26 junho 2015

[Resenha] Apenas um dia

Apenas um Dia 
Autor: Gayle Forman



A vida de Allyson Healey é exatamente igual a sua mala de viagem: organizada, planejada, sistematizada. Então, no último dia do seu curso de extensão na Europa, depois de três semanas de dedicação integral, ela conhece Willem. De espírito livre, o ator sem destino certo é tudo o que Allyson não é. Willem a convida para adiar seus próximos compromissos e ir com ele para Paris. E Allyson aceita. Essa decisão inesperada a impulsiona para um dia de riscos, de romance, de liberdade, de intimidade: 24 horas que irão transformar a sua vida.Apenas um Dia fala de amor, mágoa, viagem, identidade e sobre os acidentes provocados pelo destino, mostrando que, às vezes, para nos encontrarmos, precisamos nos perder primeiro... Muito do que procuramos está bem mais perto do que pensamos.

Eu fiquei "in love" com Se eu ficar e me apaixonei pela escrita da Gayle. E eu gostei do livro, apesar de ter esperado um pouco mais. Mas eu quero começar falando sobre a coisa que eu mais gostei!

O que eu mais gostei em Apenas um dia foi a forma como tudo sempre volta a um lugar-comum: o acaso. Acaso pode parecer uma palavra pouco interessante à primeira vista. Um acidente, talvez. Particularmente, evoca pra mim a ideia de algo que eu não esperava e que muito provavelmente não deveria ter acontecido. O livro dá muita ênfase nessa expressão. Mas acaso... é mesmo apenas um acaso ou deveria acontecer desde o princípio e nós apenas não sabíamos disso? Bem, a resposta já foi dada e é óbvia: não sabemos. Mas apesar de não darmos muita importância - justamente por não podermos prevê-los - é que eles são tão importantes. Nós nunca sabemos o acaso que vai mudar nossa vida para sempre. Ou nos mudar para sempre.

"Estou falando das pequenas coisas que acontecem. Às vezes elas são insignificantes, outras vezes, mudam tudo."

Allyson tem sua vida toda programada pela mãe. Os lugares aonde deve ir, os cursos que deve fazer, carreira... Tudo. Mas as coisas começam a mudar quando seus pais lhe dão de presente um tour pela Europa. Oh, não entendam mal, a princípio nada muda. A viagem, assim como sua vida em geral, segue aquele cronograma planejado cuidadosamente desde o início. Até que ela conhece Willem quando está prestes a entrar no teatro. Willem é ator e ele, com outros colegas, estavam convidando as pessoas para assistirem a peça deles.

Willem é lindo, independente... Livre. E acredito que isso é o que a faz se sentir tão atraída por ele logo de cara. Ah, os opostos! Mas ela e Willem são muito mais parecidos do que ela poderia imaginar e é o que ela acaba descobrindo.

" - Você acha mesmo que é assim que funciona? Que a vida pode mudar de uma hora para outra? - Acho que tudo está acontecendo o tempo todo, mas, se você não se coloca no caminho, acaba perdendo."

Após um pequeno surto de coragem Allyson e a amiga escapam do teatro e vão assistir a apresentação de rua de Willem. Algo aparentemente sem importância, mas que parece ter um efeito decisivo na nossa personagem principal, que ao encontrar Willem novamente quando está prestes a embarcar de volta para casa, decide se aventurar por um dia com ele em Paris. Sim, assim do nada.

Confesso que foi uma das coisas que me incomodou. Achei uma atitude muito... Rebelde (irresponsável, perigosa, exótica, extravagante), para alguém que nunca tinha "pisado fora da linha" (nem vale contar a fuga do teatro porque a amiga teve um papel decisivo ali). Eu sei que eu não teria ido, por mais lindo que o cara fosse, mas enfim né, ela foi. 

Outra coisa que me incomodou na Ally foi a atitude possessiva e inclusive infantil que ela parecia exibir em relação a Willem. Deixando de lado que eles estão "juntos" há um dia e se conhecem em menos de uma semana, cada vez que uma mulher ficava se derretendo em cima dele a menina tinha um mini surto, querendo saber de onde ele conhecia, se eram amigos, onde se conheceram, há quanto tempo... E cara, não digo que não seja uma reação normal sentir ciúmes. Sério. Eu sinto ciúmes até das minhas amigas. Dos meus livros então pff. Mas você crivar a pessoa de perguntas, demonstrar o quão incomodada fica assim de cara uma pessoa que você conhece há menos de uma semana! Acho muito imaturo, além de falta de amor próprio. Porém em alguns momentos consegui me identificar com ela, o que conseguiu me fazer não detestá-la. Ela tem suas vulnerabilidades, ela é insegura e ela nunca teve a oportunidade de descobrir seu potencial por si mesma. Ela está apenas descobrindo quem é. E Willem tem um papel importante nessa descoberta.

Mas será que um dia será o bastante para eles?
"Vou guardar você bem aqui. - Ele apontou para a testa. - Onde você nunca vai se perder."

Compartilhe!

14 comentários :

  1. Eu já tinha lido a sinopse desse livro, e confesso que não me chamou muito atenção.
    Eu gostei muito da historia de "Se eu ficar", mas dessa nem tanto.
    De qualquer forma, foi uma boa resenha. :*

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Thais!
      Pois é, eu gostei muito de Se eu ficar, acho que isso causou uma certa expectativa, esperei algo que fosse tão bom quanto. Aí me decepcionei :(
      Bjs.

      Excluir
  2. Eu estava querendo ler esse livro, mas quando li sobre o ciume excessivo me fez repensar. Eu odeio os personagens com esses mimis.
    Gostei muito da resenha e de sua opinião sincera. bjs

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Kelis!
      Pois é. Eu não gosto muito de ser crítica, mas eu aprecio muito a liberdade num relacionamento, por isso a atitude dela me deixou meio desanimada. Mas acho que é um livro bom, desde que você não tinha muitas expectativas sobre ele, como foi o meu caso.
      Bjs.

      Excluir
  3. Boa Resenha :)
    Eu vi a capa e gostei, mas quando fui ler a sinopse não gostei muito.
    Eu não sei, não me chamou atenção.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Thiago.
      Pois é, ele tem uma escrita legal, talvez se eu tivesse lido ele antes de Se eu ficar, eu teria gostado mais.
      Beijos!

      Excluir
  4. hum. devo dizer que tb nao me chamou atenção, mas por outro lado, o livro é totalmente meu tipo.
    agora que saiu o livro dois dá pra pensar em arriscar, rs

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Pois é, eu gosto de um romance também ne kk'
      Arrisca sim, quando tiver com tempo extra e sem nada urgente pra ler, talvez você goste xD

      Excluir
  5. A premissa não me chamou muito atenção, mas talvez eu arrisque a ler esse livro.
    Gostei muito da sua resenha, achei ela bem sincera.:*

    ResponderExcluir
  6. Não gostei da sinopse e nem da resenha, não da SUA resenha, e sobre o livro, ele me pareceu muito chato, e perdi totalmente a vontade de ler.... Não acho que irei ler algum dia.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Bruna.
      Te entendo, mas não sei né, talvez em algum outro momento. Seria bom que você tivesse sua própria visão da história ;)
      Bjoo

      Excluir
  7. Sua resenha esta show, deu até vontade de ler o livro, achei a sinopse bem interessante

    Daily of Books

    ResponderExcluir





Copyright © 2017 Every Little Book. TODOS OS DIREITOS RESERVADOS | OddThemes | ILUSTRAÇÃO: Yuumei