[Resenha] Vida Após o Roubo - Aprilynne Pike

Vida Após o Roubo
Aprilynne Pike
Bertrand Brasil

Skoob | Compre | Editora | Autora

Kimberlee Schaffer talvez fosse linda de morrer... só que ela acabou morrendo mesmo, há mais de um ano. Agora, precisa da ajuda de Jeff para resolver alguns assuntos pendentes. E não vai aceitar um "não" como resposta. Quando estava viva, Kimberlee não era apenas uma menina maldosa; era, também, cleptomaníaca. Portanto, se Jeff não quiser ser assombrado pelo fantasma dela até o dia de sua formatura, terá de ajudá-la a devolver tudo que roubou. Rapidamente, porém, ele descobre que é muito mais fácil roubar do que devolver. Pagar pelos erros cometidos adquire um significado completamente novo nesta versão moderna e inteligente do clássico Pimpinela Escarlate, criada por Aprilynne Pike.
"- Todos nós cometemos erros.- Nem todos morremos por causa deles.- Não, mas alguns acabam se sentindo infelizes pelo resto da vida. Talvez seja pior."
Eu amo literatura fantástica e como já disse aqui uma vez, fantasmas são o meu 'xodozinho' literário desde que eu li a série A Mediadora da Meg Cabot.
O que mais gostei desse livro é que ele é bem simples, com personagens bem reais. Com problemas e defeitos. Dos grandes.

Conforme lia, percebi a influencia da visão da Kim. Ela estava sempre vendo e esperando o pior das pessoas e me peguei acreditando nisso também, parte de mim ainda terminou o livro meio... Como eu posso explicar? Confusa, de certa forma. Porque às vezes, é fácil você ver uma parte do contexto, formada por um único ponto de vista e acreditar que aquela parte resume a história.
"- Dia difícil?Na verdade, Tina, foi ótimo. Eu vi uma menina... claro, ela está totalmente fora de alcance, do meu alcance, pelo menos. Ah, e tem essa outra menina... que está fora do alcance de todo mundo! Mas ela é toda minha, quer eu queira ou não."
Jeff é o típico nerd bobão. Ele tem aquele lado levemente pervertido que todo menino tem, de reparar nas meninas, de querer dar uns amassos e tal, mas ele é o bom menino. Ele está em um colégio novo, numa cidade nova e a maior parte dele está detestando aquela mudança, mas como o bom menino que é, resolve encarar sem drama e tentar se adaptar da melhor forma possível. É quando vê essa garota super quente, esparramada no meio do corredor. Ela é o sonho de todo cara, mas tem um problema. Ela morreu.

Gente é muito engraçado. O Jeff entra em um estado de negação forte e ele tem esse lado irônico que aparece muito quando a Kim está por perto e nos faz morrer de rir.
" - Mas você acha que eu vou desaparecer?- Não acho nada. Só estava... expondo uma possibilidade. Você também pode se transformar no abominável homem das neves e aterrorizar os esquiadores pelo resto da eternidade."
A Kim é uma personagem complexa. Mas não conseguimos não gostar dela, mesmo que antipatize um pouco com o seu jeito. Ela foi a garota super popular, linda e rica que todos amavam ou odiavam. Mais odiavam, no caso. Ela tem essa natureza prepotente de quem é acostumado a ter o que quer, quando quer e isso é beeem irritante. Tanto que muitas pessoas agiam como se sua morte fosse a melhor coisa que poderia acontecer. E isso me fez ter muita pena dela.

A vida - e a pós vida - deles se entrelaçam, uma vez que Jeff se mostra o único capaz de ver Kim. Ele se propõe a ajudá-la a resolver seu assunto pendente - o que, supostamente, a está retendo no mundo dos vivos - só que isso acaba se mostrando muito mais complicado do que ele poderia prever. Acontece que Kimberlee roubava coisas. Muitas coisas. De todas as pessoas do colégio, inclusive professores.
"Ser pego não é o que faz com que algo seja errado"
Outra coisa que eu gostei nesse livro foi a humanização da vilania, por assim dizer. Por causa da forma como a Kim falava de uma determinada personagem - que eu não vou dizer quem é - eu sempre esperava o pior dela. Até que percebi que na verdade, a Kim só via o pior porque ela agia sempre da pior forma com as pessoas, ela sempre esperava o mesmo em retorno. Ao mesmo tempo, muita gente via a Kim como um monstro muito pior do que ela realmente era. Não me entendam mal, a garota era uma vaca (kkkk), mas existiam coisas que ela fazia porque não tinha controle mesmo.
"- Talvez seja como na Lei de Newton: Para toda ação há uma reação oposta e de igual intensidade."
Eu li em pouco mais de um dia e gostei, especialmente porque o li depois de uma leitura muito emocional. Muito messssmo. Sabe aqueles livros que você chora do começo ao fim e semanas depois que acabou você ainda lembra e seu olho ainda coça um pouco? Pois é. Vida Após o Roubo não tem esses altos e baixos, ele é engraçado e cativante, não tem como não curtir a interação entre os personagens e se envolver com as roubadas que Kim mete o pobre do Jeff.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Laura Lendo...

Lud Lendo...

Luiza Lendo...