[Resenha] Par Perfeito


Par Perfeito
Eleanor Prescott
Editora Valentina
352 páginas



Mesa para Dois é uma agência de relacionamentos, relativamente pequena, mas que tem uma taxa de sucesso muito boa. Audrey a fundou há alguns anos para ajudar pessoas a acharem o amor. Mesmo que ela própria nunca tenha encontrado. O livro todo se passa nesse universo de agências de relacionamentos, reuniões entre agências, baile das agências, e muitos encontros. Todos os personagens principais de uma forma ou de outra buscam pelo seu Par Perfeito.

Alice, é uma casamenteira incrível, funcionária da Mesa para Dois que acredita no amor e em finais felizes, ela acredita que para cada pessoa existe outra perfeitamente compatível. Ela é uma sonhadora! Não vive toda arrumada, acredita que se alguém vai se apaixonar por ela tem que ser por quem ela é de verdade, com cardigã folgado, sem maquiagem e sem pentear o cabelo.



Audrey, é uma babaca na verdade. Egocêntrica e superficial. Dona da agência de relacionamentos Mesa para Dois, mas não sabe interpretar as pessoas muito bem, já fazem anos que juntou o último casal. Mas isso não faz com que ela se sinta inferior, pelo contrário. Solteirona, mas tenta mascarar isso a todo custo.
Kate, é uma workaholic que se acha gorda, também acha que nunca vai ser capaz de encontrar algum namorado porque nunca tem tempo de ter encontros. Ela tem esse plano traçado na sua cabeça de que antes dos 35 anos quer estar casada e com dois filhos, mas ela já está com 32 e nem perto de realizar esses planos, por isso começa a se desesperar e se afilia à Mesa para Dois na esperança de se casar logo. Mas não com qualquer um, ela também tem definido todas as características que seu namorado precisa ter especificamente, ela não aceita nada menos que isso. Achei a Kate a mais real dos personagens, gostei muito dela.

Lou é uma bartender que acredita que com beleza e sexo ela pode conseguir tudo o que quer. Vive maquiada e com roupas que segundo a sua melhor amiga Kate, são inapropriadas para alguém na idade dela. Lou realmente é inteligente e poderia ter muito mais da vida, mas se acomoda em ter sexo com qualquer um, incluindo o seu chefe casado, e não ter outros objetivos na vida.
“É a isto que se resuma: beber até ficar desinibido o bastante para fazer a dança do acasalamento e ganhar uma transa naquela noite. Porque sábados a noite são apenas danças de acasalamento que duram muito - a Mãe natureza em seu aspecto mais puro; uma noite da semana dedicada unicamente à procriação da espécie. Os homens eram tão simples, pensou ela. Você só precisava fazer sua dança do acasalamento e eles eram seus.”

Sheryl, é uma vaca, não sei outro jeito de descrevê-la, é a dona da maior agência de encontros e vive para infernizar a vida da Audrey. Não liga para quem vai prejudicar no meio do caminho, desde que conquiste os seus objetivos. Não gostei dela, ainda bem que são poucos capítulos com foco nela.


Todas elas estão interligadas de alguma forma, mesmo que indiretamente, mas não poderiam ser mais diferentes entre elas.
“É porque você é o meu par perfeito - (…) - Você é uma mulher magnífica: uma nau capitânia de sua espécie, um transatlântico entre um oceano de barcos rebocadores e navios de carreira.”
Adorei a narrativa em terceira pessoa intercalada entre os personagens, com pequenos capítulos, fez com que o livro não se tornasse cansativo. Na verdade toda a narrativa é bem interessante e descontraída, é um chick-lit leve que nos ensina a nos aceitar como nós somos e nunca desistir de encontrar o amor, ele pode estar onde nós menos esperamos.

*O que é essa diagramação linda?? Fiquei apaixonada, tão cheia de detalhes, que logo me conquistaram! <3




3 comentários:

  1. Ownnnnnnnnnnn

    eu estava namorando o livro, mas ele foi para vc primeiro... mas vou lê-lo depois da Bienal.

    A diagramação é lindaaaa!!!

    ResponderExcluir
  2. poxa, talvez eu esperava uma nota maior. kkkk
    ainda assim quero ler, mas agora vai pra um lugar mais abaixo na lista ;)

    ResponderExcluir
  3. Oi Laura.
    Eu amo chick-lit, meu gênero favorito, e eu precisava de uma opinião sobre esse livro, sua resenha veio na hora certa.
    Ah quero muito conhecer a Sheryl e descobrir porque ela é uma vaca hahaha.

    Beijos.
    Leituras da Paty

    ResponderExcluir

Laura Lendo...

Lud Lendo...

Luiza Lendo...