23 novembro 2016

[Resenha]Romance Com o Duque - Tessa Dare

Romance Com o Duque (Castles Ever After # 1)
Tessa Dare



Izzy sempre sonhou em viver um conto de fadas. Mas, por ora, ela teria que se contentar com aquela história dramática.
A doce Isolde Ophelia Goodnight, filha de um escritor famoso, cresceu cercada por contos de fadas e histórias com finais felizes. Ela acreditava em destino, em sonhos e, principalmente, no amor verdadeiro. Amor como o de Cressida e Ulric, personagens principais do romance de seu pai.
Romântica, ela aguardava ansiosamente pelo clímax de sua vida, quando o seu herói apareceria para salvá-la das injustiças do mundo e ela descobriria que um beijo de amor verdadeiro é capaz de curar qualquer ferida.
Mas, à medida que foi crescendo e se tornando uma mulher adulta, Izzy percebeu que nenhum daqueles contos eram reais. Ela era um patinho feio que não se tornou um cisne, sapos não viram príncipes, e ninguém da nobreza veio resgatá-la quando ela ficou órfã de mãe e pai e viu todos os seus bens serem transferidos para outra pessoa.
Até que sua história tem uma reviravolta: Izzy descobre que herdou um castelo em ruínas, provavelmente abandonado, em uma cidade distante. O que ela não imaginava é que aquele castelo já vinha com um duque


Eu amo a Tessa Dare, sou muito suspeita para falar dos livros dela. Afinal, em cada romance, ela conquista minha preferência como uma das melhores escritoras de romance de época. E com esse livro não poderia ser diferente: ela me mostrou que, sim, é uma escritora maravilhosa que nos surpreende com suas histórias cada vez mais.

Em Romance com o Duque, conhecemos Isolde Ophelia Goodnight, ou simplesmente Izzy, uma jovem de 26 anos que está completamente desamparada após a morte do seu pai, um famoso escritor da época que escrevia uma saga chamada “Contos de Goodnight”. Seu pai simplesmente nunca mudou seu testamento, e a pobre Izzy acabou por ver tudo que tinha sendo tomado posse por um odioso primo, tendo agora que viver de favor com alguns parentes ou admiradores da obra do seu pai.

“Quais contos de fada restavam para uma mulher comum, empobrecida, de 26 anos e que nunca tinha sido beijada?”

Já há muito conformada em não viver sua própria história de contos de fadas — afinal, quem iria querer como esposa uma pessoa de características tão distintas das belas mocinhas de contos e ainda mais desamparada? — Izzy vê a oportunidade de mudar um pouco seu destino quando herda de um padrinho, um castelo. Mas, ela nunca imaginou que o castelo vinha com um duque dentro dele e pouco disposto a abandonar seu refúgio.

O Duque Ransom, após ser ferido de uma forma que lhe deixou sequelas, refugiou-se em uma das suas propriedades, um castelo de localização remota para que ninguém mais o incomodasse. Qual foi sua surpresa, então, em receber a presença de uma mulher que diz ter herdado seu castelo e que, de forma alguma, partiria do lugar? A solução, claro, é fazer de tudo para que aquela intrusa saia do seu refúgio o mais rápido possível. Como? Usando suas características mais acentuadas, afinal, não é à toa que é qualificado como um homem sombrio, sem modos e respeito por regras sociais. 

Mas a impertinente jovem se recusa a ir embora; e mais, acaba por lhe despertar um desejo que é totalmente correspondido.

“Eu não sou uma garotinha boba que sonha com cavaleiros. Eu sou uma mulher. Uma mulher que, de forma completa e inconveniente, pela primeira vez na vida, sente desejo. Um desejo ardente pelo pior homem possível. Um duque profano, amargo, ferido, que se recusa a sair da casa dela.”
Porém, Izzy se mostra necessária quando ele percebe que pode estar sendo vítima de um golpe e ela pode ajudá-lo a desvendar a trama que está prestes a deixá-lo sem fortuna e ser considerado totalmente incapaz. Só que a convivência entre os dois, aos poucos, passa a deixar de ser forçada para ser desejada, pois os dois não conseguem mais controlar os sentimentos que, a cada dia, se tornam gigantescos dentro deles. Primeiro em forma de desejo, depois, a paixão se transforma em algo tão forte que acabam por deixar os receios e medos de lado para se entregar aos sentimentos.
“Eu já não consigo mais julgar a aparência da beleza”, ele disse. “Mas eu conheço o som dela. Ela soa como o fluxo de um rio de mel doce e silvestre. A beleza cheira a alecrim e tem sabor de néctar. A beleza espirra como um esquilo.”
No entanto, a entrega precisa ser total, para que possam realmente desfrutar de algo realmente real, juntos. E esse é o maior desafio para os dois.


Esse romance, para mim, é perfeito. Tem todos os elementos que curto em um romance de época e que, com certeza, agrada a muitos: uma mocinha nada tímida, que sente curiosidade por sentir paixão e desejo e um duque mal-humorado que é avesso ao amor porque não acredita nele.

Izzy, apesar de todas as adversidades, continua sendo otimista e vendo o lado positivo das coisas e das pessoas. Mesmo insegura com sua aparência, que ela culpa por nunca ter conseguido casar, sempre soube contornar isso. Até o momento em que conheceu Ransom, alguém que realmente desejava. E ela, que sempre acreditou saber o que era o amor, mesmo sem ter experiência amorosa, vai aprender que o amor não tem nada a ver com a aparência.

E Ransom, com todo seu ceticismo em relação ao amor, vai aprender que entre um homem e uma mulher não há somente sexo. E que é preciso mudar sua visão do mundo para ver o que há de melhor e aproveitá-lo.

A junção desses dois rende boas cenas de humor e, claro, muitas cenas quentes de paixão, para aquelas leitoras que não dispensam um romance com boa “pegada hot.” 

O humor também fica por conta dos fãs dos “Contos de Goodnight”, que fazem questão de seguir Izzy para todos os lados, vestidos à caráter. Ou seja, uma verdadeira Comic Con do século XVIII (qualquer semelhança com Star Wars, estilo medieval, é mera coincidência).

Enfim, um romance espetacular de uma leitura igualmente espetacular. Indico para toso mundo que quer um romance picante e divertido.


Compartilhe!

2 comentários :

  1. Ownnnnnnnn

    eu amo um romance de época, esse está na minha lista, já tem até uma parte da minha estante só para esse gênero...

    ResponderExcluir





Copyright © 2017 Every Little Book. TODOS OS DIREITOS RESERVADOS | OddThemes | ILUSTRAÇÃO: Yuumei