15 agosto 2016

[Resenha] Belgravia - Julian Fellowes

Belgravia
Julian Fellowes


Uma nova saga histórica, fascinante e irresistível, repleta de segredos e escândalos
Ambientada nos anos 1840, quando os altos escalões da sociedade londrina começam a conviver com a classe industrial emergente, e com um riquíssimo rol de personagens, a saga de Belgravia tem início na véspera da Batalha de Waterloo, em junho de 1815, no lendário baile oferecido em Bruxelas pela duquesa de Richmond em homenagem ao duque de Wellington.
Pouco antes de uma da manhã, os convidados são surpreendidos pela notícia de que Napoleão invadiu o país. O duque de Wellington precisa partir imediatamente com suas tropas. Muitos morrerão no campo de batalha ainda vestidos com os uniformes de gala.
No baile estão James e Anne Trenchard, um casal que fez fortuna com o comércio. Sua bela filha, Sophia, encanta os olhos de Edmund Bellasis, o herdeiro de uma das famílias mais proeminentes da Bretanha. Um único acontecimento nessa noite afetará drasticamente a vida de todos os envolvidos. Passados vinte e cinco anos, quando as duas famílias estão instaladas no recente bairro de Belgravia, as consequências daquele terrível episódio ainda são marcantes, e ficarão cada vez mais enredadas na intrincada teia de fofocas e intrigas que fervilham no interior das mansões da Belgrave Square.

A aristocracia londrina do século XIX, com todo seu esnobismo, é retratado em Belgravia, através de histórias de amor e um jogo de interesses pessoais onde o que importa é o status conseguido socialmente.
A ambição, a inveja, a raiva, a avareza, a bondade, o altruísmo e, sobretudo, o amor sempre foram e sempre serão poderosos a ponto de motivar as nossas escolhas.

A história é iniciada em 1815, em Bruxelas. Todos estão na iminência do ataque de Napoleão, mas para a jovem Sophia Trenchard, só uma coisa importa: ser aceita por uma das nobres famílias mais importantes de Londres.

Apaixonada por um jovem herdeiro, o charmoso soldado Edmund, visconde Bellasis, acalenta a esperança de poder fazer sua vida ao lado dele. O único empecilho é que é filha de um rico comerciante, a quem sobra dinheiro, mas falta um título de nobreza para ser aceita na esnobe sociedade, que não se deixa contaminar por ricos que construíram sua própria riqueza, mas não possuem um histórico familiar de renome. 

James Trenchard, pai de Sophia, quer conquistar aquilo que seu dinheiro não consegue comprar: um passaporte para a alta sociedade através de um futuro casamento da filha com Edmund. Só que a sua pequena ambição mudará o futuro das duas famílias de uma forma impactante.

Um baile, a alegria que precede à batalha e uma noite que mudará o curso das vidas dessas pessoas através de um segredo que marcará por vinte e seis anos a existência de cada um e talvez terá o poder de colocar abaixo as diferenças que os separam.

Após mais de duas décadas, a guerra e os mal-entendidos deixaram apenas na memória das duas famílias, a presença dos dois jovens amantes, que não mais existem. No lugar deles, o tormento de um segredo que pode comprometer a reputação e provavelmente estragar tudo o que James Trenchard conquistou, o que não foi pouco. Mais rico que antes, ainda sofre o preconceito por possuir apenas poder aquisitivo sem o sobrenome necessário para abrir as portas dos grandes salões londrinos e ser benquisto pela nobreza.

Assim, junto com a esposa Anne, guarda junto com as lembranças da filha, o motivo pelo qual ela veio a falecer. Só não esperava que o que as classes sociais mantêm separadas, o sentimento de dor e empatia podem unir, e sua esposa acaba por revelar aquilo que dá início a uma trama movida por sentimentos e interesses mais mundanos.
O fato é que ela tinha contado um segredo de magnitude inimaginável, um segredo que poderia lhes causar danos ilimitados, para uma completa desconhecida, uma mulher sobre quem sabia muito pouco ou nada. Ao fazer isso, tinha dado a lady Brockenhurst a munição para derrubar toda a própria família.
O pivô desse segredo é Charles Pope. Jovem empresário visionário, que busca construir seu próprio caminho na sociedade. Idealista, de coração puro, ele se vê em meio de uma sociedade que jamais sonhou interagir, causando inveja a muitas pessoas e conquistando o coração da bela Maria Grey, moça espirituosa a quem não importa títulos de nobreza, apenas a quem conquista seus sentimentos.

E mais uma vez a história parece se repetir: dois jovens de classe social diferentes, destinados a ficarem separados por causa de convenções sociais. Ou será que dessa vez o destino escreverá diferente a história dos dois, e a revelação do passado pode dar uma chance a dois corações apaixonados?


Confesso que me interessei pela história pelo fato de ter sido escrita por Julian Fellowes, criador da série de TV Downton Abbey. Mas não esperava me envolver em uma história tão rica em detalhes.

A narrativa de Julian flui, de tal forma que o leitor se vê envolvido naquele momento histórico descrito. Aliás, o retrato da sociedade londrina foi perfeito, não se deixou a desejar. Quem gosta de romances de época se verá envolto em uma trama que irá satisfazer os sentidos.

Os personagens foram muito bem desenvolvidos e descritos. Do criado à dama da nobreza, todos tiveram um papel fundamental na história, seus sentimentos e razões foram explorados de uma maneira que não se criou pontos de interrogação, tudo foi bem detalhado, do princípio ao fim. A trama que os envolveu foi esperada, mas nem por isso deixou de ter um ponto culminante em meio às intrigas ocasionadas pela ambição e a inveja.

Alguém pode ler e achar que é uma trama como tantas outras, porém teve reviravoltas que mudou minha ideia sobre alguns personagens, o que deixou minha alma romântica feliz, confesso.

Mas enfim, é um romance de época que vale a pena ser lido, não só pelos fãs do gênero, mas também para quem quer fazer uma viagem a uma época que considero fascinante.

Saiba mais no site da Intrínseca

Compartilhe!

4 comentários :

  1. Fiquei apaixonada por saber que o livro é do mesmo que criou Downton Abbey que série, maravilhosa. Gosto de romances de época e este parece-me ser bem mais especial
    Beijinhos, Helana ♥
    In The Sky, Blog / Facebook In The Sky

    ResponderExcluir
  2. Olá!
    Só de saber que é da mesma autora de Downton Abbey eu já fiquei com vontade de ler. Adoro romances de época e esse parece ter uma história muito boa, pode ter alguns momentos previsíveis como toda boa história mas não acho que isso atrapalharia.
    Beijos.
    arsenaldeideiasblog.wordpress.com

    ResponderExcluir
  3. Olá!
    Por ser romance de época a história já me interessa. Mas saber a riqueza de detalhes, a boa construção dos personagens e o envolvimento da trama, faz com que eu queira ler ainda mais. Curiosa para conhecer a história e saber como termina.
    Ótima resenha.
    Beijos.

    Li
    literalizandosonhos.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  4. Falou romance de época já fico empolgada, gostei muito desse lançamento e pretendo ler em breve, a capa é muito linda, e sua resenha convidativa. Bjkas

    ResponderExcluir





Copyright © 2017 Every Little Book. TODOS OS DIREITOS RESERVADOS | OddThemes | ILUSTRAÇÃO: Yuumei