11 julho 2015

[Resenha] Te Esperaré Toda Mi Vida

Te Esperaré Toda Mi Vida
Megan Maxwell



O que ocorreria se uma mulher do século XXI, como você, viajasse no tempo ao século XVII? Descubra mergulhando nas páginas desta história com Montse e suas duas amigas, Julia e Juana; espanholas morando em Londres. Uma rifa, um prêmio, uma viagem, uma cidade: Edimburgo. Terra de lendas e escoceses. 
Ali, naquele momento, naquele lugar, ocorrerá algo que mudará para sempre a vida da protagonista e suas amigas. Quer saber o que acontece? Gosta de sorrir e se divertir? Deseja se apaixonar? Então, não tem outra opção além de ler este livro. Divirta-se! 



Mais uma resenha da nossa maratona de romances históricos (Junho, Sim! Atrasadas), dessa vez abordando o tema “viagem no tempo”. Sei que existem livros publicados com essa tema aqui no Brasil, mas como amo a escrita de Megan Maxwell, selecionei esse para nossa maratona, principalmente por ela ser uma escritora tão versátil em seus romances.

 Te Esperaré Toda Mi Vida conta a história de Montse, uma jovem de vinte e nove anos, vivendo em pleno século XXI – mais precisamente no ano de 2010 –, que já viveu várias desventuras amorosas. Essa jovem moderna, no fundo, está à espera do seu príncipe encantando, ou, mais precisamente, de um highlander que povoa seus sonhos desde que era uma garotinha de seis anos, quando uma cigana previu que sua felicidade futura estava no passado.

Quando suas amigas ganham uma viagem para a Escócia e a convidam para ir junto, ela não hesita em ir conhecer o lugar que povoa seus sonhos há anos, onde acaba encontrando a cigana que fez a previsão sobre a sua felicidade, que lhe concede três desejos, dos quais ela tem tempo de fazer dois, dentre eles, um mais importante: viver, durante três meses, uma aventura inesquecível. O que ela não previa, é que esse desejo a faria ser transportada para o século XVII, de encontro ao guerreiro que povoava seus sonhos.

Declan Carmichael, Duque de Wemyss, não parece ser o príncipe encantado dos seus sonho... afinal, sua personalidade é influenciada pela amargura de uma maldição que sua família carrega, a de não ser feliz matrimônio, uma desgraça sempre aconteceria no momento mais feliz do casal. Obstinado a não fazer outra mulher sofrer, o jovem viúvo é um homem duro, e custa mostrar a Montse sua natureza apaixonada, sem imaginar que ela tem a chave que pode acabar com essa terrível maldição de morte e dor.

Claro que nossa mocinha, com os costumes de uma época onde os padrões de comportamento são outros, acaba por enfurecê-lo, intrigá-lo e fazer com que sua resistência vá se desvanecendo pouco a pouco, e não é um caminho muito longo até os dois se apaixonarem e Montse finalmente ter seu sonho de amor realizado, mesmo que seja por um curto período de tempo, afinal, seu desejo só pedia três meses dessa doce aventura.

—...Não quero que parta. Não quero que desapareça de minha vida. Te amo! E se é verdade isso que diz; se é verdade que uma estranha força tem que nos separar, desfruta comigo o tempo que possamos ser felizes.

                Como falei anteriormente, Megan Maxwell é do tipo de escritora que desenvolve bem suas histórias, independente do tema que ela se propõe a escrever. Esse livro é uma daqueles leituras que o leitor lê para se descontrair, sem grandes dramas, mas agradável. Claro, eu esperava mais desventuras por parte das amigas, devido aos costumes, comportamento e modo de vida, elas se adaptaram fácil demais, creio que a autora pecou por esse lado, mas nada que fizesse com que o livro ficasse ruim ou seja excluído da lista de leitura.

Para quem curte aventuras de viagem no tempo, com certeza vai gostar muito!      

 
   

Compartilhe!

11 comentários :

  1. Adorei a resenha!
    Bom adorei a resenha, mas este tipo de livro não me chamou muito a atenção e nem o contexto da história, mas talvez futuramente eu mude de ideia e resolva ler.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Mariele, gosto de ler sobre viagens no tempo, acho legal ver o contraste entre o passado e o futuro. Bjos

      Excluir
  2. Eu vendo a capa do livro não leria, achei a capa feia. Não gostei nem um pouco.
    Mas como a autora é Megan Maxwell, eu daria uma oportunidade. Eu não conhecia esse livro dela. Foi uma surpresa para mim!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sim, Thaisa, a capa não é bonita. Prefiro as capas atuais dos livros dela, mesmo sendo repetitivas. Mas, como eu disse, Megan sabe desenvolver qualquer tema em um romance.

      Excluir
  3. Eu gostei da premissa, eu leria esse livro fácil, sem contar que a autora é maravilhosa. Eu não conhecia esse livro mas vou ler com certeza.
    Só não gostei muito da capa do livro, eu gosto tanto das capas dos livros da Megan. Mas essa realmente deixou a desejar.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Kelis, é o classico "não jiulgar o livro pela capa",, rsrsrs! Bjos

      Excluir
  4. Eu não gosto muito de livros que tem historias no tempo, ou que fiquem voltando no passado para contar algo que já aconteceu. Eu acho meio chato.
    Mas eu gosto dessa escritora, minha namorada fala tão bem dela que acabei lendo um livro da mesma e gostei bastante.

    Quem sabe eu não dou uma oportunidade para esse livro.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Thiago, dê sim uma oportunidade, quem sabe você não se apaixona pelo tema? Bjos

      Excluir
  5. Já pensou se tivesse a oportunidade de ir ao século XVII?? Nossa!! Seria demais! Mas preciso confessar que essa capa não é nem um pouco agradável, fica a desejar. E por enquanto, esse livro fica para o fim da fila kkk Abçs!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Alessandra, vale a pena colocar na fila mesmo! Não se desanime pela capa!
      Bjos

      Excluir
  6. Luci, sempre quis ler, mas perdi a vontade!

    ResponderExcluir





Copyright © 2017 Every Little Book. TODOS OS DIREITOS RESERVADOS | OddThemes | ILUSTRAÇÃO: Yuumei