[Resenha] Salve-me - Lovett, Texas # 3

 Salve-me
Lovett, Texas # 3


A salvação de Sadie Hollowell e Vince Haven depende de muitos fatores. Ele voltou traumatizado da guerra ao terrorismo no Afeganistão e ela, aos 33 anos, acha ridículo ser convidada para ser dama de honra do casamento de uma prima no interior do Texas, onde nasceu. Ambos estão perdidos, à procura das raízes e de uma identidade que a vida foi esfacelando, e são atormentados por uma atração sexual violenta que demora muito a se transformar em amor e compromisso.
O que se oferece aos leitores é uma história tensa, em que preconceitos e hesitações lutam contra o amor, sem saber qual dos lados terá o triunfo final. Vale a pena ler e torcer por ele.


Olá pessoal, mais uma vez tem resenha da Rachel no Blog. Algumas devem estar se perguntando: De novo??? Mas eu adoro a Rachel, e precisava ler o livro novo. Então vamos lá:

Como vocês sabem, a Rachel tem uma escrita muito leve, o que proporciona uma leitura divertida e cativante, e com esse livro não poderia ser diferente.

Sadie aparece no livro dois, como uma cliente no salão da Lily, e essa pequena passagem já deixa uma dica da personalidade de Saide, e do drama que a envolve. 

Sadie Hollowell é tudo o que não se deve ser ao se morar em Lovett, Texas: ela é solteira, com mais de 30 anos, 33 para ser exata, e com o cabelo liso, o que é um crime quando se mora no Texas, todo mundo sabia que, quanto mais alto o cabelo, mais perto de Deus. Por isso quando teve a primeira oportunidade, Sadie se muda da cidade, e reluta toda vez que precisa voltar para a casa para ver o pai.

Os pais de Sadie não conseguiam ter filhos, então, quando ela nasceu tardiamente, foi considerada uma benção. Sua mãe era uma mulher muito carinhosa e exemplar. Linda, venceu vários concursos de beleza e tentou fazer com que a filha seguisse seus passos, mas Sadie era muito desengonçada e teimosa. Quando sua mãe morre, seu pai passa a criá-la, e com seu jeito mais seco, ele transforma a relação que tem com a filha em algo gélido e distante.   

Mas se Sadie era imaginativa e do contra, ninguém podia realmente culpá-la. Ela fora um bebê tardio. Nascida de um rancheiro durão, Clive, e sua amada esposa, Johanna Mae. Sua mãe fora uma lady sulista, amável e generosa. Quando escolheu viver com Clive, a família dela, bem como a cidade de Lovett, ficou um pouco chocada. Clive era cinco anos mais velho do que ela e teimoso como uma mula velha. Ele era de uma família antiga e respeitada, mas nascera irritadiço e seus modos eram um tanto rudes. 

Mas agora Sadie é obrigada a deixar Phoenix, onde tem uma vida bem sucedida como corretora de imóveis, para ir ser dama de honra de sua prima, que está casando com seu namorado de escola, e aos 20 anos. Percebeu porque ela odeia voltar para casa? Todas as perguntas seguem a linha: Você tem namorado? Pobrezinha, você vai conseguir, ainda dá tempo. Como se fosse crime ser solteira aos 33, né? Apesar de tudo isso, ela está determinada a fazer o seu melhor possível, aturando seus parentes intrometidos e tentando ter um tempo com seu pai. 

No caminho para Lovett, ela encontra um carro quebrado na estrada, e relutantemente estaciona para ajudar o rapaz, que acaba por ser o ex-Seal, Vince Haven, de 36 anos, que está na cidade para assumir a loja de conveniência da sua tia, Gas&Go. Ele deixou o serviço após um incidente no Afeganistão, no qual explodiu 60% da audição de um ouvido. Desde então, ele está investindo em negócios e cuidando de sua irmã e sobrinho.

No primeiro momento em que Sadie, em um ato de loucura, o convida para ser seu acompanhante no casamento, Vince recusa. Mas ele acaba aparecendo no casamento, onde a primeira faísca entre eles explode. E assim começa o arranjo de "amigos-com-benefícios" dos dois.


*.*

Desculpe a resenha grande, mas esse livro tem muitas coisas; além do romance em si, tem todo o drama dela e dele, e dos dois juntos, é claro. Apesar disso, não deixa de ser um livro gostoso de ler, toda a parte da família dela é bem divertida, o que dá um ar leve na leitura.

Sadie tem problemas desde pequena por conta da morte da mãe. Além disso, ela sempre quis ser o que as pessoas queriam dela, até quando decidiu sair da cidade e viver sua vida. Ainda temos todo o drama com o pai dela e as pessoas a jugando por esse relacionamento frio dos dois. Mas ninguém realmente sabe o que se passa na relação dos dois, acho que nem ela entende o pai. Confesso que fiquei tensa com essa situação, ele sempre tão frio, nunca querendo passar um tempo com a filha, e ela tentando e tentando e sempre se magoando, mas, no final, o motivo dele é muito verídico, o que justifica o jeito dele.
Depois, colocou os braços em torno de si mesma e saiu do quarto. Ela se abraçou apertado, como quando era uma criança e não havia ninguém em quem se apoiar. Nunca havia alguém em quem se apoiar quando sua vida parecia estar desmoronando. 
Vamos falar do Vince: ele é o que eu espero de um ex-Seal; ele é direto, sabe o que quer, não complica nada, simplesmente faz acontecer. Eu gostei dele logo de cara, deixou as coisas esclarecidas com a Sadie quanto à relacionamentos. Ele tem um trauma em decorrência ao tempo que ficou na guerra, mas como todo macho alfa, ele não admite ter esse tipo de coisa. E conforme o relacionamento deles evolui, ele aprende a lidar com a situação e com Sadie em sua vida.
Não, o problema dele não era a raiva. Era o tédio. Ele tendia a se meter em encrenca se não tivesse uma meta ou uma missão. Alguma coisa para fazer com a mente e as mãos. Apesar de ter o dia de trabalho e a lavanderia para preencher o tempo, ele se sentia desnecessário desde que a irmã decidira se casar de novo com o filho da puta do ex. Agora que ele voltara à cena, Vince estava sem uma das suas tarefas.

Como vocês podem ver, o livro tem bastante coisa, é um livro com certo conteúdo dramático, mas não deixa de ter essa pegada de chick lit, com as cenas da típica família texana que, confesso, eu queria ter uma também.  Espero que vocês gostem, eu nunca me decepciono com a Rachel, já conheço a escrita e sei o que esperar dos livros dela. 

"Um velho amigo me disse um dia que às vezes uma pessoa precisa de perdão para poder seguir em frente e perdoar a si mesma. Se o velho tivesse perguntado sobre Conner, eu teria dado uma chance a ele. Eu sou mais legal do que costumava ser."


35 comentários:

  1. Esse livro me conquistou pela capa e pela sua resenha é ótimo saber que o interior é tão belo e agradável quanto a capa! eu estou ansiosa para lê-lo, sinto que me agradará

    ResponderExcluir
  2. Sou suspeita ao falar dessa autora e de suas obras, já que adoro seu estilo de narrativa, e de como a autora consegue unir os elementos que mais importam, como o chick-lit diante de momentos delicados. Li esse livro recentemente, e até tem promoção valendo um exemplar dele lá no blog ;) Enfim, sua resenha está muito bem elaborada, principalmente porque conseguiu apresentar os melhores destaques de Salve-me. beijos, Fê

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oieee Fê, tudo bom????
      Que bom que você gosta da Rachel também, é tão bom quando as pessoas gostam dos mesmos livros que você!!! <3

      Excluir
  3. Olá! Já é a segunda resenha desse livro que leio hj, acho que serei obrigada a ler e me render à Rachel.
    Ótimo que ela nunca te decepciona, isso acaba gerando um sentimento de confiança ao escolhermos um livro. Parabéns.

    www.amoreselivros.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oie Fabi,
      Como é lançamento acho que vários blogs estão resenhando... Eu adoro a Rachel, para mim, ela nunca me decepciona!!!

      Excluir
  4. Oi, eu preciso ler esse livro e os outros dessa autora, pois todo mundo fala bem e a sua resenha (assim como outra que já vi hj) me instigaram a querer esse livro para ontem, e por ser um livro leve e fluido a curiosidade só aumenta.
    bjus
    http://recantoliterarioeversos.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oie Thatyane, espero que ao ler você goste tanto quanto eu !!!
      =)

      Excluir
  5. Ainnn amei amei amei. To adorando esses livros da Rachel q trazem comedia mas tb drama, e deu pra sacar q este tem!
    Ja quero ler pra ontem!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. aaaaaaaaaaaa minha companheira de Rachel, to esperando tu ler para trocarmos as figurinhas, massss amei esse, dos três da série!!! <3

      Excluir
  6. Nem a culpo de fazer várias resenhas de Rachel, eu sou grande fã dos seus livros e suas escritas, e para falar a verdade com esse livro ela me impressionou ainda mais, confesso que já desconfiava que ia gostar mais acabou que eu amei a estória e os personagens.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu gostei mais desse também... não sei se dizer ao certo, ele tem o drama da Daisy, mas com uma pegada mais chicklit.

      Excluir
  7. Olá

    Nunca li nada da autora unica e exclusivamente pela capa dos livros. Acho horrível. Mas esse livro tem causado tanto alvoroço que quero ler. Adoro o bom e velho check-lit e acho que irei gostar por mostrar a convivência de uma família texana.

    Everton Equipe Rillismo
    rillismo.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. VocÊ acha todas as capas dos livros da Rachel horrível???
      Eu gostei dessa capa em particular, porque é uma cena do livro.

      Excluir
  8. Oiiie,
    Eu nunca tive a oportunidade de ler nada da autora, apesar de ter visto algumas obras. Mas esse lançamento ainda não tinha visto, e gostei tanto que acho que vou começar por ele, pois gostei muita da história, e fiquei até com pena da Sadie, ter que usar um vestido verde, deve ser horroroso rs Mas, fiquei curiosa para saber o desenrolar da trama.


    Bjs
    Bjs

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Simmmmm, o vestido verde, huhuhuhu. fiquei com dó também.. e adorei a capa ser uma cena do livro.

      Excluir
  9. Posso passar longe desse livro? Eu ando numa fase meio revoltada, estou extremamente cansada dos clichês dos livros românticos. E sinceramente, acho que ia me irritar muito com a essa história, porque a sensação que eu tenho é que a autora tenta passar no início da história que não tem problema nenhum você ser uma solteirona aos 33 anos, mas logo em seguida trata de arranjar um par pra personagem e a mensagem toda se perde. Eu não sei por que as pessoas julgam tanto as mulheres que chegam na fase adulta sem um relacionamento, essa sociedade faz lavagem cerebral com as mulheres desde pequenas pra que achem que pra serem felizes precisam casar e ter filhos. Eu sou uma pessoa mais sem senso materno que já existiu e fico meio revoltada quando as pessoas me falam que um dia eu ainda vou querer casar e ter filhos, pior é quando eu enfaticamente digo que não e a pessoa me vem "Ah, mas você ainda é muito nova. As coisas mudam, você vai ver". Eu sei que as coisas mudam, mas não quer dizer que eu já não saiba o que eu NÃO QUERO na minha vida e vamos lá, eu não tenho mais 15 anos. Pronto, desabafei hahaha

    Um Metro e Meio de Livros

    ResponderExcluir
    Respostas


    1. Oie Babi, você tem todo direito de não querer ler o livro, com certeza. Não é todo livro que leio resenha e decido ler, tem mais a ver com meu humor.
      Mas o que você disse está completamente certo, não vejo porque você não pode ser solteira, ou simplesmente não querer filho. Mas não é a proposta do livro.
      Não é um sentimento convicto que ela tem, igual você. Não é que ela não queira se casar. O problema é que ela ainda pode se casar, e a família achar que pela idade, já não se tem essa possibilidade. Bem aquele pensamento dos livros históricos, que se passar dos 20 sem casar é uma tragedia. A menina é solteirona.
      Mas entendo seu ponto de vista, só não achei que era o caso desse livro.

      Excluir
  10. Eu quero muito ler esse livro. Nunca li nada da autora mas você falou que é sempre uma leitura leve e divertida, isso me agrada muito. Também essa pegada de chick lit me atrai bastante nas leituras. Pelo que você falou do Vince, eu acho que também gostaria dele de cara e fiquei satisfeita em saber que ele evolui com o passar das páginas. Estou muito curiosa para sabe o que acontece.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oie Beatriz... Vince é apaixonante, aquelas pessoas simples, bem diretas, sem mimimi.. como não gostar né?

      Excluir
  11. Olá Lud,
    Eu sempre vejo elogios para os livros da autora, mas não consigo ficar curiosa em relação a leitura. Sua resenha instiga bastante o leitor, mas não funcionou comigo.
    Acho que tenho um sério preconceito com a autora, só pode. Sempre sinto que falta algo e que o livro não vai me agradar.
    Beijos,
    http://mileumdiasparaler.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oie Bruna, pode acontecer, tem autores que as pessoas amam, que chove elogios, e eu simplesmente, não consigo me identificar. Mas não custa tentar, se não gostar mesmo, descarta, e parti para outra.

      Excluir
  12. Oi! Tudo bem?

    Como eu disse em outro blog, queria muito ler uma das obras da autora, pois todos falam bem dela! Mas, acabei tirando a obra da minha wishlist e "Salve-me" anda me deixando curiosa. Não pela premissa, mas pelo fato de todo mundo ressaltar a pegada chick-lit e dramática da obra.

    Beijos,

    Juliana Garcez | Livros e Flores

    ResponderExcluir
  13. Oi *---*

    Nunca li nada da autora e acho que iria gostar bastate por ser romance bem humorados. A premissa do livro chamou basante atenção, acho que poderia começar por ele já que você gostou tanto.

    Bjos
    rillismo.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  14. Oi, tudo bem?
    Eu li alguns livros da autora e gostei, mas confesso que não sou muito fã não, então nem fiquei muito animadacom esse, mas agora lendo sua resenha fiquei curiosa para conhecer e acredito que vou gostar bastante. A personagem parece ser bem bacana, mas o que me deixou curiosa foi toda essa questão da relação dela com o pai, agora o romance é de se esperar, né? E como é de costume da autora, acredito que é um romance bem bacana.

    Beijos :*

    ResponderExcluir
  15. Oi Lud, tudo bem?

    Gostei bastante da sua resenha, apesar de grande, ela está bem completa. Nunca li nada da autora, mas sempre vejo bons comentários. A Sadie parece ser uma protagonista independente, mas que ainda tem seus fantasmas do passado e quer o apoio do pai, e imagino a sua aflição a ver a frieza dele para com ela. Também gosto de personagens diretos, mas não curto muito quando o romance é muito corrido.

    Enfim, parece ser um livro bem equilibrado entre o drama e as partes mais leves.

    Beijinhos,

    Rafaella Lima || Vamos Falar de Livros?

    ResponderExcluir
  16. Olá, que ótimo ler mais uma resenha desse livro. Adorei ler a sua opinião e conhecer outro ponto de vista acerca dessa história, vai estar na minha listinha de compras. Muito boa resenha, caprichada!

    Bjos.

    http://carpediemliterariobr.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  17. Oie, fiquei sabendo desse livro durante a semana de seu lançamento, não é um gênero que eu aprecio tanto mas gostei da última quote que você destacou, achei sua resenha bem clara, mas ainda não sei se o leria devido ao gênero não me agradar tanto.

    Frases, Trechos e Pensamentos

    ResponderExcluir
  18. Oi Lud!
    Só elogios para esse livro né?
    Tenho muita vontade de ler Gibson esse livro me pareceu bom na dose certa, afinal tem drama, humor e bons personagens.
    Gostei das suas impressões e os trechos selecionados são incríveis.
    Beijinhos
    Rizia - Livroterapias

    ResponderExcluir
  19. Olá!

    Eu estava em dúvida sobre ler esse livro ou não, mas depois da sua resenha percebi que preciso conhecer mais sobre a Sadie, esse relacionamento dela com o pai é complicado, porém sempre há uma explicação para tudo. Gostaria de saber mais sobre isso.
    Já li outro livro da autora, e foi justamente o que você citou, gostei da narrativa dela, mas senti falta de algo mais, acredito que pela quantidade de páginas de Maluca por você, a autora não conseguiu alcançar seu potencial, quem sabe eu não acabe gostando mais desse né?

    Beijos,
    entreoculoselivros.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  20. Oii, tudo bem?
    Eu tive a oportunidade de ler o Salve-Me e estou apaixonada na escrita da Rachel, esse é o primeiro livro que leio dela, e não poderia ter começado de forma melhor. Eu amei como a autora descreveu os lugares e montou os personagens, eu me sentia no Texas enquanto lia rsrs

    ResponderExcluir
  21. Oi. tudo bem?
    Já percebi que gosta muito dos livros da autora, acho que devo ter lido as outras 2 resenhas aqui.
    Mas desse livro de todas as resenhas que li em outros blogs essa foi a melhor, mais detalhada, caprichada e tals. Parabéns.
    Eu nunca li nada da autora, mas sou louca para ler por conta realmente da leveza de suas estórias.
    Adorei a premissa e fiquei mega feliz em saber que o livro é bem recheado hehhehehe que não fica apenas no romance, sabe?
    Ameiiiii

    http://www.colecoes-literarias.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  22. Eu não sou fã de romances e é muito difícil gostar de um. A premissa desse livro não me atraiu por começar com a personagem solteira que está preocupada com o que os familiares vão pensar na festa de casamento por ela ainda não ter encontrado um marido. Eu mandaria todo mundo as favas e ponto. Rsrs.
    Não gosto de personalidades fracas!
    A capa do livro é linda apesar de eu não ter curtido o enredo.
    Bj
    camila Bernardini Coelh

    ResponderExcluir
  23. Oi!
    Eu sempre achei que esses livros fossem chick lit's bobos sabe, com uma mocinha que não sabe o que quer e um homem meio cafajeste ou que traiu alguém no passado, mas para a minha surpresa é completamente diferente do que eu esperava, e fiquei muito feliz com isso.
    Achei incrível ele ser ex soldado e ser bem direto, adoro personagens assim pois são decididos, sabem o que querem e conduzem bem a narrativa, principalmente desse gênero.
    Fiquei super cuirosa pra ler.

    www.gordinhaassumida.com.br

    ResponderExcluir
  24. Oi! Eu amo a Rachel <3 Nunca me desaponta também,tenho uma lista dos livros dela,preciso ler urgentemente hehe Sua resenha está muito boa.
    Beijos!

    http://nomundodaka.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir

Laura Lendo...

Lud Lendo...

Luiza Lendo...