10 setembro 2016

[Resenha] A Livraria dos Finais Felizes - Katarina Bivald

A Livraria dos Finais Felizes
Katarina Bivald


Sara tem 28 anos e nunca saiu da Suécia — a não ser através dos (vários) livros que lê. Quando sua amiga Amy, uma senhora com quem troca livros pelo correio há anos, a convida para visitá-la na cidade de Broken Wheel, Iowa, Sara decide se aventurar. Mas ao chegar lá, descobre que Amy faleceu. Sara se vê desacompanhada na casa da amiga, em uma cidade muito pequena, e começa a pensar que talvez esse não seja o tipo de férias que havia planejado.Com o tempo, Sara descobre que não está sozinha. Nessa cidade isolada e antiga, estão todas as pessoas que ela conheceu através das cartas da amiga: o pobre George, a destemida Grace, a certinha Caroline e Tom, o amado sobrinho de Amy. Logo Sara percebe que Broken Wheel precisa desesperadamente de alguma aventura, um pouquinho de autoajuda e talvez uma pitada de romance. Resumindo: a cidade precisa de uma livraria.
“Ela estava em uma das ruas mais bonitas do condado de Cedar, talvez a mais bela de todo o sul de Iwoa, mas a única coisa para a qual tinha olhos era o livro”
Sara é uma jovem de 28 anos que mora na Suécia e ama ler. Por conta dessa paixão pela leitura, Sara trocava cartas – e livros – com sua amiga Amy, de Broken Wheel, uma pequena cidade de Iowa.
As cartas de Amy falavam sobretudo de livros, mas também sobre os habitantes da sua cidade. No mundo fechado de Sara, as cartas de Amy eram tudo o que ela tinha.
“Livros haviam sido uma muralha de defesa, sim, mas não apenas isso. Tinham protegido Sara do mundo que a cercava, mas também se transformado em uma espécie de cenário para as verdadeiras aventuras de sua vida.”
Fã de Bridget Jones e Marian Keyes, suas autoras favoritas, Sara lê e respira livros, e é nesse mundo que ela passa a maior parte do tempo. Mas conforme a vida vai passando, Sara percebe que esqueceu de escolher aventuras reais para viver, assim como de ser protagonista da própria história. Então, um dia, ela finalmente sai da sua zona de conforto ao tomar a decisão de viajar e passar o verão na casa de Amy. Com essa decisão tomada, Sara parte para sua maior aventura.
Ao chegar na cidade, Sara recebe a notícia de que Amy estava doente e havia morrido há poucos dias. Esse fato, além de lhe trazer uma enorme tristeza pela perda de uma amiga tão querida e que não teria mais a oportunidade de conhecer pessoalmente, altera todos os planos de sua visita.
“Imagine se ela, Sara, fosse Caroline Bingley, e não Lizzy Bennet.
Ou a Sra. Hurst.”
Perdida com a nova mudanças de planos, Sara é acolhida pelos residentes da cidade, que decidiram em conjunto se responsabilizar por ela. Sara se hospeda como o planejado desde o início, na casa de Amy. Passa também a conhecer as pessoas de quem ela tanto ouvia falar apenas nas cartas: O pobre alcoólatra George, o casal Andy e Carl, a destemida Grace, a tão recatada Caroline e Tom, o solteiro bonitão da cidade.
Com o passar dos dias, Sara começa a conhecer mais a cidade, e não apenas seus moradores. Broken Wheel é uma cidade pequena, dessas onde todo mundo se conhece e sabe de tudo sobre tudo – e todos. Mas, também é uma cidade quebrada; não há mais escolas, não tem emprego e seus residentes já perderam as esperanças da cidade sobreviver.


Diante dessa situação, Sara se dá conta de que precisa retribuir a todos de alguma forma por estarem cuidando dela e tem a ideia de abrir uma livraria na cidade pelo tempo que permanecerá ali. Entretanto, abrir uma livraria e ser o centro das atenções pela sua avidez literária, não é o suficiente para ela. Sara está determinada a fazer com que todos em Broken Wheel comprem – e leiam – os livros antes que ela vá embora. Sara estava convencida de que, assim que começassem a ler, todos se sentiriam muito melhor, e renovariam suas esperanças.



“Existe uma pessoa para cada livro. E um livro para cada pessoa”
Como não se apaixonar por um livro que fala sobre livros? Como não se encantar com uma protagonista que é apaixonada por eles, exatamente como você?
A história está cheia de referências literárias incríveis, e é escrita de uma maneira tão envolvente que você quase consegue se sentir parte daquela cidade isolada e provinciana de Iowa.
A conexão com os habitantes tão peculiares de Broken Wheel é tão real, que de repente você se pega rindo, sofrendo, torcendo e até mesmo suspirando por eles. Como se você realmente vivesse ali e houvesse passado a compartilhar uma amizade verdadeira com todos eles.

É um livro romântico e divertido, com histórias secundarias simpáticas e comoventes, o que torna a leitura super leve, descontraída e contagiante. A forma como a autora conduz e apresenta toda a atmosfera da trama é realmente maravilhosa.

A edição da Suma de Letras está impecável. A capa ficou maravilhosa!
“(…) o período em Broken Wheel a fizera pensar no que realmente havia feito na Suécia. As noites e os fins de semana livres tinham se tornado apenas lembranças e se misturavam uns aos outros. Isso a assustava, e ela duvidava que, dali para a frente, fosse feliz apenas lendo livros e trabalhando. Mas como exatamente alguém se tornava uma pessoa com sonhos e objetivos? Sara não podia deixar de pensar que tinha perdido o instante em que a vida devia ter começado. Por muito tempo ela apensar vivera lendo, e, enquanto todos à sua volta eram adolescentes, infelizes e bobos, isso não fora um problema. De repente, porém, todos haviam crescido, e ela não fizera nada além de ler.”
A Livraria dos Finais Felizes é um livro escrito principalmente para os amantes de livros, mas, também é uma lição de vida para aqueles não são. Um livro que fala sobre mudanças, e de que como nossas escolhas podem alterar o destino de todos.


Compartilhe!

Postar um comentário





Copyright © 2017 Every Little Book. TODOS OS DIREITOS RESERVADOS | OddThemes | ILUSTRAÇÃO: Yuumei