07 agosto 2015

[Resenha]Primeiro e Único - Emily Giffin


Primeiro e Único

Primeiro e Único - Shea tem 33 anos e passou toda a sua vida em uma cidadezinha universitária que vive em função do futebol americano. Criada junto com sua melhor amigas, Lucy, filha do lendário treinador Clive Carr, Shea nunca teve coragem de deixar sua terra natal. Acabou cursando a universidade, onde conseguiu um emprego no departamento atlético e passa todos os dias junto do treinador e já está no mesmo cargo há mais de dez anos.
Quando finalmente abre mão da segurança e decide trilhar um caminho desconhecido, Shea descobre novas verdades sobre pessoas e fatos e essa situação a obriga a confrontar seus desejos mais profundos, seus medos e segredos.
A aclamada autora de Questões do Coração e Presentes da Vida criou uma história extraordinária sobre amor e lealdade e sobre uma heroína não convencional que luta para conciliá-los.



Hello pessoas, quando a capa desse livro apareceu, eu na hora dei pulinhos e disse : é meu. Capas de jogadores me inspiram, e lembrei da série Play by Play da Jaci Burton, que é para lá de perfeita e eu amo. Então, claro que comecei a ler.

Logo nas primeiras linhas presenciamos o funeral da Sra. Carr, a esposa do treinador Carr, um homem de meia idade, respeitado e aclamado como um dos melhores treinadores de futebol americano universitário do país. Também a pessoa mais conhecida da cidade de Walker. Em meio a essa tristeza toda, nós conhecemos Shea, que consola sua melhor amiga, e filha do casal, Lucy Carr.

A partir dai vamos acompanhando a fascinação que Shea tem pela família Carr. Mais especificamente, pelo treinador Carr. Um homens respeitado por seu cargo como técnico na Universidade de Walker e apesar de toda esta fama, não é presunçoso ou cheio de si, é o oposto: discreto, bem humorado e com momentos constantes de sabedoria.

Shea é fascinada e viciada em futebol americano. Sua vida gira em torno do time de Walker, da família Carr e seu emprego da universidade Walker. Até que um dia, incentivada pelo treinador, decide tentar um novo emprego, e com essa mudança de vida, também decide terminar com o atual namorado, já que não possuem futuro juntos. 

“Lucy dizia que eu só pensava em futebol, o que estava muito próximo da verdade, pelo menos antes de a Sra. Carr ficar doente. Mesmo depois, escapei para o jogo que eu amava e sabia que o treinador fez o mesmo, o que enfureceu Lucy, porque ela não compreendia o que estava acontecendo.”

Durante todo o livro, acompanhamos essa mudança que Shea decide fazer em sua vida. Acompanhamos sua luta de um namorado ao outro, nunca estando satisfeita com esses relacionamentos, sempre achando que falta algo. Até que algo clica dentro dela, e ela sabe o que realmente sente. Mas esse novo amor trouxe alguns desafios no caminho, então Shea fica balançada novamente, se ela deve ir fundo e assumir seus sentimentos, ou escondê-los para não magoar outras pessoas.  




Já no começo da história, surgiu meu primeiro problema com a leitura. A narrativa é lenta, várias vezes eu larguei o livro, mas tinha que voltar para resenhar. Além desse começo lento, temos os flashbacks mostrando a vida da Shae no passado, mostrando todas as pessoas que participaram em sua vida para que ela seja o que é hoje. Eu entendi isso, acho muito válido, mas não rolou para mim.

A segunda coisa que me incomodou, logo no começo, foi a Lucy. Todo mundo tem uma amiga mandona e com temperamento forte, mas essa personagem me irritou e, consequentemente, me fez odiar as cenas onde Shea parece submissa, aceitando tudo que a Lucy diz, e não de um jeito amigável. Não quero justificar apenas que ela é chata e não gostei. Durante a leitura você também consegue pegar os detalhes da personalidade da Lucy e poderá formar a sua opinião.  

O livro é cheio de referências ao futebol americano, a autora pesquisou para escrever, e nos mostrou um mundo rico e cheio de detalhe. Eu adorei essa parte, achei muito bem construída. Preparem-se para toneladas de jargões técnicos e explicações infindáveis sobre regras e estratégias de jogo. Para quem gosta, essa parte do livro será prazerosa.

O romance em si me pegou de surpresa, eu achei que era uma pessoa no começo que seria o par dela, mas depois mudou, e mudou... e no final é um pouco chocante ou não, se você pegar as pistas que a autora joga durante o livro. É bonito ver a evolução da Shea, como ela vai descobrindo ao longo do livro, quem ela é, o que ela realmente quer fazer da vida e quem ela ama. É uma abordagem interessante de amor, de como se pode amar alguém com tanta paixão que é quase palpável e nem se dar conta disso. Como se o cérebro fizesse uma brincadeira de pique esconde com os sentimentos da pessoa.   

Espero que eu tenho conseguido me justificar, porque não achei o enredo ruim. Percebi que é marca da autora, pelos comentários, fazer enredos em que o leitor deve refletir, que mexe um pouco com a zona de conforto. 
Bem, meu santo leitor, simplesmente não bati com o santo escritor da autora. Eu nunca tinha lido nada dela, mas sei que muitos amam os livros, por isso decide tentar, e conclui que não é para mim, mas é para os milhões de leitores espalhados por ai.

Boa Leitura. 

Compartilhe!

14 comentários :

  1. Eu não me animei a ler esse livro. Eu já tinha visto a capa dele e alguns comentários positivo, mas não sei porque ele não conseguiu me chamar atenção.
    Quem sabe futuramente eu mude de opinião e acabe lendo.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Para mim foi justamente a capa que chamou a atenção.
      Deixa na lista e um dia você lê

      Excluir
  2. Eu já ouvi falar dessa autora mas nunca li nenhuma de suas obras.
    Gostei de sua resenha, pude entender melhor a historia de livro, mas a premissa não me chamou atenção.
    Talvez eu leia outros livros dela, mas esse realmente não me animou.

    ResponderExcluir
  3. Sim, faz parte da linha da autora nos colocar para rfletir, mas este é de fato o primeiro livro dela que eu não consigo nem passar do quinto capítulo!
    achei tudo ruim. escrita chata, personagens mais chatos ainda.

    Quem não conhece a autora e pega este livro, certamente não voltará a se aproximar mais dela e infelizmente perderá grandes liros como 'Presentes da vida' e 'Ame o que é seu'.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Bem, foi o que aconteceu comigo.. foi o primeiro livro e eu não curti , tive a mesma impressão que você

      Excluir
  4. A sinopse não foi uma que me chamasse a atenção e eu realmente não senti vontade de conhecer o livro. Agora lendo a sua resenha, confesso que a vontade que restava sumiu por completo. Saber que os personagens são sem carisma e mal construídos já fica difícil eu animar de ler, ainda mais com tema de futebol americano, que apesar de gostar não curtiria em livros =/
    Bjs Lud!!

    ResponderExcluir
  5. Não me interesso muito por esse livro, por que já vi muitos comentários negativos, e não me interessei nem um pouco na história, é muito ruim quando a gente lê um livro e ele não nos agrada, não pretendo ler esse livro.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. é bom assim mesmo, se não curtiu não force a leitura. Tem que ser prazeroso.

      Excluir
  6. Essa capa tinha me chamado atenção. Eu tentei ler mas achei meio chato e desisti, talvez eu goste de outros livros dessa autora. Mas esse eu realmente não gostei, e não pretendo retomar a leitura.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sim Kelis, foi isso que me falaram, que esse não é o melhor livro dela. Quem sabe os outros sejam melhores.

      Excluir
  7. Oiii
    Eu ainda não li,e acho também que não pretendo ler ele,ja ouvi muitos comentários negativos.
    Mas que sabe um dia eu ainda de uma chance a ele :)
    Bjs

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu não cheguei a ver resenhas dele, mas muitas meninas, inclusive as resenhistas, tentaram ler e acharam chato demais. é uma pena mesmo!
      =/

      Excluir
  8. Uau fui procurar essa série da Jaci Burton no google,e que capas heim.
    Eu já li um outro livro da Emily e a leitura também demorou um pouco a pegar ritmo,depois de umas 100 páginas a história começou a ficar mais interessante mas não me convenceu.Provavelmente isso aconteceria comigo nesse livro também.A Shea é uma personagem adolescente? já que ela parece ainda estar se descobrindo.E não entendo nada de futebol,muito menos futebol americano,ia ficar meio perdida nos termos.
    beijos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Simmmmm as capas da Jaci <3 Mas não se preocupa que não é só sexo não, é muita historia nos livros da Jaci, por isso eu amo.
      Acho que não é só comigo isso de demorar para pegar o ritmo né !!! Mas foi o primeiro dela que leio, e falam que esse não é o melhor, vou dar mais uma chance.

      =)

      Excluir





Copyright © 2017 Every Little Book. TODOS OS DIREITOS RESERVADOS | OddThemes | ILUSTRAÇÃO: Yuumei