[Resenha] Depois da Última Dança – Sarra Manning

A Última Dança
Sarra Manning


Estação de King´s Cross, 1943. Rose chega a Londres querendo se entregar a uma vida de romance, glamour e dança, e para isso ela escolhe o Rainbow Corner, o mais famoso salão de dança da cidade. Enquanto a Segunda Guerra Mundial entra em seu momento final, Rose se apaixona perdidamente por um piloto, mas terá que lidar com as reviravoltas do destino antes que a guerra chegue ao fim.
Las Vegas, dias atuais. Uma linda mulher vestida de noiva entra em um bar procurando alguém para se casar com ela. Quando Leo assume o papel e diz “sim”, ele não tem nenhuma ideia da situação em que está se metendo. Quem será Jane, a mulher misteriosa? Quando Jane e Rose, agora uma senhora de idade, se conhecem, a fagulha da discórdia se acende. Mas acontecimentos que elas não podem controlar fazem com que o tempo se torne um bem muito precioso. Depois da última dança conta a extraordinária história dessas duas mulheres, separadas pelo tempo mas ligadas pelo destino. Um romance que fará com que você acredite no poder do amor.

"Aquele tinha sido seu ato mais imprudente e impetuoso. Ah, se ao menos ela tivesse parado para pensar nas consequências de suas ações..."
Depois da Última Dança é um desses livros queridinhos, onde ao finalizarmos acabamos com aquela sensação de calorzinho no peito e com vontade de ler mais. Nesse livro, a autora nos conta duas histórias diferentes que, é claro, vão se interligar mais adiante. Eis que… 

Começamos o livro em Londres 1943, com a jovem Rose. Ela é uma menina ainda, bem intrépida e aventureira, me lembrou um pouco a Lydia Bennet, meio doida e muito corajosa. Ao mesmo tempo, levemente dramática e inconsequente também, sempre se achando incompreendida e que a família a julgava muito severamente por coisas que, segundo ela, não tinham tanta importância ou que fugiam ao seu controle.

Sua família não sabia mais o que fazer e ela sempre acabava metida em alguma confusão. Todos sabemos que ainda nessa época, as mulheres tinham um lugar pré-definido, assim como um modo de se comportar em sociedade e que uma vez fora desses padrões, ela seria considerada uma vergonha para a família. Para evitar um escândalo, eles decidem mandá-la para as “Land Girls”, que eram trabalhadoras do esforço de guerra que ajudavam a limpar, cuidar dos feridos, capinar, etc. Mas eles não contavam que Rose fosse fugir de casa.

Assustada e sem saber como chegar ao seu destino – o Rainbow Corner, que era como um salão de dança na época e Rose amava dançar -, ela se depara com dois jovens soldados: Phil e Danny. Ela resolve pedir a ajuda deles e conta uma história triste daquelas que só engana os trouxas mesmo. Sério. Eles ficam com um pé atrás, mas Phil, que já estava de olho em Rose – sintam o momento crush – e convence Danny a acompanhar a moça até lá em segurança. A partir daí, ela vai se divertir e também passar por maus bocados, claro. Mas acho que por ela ser tão vibrante e animada, nós nos afeiçoamos muito a ela.
"Não é uma sensação, muito boa saber que você não tem importância para alguém com quem planejava passar o resto da vida."
E chegamos aos tempos atuais. 

Em Las Vegas, a cidade que nunca dorme. A cidade dos casamentos loucos. E, claro, essa parte da história não poderia se passar em nenhum outro lugar. Jane é uma noiva "abandonada" no dia do casamento pelo noivo que a deixou por causa do trabalho, e que se sente sozinha e desesperada. Jane teve uma infância complicada e sempre quis um relacionamento e uma vida financeira estáveis
Vejam bem, ela não estava preocupada em achar o amor verdadeiro… ela só queria um cara centrado, confiável com quem ela se sentisse segura. Não é de se estranhar que ela não estivesse apaixonada pelo noivo, mas eles eram convenientes um ao outro, davam certos juntos… Porém, ser deixada de lado no dia do casamento por causa de trabalho foi a gota d’água. Ela entra em um bar, pronta para afogar as mágoas quando encontra com Leo. 

Leo fica de queixo caído ao ver aquela beldade vestida de noiva naquele barzinho mixuruca e não perde tempo para saber o que a deixou tão triste. Mas ela era tão bonita que ele mesmo não contava com o que estava prestes a fazer. Antes que pudesse pensar direito, ele propõe que eles se casem ali em Las Vegas e realizem o “sonho” dela de se casar (e a vontade dele de passar mais tempo com ela, óbvio).
"Quando ela lhe sorriu não era porque aquilo era uma grande piada, uma noite louca em Las Vegas com a qual ele iria cansar as pessoas pelas próximas décadas, mas porque, naquele momento, naquele gazebo de bom gosto, eles se entendiam. Duas pessoas feridas à procura de algum conforto, algum tipo de distração, e que tinham encontrado uma à outra."
Amanda você está dando spoiler? Não, acabamos de chegar na página 27 e são 329 páginas, fiquem tranquilos. A escrita de Sarra é bem envolvente, ela consegue te manter interessada nas duas histórias – só achei que ela levou muito tempo enrolando com a Jane e o Leo e eu queria saber mais da Rose e isso me fez puxar os cabelos em alguns momentos.

Vocês devem estar se perguntando: como as histórias se interligam? Pois bem, vão continuar se perguntando kkk. Não é maldade, mas se eu dissesse seria spoiler. Por isso leiam, vale a pena!
Eu fiquei apaixonada por essa autora desde que eu li “Onde Deixarei meu Coração”, que inclusive, descobri através de uma resenha aqui do blog (obrigada, meninas <3) e eu tinha que ler Depois da Última Dança. 

Não me decepcionei nem um pouco. 

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Laura Lendo...

Lud Lendo...

Luiza Lendo...