31 agosto 2016

[Resenha] Rainha das Sombras - Sarah J. Maas

Rainha das Sombras
Trono de Vidro # 4
Sarah J. Maas
Galera Record

Skoob | Editora | Compre


Todos que Celaena Sardothien amou lhe foram tirados. Mas finalmente chegou a hora da retribuição. A vingança promete ser tão dura quanto o aço da Espada de Orynth — a espada de seu pai. Finalmente Celaena retornou ao império; por justiça, para resgatar seu reino e confrontar as sombras do passado. A assassina está morta. Ela abraçou a identidade de Aelin Galathynius, rainha de Terrasen. Mas antes de reclamar o trono, precisa lutar. E ela vai lutar. Por seu primo, a Puta de Adarlan, o general do Norte... um guerreiro preparado para morrer por sua soberana; por seu amigo Dorian, um príncipe preso em uma inimaginável prisão; por seu povo, escravizado por um rei cruel e à espera do retorno triunfante de sua líder; por seu carranam e a libertação da magia. Ao avançar em seu plano, no entanto, Aelin precisa tomar cuidado com velhos inimigos. E abrir o coração para novos e improváveis aliados. Tudo isso enquanto os valg continuam trabalhando nas sombras. E Manon Bico Negro, a Líder Alada das Treze, treina suas bestas voadoras. Mas é de Morath, a fortaleza montanhosa do Duque de Perrington, que uma ameaça como nenhuma outra promete destroçar seu grupo de rebeldes e sua corte recém-formada.
*Contém spoilers para quem não leu os livros anteriores*

Rainha das Sombras é o 4º vol. da série Trono de Vidro, e um dos livros mais esperados por mim esse ano.
De volta a Forte de Fenda, Aelin Ashryver Galathynius, será pela última vez, Celaena Sardothien: Para libertar seu primo, Aedion Ashryver, que está preso e será executado em praça pública, encontrar a terceira chave de Wyrd, e acertar suas contas com Aerobyn Hamel e o Rei de Adarlan.

"As vezes não haverá uma escolha certa, apenas a melhor de muitas opções ruins"

Chaol, para a completa surpresa de Aelin, agora comanda a força rebelde de Adarlan; o reencontro é marcante, e você até consegue ouvir todas as coisas que não são ditas no diálogo silencioso deles.
Duas novas personagens são inseridas na história: Elide, uma sobrevivente, descendente Bico Negro e Nesryn, uma rebelde infiltrada no palácio e agora braço direito de Chaol, com quem até mesmo já possui uma história.
Uma personagem reaparece, Lysandra, a cortesã tão odiada por Celaena em Lâmina da Assassina. Lysandra entrega a Aelin uma carta, onde é revelado como Arobynn orquestrou a morte e a tortura de Sam. A partir deste ponto, as duas se unem contra o Rei dos Assassinos, e nasce daí, uma amizade que sempre pareceu muito improvável. A participação de Lysandra nos capítulos finais foi incrível!

"A ira que viu nos olhos de Aelin podia levar o mundo ao fim."

A batalha interna de Dorian preso no corpo do príncipe Valg é angustiante, sombria e arrasadora.
Asterin, primeira imediata da Manon, teve mais destaque nesse livro, e sua história teve um acréscimo catalisador para Manon e para As Treze.

"- Acredita que monstros nascem ou são feitos?"

Manon? Ah! Essa personagem se tornou minha favorita! Se em Herdeira de Fogo, seus capítulos demoraram um pouco para engrenar, em Rainha, eles superaram todas as minhas expectativas!
Manon, como uma das peças principais nos jogos de poder do Rei e da sua própria avó, começa a questionar as tradições do seu Clã, e tudo começa a mudar dentro dela. A evolução de Manon é impressionante. Não posso deixar de falar do encontro dela com a Aelin: foi épico! Aguardo um arco grandioso para Manon no próximo livro.
Resgatado por sua prima, Aedion continua sua devoção inabalável, e Kaltain, foi uma das melhores surpresas da narrativa.

"Ela esquecera o nome que lhe deram, mas não fazia diferença. Só tinha um nome agora:
Morte, devoradora de mundos".

Já o meu príncipe feérico favorito, Rowan, continua com sua conexão intensa com Aelin, e agora, eles ainda fazem as páginas entrarem em chamas! Eu quase conseguir sentir o cheiro de pinho e neve!(OMG)
Definitivamente, a Sarah escreveu um dos relacionamentos mais poderosos do mundo literário.

"Dez anos de sombras, mas não mais. Ilumine a escuridão, Majestade."
Cheios de plots estratégicos e o fechamento de um arco, a história contada em terceira pessoa por cada personagem se mostrou ainda mais influente nesse livro. A ação que toma contas das últimas páginas é simplesmente fantástica. O final é grandioso! Não sei como sobreviverei até o lançamento de Empire of Storms! Meu Deus, eu quero esse livro AGORA!

Trono de Vidro é para os amantes de fantasia. Para todos aqueles que se sentem em casa diante de um universo mágico e sobrenatural.

"Eles deram as mãos. Então o mundo acabou. E o seguinte começou. Eles eram infinitos"



Compartilhe!

Postar um comentário





Copyright © 2017 Every Little Book. TODOS OS DIREITOS RESERVADOS | OddThemes | ILUSTRAÇÃO: Yuumei