[Resenha] Toda Sua - Sylvia Day

Toda Sua
Crossfire # 1

Eva Tramell tem 24 anos e acaba de conseguir um emprego em uma das maiores agências de publicidade dos Estados Unidos. Tudo parece correr de acordo com o plano, até que ela conhece o jovem bilionário Gideon Cross, o homem mais sexy que ela - e provavelmente qualquer outra pessoa - já viu. Gideon imediatamente se interessa por Eva, que faz tudo o que pode para resistir à tentação. Mas ele é lindo, forte, rico, bem-sucedido, poderoso e sempre consegue o que quer - Eva acaba se entregando. Uma relação intensa começa. O sexo é considerado por eles como incrível. Capaz de levar os dois a extremos a que jamais tinham chegado. E, então, eles se apaixonam - o que pode ser tanto a chave para um futuro feliz quanto a faísca que trará de volta os traumas do passado.

Eva Tramell está se mudando para uma cidade nova: Nova York. Emprego novo, apartamento novo, tudo isso representa uma mudança e tanto na sua vida. Mas ela não está sozinha nessa, seu melhor amigo, Cary Taylor, está ao lado de Eva sempre, para protegê-la e apoiá-la em qualquer circunstância. E ela também faz o mesmo por ele.

Cary é lindo de morrer, trabalha como modelo e sua carreira está em ascensão. Ele conheceu Eva numa das sessões de terapia que frequentavam, e também tem um passado difícil para combater. Eles sempre lutaram e superaram juntos, essa seria mais uma das batalhas. Ele é bissexual e gosta de se divertir tanto quanto Eva e, assim como ela, tem sérios problemas para enfrentar relacionamentos.

Eva é filha de pais separados, que, na verdade nunca foram casados. Sua mãe é uma mulher estonteante, que procurou durante muito tempo um marido rico que a idolatrasse, e, infelizmente, essa pessoa não foi o pai de Eva. Sua mãe estava muito bem casada com Stanton, um multimilionário que a idolatrava, e seu pai morava em outro estado, era um policial.

Eva escolheu morar com o pai quando foi para faculdade, dizendo não ao rio de dinheiro de seu padrasto. Ela preferiu a vida tranquila e livre ao lado do pai, até se formar e começar sua nova vida, em Nova York. Esse momento era agora.

A adolescência de Eva não foi fácil, ela tem muitos traumas e muito disso a marcou de uma maneira irrevogável, mas ela está disposta a começar uma nova vida em uma nova cidade e um novo emprego. Sua mãe, completamente controladora, terá que se acostumar. Mesmo entendendo o motivo de toda essa necessidade de controle de sua mãe (por causa do que aconteceu no passado), Eva estava mais que determinada a ter uma vida independente. Será que ela conseguiria ?

Um dia antes de começar seu novo emprego, ela esbarra em um homem deslumbrante, completamente sexy e hipnotizante. Não conseguia tirar os olhos dele mesmo sendo um completo estranho. Isso nunca tinha acontecido antes e ela mal conseguiu se afastar e seguir em frente. 

No seu primeiro dia no emprego novo, ela encontrou com esse homem de novo no elevador... Como ele conseguia sufocá-la sem dizer uma palavra? Ela estava completamente enfeitiçada por ele...

Seu emprego era de secretária de um dos gerentes de uma empresa de marketing, Mark. Um cara muito legal que valorizava bastante o trabalho de Eva. E que também era muito gay e tinha um companheiro com quem Eva se identificou logo de cara. 

Em uma reunião para apresentar uma proposta de ação de marketing para uma marca de vodca, lá estava o cara irresistível... Ele era nada menos que Gideon Cross, o dono das empresas Cross e proprietário do prédio em que eles estavam. E ele era o contratante da ação de marketing que eles estavam apresentando. 

O interesse de Cross por Eva era inegável, e ele não tentou esconder nem por um minuto. Pelo contrário, ele foi direto ao ponto:

“Cross não disse nada enquanto o elevador ainda estava por perto; depois acionou novamente o botão e em seguida perguntou: “Você está dormindo com alguém?”. [...]
Inspirei profundamente. “Por que está me perguntando isso?" [...]
“Porque eu quero comer você, Eva. Então preciso saber se existe alguém atrapalhando meus planos.”

A honestidade e a forma direta com que Cross a abordou deixaram Eva chocada, mas ao mesmo tempo ainda mais interessada. Era difícil para ela se envolver com caras como ele, extremamente controladores e que não escondiam que queriam levá-la para cama. Muitas coisas nele poderiam ser um gatilho emocional para coisas ruins, e ela precisava tomar cuidado.

Mas ah... A atração entre eles era sufocante, ela não conseguia resistir. Assim, eles chegaram a um acordo e decidiram arriscar nessa relação puramente sexual.

Ela sabia que era arriscado, sabia que podia se machucar e reavivar sentimentos ruins que tinha superado com muito custo. Mas, como resistir a Gideon Cross?

Ele era um enigma. Lindo de morrer e sexy como o inferno, Eva sabia que ele seria sua perdição. O que ela não sabia era que Gideon também tinha um passado perturbador e muitas batalhas internas que também enfrentava. Será que um relacionamento, mesmo que puramente sexual, entre duas pessoas psicologicamente instáveis poderia dar certo? Mesmo quando uma delas era sedenta por controle e a outra fugia de ser controlada? Leia para descobrir.

“Vesti-lo podia ser uma experiência tão sexy quanto despi-lo. Era como embrulhar um presente para mim mesma.O mundo todo veria a beleza da embalagem, mas só eu conhecia o homem por baixo dela e sabia como ele era precioso. Seus sorrisos mais íntimos e suas gargalhadas gostosas, a gentileza de seu toque e a ferocidade de sua paixão estavam reservados só para mim.”


Essa é uma resenha complicada de fazer, hein, rs. Não é meu tipo preferido de livro, e peguei para ler porque precisava me distrair com algo diferente. Não sei bem descrever esse tipo de história, raramente leio algo fora da fantasia, mas é sempre bom se aventurar por gêneros diferentes. Minha preocupação é sempre contar e mostrar como é a história antes de dar a minha opinião sobre ela, para não influenciar completamente a minha resenha, rs.

Eu achei esse livro bem parecido com alguns que já tinha lido, muitos elementos podem ser vistos em outros livros de romance, e entendo perfeitamente a comparação com 50 Tons de Cinza.

Gideon Cross é um personagem completamente dominante, controlador, prepotente e sexy para caramba. Ele sente a necessidade de controlar tudo e todos ao seu redor, nos mínimos detalhes. Pesquisou tudo sobre Eva antes mesmo de falar com ela pela primeira vez e já sabia todos os detalhes de sua vida antes do primeiro encontro.

“Você veio aqui por minha causa, não foi? Pra me tirar deste lugar que você detesta.”“Eu iria até o inferno por você, Eva, e isto aqui é quase isso.”

Eva é uma mulher com um passado perturbador mas que deu a volta por cima e se transformou numa pessoa determinada e, quase sempre, segura de si. Não tinha um relacionamento há anos, até conhecer Gideon. Tudo entre eles é puramente sexual, e até explosivo. As cenas sensuais são legais e não muito exageradas. Não é daqueles livros que é só sexo, sabe?

“A confiança é uma coisa difícil de conquistar, tanto pra você como pra mim. Se acabar, corremos o risco de perder tudo.”

Mas também não tem nada muito diferente não, não consigo pensar em nada que faça esse livro se destacar dos outros parecidos que já li. Assim como em 50 Tons, Gideon tem um passado traumatizante que justifica a sua sede de controle, Eva tem problemas de auto estima, tudo entre eles é sexual, ela revira o mundo dele de cabeça para baixo, ele passa a controlar tudo e sabe todos passos que ela dá, e na primeira vez que eles se esbarram ela cai na frente dele, também. Ah, ele tem um relacionamento complicado com os pais, não deixa ninguém se aproximar e não quer falar sobre seu passado. Sempre que Eva tenta confrontá-lo ele usa o sexo. É bem parecido mesmo, sem a parte do BDSM que tem em 50 Tons.

Por ser bem parecido e bem previsível, eu não gostei muito, esperava mais, até porque vi resenhas dizendo que essa série é superior a 50 tons, muito melhor e etc. Mas, a essa altura, eu já deveria ter aprendido, rs. Nas vezes que eu li livros desse gênero para distrair, as resenhas sempre diziam que era maravilhoso, mas ainda não encontrei nenhum que me convencesse... O que mais me incomoda no geral, é o fato de as protagonistas ficarem enfeitiçadas só de olhar o cara, idolatrando e venerando como se fosse um deus e elas estivessem sob seu feitiço. Mano, isso é o que eu não consigo imaginar acontecendo na real, rs. Eu sei, é ficção e blá blá blá, mas precisa ser tao surreal assim?

“Era como se eu estivesse sendo atraída para ele, como se houvesse uma corda em torno da minha cintura me arrastando de forma lenta mas inexorável em sua direção.

Piscando para despertar dessa espécie de delírio, eu o soltei. Ele não era apenas lindo, era... fascinante. O tipo de cara que faz uma mulher querer abrir sua camisa com um único puxão e ver os botões irem abaixo junto com as inibições. Olhei para seu terno civilizado, requintado e absurdamente caro e só consegui pensar em uma trepada violenta, de rasgar os lençóis”

Mas é aquilo né, gosto é gosto. E, para quem gosta de livros eróticos com bons toques de drama e personagens controladores, ricos, lindos e dominantes, pode de jogar nesse aqui.

“Olhei para Gideon e o surpreendi me olhando com uma expressão indecifrável. Dentro de mim, tudo girava em uma confusão de luxúria e ansiedade. Não tinha a menor ideia do que estava fazendo com ele, só sabia que não era capaz de parar, nem mesmo se quisesse.”



Nenhum comentário:

Postar um comentário

Laura Lendo...

Lud Lendo...

Luiza Lendo...