[Review] Where One Goes - B. N. Toler

Where One Goes
B.N. Toler
Ano: 2015
Páginas: 258
Skoob Compre | Editora Autora



O que acontece quando a coisa que arruína sua vida acaba sendo a que te salva? 

Eu nunca fui de acreditar em espíritos - até que seis anos atrás um acidente arrepiante mudou minha vida... para sempre.Meu nome é Charlotte, mas a maioria das pessoas me chamam de Char… e eu tenho um dom especial. Eu converso com os mortos. Mas tudo vem com um preço. Minha vida é de escuridão. Me sentindo deprimida, comecei a querer desistir. E ajudando os mortos, percebi que não me permitir viver. Sem dinheiro, sem lugar para viver e o mais importante... sem esperança, decidi que só tenho uma opção - acabar com tudo. Entretanto o destino é engraçado. Um minuto, estou a ponto de pular para a morte, e no minuto seguinte, sou salva por Ike McDermott. O soldado forte e surpreendente me impediu de colocar um fim no meu desespero. Ele é o tipo de cara que quando sorri ilumina todo o ambiente. Doce e gentil. Ele é o meu salvador. E ele está morto. Quando eu concordei em ajudar, pouco sabia que eu me apaixonaria pelas charmosas pessoas de Bath County, e… por Ike e George McDermott. Agora, enquanto seu irmão tem metade do meu coração, estou de frente com uma situação cruel e nada justa. Salvando George, eu devo deixar Ike ir. Entretanto como que alguém abre mão de metade do seu coração?

"Às vezes isso é tudo o que temos para nos levar através dos tempos difíceis. Algo tão vazio e inútil quanto as palavras pode ser o que nos mantém andando pelos rios de águas furiosas e implacáveis que é a vida. E isso é exatamente o que eram para mim. As palavras são as linhas perfeitas que me amarram a este mundo, me impedindo de desaparecer quando cada instinto do meu corpo está me dizendo para acabar com isso. Para deixar ir."

Eu tenho que confessar, quando eu soube do tema desse livro eu me lembrei de "A Mediadora" da Meg Cabot e foi o que me levou a um frenesi de leitura, eu tinha que ler, ler e ler. No entanto a única semelhança que esse livro tem com "A Mediadora" é realmente ela conseguir falar com os mortos, no entanto, é quase tão viciante quanto. Ele é um livro com um ritmo gostoso e uma trilha sonora anos 60 bem tranquila e achei que entrosou muito bem com o livro.
Uma das coisas que eu mais gostei também, é que ele é um livro sensual, mas não sexual. Me conquistou.

"Talvez, com amor suficiente, é possível ser salvo."

O Ike é o cara morto mais vivo que eu já "vi". É verdade. Ele é engraçado e tem toda essa bondade e energia emanando dele e te contagia. E é assim que ele acaba salvando a Char. Ela estava vivendo no limite, sua família tinha praticamente a abandonado e ela estava decidida a dar um fim a seu próprio sofrimento, não tinha qualquer esperança de felicidade. Quando Ike surge em sua vida, ele é como uma luz iluminando a escuridão dentro dela. Ele consegue convencê-la de que eles podem se ajudar mutuamente e que ainda há esperança para os dois.

"É engraçado como seus planos podem mudar tão drasticamente dentro do espaço de minutos."

É quando ele a guia para Bath Conty e "apresenta" o Sr. Mercy a ela. Char no começo duvida de que ele possa fazer realmente algo por ela, mas acaba surpresa e rendida pela bondade do Sr. Mercy que assim que põe os olhos nela - uma jovem descabelada, toda molhada e com uma mão na frente e outra atrás, literal e figurativamente -, a leva para um hotel e quando vê que ela deixou o dinheiro no carro, faz questão de pagar a estadia dela até o fim de semana.
Ela nunca tinha conhecido pessoas tão boas e mal sabia como agradecer. Pouco a pouco ela vai se afeiçoando mais à Ike e a atração que parece ligá-los aumenta.

"Acho que suas palavras são o que me trouxeram de volta."

Quando ela finalmente conhece George - irmão de Ike e seu negócio inacabado, que o mantém preso em nosso plano - ela fica em choque, ela não fazia ideia de que eles eram gêmeos.
George é um cara legal, mas ficou amargo desde a morte do irmão. Ele tem dificuldade em confiar nas pessoas e está passando por um momento terrível, onde se afunda cada dia um pouco mais na solidão e nas drogas.

"Apesar de eu o achar atraente, eu não estava atraída por ele. Eu posso admitir, no entanto - tão triste e patético como isso soa -, que eu gosto que ele esteja flertando comigo. Às vezes são as pequenas coisas. Às vezes uma mulher só precisa que um homem lhe dê atenção, para que ela perceba que merece isso."

Charlotte sente uma identificação imediata com George, porque o lugar escuro e sombrio onde ele está é o mesmo onde ela esteve, até Ike encontrá-la. Sendo assim, ela o torna sua missão pessoal. A maior parte do desejo dela em salvá-lo agora, não é apenas para ajudar Ike, mas também para ajudar a si mesma.

"Momentos vêm e vão; lampejos rápidos no tempo. No entanto esses momentos podem ter o impacto mais profundo em nossas vidas. Ou nós aproveitamos e os usamos ou eles passam. São os momentos que perdemos que, creio, permanecem conosco mais fortemente, porque arrependimento é algo que nunca vai embora."

Mas aos poucos os sentimentos dela vão se aprofundando por ambos e ela fica mais confusa e com mais medo. Cada passo que George trilha em direção à uma vida saudável e longe dos vícios é um passo mais perto para Ike deixar de vez esse mundo. Ela não sabe como poderá dizer adeus. E cada passo que ela fica mais próxima de George, ela fica mais apreensiva, pois tem medo de que ao finalmente contar a ele sobre seu dom ele vá deixá-la.
As verdadeiras perguntas aqui são: "como ela poderia escolher qual metade de seu coração perder?" E, "O que faria se perdesse a ambas?

"O sofrimento te faz fazer coisas estranhas."

Uma coisa eu digo, os dois irmãos são homens maravilhosos. E meu coração doeu pelo Ike ter morrido tão cedo, é a prova de como a vida é injusta e de como devemos aproveitar ao máximo cada dia.

"- Linda e com um gosto musical fantástico! Onde você estava quando eu estava vivo?"

Infelizmente, ele ainda não teve os direitos comprados por nenhuma editora brasileira, AINDA, mas eu tenho fé que mais cedo ou mais tarde ele vem para a minha estante <3
Ps.: Separei uma mini-play com as músicas do livro. São apenas cinco, mas eu curti ;)



18 comentários:

  1. Oie
    É uma pena nenhuma editora ter comprado os direitos desse livro ainda,tomara que alguém faça isso logo.Eu gostei bastante do livro,adoro triângulos amorosos e um sobrenatural é melhor ainda.Acho que eu também ficaria muito confusa quanto a quem escolher e a quem se desapegar.E o Ike deve ser um personagem super cativante,espero que o final seja como eu estou imaginando.
    beijos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, de novo! xD
      FATO! Quero muito que comprem <3
      O Ike é amor, você vai adorar!
      Bjs.

      Excluir
  2. Oiii,
    Muito boa a resenha, realmente da vontade de ler e não parece com a mediadora apesar do tema realmente ser esse. Legal que este livro também parece que, além de um romance, torna-se um tipo de livro de auto ajuda e lição de vida, onde temos 2 pessoas que estão em fase de depressão lutando e tendo ajuda pra sair dela. Apesar de não ser um fã de romances, gostei bastante da resenha sobre esse livro

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Thiago.
      Sim, é bem diferente mesmo. E tem sim um quê de auto-ajuda bem interessante.
      Espero que goste :)

      Excluir
  3. Depois de terminar a leitura senti uma grande vontade de possuir esse livro. Torço também para que alguma editora brasileira compre os direitos e o publique. Pois a história tem tudo para conquistar muito leitores, com uma narrativa intrigante e personagens muito cativantes.
    Resenha incrível!
    Abçs Amanda!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Alessandra.
      Não é?! OMG você também leu! Adooooooro! kkkk <3
      Obrigada pelo elogio, eu também adorei o livro.
      Beijos!

      Excluir
  4. Nossa, a sinopse ja me deixou sem folego, que isso!
    Gostei mtooo mesmo do que li aqui e nao é nada que eu tenha lido ainda, ja me simpatizei com a Char e apesar da sua fraqueza e querer acabar com tudo, fiquei bem curiosa pra saber a ligação dela com o soldado Ike.
    Eu nao me garanto assim no ingles e somente por isso nao leria o livro por enquanto. Mas espero mesmo que alguma editora publique....
    Beijos

    https://fuxixiu.wordpress.com/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Suzzy!
      Também esperamos que os direitos sejam comprados em breve. É um livro que vale muito a pena. Tomara que você goste <3
      Bj!

      Excluir
  5. Amei a história!!! Me parece ser cativante. Eu preciso ler... caramba... minha lista só cresce.. kkkk
    Lindaaaaaa resenha!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oiiiiii
      Achei comovente a forma como ela entendeu e se envolveu com o George. Acho que isso exemplifica bastante como é mais fácil de se entender uma pessoa nessa situação, quando você já passou por algo assim.
      Leiaaaa *-* (e não fale de listas, as minhas são gigantes e nunca terminam por mais que eu leia! Kkkk)
      Bjsss

      Excluir
  6. Fiquei interessada, acho que vou gostar muito. Da série A Mediadora li só os dois primeiros livros, porém gostei muito. Gosto de romances sobrenaturais, espero que seja traduzida para que dê para mim ler.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Maisanara.
      Também gosto bastante de sobrenaturais e também espero muito que seja comprado logo!
      Bjs.

      Excluir
  7. Oi, Amanda. Não me interessei pela estória de Where One Goes, mesmo com os pontos positivos do livro citados por você, a estória não me envolveu e chamou a atenção como eu imaginara. Esse eu passo.

    ResponderExcluir
  8. Que historia linda, já gostei de cara desse livro.
    Tomara que alguma editora compre os direitos desse livro, porque quero muito lê-lo.
    Amei conhecer a historia desse livro, foi uma ótima indicação.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Kelis!
      Obrigada, foi uma ótima leitura *-*
      Só nos resta torcer agora o/

      Excluir
  9. Depois de ler A Mediadora comecei a adorar livros em que os personagens falam com os mortos.
    Eu gostei demaaaaais essa premissa, achei a historia muito linda e ao mesmo tempo um pouco triste. Eu já estou torcendo pelo Ike mesmo não tendo nenhuma possibilidade de ficarem juntos, já que esta morto.
    Gostei muito de sua resenha.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Thaísa.
      Esse é o exato sentimento que ele provoca na gente.
      Obrigada por deixar seu comentário <3

      Excluir

Laura Lendo...

Lud Lendo...

Luiza Lendo...