14 outubro 2015

[Resenha] O Lado Feio do Amor - Colleen Hoover

Livro: O Lado Feio do Amor
Autor: Colleen Hoover
Paginas:336



Quando Tate Collins se muda para o apartamento de seu irmão, Corbin, a fim de se dedicar ao mestrado em enfermagem, não imaginava conhecer o lado feio do amor. Um relacionamento onde companheirismo e cumplicidade não são prioridades. E o sexo parece ser o único objetivo. Mas Miles Archer, piloto de avião, vizinho e melhor amigo de Corbin, sabe ser persuasivo... apesar da armadura emocional que usa para esconder um passado de dor.O que Miles e Tate sentem não é amor à primeira vista, mas uma atração incontrolável. Em pouco tempo não conseguem mais resistir e se entregam ao desejo. O rapaz impõe duas regras: sem perguntas sobre o passado e sem esperanças para o futuro. Será um relacionamento casual. Eles têm a sintonia perfeita. Tate prometeu não se apaixonar. Mas vai descobrir que nenhuma regra é capaz de controlar o amor e o desejo.

"É assim quando alguém se sente atraído por uma pessoa. Ela não está em lugar algum e, de repente, está por todo canto, quer você queira ou não."
Ugly - sim, Ugly! - foi uma leitura bem surpreendente. Por quê? Eu ouvi muitos comentários sobre esse livro, muitos deles negativos, outros dizendo que amaram, que era o melhor da Colleen, etc. Aí eu fiquei curiosa, adoro uma polêmica kk. Eu comecei Ugly de mal humor, confesso. Impliquei com o Miles, com a folha branca, com a Tate, com tudo. Mas para a minha surpresa eu, de repente, percebi que em algum momento eu comecei a gostar do livro - ela deve ter pacto mesmo!
O livro é dividido entre o que está acontecendo agora e o que aconteceu no passado do Miles. Eu confesso que não gosto de livros que ficam alternando entre passado e presente, mas no caso de Ugly se mostrou bem interessante porque mostrou claramente o contraste, o que uma pessoa era e o que ela pode vir a ser depois de uma sucessão de experiências ruins ou mesmo apenas uma, se traumática o bastante.
"É engraçado como as coisas são. Às vezes, não dizer nada fala mais do que todas as palavras do mundo."
Miles era uma pessoa completamente diferente. Animado, extrovertido e claro, um "pegador", por assim dizer. Até se apaixonar. Aí ele se torna um bobão kk. Sério, ele fica bem meloso, do tipo que vê a menina em toda parte, tudo é ela, tudo é sobre ela. E eu achei isso muito gay. Me julguem kk.
E então temos o Miles atual, um cara que sorri, mas nunca parece um sorriso sincero. Que não se envolve em relacionamentos, fechado e até mesmo bem rude. E é por esse Miles que a Tate acaba se encantando. Ele é tão sexy e tem essa química tão forte entre eles e ela mal pode esperar pra testar a física kkkkk. Basicamente. Mas Miles tem duas condições: 'Não pergunte sobre o passado' e 'Não espere um futuro'. Duas condições bem simples né?! Não para a nossa Tate.
"Às vezes é fácil esquecer o quanto você sente saudade de alguém até ver essa pessoa novamente."
A Tate é do tipo bem sincera, bem 'nua e crua'. Ela costuma dizer o que quer, é independente, não usa máscaras e não inventa desculpas. E quando ela se vê interessada no Miles ela chega junto mesmo. Só que, apesar de tudo, ela sabe lá no fundo, que nada com Miles vai ser assim tão simples, sabe que há mais do que uma atração em andamento e que alguma coisa deve ter acontecido pra ele ter se tornado esse cara distante. Ainda assim ela se convence que pode lidar com um envolvimento casual, sem compromisso.
"Mas quando você beija alguém por causa de quem a pessoa é, a diferença não se encontra no prazer. A diferença se encontra na dor que você sente quando não está beijando essa pessoa. Talvez isso explique porque se apaixonar dói pra caramba."
Com as voltas que o livro dá de volta ao passado do Miles descobrimos o que aconteceu para que ele se tornasse mais frio, mais distante das outras pessoas e das relações tanto sociais quanto emocionais. E pouco a pouco a convivência com a Tate vai instigando ele a querer voltar a ser o Miles de antes. Mas ele não sabe se ele é capaz disso. Os dois acabam ficando confusos, algumas atitudes dele vão pouco a pouco decepcionando a Tate e fazendo com que ela questione a si mesma, se vale a pena, se ela não está apostando alto demais, etc. Ela fica esperando que as coisas mudem, que ele mude.
"O amor nem sempre é bonito, Tate. Às vezes você passa o tempo inteiro desejando que ele mude. Que melhore. E aí, antes que perceba, você já voltou para a estaca zero e perdeu seu coração em algum lugar no meio do caminho."
É claro que ela está se enganando, mas ela quer tanto ficar com ele que se convence de que tudo vai dar certo, o amor vence tudo, blablabla. Nesse sentido eu achei bem parecido com 'Cinquenta Tons', um cara que diz para o que veio, o que ele quer e o que não, o que pode dar e o que não e uma mulher que não consegue aceitar isso. Nessas horas eu lembro de O Pequeno Príncipe, naquela parte onde ele fala: "É preciso exigir de cada um, o que cada um pode dar". Mas enfim...

Ouvi muitos comentário sobre o Miles, dizendo que ele era um canalha, que não prestava, que isso que aquilo. Gente, não consigo ver o Miles dessa forma. Ok, ele era rude e muito babaca de vez em quando. Mas ele deixou bem claro o que ela podia esperar dele. Em nenhum momento ele prometeu, iludiu ou ludibriou a Tate. Ele deixou claro desde o início: 'Isso é o que tem pra hoje, você ta dentro ou ta fora?' Ela queria tanto ficar com o cara, que deixava ele tratá-la do jeito que quisesse, falar o que quisesse e fazer o que quisesse. 'Aaaaaaaaaaah, mas puxa vida, ela ama ele'. Ok, mas só porque você ama alguém você não precisa deixar essa pessoa te tratar como se você fosse dispensável, como se ela pudesse achar mais de você em qualquer esquina. Você está de boas com um relacionamento sem compromisso? Maneiro, acho super quem consegue. Mas se eu não faço o tipo casual, eu não vou ficar casual, porque eu sei que mais cedo ou mais tarde quem vai se ferrar sou eu. É uma questão de mais do que você se amar, é você se conhecer e se respeitar, sabe? Ao menos é o que eu acho.
"Estou aprendendo que não importa o quanto uma situação seja complicada. As pessoas vão aprendendo a se adaptar. É o que precisa acontecer. É algo necessário quando as pessoas querem ficar em paz com elas mesmas. Vital até."
Não vou dizer o que acontece, mas as reviravoltas que o livro dá, são bem legais. Achei um livro até bem realista em alguns pontos. O final não é aquela coisa hollywoodiana o que eu gostei, porque sério, chega dessas transformações de personalidade milagrosas né, gente? Um pouco de realismo por favor. Temos sempre que trabalharmos um pouco a cada dia para sermos melhores do que ontem, é um processo, não um evento. Não acontece do nada e com certeza não sem esforço.
"Nós dois estamos sorrindo. O olhar no seu rosto me enche de tantas emoções que não consigo nem começar a especificá-las. Estou feliz porque estamos nos divertindo juntos. Estou triste porque estamos nos divertindo juntos. Estou com raiva porque estamos nos divertindo juntos e quero muito mais disso. Muito mais dele."
Espero que vocês gostem <3

Compartilhe!

22 comentários :

  1. Gostei da descrição da mocinha hein... "Nua e crua" me define.
    E essa coisa de "Não pergunte sobre o passado e não espere um futuro"... Isso pode render boas histórias hein?
    Eu to namorando esse livro há uns dias viu... E eu achei sua resenha tão engraçada que agora a coisa ficou séria! Preciso dele pra ontem! Hehe
    #FabiFalida

    Beijos!
    Fabi Carvalhais
    pausaparapitacos.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Fabi!
      Adoro quando comentam que a minha resenha de alguma forma instigou a pessoa a saber mais sobre o livro e é importante pra mim saber que a minha opinião de alguma forma fez a diferença pra você. Obrigada <3
      Beijos!

      Excluir
  2. Oi, Amanda. Assim como você vi este livro como um divisor de opiniões e, principalmente, muita gente falando que era o melhor da Colleen Hoover. Mas, não me interessei muito pelo livro após as resenhas. Descobri que ele possui um lado mais erótico, gênero desagradável para meu tipo de leitura. O Lado Feio do Amor foi excluído da minha lista de desejados e ainda creio no sucesso maior de Hopeless.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Ycaro.
      Eu ouvi tantos comentários sobre a parte erótica desse livro que fiquei até com medo. Uma amiga minha chegou a chamá-lo de Cinquenta tons de azul kk. Eu li e posso dizer que apesar de ter sim algumas cenas mais calientes, ele é bem light de uma forma adulta.
      Mas claro, cada um com suas preferências. Só tome cuidado pra não deixar que elas te limitem ;)
      Beijos!

      Excluir
  3. Gostei bastante da resenha, já deu para sentir como é o livro, estou em dúvida se leio, pois dizem que essa autora é um saco a escrita.

    teenxxxteen.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Bem, cada um tem um estilo que gosta mais do que outro. Pra você ter certeza, só lendo. Te aconselho a dar uma olhada no primeiro capítulo ou uma folheada nele na livraria, pra ver se desperta seu interesse. Se no pior dos casos você acabar comprando e não gostar, sempre pode trocar no skoob ou em grupos literários no face
      ;*

      Excluir
  4. God, senti umas partes direcionadas para mim???? huhuhu
    Eu não curti o livro... todo mundo sabe. Mas não pelo Miles ser cretino, como você mencionou porque eu não achei também!!!
    O que não deu certo para mim foi a escrita da Colleen mesmo, o desenvolvimento dela. Como no Maybe Someday, eu não acreditei no amor entre eles. Quando eu acabei o livro, não consegui ver a veracidade no relacionamento deles, para mim era necessário mais desenvolvimento na relação. Então me falaram : "Mas você vê o amor deles nos atos." Pode até ser, mas mesmo assim não me convenceu. Mas eu amei a historia dele adolescente, e eu acho que se fosse um livro separado, antes do ugly, iria me pegar de jeito.

    =)

    Daiana, vai vir aqui dar xilique daqui a pouco, com meu comentário



    ResponderExcluir
    Respostas
    1. CHEGUEI!!!!!!!
      hahahahaha
      Tu ta falando mal do meu livro favorito da Colleen. Claro que vou dar xilique kkkkk
      Maybe é o romance do meu coração. É muito amor envolvido. Foi um livro que me tocou tanto, e de tantas maneiras, que eu ainda o lerei de novo muitas vezes. =P
      Não li o Ugly ainda, pois tô tirando férias de NA . Mas espero amar tbm, como eu amaria até uma bula de remédio se fosse a Colleen quem tivesse escrito U.U

      Excluir
    2. kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk Sabiaaa!!!!
      Mas eu nem falei mal, só falei que não gostei e justifiquei. Fazer o que né, nem sempre nossos gostos batem !!!

      Excluir
    3. HUASHUASHUSAHUHUSAUHASHUA
      Mas geeente! Acalmem-se, meninas. E não foi pra você não Lud, sério, foi de uma forma geral mesmo. Eu realmente vi muitas meninas criticando o Miles em grupos do face, enquanto outras já o exaltavam como se ele fosse um pobre coitado. Não acho que ele seja nem o santo nem o demônio, apenas uma pessoa que passou por coisas difíceis e se perdeu um pouco. A sinceridade dele, presente inclusive nas atitudes foi o que me fez gostar dele como pessoa, mas eu reconheço que jamais teria insistido como a Tate fez, porque eu não consigo nem aguentar as minhas M's, quanto mais a do cara que eu comecei a desenvolver um affair HUSAHUSHUAUHa
      E Maybe é um livro complexo né, o que me conquistou pra ser sincera foi a forma como a trilha sonora se enquadrou, a forma como o livro se desenvolveu, não necessariamente os personagens ou o romance em si. Na verdade o romance deles em si pra mim era meio irrelevante, o que me tocou no livro foi a paixão envolvida pela música, já que eu amo música. Foi legal porque ele meio que parece incluir a gente no processo de criação, no desenvolvimento.
      E Dai tu tem que aprender a ouvir críticas também, mocinha. O importante é que você gostou e o que você tirou da experiência u.u
      OXIIIIIIII UHASHUSAHUHUSA

      Excluir
    4. Kkkkkkkkkkkkkkkk eu sei ouvir sim po! A Lud sabe que eu adoro defender a Colleen HUAHUAHUA.
      Exato, em Maybe, a música e a condição especial do protagonista, foi o que me arrebatou!

      Excluir
    5. Kkkkkkkkkkkk

      Dai não sabe receber Criticas à respeito da Colleen !! é Fato!!!
      Eu entendo Amanda, e eu amei sua resenha, porque você falou tudo! Não é apenas você gostar ou não ! Vc tem que saber argumentar e defender sua opinião com pontos validos.
      Mas eu ainda não desisti da Colleen, me mandaram ler métrica ! kkk

      Excluir
    6. Este comentário foi removido pelo autor.

      Excluir
    7. Kkkkkkkkkkk Isso aew!
      Ai, meu Deus, não faça isso! Métrica não! UHAHUSAUHSAUHHUS

      Excluir
  5. kkkkk...Amei sua resenha!!!Bem sincera!Eu comecei a ler o livro e não terminei.Acho que vou terminar depois dessa resenha.Show Amada!!!!

    ResponderExcluir
  6. Oi Nanda!
    Também não suporto essas transformações irrealistas que alguns mocinhos dos livros sofrem. Que bom que isso não acontece nesse livro.
    Nunca li nada da Colleen e tenho curiosidade porque só ouço elogios, mas, sinceramente, acho que não é por esse que vou começar. A premissa não me anima muito.
    Beijos,
    alemdacontracapa.blogspot.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Mariana!
      Olha o que eu mais gosto dela é Um Caso Perdido. Mas se eu fosse você começaria por Métrica que foi o mais fraco, na minha opinião.
      Bjss

      Excluir
  7. Oii!!
    Já li O Lado Feio do Amor e amei muitoo!!! Fiquei mais feliz ainda ao saber que será adaptado para o cinema. Foi o primeiro livro da autora que li e confesso que fiquei super fã da Colleen Hoover. Miles é muito sedutor e envolvente, mas eu gosto mesmo é do Cap "Quando a vida te der limões, é melhor saber nos olhos de quem precisa espremê-los.", amigos como ele são difíceis de encontrar.
    Bjos e sucesso!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Mayara!
      Que bom. Eu sempre fico dividida quando vejo que algum livro vai ter adaptação. Mas vamos ver ne... Kkkk
      Beijos!

      Excluir





Copyright © 2017 Every Little Book. TODOS OS DIREITOS RESERVADOS | OddThemes | ILUSTRAÇÃO: Yuumei