia sem ver um fantasma, mas eles não a assustam. Porém, os fantasmas estão ganhando força e começam a aparecer com muito mais frequência. Ela e seu colega de classe Kirk, investigam por quê e descobrem uma história sinistra.
"Todo mundo é assombrado por alguma coisa."
Cidade dos fantasmas é um livro de suspense moderado. Ele tem uma pegada mais de suspense romântico do que propriamente suspense. 

Verônica Calder é uma garota de dezesseis anos, que perdeu o pai no "Acontecimento" que foi uma fatalidade que ocorreu e acabou por dizimar milhões de pessoas. E agora, ele assombra a cozinha delas. Todo dia, na mesma hora, o pai aparece sentado à mesa, bebendo seu café, lendo jornal e sorri antes de desaparecer. Como se fosse um filme, ele segue esse padrão e não muda. E enquanto outras meninas se escondem e vivem com medo da próxima catástrofe ou do próximo vislumbre fantasmagórico, Verônica aproveita para viver ao máximo.

É essa personalidade vibrante e destemida que atrai  a atenção de James e Kirk que são melhores amigos, acredito eu, mais pela conveniência e proximidade do que por afinidade. Os dois são bem diferentes, com formas bem distintas de agir, pensar e competem pela atenção de Verônica.
Depois do primeiro encontro com James, fica bem claro para ela que eles não tem muito em comum e que James é um cara bem diferente do que aparenta.
"Ela desconfiava de pessoas que agiam de um jeito em público e de outro em particular."
Ela começa então a reparar mais em Kirk, que para impressioná-la começa a trabalhar com o professor Pescatelli - também conhecido como Peixe - que é aficionado por fantasmas e os estuda. Pescatelli tinha várias teorias sobre o surgimento das imagens como ele gostava de chamar. Ele os chama de imagens porque em sua maior parte, os fantasmas são apenas fragmentos que se repetem em um determinado momento do dia, fazendo sempre as mesmas coisas como em um filme antigo. Ele também tem uma teoria sobre isso, que parte do princípio das memórias que a pessoa teve em vida. Aquela memória de alguma forma pode ter ficado gravada por ter sido a última coisa boa que aconteceu com aquela pessoa em vida e por isso ela se repete uma e outra vez.
"Ele não estava satisfeito em provar que as memórias eram enganosas, mas que memórias de memórias eram enganosas, fluídas, em constante mutação, impossíveis de se apreender completamente."
Mas nem todos os fantasmas são assim. Brian é o nome que Verônica dá ao fantasma que assombra o seu banheiro e que não apresenta um padrão. Ele não está se repetindo dia após dia e em um determinado horário. Ele simplesmente aparece, às vezes até mesmo reflete no espelho, e então some. O que será que isso pode significar? Porque ao invés de diminuírem, os fantasmas vêm aparecendo cada vez mais? Será que o professor Pescatelli pode estar certo e outra catástrofe está em vias de acontecer? Ou será que eles podem estar tentando alertá-la sobre algo mais sinistro?
" - Os fantasmas não significam nada. Eles são como uma cena de filme projetada na parede.
- O que nós significamos? - James perguntou.
- Só por existir, provavelmente nada - disse ele. - Mas nós temos potencial. Um fantasma não tem potencial."
Agora, vamos a uma coisa que me incomodou um pouco: O que foi realmente o Acontecimento? Eu queria mais detalhes sobre isso, porque foi algo grande que impactou a história inteira e não recebeu o devido destaque para a proporção e a importância que teve no enredo como um todo. 

Eu gostei bastante da leitura, apesar disso. Por quê? A escrita do Daniel é muito suave. Tem uma leveza, uma cadência natural que faz com que o livro flua rapidamente. Ele não faz longas descrições, nem cria muito suspense desnecessário. O verdadeiro suspense não é quem vai morrer ou quem vai matar, mas sim: "a pessoa vai realmente morrer? Se morrer vai voltar como um fantasma? O assassino vai ser pego?" Os personagens são interessantes e eu gostei bastante do Kirk. Ele é um fofo. 

Espero que vocês também gostem. Beijos!


Compartilhe!

Postar um comentário





Copyright © 2017 Every Little Book. TODOS OS DIREITOS RESERVADOS | OddThemes | ILUSTRAÇÃO: Yuumei