14 julho 2016

O Retorno de Izabel - Na Companhia de Assassinos 2

O Retorno de Izabel
Na Companhia de Assassinos # 2

Resenha Livro 01 , 03

Determinada a levar o mesmo estilo de vida do assassino que a libertou do cativeiro, Sarai resolve sair sozinha em missão, com o propósito de matar o sádico e corrupto empresário Arthur Hamburg. No entanto, sem habilidades nem treinamento, os acontecimentos passam muito longe de sair como o planejado. Em perigo, Sarai nem acredita quando Victor Faust aparece para salvá-la — de novo. Apesar de irritado pelas atitudes inconsequentes dela, ele logo percebe que a garota não vai desistir de seus objetivos. Então, não há outra opção para ele a não ser treiná-la. Com tamanha proximidade, para eles é impossível resistir à atração explosiva. Nem Victor nem Sarai podem disfarçar o que sentem, ou negar o desejo que os une. No entanto, depois de tantos anos de sofrimento e tantas cicatrizes emocionais, será que eles conseguirão lidar com um sentimento como amor? Só que Sarai — novamente na pele de Izabel Seyfried — ainda terá que passar por um último teste; um teste para provar se conseguirá viver ao lado de Victor, mas que, ao mesmo tempo, poderá fazê-la questionar os próprios sentimentos e tudo que sabe sobre esse homem.

Quando li A Morte de Sarai, logo fui apresentada a uma personagem totalmente fora dos moldes e padrões que costumamos ler em romances. Agora, ao ler o Retorno de Izabel, sinto que definitivamente vai ser difícil encontrar uma “mocinha” que se equipare a ela.

Recapitulando o primeiro livro da série, sabemos que Sarai passou anos em cativeiro, sendo amante de um criminoso poderoso, e aproveitou uma oportunidade para fugir, e esse plano, além de levá-la a ter a companhia de Victor Faust, um habilidoso assassino, ela acabou sendo caçada e tendo a vida em perigo.

Nesse segundo volume da série — já tem seis volumes lançados, no Brasil temos até o terceiro livro — encontramos Sarai alguns meses depois de ser liberta das ameaças e ser deixada por Victor para que tenha uma vida que nunca pôde conhecer, estando tanto tempo presa. Mas, apesar de tentar levar uma vida normal, Sarai sente falta da ação e de toda a carga emocional de se viver ao lado de pessoas perigosas comporta. Dessa forma, ela decide seguir os mesmos passos do seu salvador, e retoma à identidade de Izabel Seyfried, uma assassina que castiga criminosos.

“Ficar um passo à frente da morte é o nosso estilo de vida. É o meu estilo de vida, e acredito que era para ter sido assim desde sempre. Contudo, por mais estranho que pareça, me sinto perfeitamente segura na companhia de assassinos.”

Claro que, sem o treino e a prática de uma assassina profissional, seu plano sai errado. Mas, para sua sorte, Victor entra mais uma vez em sua vida, salvando-a de dessa situação perigosa.

Frente a frente com o homem que sua mente não consegue apagar, que parece a ter marcado de uma forma profunda, Sarai determina-se mais ainda a seguir a mesma vida que ele. Victor, ao ver a sua resolução, decide treiná-la para que seja tão profissional quanto ele, pelo menos ela terá mais chance de sobreviver em meio a situações de extrema violência.

Os dois acabam se envolvendo em outras situações tensas, onde Victor se mostra o assassino implacável e frio que conquistou a admiração e o respeito de Sarai, e suas ações tão naturais frente à violência que tem que conviver no modo que decidiu conduzir a sua vida apenas a fascina mais.

E mesmo em meio a isso, ambos sempre encontram momentos para explorar o que há entre os dois, não só a questão da atração física, mas emocional também. E a emoção é algo estranho aos dois, já que ele é treinado para ser um frio assassino e ela, até recentemente, nunca teve a liberdade de escolher com quem ficar ou gostar.

“Parece que fomos feitos um para o outro, como duas peças de um quebra-cabeça que de início parece não se encaixar, mas que se adaptam perfeitamente quando vistas pelo mais improvável dos ângulos.”



Posso dizer que foi uma sequência perfeita, cheia de ação, suspense e romance, mesmo entre duas pessoas tão improváveis.

Sarai se mostrou a garota determinada do primeiro livro que me conquistou. Alguém pode criticar a forma como ela vê a vida ou como a violência contra pessoas ruins a fascina de uma forma mórbida, mas a maneira com que foi criada moldou sua personalidade, e eu não poderia esperar outra coisa dela. A autora seguiu a mesma linha com relação a Sarai desde o primeiro livro, e avalio isso como algo muito bom.

Victor continua o assassino implacável que está em meio de uma trama que requer respostas, relacionado à ordem de assassinos a qual faz parte, e isso gera um suspense muito bom, nos presenteando com uma história bem construída que te prende do começo ao fim.

Amei também como a autora conseguiu explorar os sentimentos dos dois, adicionando mais elementos ao livro, que o faz se destacar em meio a muitos romances que lemos diariamente. A escrita de J.A. Redmerski é incrivelmente apaixonante, ela cativa o leitor em cada cena que elabora, de forma que você fica em suspense pensando o que vai encontrar na próxima página.

Por isso, meu conselho: nunca leu nada dela? Leia! Garantia de uma boa leitura sem sombra de dúvidas.


Compartilhe!

2 comentários :

  1. Amo essa série <3
    Tu vai pirar com o 3º Luci!Para mim foi o melhor.
    *-*

    ResponderExcluir
  2. Olá tudo bem, tenho muita vontade de ler esses livros da Jéssica. Meu primeiro contato com a autora foram com os livros Entre o agora e o nunca e o Sempre, e gostei muito do desenvolvimento do livro. Porém esse achei muito mais dinâmico! Bjkas

    ResponderExcluir





Copyright © 2017 Every Little Book. TODOS OS DIREITOS RESERVADOS | OddThemes | ILUSTRAÇÃO: Yuumei