[Resenha]Cilada para um marquês - Sarah Maclean

Cilada para um marquês - Sarah Maclean
Série Escândalos e Canalhas, livro 01.


Sophie Talbot é conhecida pela Sociedade como uma das Irmãs Perigosas – mulheres Talbot que fazem de tudo para se arranjar com algum aristocrata. O apelido chega a ser engraçado, pois se existe algo que Sophie abomina é a aristocracia. Mas parece que mesmo não sendo uma irmã tão perigosa assim, o perigo a persegue por todos os lugares. Quando a mais “desinteressante” das irmãs Talbot se torna o centro de um escândalo, ela decide que chegou a hora de partir de Londres e voltar para o interior, onde vivia antes de seu pai conquistar um título. Em Mossband, ela pretende abrir sua própria livraria e encontrar Robbie, um jovem que não vê há mais de uma década, mas que jura estar esperando por ela. No entanto, ao fugir de Londres, seu destino cruza com o de Rei, o Marquês de Eversley e futuro Duque de Lyne, um homem com a fama de dissolver noivados e arruinar as damas da Sociedade. Rei está a caminho de Cumbria para visitar o odioso pai à beira da morte e tomar posse de seu ducado. Tudo o que ele menos precisava era de uma Irmã Perigosa em seu encalço. O Marquês de Eversley está convicto de que Lady Sophie Talbot invadiu sua carruagem para forçá-lo a se casar com ela e conquistar um título de futura duquesa. Já Sophie tenta provar que não se casaria com ele nem que fosse o último homem da cristandade. Mas e quando o perigo tem olhos verdes, cabelos claros e a língua afiada? Essa viagem será mais longa do que eles imaginavam.



Preciso começar dizendo que estou A-M-A-N-D-O o fato de que as editoras brasileiras finalmente se convenceram de que nós gostamos de romances de época. <3 amor por vocês! 

Eu não conhecia nada sobre essa série, Escândalos e Canalhas, e agora já aguardo ansiosamente que a Gutenberg publique os outros livros. A autora Sarah MacLean já era minha velha conhecida (Séries: Clube dos Canalhas, também pela Gutenberg e Os Números do Amor, sendo publicada pela Arqueiro) e é uma das minhas favoritas. Seus romances são doces, sensuais e fofos. As mocinhas são fortes, mesmo quando são sensíveis, e os mocinhos são encantadores, mesmo quando são canalhas.

Neste primeiro livro da série, conhecemos as meninas da família Talbot, conhecidas na sociedade como as ‘Irmãs Perigosas’. Isso porque há um boato rolando de que elas são capazes de qualquer coisa para arrumar um marido, até mesmo de armar uma cilada para eles, onde, sem mais opções, teriam que casar com elas.

Desgostosa com tudo que faz parte da sociedade, aristocracia e suas implicações, está Sophie Talbot. Tudo que ela quer é voltar para o tempo em que seu pai ainda não tinha sido declarado conde, quando moravam na cidadezinha de Mossband, onde morava seu companheiro da infância Robbie, o filho do padeiro. Os dois amigos tinham prometido um dia se casar, antes que fossem separados pela diferença social. Depois de aprontar um escândalo daqueeeles envolvendo seu cunhado, o duque de Haven, Sophie se vê querendo fugir de tudo aquilo que odiava em Londres e decide partir da cidade em busca de Robbie.

“Ela odiava cada um daqueles rostos convencidos, o modo como desdenhavam de sua família e da maneira como viviam. O modo como aquelas pessoas viviam suas vidas, como se o resto do mundo girasse ao redor delas”.
É então que seu destino se cruza com Rei, o Marquês de Eversley, que está indo para as redondezas de Mossband, de retorno à casa de seu pai, que está em seus últimos dias e com quem não fala há anos. 

“Ele era tudo que diziam ser. Escandaloso. Perverso. Um canalha total.”

Eu ri demais dos dois se conhecendo e ele tentando fugir dessa ‘irmã perigosa’ a todo custo. Ele estava morrendo de medo de que essa fuga dela de Londres não passasse de uma cilada para enredá-lo em um casamento. E ele queria tudo, menos se casar. Rei perdeu seu amor, e desde então jurou que jamais voltaria a se ver em uma posição de que estaria sujeito a passar por coisa semelhante. Sua fama também era estrondosa! Não podia falar que alguma dama estava noiva e ele a conquistava, causando a desonra da moça e o término do compromisso.

“Pare de acreditar no que quer que lhe tenham dito todos esses anos. Não há nada em você que não seja memorável”.

Enfim, o romance todo é uma grande aventura e eu achei que valeu muito a pena. Totalmente narrado em terceira pessoa, nos dá uma visão geral da história, por vezes do lado de Sophie e vezes do lado de Rei. Os dois são teimosos, divertidos e fortes, como mocinhos e mocinhas devem ser em uma história boa. Sarah realmente tem uma escrita muito boa, que nos proporciona uma leitura rápida e encantadora, sempre com gostinho de quero mais.

“E então ele a pegou nos braços e a carregou até a fonte. E ela soube que aquele lugar, aquele homem... seriam sempre seu lar”.

Um comentário:

  1. Olá, tudo bem?
    Também sou apaixonada por romances históricos. Já li todos os livros da Sarah publicados no país, e mais uma vez, ela não nos decepcionou.
    Amei a resenha!
    Beijos!

    http://excentricagarota.blogspot.com.br

    ResponderExcluir

Laura Lendo...

Lud Lendo...

Luiza Lendo...