[Resenha] Caminho das Sombras - Brent Weeks

Caminho das Sombras
Anjo da noite # 1
Brent Weeks


Para Durzo Blint, matar é uma arte... e ele é o artista mais talentoso da cidade. Temido por muitos, Durzo é uma lenda viva com as mãos manchadas de sangue e nenhuma culpa pelas vítimas que deixa pelo caminho.
Esse mundo sombrio também não é novidade para o jovem Azoth. Sobrevivendo entre becos sujos, ele aprendeu que a esperança é uma piada. Pelas regras das guildas, crianças são agredidas e surradas todos os dias.
Tentar contestar essa realidade seria um risco alto demais. Mas quando a morte se torna questão de tempo para ele e seus amigos, Azoth se vê forçado a vencer o medo e agarrar a chance de virar um derramador, um assassino. Ele precisa se tornar discípulo de Durzo Blint.
Para ser aceito, o garoto abandona sua antiga vida e abraça uma nova identidade. Ao se tornar Kylar Stern, ele aprenderá a transitar no mundo dos nobres, sobreviver às magias de seus inimigos e cultivar uma amizade muito especial: a da escuridão.

Há mais de um ano eu não dava 5 estrelas para um livro! Caminho das Sombras abalou o meu mundo e me fez soltar aquele wowwwww! Vem entender por quê.

Azoth é um menino como outro qualquer. Não, não como outro qualquer, existem vários meninos melhores. Ele é apenas mais um menino de rua que não é ninguém, vive numa guilda de ladrões, rouba o que pode para sobreviver, tenta lutar contra a fome e o frio, e não sabe o que o amanhã trará.

O mundo em que vive, Midcyru, é um mundo medieval, dividido em países que são governados por reis. Existe uma desigualdade brutal nas cidades, que divide os ricos dos muito pobres e dos vagabundos. Cenária, onde vive Azoth, é só mais uma dessas cidades. O equilíbrio entre as classes é mantida pelo Saka'ge, uma organização criminosa que comanda o submundo, mata quem for preciso, rouba o que quiser e espalha o medo pelas ruas.

A guilda de Azoth é comandada por Rato, um ser desprezível e cruel que faz o que for necessário para coletar a taxa. Quem não paga apanha, e muito. Se for preciso estuprar ele estupra. Matar? Ele mata. 

Azoth não aguenta mais essa vida. Ele precisa proteger seus dois amigos, Jarl e Menina-boneca, mas é só um menino de 11 anos, o que ele poderia fazer? Ele precisa ser forte, mas como? No meio de tanta pobreza e imundície.
“As surras eram um preço pequeno a pagar pela esperança. Depois de um tempo, a maioria das crianças da guilda se encolhia e deixava a vida surrá-las. Elas viravam animais. Ou então perdiam a cabeça, como Azoth, e acabavam sendo mortas.”
Um dia, ele conhece Durzo Blint. O mais temível derramador, o mais implacável e poderoso. Ele se mistura nas sombras e ninguém consegue vê-lo ou ouvi-lo. Para ele, matar é como respirar, fácil fácil.

Azoth queria ser assim. Ele VAI ser assim, não tem outra alternativa. Para isso, precisa convencer Durzo a treiná-lo como um aprendiz. Só que ele nunca teve um aprendiz, e Azoth tem que pagar o preço necessário.

Um derramador é uma espécie de assassino, só que muito mais poderoso, muito mais sombrio, muito mais implacável e extremamente letal. A magia existe sim no mundo de Midcyru, e, apenas os que tem o Talento conseguem utilizá-la. Um derramador precisa ser um mestre no Talento, ele precisa ser a própria sombra, invisível, invencível. Durzo Blint é nada menos que o melhor.
"Não existe nenhum objetivo maior. Não existem deuses nem árbitros de certo e errado. Não estou lhe pedindo para gostar da realidade. Só estou pedindo que seja forte o bastante para encará-la. "
Para ser um derramador, Azoth tem que morrer e deve virar Kylar Stern. Uma outra pessoa, com uma outra vida e um outro passado. Tudo cuidadosamente elaborado. Ele deve assumir essa nova vida e pagar o preço necessário.

Paralelamente, conhecemos Logan Gyre, filho do duque de Gyre. Um menino da idade de Azoth, mas com uma história completamente diferente. Nascido de uma família rica, ele teve toda a vida que Azoth não teve. Boa formação, todos os cuidados, treinamento de armas, era um nobre perfeito. A família de Logan foi envolvida na grande roda política de Cenária e, com isso, sua vida iria mudar.

Mama K é a mais famosa cortesã da cidade. Ela comanda a maior rede de prostituição de Cenária e, assim como Durzo, também é membro do Saka'ge. Não existe maior traficante de informações que Mama K e nem de influências. Afinal de contas, o que um homem acaba falando para uma prostituta não é esquecido não...

Todos os caminhos se cruzarão quando o maior esquema político de Cenária entrar em jogo, e, Kylar terá que estar preparado para enfrentar o que vier. Durzo é o melhor, Mama K é a melhor. Mas, e se o inimigo for ainda melhor? 

A luta não será apenas com armas, vai muito além disso. A roda de política e intrigas em Cenária gira como nunca, e todos precisarão estar preparados. Embarque nessa aventura você também!
"Não há nada além disso. Há apenas a perfeição que alcançamos ao nos tornamos armas, tão fortes e impiedosos quanto uma espada. Não existe nenhum bem essencial no fato de estar vivo. A vida em si não é nada. É um marcador que prova quem está vencendo, e nós somos os vencedores. Nós vencemos porque perder é um insulto."
Esse é um daqueles livros que abalam a vida. SÉRIO. EU-NÃO-ESPERAVA. Já estava na expectativa para o lançamento aqui há algum tempo, por causa da capa que eu AMO, e por alguns comentários que li. Mas, nada me preparou para essa história!

Eu sou uma amante de fantasia, vocês sabem. Eu sou louca por fantasia medieval, todo mundo sabe. Mas CARA, eu sou louca doida varrida por histórias como Caminho das Sombras. O autor conseguiu, com muito sucesso, misturar elementos da alta fantasia, com jogos políticos, ação, aventura, muito sangue, uma pitada de romance, muito MUITO mistério e plot-twists reveladores que me deixaram de queixo caído. Eu não esperavaaaaaa!
“– E é você quem diz que a vida é vazia, insignificante. Que não levamos nada de valor quando tiramos uma vida. Olhe só como se agarra à sua própria. Seu hipócrita filho da puta.
– Todo homem que vale alguma coisa é hipócrita.”
Vi muitas referências nesse livro. Game of Thrones, Eragon, O Nome do Vento, The Goblin Emperor e muito mais. Po, o nome Durzo te diz algo né? Não passaram despercebidos também as referências aos jogos, principalmente de RPG. Temos meisters, vürdmeisters, assassinos.... Te lembra algo?
Brent Weeks é um grande contador de histórias. Esse foi o seu livro de estreia, dá para acreditar? Imagina os próximos! Já ganhou uma fã aqui hein.

Azoth/Kylar é um personagem fenomenal. É um bom menino que vive uma vida de merda. No meio da pobreza e escuridão, ele só quer sobreviver e proteger seus amigos. Jarl e Menina-boneca são as únicas pessoas que ele ama na vida, e, quando vê que a crueldade de Rato está chegando até eles, precisa agir. Ele guarda uma raiva imensa dentro de si, extremamente compreensível dado a vida que leva. Em vários momentos eu achei que ele não teria o necessário para seguir o caminho de Durzo, mas ele conseguiu me ganhar. Claro que ele enfrenta muitas batalhas internas entre o que considera certo e o que tem que fazer, mas, no final, sempre consegue, mesmo que tenha que pagar um preço alto...

DURZO FUCKING BLINT é um dos melhores e mais complexos personagens que já li. Ele desperta um carrossel de emoções. É sim o derramador mais temível e implacável, às vezes até cruel, precisa não se importar, precisa pensar nele mesmo sempre e precisa fazer o que for necessário, passando por cima de quem quer que seja. Mas, ah, ele se importa sim. Com todo distanciamento e frieza, ele se importou e agiu para que tudo se encaixasse da melhor maneira. Ah, o bicho é inteligente viu? Eu me surpreendi várias vezes! Já coloquei aqui no meu pedestal de personagens fodas ao lado do Jorg e do meu Darkling porque eles se parecem demais rs.
“Todo o bem e todo o mal passam, Kylar. Não podemos fazer absolutamente nada para mudar coisa alguma nem ninguém. Muito menos nós mesmos. Esta guerra vai acabar, haverá um vencedor e pessoas vão morrer por nada. Mas nós vamos continuar vivos. Como sempre. Pelo menos eu vou.”
O livro é narrado em terceira pessoa, com mudança de pontos de vista. Podemos ver pela ótica de Durzo, de Kylar, de Mama K, de Logan... Não é qualquer autor que sabe fazer isso não, hein. Ainda mais sem perder o fio da meada. Brent fez isso muito bem e dá para perceber as peças girando e se encaixando, mas, quando você vai ver, aconteceu uma coisa que jamais imaginava. Me senti assim o livro todo. Well done Brent, well done.

Com certeza esse não é apenas mais um livro de fantasia. É muito, muito mais. É repleto de ação, com muitas cenas fortes, violência, política, intriga, mistério, personagens fortes, vilões temíveis e um final estarrecedor. Sem dúvida, lerei novamente um dia, e, se eu fosse vocês, estaria correndo para comprar!



Nenhum comentário:

Postar um comentário

Laura Lendo...

Lud Lendo...

Luiza Lendo...