[Resenha] A Playlist de Hayden - Michelle Falkoff

A Playlist de Hayden
Você nunca conhece uma pessoa até ouvir o que ela gosta
Michelle Falkoff



Depois da morte de seu amigo, Sam parece um fantasma vagando pelos corredores da escola o que não é muito diferente de antes. Ele sabe que tem que aceitar o que Hayden fez, mas se culpa pelo que aconteceu e não consegue mudar o que sente Enquanto ouve música por música da lista deixada por Hayden, Sam tenta descobrir o que exatamente aconteceu naquela noite. E, quanto mais ele ouve e reflete sobre o passado, mais segredos descobre sobre seu amigo e sobre a vida que ele levava. A PLAYLIST DE HAYDEN é uma história inquietante sobre perda, raiva, superação e bullying. Acima de tudo, sobre encontrar esperança quando essa parte parece ser a mais difícil.
 

Primeiro de tudo, aconselho você a visitar este site muuuito bacaninha que foi disponibilizado para que a gente consiga escutar as músicas enquanto lemos. Achei que fez toda a diferença, ‘sentir’ o que o personagem sentia ao escutá-las. (Aqui) . Se não me engano já tem um ícone que está fora do ar, então para quem preferir acompanhar a playlist pelo direto de uma lista de reprodução do Youtube, segue um link: Aqui

Ok, falemos do livro.

Eu estava muito apreensiva quando peguei para ler, pois infelizmente não tenho boa experiência com livros que todos amam (e pelo que eu via, todos os blogueiros amando, já pensei: droga, vou odiar). Tenho tendência a encontrar muitos defeitos, como que para provar que o livro não é tão bom assim como todos acharam.

Não aconteceu com este. Não muito, de qualquer forma, rs. Achei que as coisas demoraram um pouco a acontecer, que a autora quis fazer muito mistério (por vezes de algo desnecessário) e isso atrasou um pouco a minha leitura (li outros livros enquanto o lia, e isso raramente acontece). Mas o fato é que o livro é bom, no fim das contas.

“Se naquele momento eu fosse realmente capaz de querer alguma coisa, eu desejaria que o dia passasse o mais depressa possível. E, se o primeiro passo para que isso se tornasse realidade fosse me levantar, então seria isso o que eu iria fazer. Mas eu não conseguia. [...] O movimento significava que eu estava desperto, e estar desperto significava que Hayden estava realmente morto e eu ainda não me sentia pronto para admitir”.

Sam e Hayden são melhores amigos desde sempre. Sãos os dois ‘estranhos’ da escola, os nerds que são mantidos de longe pelo resto da turma, os que sofrem bullying calados, em seu próprio mundo de nerdices, que não conseguem se encaixar com aqueles intitulados de ‘normais’. Tudo muda quando Hayden comete o suicídio e deixa um iPod junto com uma nota para seu melhor amigo:


Preciso fazer uma piadinha de mal gosto neste momento. Ao escutar essa playlist deixada por Hayden, quase que eu mesma cometi o suicídio, hahaha. A impressão que ficou foi de tamanha solidão, angústia e tristeza, que realmente nada poderia ter melhorado a situação que ele se encontrava. Eu achei que a playlist seria a grande chave do mistério do suicídio, mas acho que era apenas uma mensagem final que Hayden queria passar pro amigo.

Já no velório de Hayden, a revolta de Sam começa a aparecer (aliás, o livro é narrado por ele), quando o irmão e pai de Hayden querem subir ao palco para falar da perda do ‘ente querido’, sendo que ele sabia que o pai não dava a mínima para o filho e que o irmão apoiava quando os amigos faziam bullying com ele. E é então que ele conhece Astrid, que se diz amiga de Hayden, mas que ele nunca ouviu falar. Ela o leva para uma parte da vida de Hayden que ele não havia a menor idéia que existia. Seria aquilo verdade? Ele conhecia tão pouco sobre o melhor amigo?

“Eu tinha escutado aquelas músicas sem parar nos últimos dias, tentando descobrir o que ele quis dizer com aquilo. Ouça. Você vai entender. O que eu deveria entender? Ele se matou e me deixou aqui sozinho para encontrá-lo”.

Sam vê em Astrid, uma esperança para que consiga passar por esse período de luto e também para tentar entender o que levou o amigo a cometer uma atitude tão desesperada. Logo no começo, ele relata que os dois tiveram uma briga série na noite anterior ao suicídio, mas que, segundo Sam, a amizade deles era sobre isso. Sobre brigar, sobre se desafiarem, mas sobre superarem isso. Então ele se sente imensamente culpado que, após uma briga, Hayden tenha cometido o suicídio, sem ter deixado a chance dele pedir desculpas.

 Eu achei a história muito bonita, sobre como quando tudo está ruim, nossa força, superação e luta, pode nos trazer algo bom daquilo tudo. Apesar da história ter um romance bem fofinho, o livro não é sobre isso. É mesmo sobre Sam lidando com a perda de seu melhor amigo. Ficamos mais curiosas a cada capítulo para realmente entender o que aconteceu naquela noite que levou a Hayden se matar, e é essa parte que me fez atrasar a leitura. Achei que cada vez que a gente chegava perto de entender, a autora cortava e ‘pulava de pauta’. E isso me incomodou tanto que tirou duas estrelas do livro.

Em meio a tantos livros que falam sobre o bullying e sobre perda, achei em ‘A Playlist de Hayden’ um livro com uma linguagem mais teen, para ajudar qualquer adolescente a lidar com esse problema tão comum de hoje em dia, e nem por isso menos grave. Ainda acrescento que, mesmo o livro sendo voltado para a garotada mais adolescente, todos os pais de adolescentes também deveriam ler, pois achei um pouco assustador que pudesse haver esses ‘dois mundos’ que ele vivia sem que os pais se dessem conta disso, sem que soubessem de toda a dor que o filho passava com o bullying, e que ele tivesse que se refugiar em outras pessoas para buscar apoio. Principalmente, sem que soubessem que o outro filho era uma dessas pessoas que faziam bullying com o próprio irmão.

“Sentir raiva só reiniciava o ciclo, um ciclo que já se tornava familiar. Ficar com raiva. Culpar Hayden. Sentir culpa. Ficar com saudade do meu amigo. Sentir raiva de novo”.

Então, esse livro para mim foi um alerta. Nem sempre conhecemos uma pessoa tão bem quanto podemos conhecer. E nem sabemos quanta dor realmente uma pessoa consegue carregar antes de recorrer a algo tão drástico, como tirar a própria vida.

Leitura aprovadíssima, o livro é bom, mas poderia ser melhor se a autora não tivesse feito TANTO mistério. Realmente entendemos a morte dele nos capítulos finais, achei um pouco desnecessário. E também queria que tivesse um final melhor, mais detalhado e com o foco no romance. Mas enfim, recomendo.



19 comentários:

  1. Oi Nat!

    Sobre a narrativa lenta da autora, eu ainda não tinha lido em nenhuma resenha esse ponto e confesso que eu estava esperando uma resposta "fixa" sobre o suicídio do Sam, mas agora já sei o que posso escrever na narrativa. Temas abordados nesse livro me conquistam então darei a chance de lê-lo sim :3

    Beijos!
    www.livroterapias.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi xará!
      Vc deve sim dar uma chance livro. principalmente se gosta de ler sobre o Bullying. achei esse com a pegada muito boa pra falar do assunto. e me surpreendeu em varias coisas. Se eu tivesse um filho estaria muito mais atenta a partir dessa leitura. kkkkkkkkk

      Excluir
  2. Olha confesso que não li sua resenha toda, porque estou querendo muito ler esse livro, mas lendo suas considerações eu vi o tão empolgada você ficou ao ler e acho que deve ser uma história realmente bastante envolvente, porque quando foi lançado confesso que ele não tinha me chamado tanta atenção como aquele A mais pura verdade sabe? Mas estou me convencendo a conhecer as histórias pouco a pouco pelos comentários das pessoas. E pelo que vejo são sempre positivos. Espero poder gostar bastante. Gostei de tudo que abordou em sua resenha. Mas no ponto de vista. Porque realmente não li mesmo pra ler o livro hahahaaha

    http://lovereadmybooks.blogspot.com.br/2015/06/resenha-neve-na-primavera_3.html

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Silvana, eu tentei ao maximo nao soltar spoilers kkkkkkkkkk
      De certa forma, tudo q eu falei, o Sam nos conta no primeiro capitulo, entao acho q nao tem problema não.

      E espero que vc goste mto do livro quando pegar pra ler.
      Sobre 'A Mais pura verdade', nao me chamou a menor atenção tb! hahaha

      bjoca

      Excluir
  3. Oi! Desde que esse livro lançou, vejo ele por todo canto, as críticas sobre ele são variadas, mas eu quero muito ler. Parece ser uma história muito emocionante, ainda mais sabendo que um dos capítulos se inicia com Say Something, do A Great Big World, música que particularmente amoooo!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. nééééé? eu pensei a mesma cooooisa! hahahahahahahahaha amo essas musicas e confesso que oq mais me atraiu no livro realmente foram as musicas. achei que seria tudo conectado com elas sabe? infelizmente isso nao aconteceu mto ;/

      mas o livro em si é mto bom! recomendo q vc leia.

      Excluir
  4. Hello!
    Nossa, vc falou tudo!! Nem sempre a gente conhece as pessoas tão bem, tem mta mãe que nao sabe oq os filhos fazem, maridos e esposas que são desconhecidos um ao outro....
    Esse livro desde o seu lançamento que eu quero ler, tb vi na blogosfera mta gente falando bem e até agora so vc q nao gostou das músicas, hahaha... mas eu acho que nao vou gostar tb.
    Quando li a sinopse pela primeira vez eu ja queria saber de tudooo, apesar de nao gostar qdo tem suicidio no meio, com esse livro me senti menos incomodada e queria ler...
    Ainda nao comprei, mas será ainda esse mês.
    Bjus

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Suzzy, eu gostei das musicas. Eu brinquei q teria me matado tb pq elas sao mtooo tristes kkkkkk. Se uma pessoa ja esta sofrendo, depressiva, essas musicas definitivamente nao sao animadoras. Mas sao bonitas, no entanto.

      Acho q vc vai gostar sim, compre, leia e venha me dizer oq achou.

      Excluir
    2. Ah ta!!! Entendi errado então.
      Mas vou ler sim e ouvi essas músicas depre,, haha
      Bjus

      Excluir
  5. Eu ouvi as musicas e nossa, a pessoa se matar só por ouvi-las é muito depressivas.
    Sobre o livro, esse realmente não é uma leitura que me agrada, me vez lembrar As vantagens de ser invisível. Eu fico muito triste e desanimada, lendo historias assim, então prefiro não ler. Mas vou falar dele pra minha irmã, ela ao contrario de mim, adora livros como esses.
    beijos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Hahahahaha tb achei as musicas bem depressivas. Bonitas, mas tristes.

      Da a dica sim que vale a pena ;)

      Excluir
  6. Eu vejo em todo canto se falar desse livro. Alguns gostam outros não.
    Mas provavelmente vou comprar esse livro mês que vem, eu simplesmente amo livros assim. Pretendo ler ouvindo as musicas de fundo bem baixinho.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Tenho começado a ver pessoas nao gostando tb. As primeiras resenhas q saiam era do pessoal morrendo de amor..


      Quando ler colta aqui e me diz oq achou viu.

      Excluir
  7. Eu já queria ler esse livro, porque eu amo historias assim. Mas fico com medo de achar meio monótono. Sei que a historia fica em volta dele descobrir o motivo ouvindo as músicas, então fico receosa de comprar o livro e não gostar.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. olha... eu nao usaria a palavra monótono.
      mas realmente várias partes são meio enrolonas. seria melhor se a autora tivesse cortado algumas merdas do Sam, mas enfim. o livro é bom.

      Excluir
  8. A historia parece ser boa, mas já me falaram que o livro é chato. Que é enrolada e que fica só naquilo do menino ouvindo musica.
    Então não sei se leio esse livro ou não.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. não achei que ficou focado nele ouvindo música.
      na verdade, achei que faltou MUITO a parte em que ele nos mostra que está realmente tentando conhecer o amigo através das músicas. achei que a playlist em si teria mais importância.

      o que é chato é que ele fica querendo voltar a noite em que o amigo morreu e tentar descobrir o que o levou a isso. affffffffff, é o livro todo essa mesma conversa: mas por queeeeeeeeeee?

      kkkkkkkkkkk

      Excluir
  9. Poxa, desanimei.... Queria muito ler esse livro, justamente pelo mimi que estava rolando sobre ele ser muito bom e tals, mas agora vejo uma resenha de um ângulo diferente que mostra que ele não e tãoo bom e me deixa sem vontade de ler :(
    Pelo menos você falou sua opinião sincera né rsrs
    Vou pensar seriamente se leio ou não, não estou afim de livros com mistérios desnecessários.
    Beijos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Vale a pena ler sim.
      É menos do q eu esperava, mas eu gostei!

      Excluir

Laura Lendo...

Lud Lendo...

Luiza Lendo...