[Resenha] Delícia, delícia – Donna Kauffman


Delícia, delícia – Donna Kauffman
Cupcake Club, #01

Skoob | Editora | Compre




Quando a extraordinária confeiteira Leilani Trusdale trocou a agitação de Nova York pela pacata e doce Ilha de Sugarberry, não esperava que seu passado a seguisse. Seu antigo chefe, Baxter Dunne, também conhecido como Chef Hot Cakes, o homem que ensinou a ela que o creme compensa, reaparece desejando filmar seu famoso programa de culinária. O problema é que ele escolheu filmar na Cakes by The Cup, a minúscula e aconchegante confeitaria de Leilani. Com seu olhar de brigadeiro de colher e aquele irresistível sotaque britânico -- que faz a moça babar e seu rosto corar como calda de cereja --, ele fez as fofocas de cozinha rolarem soltas. Lani, lá no fundo, só deseja que algumas sejam deliciosamente verdadeiras... Os amigos estão convencidos de que o ex-chefe é o ingrediente que falta para a definitiva receita de felicidade dela. Porém, Baxter terá que botar a mão na massa se quiser tirar do forno um grande, verdadeiro, quentinho e saboroso amor. No Clube do Cupcake, cozinhar é apenas um detalhe. Entre altos papos e doces lambidas, amizades crescem como pão quentinho e a vida vai ficando, hummmm, mais saborosa. Mas quando é preciso decidir entre a vida que você sempre sonhou e o amor da sua vida, só as melhores amigas, as melhores receitas e uma caixa cheia de Red Velvets podem ajudar. É hora de praticar boloterapia!!!


Olá pessoal! Sim, este livro faz parte de uma série, mas as histórias são totalmente independentes, onde cada livro tem seu casal e a história deles se conclui ao final do livro.

Antes de iniciar a leitura fui ver como estava a nota dele no skoob e no goodreads e sinceramente dei uma desanimada, porque não são notas altas. E ai comecei a ler e estava adorando, me vi sem entender porque as pessoas não se apaixonaram pela história. Mas ao final da leitura pude ver que era um motivo muito simples; ingredientes estavam faltando. A autora falou tanto de bolo, de cupcakes, de receitas para bolos perfeitos, de ingredientes e acabou esquecendo a receita para fazer um livro perfeito.

Leilani é uma mulher que saiu da cidade grande e se mudou para um lugarzinho no meio do nada, a ilha de Sugarberry, onde abriu uma loja de cupcakes. Ela é absolutamente apaixonada por fazer bolos e faz disso sua terapia quando sofre uma decepção amorosa. O cara que ela ama não está nem aí pra ela, seu ex-chefe e mentor. E então, quando ela vê sua vida finalmente andando nos trilhos novamente, é então que ele aparece do nada em sua vida de novo.

Baxter é o chef de cozinha especializado em sobremesa mais famoso do país. Ele tem seu próprio restaurante e também seu programa culinário na televisão. De repente – e digo isso literalmente – ele percebe que sua vida não está mais a mesma coisa desde que sua assistente queridinha se demitiu do trabalho e o deixou para trás. É então que ele resolve ir até a ilha em que ela está morando e descobrir, por si mesmo, o que isso significava sentimentalmente para ele.

“Posso até não saber tudo sobre você, Leilani, mas sou louco por toas as partes que conheço”.
Pode ser que quem leu ou venha a ler concorde comigo, mas na minha opinião todo o erro começou ao não começar a história do começo. A autora nos jogou NO MEIO de algo já acontecido e nos deixou para lidar com o presente. Isso pode ter dificultado que entendêssemos os sentimentos dos personagens e não conseguíssemos nos apegar tanto a eles. Se ela tivesse começado escrevendo e nos contando a história de quando Leilani começou a trabalhar pro Baxter, de como foi se apaixonando, de como ele a decepcionou, talvez – e é um grande talvez –  teríamos se envolvido mais na história. Mas infelizmente, ela já começou na parte que a Leilani pensava estar totalmente recuperada e o dito cujo então resolve voltar para vida dela de surpresa. Sinceramente, não senti muita firmeza na parte sentimental da história (apesar de que esse foi o único foco do livro), não fiquei convencida.

“Vocês dois se completavam desde o primeiro dia. Você era o Yin para o Yang dele. E vice-versa. Tornavam um ao outro melhores”.

Algo que gostei na narrativa é que, apesar de ser em terceira pessoa, a autora conseguiu fazer com que soubéssemos o que os personagens principais estavam pensando ao alternar capítulos. Um focava na Lani, outro no Baxter. Achei que isso deu uma acelerada nas coisas e gostei.

Enfim, é um livro que tinha tudo pra ser muito bom, mas não é. Leitura boa para passar tempo entre um e outro.




Nenhum comentário:

Postar um comentário

Laura Lendo...

Lud Lendo...

Luiza Lendo...