07 dezembro 2015

[Resenha] Zac & Mia

Zac & Mia


A última pessoa que Zac esperava encontrar em seu quarto de hospital era uma garota como Mia - bonita, irritante, mal-humorada e com um gosto musical duvidoso.No mundo real, ele nunca poderia ser amigo de uma pessoa como ela.Mas no hospital as regras são diferentes. Uma batida na parede do seu quarto se transforma em uma amizade surpreendente.Será que Mia precisa de Zac? Será que Zac precisa de Mia? Será que eles precisam tanto um do outro?Contada sob a perspectiva de ambos, Zac e Mia é a história tocante de dois adolescentes comuns em circunstâncias extraordinárias.


"- Eu sou como o Hulk - digo a ele.- Você fica verde?- Eu sou forte."
Esse livro... Nossa, esse livro. Kkk. O câncer não é uma novidade, nem em nosso cotidiano, nem na literatura. Muito pelo contrário. Por isso que sempre que eu leio um livro com um tema muito abordado eu tento ler como se fosse o primeiro livro que que eu leio sobre aquele assunto, sem ficar comparando, mas alguma coisa em Zac & Mia mexeu comigo. Esse livro é de uma doçura, de uma suavidade... Ele te emociona sem te quebrar.
"Ela nunca parece estar com medo. Não para mim. Irritada, sim. Exigente e controladora, com certeza. Mas nunca imaginei que ela sentisse medo de me perder. E eu estava tão certa de estar perdida."
O Zac é um garoto ainda, tem dezessete anos, mas já tem sua quota de fardos. Ele está tendo uma reincidência, apesar do transplante de medula.
"O tempo prega peças. Pode brincar com você. Quando menos se espera, o tempo pode dar um"O tempo prega peças. Pode brincar com você. Quando menos se espera, o tempo pode dar uma volta em si mesmo, como um imenso elástico. O tempo pode vir dar tapinhas no seu ombro. Se quiser, ele pode pegar você e o levar de volta para o Quarto 1, com suas agulhas e alvejante e náusea."
É aí que ele conhece a Mia. À princípio tudo o que ele ouve são gritos dela discutindo com a mãe, as visitas de um namorado que sempre parece querer fugir dali o mais rápido possível e uma garota impossivelmente triste, com um péssimo gosto musical.
"Sou como cachinhos dourados na casa dos três ursos. Tudo é grande demais, ou pequeno demais, ou duro demais, ou macio demais."
Eles começam a se comunicar com batidas na parede, mas nenhum dos dois entende muito bem o que estão dizendo. É quando Mia o adiciona no facebook.
"Para qualquer lugar que olho sou lembrada do que está faltando."
A Mia é uma garota difícil. Ela tem problemas de atitude, a vida dela sempre foi muito simples, pautada nos amigos, na vida social e em sua aparência e, de repente, ela acorda um dia e descobre que tudo isso se foi, que a garota que ela era não existe mais. Que o câncer devorou tudo.
"Quando estamos juntos ninguém cai, desaba ou desiste."
Ao menos é o que ela acredita. Ela não consegue entender porque todo mundo fica repetindo sem parar sobre quanta sorte ela tem, quando ela tem que ver todas as suas antigas amigas curtindo a vida, como se nada tivesse acontecido, como se ela nunca estivesse estado lá.
"Apesar de nunca termos nos visto, ele foi mais real que qualquer outra pessoa no hospital. Esse menino estranho e pálido com as batidas na parede se tornou o único que dizia as coisas certas."
E ela fica com raiva. Muita raiva. Ela chuta, ela grita, ela diz exatamente tudo o que está pensando e sentindo e não se importa se ela está fazendo muito barulho. Ela quer fazer barulho. Particularmente eu acho, que ela pensava que se ficasse quieta ia desaparecer de vez. Ela não entende porque isso está acontecendo com ela, ela quer que isso desapareça, mas isso não vai embora. Essa é a realidade dela agora. O câncer é a sua realidade.
"Há uma paz que vem com a escuridão. Expiro aliviada. Sem a raiva do dia, não resta mais nada para sentir."
Então ela vê esse garoto que parece ter a mesma idade dela, quieto, conversando com a mãe, tão calmo. E isso apenas a deixa mais frustrada. Por que ele aceita isso? Por que ele não está gritando também? E essa curiosidade a instiga a começar a conversar com ele.
"Essa noite quero me esquecer de mim mesma. Quero estar nos braços de outra pessoa, a salvo dos pesadelos: sem sonhar, dormindo. Quero ser mais que uma fração."

Ao começarem a conversar um com o outro os dois começam a se ajudar e a se sentirem melhor. Eles começam a ser o equilíbrio um do outro.
"E Zac continua olhando para o alto, onde milhares de estrelas preenchem o céu. De tudo que é aleatório e incerto no universo, como um cara pode ter tanta certeza de um único número? - Você tem o resto da vida para ficar brava, Mia. Eu... eu não sei o que eu tenho."
É engraçado como os dois parecem se completar e como apesar de serem tão diferente em alguns aspectos, serem tão parecidos em outros. O que eu mais gostei nesse livro foi que em nenhum momento houve julgamento da parte dele sobre a atitude dela. Em alguns momentos eu acho que eu teria sacudido ela, mas ele não. Em todo o momento ele só queria estar ao lado dela, dizer que tudo bem estar com raiva ou triste.
"Eles dizem que o câncer deixa você mais forte. Não deixa. Bagunça sua cabeça. Cria uma coceira que você não pode coçar e um coração que não para de doer."
Mas ele também mostra que ainda haviam coisas a serem vistas, lugares a serem conhecidos... Que eles estavam doentes sim, mas estavam vivos e enquanto estivessem, eles deveriam viver tanto quanto pudessem. Em nenhum momento ele jogou na cara dela que ela estava sendo fútil ou infantil. Ele só queria ajudá-la e estar com ela. É lindo, leiam! <3
"Zac passa uma mão sobre a minha, cruzando nossos dedos. Eu não tinha imaginado como a pele dele é quente ou o quanto estava ansiando para que ele me tocasse. Isso faz parar o pulsar na minha perna. Conserta as estrelas."

Compartilhe!

38 comentários :

  1. Eu particularmente evito livros com temas que são abordados um tanto quanto em excesso. Não li nenhum livro que o protagonista tenha câncer e toda essa atmosfera que livros assim trazem, mas como está meio "febre" ultimamente, estou esperando passar rsrs. Adorei os personagens, só pela sua resenha. Essa improbabilidade de Zac se aproximar de Mia, mas acabar se aproximando por causa do hospital, me fez querer conhecer um pouquinho mais desses dois. Adorei sua resenha.
    -Mari

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Mari!
      Que bom e eu te entendo Kkk
      Espero que você leia e goste :D

      Excluir
  2. Já li livros bem elogiados com personagens que tenham câncer, o por mais que sejam histórias belas não fui cativada sabe? E Zac & Mia acabei não me interessando por não ter apenas opiniões positivas, ao menos, que bom que a menina tem alguém na mesma situação que ela para se amparar nesse momento tão difícil.

    http://deiumjeito.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Giovana.
      Entendi e verdade, todos merecem ter apoio em momentos como esse ^^
      Beijos.

      Excluir
  3. Eu li Zac & Mia a pouco tempo atrás e, diferente de você, não vi doçura no livro... em algumas cenas, realmente tem, mas tem muitos palavrões, a Mia parece ser muito fútil até o final do livro, quando ela finalmente enxerga o que sente pelo Zac.

    Eu não sei... mas, me frustrei um pouco com o livro. Fico feliz que tenha gostado haha! bjoos

    Sonhos em Tinta

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, Brenda.
      Kkkkkkk Acontece né, divergente é assim mesmo xD
      Entendo um pouco o que você quer dizer, mas acho que ela cresceu um pouco, comparado ao início turbulento, os dois eram de realidades completamente distintas, mas eu também me apeguei bem mais ao Zac por causa da natureza simples dele.
      Beijos! <3

      Excluir
  4. Eu conheço o livro, já vi várias resenhas, já tentei ler ele umas duas vezes mas sei lá não me cativou, simplesmente não consegui.
    Mas que bom que gostou e leu tudo ne. Rsrs
    Beijos
    Booksandcarpediem.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Karine!
      Que pena que não gostou :(
      Beijooo

      Excluir
  5. Oie!
    Confesso que não gostei muito dessa trama. Mesmo com todo o drama, eu não consegui me conectar os personagens ou sentir algo sobre o que estava acontecendo com eles. Esse não foi o livro que me conquistou..
    Bjks!
    http://www.historias-semfim.com/

    ResponderExcluir
  6. Olha, achei bem bonitinho sua premissa. Tenho certeza que quando esse ler esse livro vou deixar muita lágrima cair.
    Acho que as atitudes de Mia são compreensíveis, pois deve ser horrível ser esquecida por amigos em um momento de dor, ainda bem que o Zac estava lá também para que um pudesse confortar os outros... E na hora da tristeza que surge as amizades mais improváveis e aquelas que temos certeza que estará ao noaso lado para sempre!
    Abraço
    Camila Bernardini Coelho

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Camila!
      Sim, verdade. Também achei, porque ela sempre teve de tudo então realmente TEM uma personalidade mais complicada, que só começa a mudar depois de conhecer o Zac.
      Espero que você goste ;)
      Bjoo

      Excluir
  7. Olá!!!
    Já conhecia o livro mas sempre evitei de ler; pois a história me parece ter uma carga de emoção muito grande e sua resenha deixo isto bem claro. Sua resenha e o post estão lindos, parabéns.

    Beijos Carla Fernanda

    ResponderExcluir
  8. Olá! Linda sua resenha, super fofa! Bom, sou super curiosa pela leitura desse livro. Também não gosto de comparar sabe, Acho os personagens, Zac e Mia, super fofos. Pelo o que eles enfrentam e as lições de vida que podemos tirar da história. Gosto de livros assim, sempre tento tirar alguma lição deles, beijos!

    http://livrosepergaminhos.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Suzana!
      Ownnt, brigada, fico feliz que tenha gostado.
      Espero que goste do livro também ;)
      Beijos!

      Excluir
  9. Eu também gostei muito da leitura, mas alguns pontos da narrativa me incomodaram bastante, como a construção da personagem Mia e alguns diálogos infantis demais.
    Gostei do seu post! Quanto quote! hehe
    Beijos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Gabrielly!
      Sim, a personagem em si era muito imatura, né. Ela sempre teve muita facilidade na vida, tudo pra ela girava em torno do social, até mesmo a relação que ela tinha com a mãe era bastante superficial, então tudo na vida dela até a doença (e o Zac) aparecer, era muito fake.
      Eu não conseguia me decidir, então acabei colocando muitos quotes kk >.<
      Bjooo

      Excluir
  10. Oi, Amanda, tudo bem?
    Confesso para você, que eu tento fugir de livros com essa temática. Meu pai enfrentou o câncer e infelizmente perdeu a luta.... depois disso fiquei um pouco traumatizada. Mas ao contrário do que imaginaria, terminei seu resenha com uma vontade imensa de ler o livro. Parabéns pelo trabalho!

    Beijos,
    Dai | Blog Cheiro de Livro Nacional

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Daiane!
      Nossa, sinto muito :((
      Minha mãe está enfrentando essa batalha também, acho que por isso esses temas são bem mais sensíveis pra gente. Que bom que gostou da resenha, espero que também goste do livro.
      Beijoo

      Excluir
  11. Eu lidei com câncer na família, e foi o pior momento da minha vida. Depois de um bom tempo li ACEDE, e foi doído demais. Por mais que tenha gostado do livro, mexeu demais comigo, eu revivi toda a história. Desde então, quando sei que algum livro trata sobre isso, tento fugir. Acredito que algum dia volte a ler esse tipo de literatura, mas ainda não é o momento.

    ;D
    Profissão: Leitora

    ResponderExcluir
  12. Olha eu sinceramente tenho que confessar que gostei bastante da estória desse livro, mas eu esperava mais depois daquele desfecho sabe? A estória me lembrou um pouco a escrita da Rainbow. Mas é um livro que todos deveriam ler sim, até porque é ótimo. Eu achei o livro triste e divertido ao mesmo tempo por conta da personagem, mas mesmo assim foi o primeiro do gênero assim de crianças doentes que li =]

    http://lovereadmybooks.blogspot.com.br/2015/12/resenha-o-enigma-da-estrela.html

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Silvana!
      Eu gostei do desfecho por ter sido esperançoso, sabe? Ela não promete nada, mas te dá esperança *-*
      Que bom que gostou <3
      Bjoo

      Excluir
  13. Oi, Amanda
    Essa é a resenha mais positiva que vi deste livro até agora. Parece ser realmente uma doçura, mesmo o tema já estar batido. Acho que vale a pena sempre ler uma história parecida, geralmente elas nos emocionam mesmo.
    Acho que ia gostar desse personagem e como ele agiu.

    livrosvamosdevoralos.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Letícia
      Concordo. É complicado, porque hoje em dia é um tema presente tanto dentro de casa quanto fora e nem sempre a gente quer ser confrontado com essa realidade, especialmente tantas vezes :((
      Beijos

      Excluir
  14. Oiee!!
    Eu gosto desse tipo de livro, pois além de uma boa história também carrega varias reflexões importantes em relação a vida!!
    Fiquei muito curiosa, e tenho certeza que vou me emocionar com essa trama, pois só de imaginar a devastação que uma doença como o câncer causa, o rastro de destruição que ela deixa para trás e a força que que a vitimas devem ter para querer viver mesmo em alguns casos tão difíceis me deixa muito emocionada!!
    Adorei a resenha!!
    Beijos!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Suzi!
      Ahh, então você vai amar kkk *-*
      Beijooo

      Excluir
  15. Oiee ^^
    Não tinha ficado curiosa para ler esse livro quando ele lançou, mas vi vários leitores elogiando a história e dizendo que o livro é lindo, então estou doida para conhecer. Confesso que venho tentando não ler livros cujos personagens têm câncer, porque me parece que eles sempre são muito parecidos, mas vou dar uma chance à esse :)
    MilkMilks
    http://shakedepalavras.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  16. Eu queria ler esse livro... ai não queria mais... e agora, depois de ler sua resenha, eu volto a querer ler ele. Fiquei emocionada ao ler suas palavras e ao ficar imaginando como as vezes é fácil demais julgar os outros. Fiquei pensando qual seria a minha reação no lugar da Mia - se eu não iria querer fazer barulho também - e achei encantador o fato de o Zac entender isso e não julgá-la... pois acredito que ela realmente tem o direito de estar com raiva. Quem não estaria? E essa mensagem de que sim, eles estão doentes mas ainda estão vivos então não é o fim me deixou querendo conhecer a história dos dois.
    Acho que quando eu tinha meio que desistido de ler eu não tinha pensado em ler esse livro sem comparar com outros do estilo - e isso foi o mais errado que fiz.
    Adorei sua resenha! E fiquei apaixonada nesse ultimo gif *_____*
    Beijinhos,
    Lica
    Amores e Livros

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ownnnt, obrigada. Fico muito contente *-*
      Foi exatamente o que eu pensei, sabe? Eu sou a primeira a dizer que não gosto de personagens mimadas e infantis, pego birra mesmo, mas no caso da Mia eu entendi a forma como ela se sentiu porque ela estava ali sozinha. A vida dela - pra ela - tinha acabado com a chegada do câncer, porque ela vivia em prol da aparência física, era a única coisa que ela achava que se sobressaía nela e o quando o câncer tirou isso, foi como se tivesse tirado tudo.
      "Ah, mas tem gente que estava muito pior!" - Com certeza e o livro mostra isso. Só que mostra também a não subestimar a dor do outro e que sempre tem algo em você de especial, algo que nada pode te tirar, nem mesmo uma doença grave. Você só tem que descobrir isso dentro de você mesma *-*
      Beijos <3

      Excluir
  17. Olá!
    Fiz a leitura desse mesmo livro, mas não tive o mesmo aproveitamento que você. É um livro muito bonito e deve ser lido, sim, mas ao mesmo tempo é um tanto quanto clichê e isso me deixou um pouco irritada..
    Beijos
    Bia
    http://www.vivendonoinfinito.com/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Beatriz!
      Que pena, mas acontece ^^
      Espero que a sua próxima leitura te agrade mais xD
      Bjs ;)

      Excluir
  18. Pode parecer loucura mas eu adoro livros que fala sobre câncer e suicidio. Adoro livros que me fazem chorar. Esse livro parece com Por lugares Incríveis. Senti muita vontade de ler, mas confesso que a capa desse livro é HORRÍVEL. E eu NÃO leria ele pela capa...rsrsr só leria agora que li sua resenha. Muito bom!!!
    Bjss

    http://livrosemarshmallows.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Kelly!
      KKKKKKKKKKKKKKKKKK Falei isso com uma amiga minha, não que eu tenha odiado a capa, mas eu vi uns modelos - especialmente uma azul, que eu fiquei in love. Uma pena terem adotado essa ao invés :(
      "Lugares Incríveis" é lindo, mas muito mais emocional e arrasador, psicologicamente. Sou apaixonada por ele <3
      E eu te entendo, eu sou atraída por esses temas pelo ponto de vista psicológico, eu adoro analisar as coisas, os sentimentos das pessoas e a forma como elas agem em determinadas situações (Já leu "Os 13 Porquês"? É ótimo!) xD
      Beijos!

      Excluir
  19. Sabe aquela coisa de julgar um livro pela capa? Foi o que eu fiz...
    Achei a capa tão fofa que nem li a sinopse é e solicitei o livro achando que seria mais um romance fofo. Pois é...
    Ao menos ao ler sua resenha vejo que mesmo não sendo o que eu esperei, o livro merece atenção e não sair da lista de leituras. E que bom que de certo modo a autora não ficou só no romance e deixou o livro mais real, no fundo gostei de saber disso!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Lara!
      Confesso que eu imaginei a mesma coisa, olhando a capa! KKK
      Mas vale a pena sim dar uma lida, mesmo se não gostar tanto você pode mostrar seu ponto de vista para outras pessoas, as coisas que você gostou e o que não, o que poderia ter sido diferente. E isso sempre é bem legal, ne? *-*
      Bj!

      Excluir





Copyright © 2017 Every Little Book. TODOS OS DIREITOS RESERVADOS | OddThemes | ILUSTRAÇÃO: Yuumei