[Resenha] Liberte Meu Coração

Liberte Meu Coração-- Ransom My Heart --



Liberte Meu Coração - Sua Alteza Real, a princesa Mia Thermopolis da Genovia, cujos diários se tornaram sucessos de venda, agora mostra ao mundo inteiro seu primeiro romance — cheio de perigo, desejo e um amor que vencerá todos os obstáculos... com a ajuda da incrivelmente talentosa Meg Cabot! 



Dando continuidade à nossa maratona de Romances Históricos, ou de Época, como muitos chamam, nosso tema escolhido para o mês de julho foi “mocinhas atrapalhadas” que, de uma forma ou outra acaba se envolvendo em confusões, por ingenuidade ou razões nobres.

Em Liberte Meu Coração temos Finnula, uma exímia arqueira que, não bastando viver às voltas com o xerife devido a caça ilegal nas terras do conde, pois tem um sério complexo de Robin Hood, tomou para si a missão de alimentar aos pobres, ainda vê-se tendo que fazer o papel de sequestradora. Sua irmã gastou tudo que tinha, agora se encontra em uma situação delicada, não pode pagar um dote e a solução perfeita para a desmiolada é sequestrar alguém para, com o dinheiro do resgate, conseguir casar.

A vítima acaba sendo, nada mais nada menos, que o conde Hugo Fitzstephen, que retorna ao lar para assumir sua herança depois de passar mais de dez anos na Terra Santa. O que ele não esperava era ser abordado por uma senhorita muito pouco convencional, com flamejantes cabelos vermelhos e vestes poucos habituais para uma dama, que ainda por cima o informa que está sendo sequestrado.

A reação mais lógica do cavalheiro? Seria, obviamente, subjugar com seu enorme corpo e treinamento de soldado àquela jovem. No entanto, ele se deixa, encantado, ser mantido refém por aquela criatura tão graciosa, optando por esconder sua verdadeira identidade enquanto desfruta da companhia da sua bela sequestradora, determinado a conhecê-la melhor e, com sorte, acabar envolvendo-a em seu jogo de sedução.

Finnula, arisca a qualquer aproximação de um homem, tenta resistir ao máximo à sua galante vítima, mesmo que por vezes ele desperte nela sensações e sentimentos que ela não reconhece e custa a admitir a si mesma que pode ser facilmente conquistada por aquele homem charmoso, que deveria ser somente um meio para ajudar a sua tola irmã. Mas suas emoções se tornam confusas quando Hugo demonstra abertamente, através de ações e palavras o quanto a deseja.

Era possível estar apaixonada por ele? Quando ele não a estava enlouquecendo de desejo, estava enfurecendo-a com suas palavras. Temia o toque dele porque o desejava e sabia que não seria capaz de resistir novamente se ele a beijasse. Era o homem mais irritante que já tinha visto, um implicante incurável, mas também a fazia rir. Isso era amor?

Rapidamente a relação dos dois passa a se modificar, fazendo com que se entreguem de forma íntima um ao outro. Isso exige que deixem alguns obstáculos de lado, principalmente Finnula que, apesar da pouca idade, sempre viveu de acordo com seus próprios conceitos, sem imaginar que, um dia, um homem poderia dominar seus pensamentos e suas ações.

Porém, os dois têm mais que isso como desafio: um inimigo ronda a vida dos dois, tentando abalar seu relacionamento e levar um deles à morte, gerando um clima de mistério e tentando impor o mal da traição, que só a certeza dos sentimentos e a confiança evitará que os dois sejam abalados.

Sou suspeita de falar dos livros históricos da Meg Cabot. Ela sempre me conquista com suas mocinhas fortes e inteligentes, e esse não me decepcionou. Com uma narrativa dinâmica e fluída, impossível não amar esse casal que estimula risadas, a confiança inabalável de Hugo e a intrepidez de Finnula, nos fazendo torcer pelo tão esperado final feliz. Com certeza, fiquei com gosto de quero mais, mas... pena que toda história tem seu fim!

Então, tenham uma boa leitura, na companhia de Finnula e Hugo!

            

8 comentários:

  1. Quando li sobre a ideia de sequestro já imaginei toda historia. Deve ser um romance bem divertido. Esse clima de mistério é bem a cara da Cabot.
    Gosto dos livros da Meg, então acredito que vou gostar desse livro também.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Thiago, espero que leia e venha compartilhar sua opinião conosco!

      Excluir
  2. Respostas
    1. Não é Milene? Sempre é um prazer lê-los!

      Excluir
  3. Eu nunca conheci alguém que não gostasse da Cabot, ela tem uma escrita maravilhosa.
    Eu só fico pensando, essas ideias que esses personagens tem, sera que eles acham mesmo que vão dar certo? srsrsrs
    Deve ser um romance muito bonito. Eu gostei muito da premissa!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. O roamance é muito bom! Dificilmente, de fato, nos decepcionamos com Cabot!

      Excluir
  4. Adoro quando os personagens tem essas ideias loucas, que não dão certo é claro. E no fim acabam achando o amor da vida delas.
    Amei essa premissa, e por saber que é da Meg já quero muito ler.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. A gente sempre sabe como termina, mas, até o final, é uma aventura deliciosa, não é?

      Excluir

Laura Lendo...

Lud Lendo...

Luiza Lendo...