[Resenha] A Vida do Livreiro A. J. Fikry

A Vida do Livreiro A. J. Fikry 
Gabrielle Zevin
Ano: 2014
Páginas: 192



Skoob / Editora / Compre
Uma carta de amor para o mundo dos livros “Livrarias atraem o tipo certo de gente”. É o que descobre A. J. Fikry, dono de uma pequena livraria em Alice Island. O slogan da sua loja é “Nenhum homem é uma ilha; Cada livro é um mundo”. Apesar disso, A. J. se sente sozinho, tudo em sua vida parece ter dado errado. Até que um pacote misterioso aparece na livraria. A entrega inesperada faz A. J. Fikry rever seus objetivos e se perguntar se é possível começar de novo. Aos poucos, A. J. reencontra a felicidade e sua livraria volta a alegrar a pequena Alice Island. Um romance engraçado, delicado e comovente, que lembra a todos por que adoramos ler e por que nos apaixonamos.


" Venha querida, vamos adorar um ao outro antes que não haja mais um ou outro." 
E bem assim começa mais um daqueles livros que a gente não da muita bola. Sim, de fato eu estava na livraria buscando algo novo, que me fizesse ansiar pela leitura, já que ultimamente tenho lido historias sempre parecidas. Homens ricos, belas mocinhas em apuros e tal... nada contra, mas eu gosto mesmo é de historia diferente, inovadora e que de uma certa forma mexa comigo.
Quando vi a capa desse livro e o titulo, logo me chamou a atenção, afinal, como boa leitora, já pensei diversas vezes como seria um sonho trabalhar numa livraria. E não tive duvidas, larguei o livro conhecido de um autor renomado que eu ia levar e trouxe o livreiro comigo.
A Vida do Livreiro A.J.Fikry conta a historia de um jovem viúvo, nerd, um tanto mal humorado, excêntrico, mas que no fundo tem um coração enorme. A.J. acredita na leitura, defende com unhas e dentes a importância da livraria,mas esta descrente com a vida, solitário e no fundo, deprimido. Sente falta da sua falecida esposa Nic, que também era apaixonado por livros e que foi quem o ajudou a fundar a Island Books. Moradores da uma pequena ilha chamada Alice Island, a livraria de A.J. não chega a ser uma boa fonte de renda, porém é quase que um patrimônio histórico da pequena cidade, tendo sido vista como referencia para a pequena ilha.
Com personagens cativantes,desde o policial Lambiase que sempre esta por perto nos momentos mais importantes da vida de A.J., até mesmo Amelia,uma representante de vendas de uma editora, que de certa forma é um pouco parecida na sua excentricidade com A.J., a sua ex cunhada
Ismay Parish e seu marido Daniel, um escritor, todos são personagens que fazem a diferença nessa historia.
Diante de tantos problemas,sua livraria em queda, uma edição rara de um livro pessoal seu roubada, suas bebedeiras constantes na solidão de sua casa, A.J. vê sua vida mudar totalmente quando um pacote pequeno e bem pesado aparece inesperadamente em sua vida. É justamente essa entrega inesperada que dará a chance de A.J. recomeçar a sua vida, refazer sua historia e reconstruir até mesmo sua livraria, fazendo com que toda cidade note a diferença.
"Primeiro, acha que é alegria, mas depois determina que é amor. Amor, porra, ele pensa.Que encheção. Atrapalhou seu plano de beber até a morte, de arruinar o seu negócio. A coisa mais irritante é que quando começa a se importar com uma coisa, começa a se importar com tudo."
Pois bem, nesse livro você terá, amor, aventura, tristeza, será uma misto de situações todas bem contadas,que faz com que você devore as 186 paginas rápido para saber o final dessa linda e comovente historia de um homem apaixonado por seu mundo...o mundo dos livros!!!!
Eu realmente gostei muito do livro, não é uma leitura excepcional, nada que vire filme, mas é de uma delicadeza, de humor (as vezes meio negro), mas que mostra o quanto nossa vida pode mudar, o quanto amadurecemos durante nossa caminhada e o principal, o quanto a leitura engradece, une e transforma as pessoas.
Se eu tivesse que destacar ponto marcantes nessa leitura, eu diria que a cidade se vê contagiada e passa a frequentar e ler mais, e como os e-reads(leitor digital) podem deixar um livreiro de cabelo em pé (kkkkk,essa parte foi bem legal, confesso que agora entendo bem mais o sentimento dos donos de livrarias).
Por fim, o desfecho dessa livro me emocionou, de certa forma eu diria que até me surpreendeu, mas.... a vida é assim. Cada dia que acordamos é uma nova etapa no nosso destino e precisamos estar preparados para tudo. Por fim, o desfecho dessa livro me emocionou, de certa forma eu diria que até me surpreendeu, mas....a vida é assim. Cada dia que acordamos é uma nova etapa no nosso destino e precisamos estar preparados para tudo.
O que me fez ter a certeza de que o livro era bom, foi que ele deixou saudade e de uma forma que nem eu sei como explicar, deixou um carinho especial por essa historia.
Acho que no fundo eu sei o por que...".Ás vezes alguns livros só nos encontram no momento certo"
Boa leitura!




11 comentários:

  1. Que bacana conhecer uma estória tão interessante; lembrei da trilogia do Zafón (O Cemitério dos Livros Esquecidos).
    Fiquei curiosa para saber mais deste tal "pacote"!
    Gosto muito quando as estórias tem um certo humor, mesmo que seja negro, hehe!
    Morri de dó pelo roubo da obra rara!! Espero que seja encontrada!
    Adorei a resenha!

    ResponderExcluir
  2. muito boa! nunca encontrei um livro que fala de outros livros e de como eles são importantes, como se fossem pessoas "Ás vezes alguns livros só nos encontram no momento certo" rsrs como leitora achei fofinho, como se fosse uma declaração de amor ou algo do tipo kkkk

    pena que pelo jeito ele é bem curto, mas pelo jeito vale a pena.

    ResponderExcluir
  3. Nossa esse livro pelo visto é demais, segunda resenha que leio dele e ambas são positivas, eu creio que possamos aprender com o livro, e quem nunca sonhou em trabalhar em uma livraria, imagina só, seria um sonho, adorei a resenha.
    Beijos!!!!

    ResponderExcluir
  4. Não esperava tanto desse livro. Achei que seria chatinho e me surpreendi ao ler a resenha. que bom que você o leu e me deu este prazer. Mudei totalmente meu foco de leitura agora. vou dar prioridade a este e vou ver se aprovo como você. Obrigada pela linda dica. Beijos.

    ResponderExcluir
  5. “Nenhum homem é uma ilha; Cada livro é um mundo”.
    Adorei essa citação!
    Mais um desses livros que a gente não dá nada...
    Pelo visto vale muito a pena ser lido!

    ResponderExcluir
  6. Quando vi esse livro pela primeira vez em outro blog nem cheguei a olhar a sinopse depois de olhar com mais atenção na capa dele e na sinopse novamente por aqui,vi que o livro realmente merece uma chance.

    ResponderExcluir
  7. Já é a segunda vez que vejo uma crítica positiva sobre esse livro, agora está definitivamente anotado nas minhas listas de leitura.
    Alias, devo parabenizar a Helaine que sempre trás livros com temáticas diferentes. Tomei coragem e li uma indicação (desculpe se não for sua, mas acho q é), Carta de amor aos mortos, e adoreeeeeei :D

    ResponderExcluir
  8. Adorei a resenha! Sempre fico com curiosidade para saber como seria trabalhar em uma livraria e fiquei curiosa para acompanhar este personagem. A capa do livro é bem simples, não chama muito a atenção, mas a estória parece ser ótima! Fiquei curiosa para saber que pacote é este que chegou e como irá mudar a vida do livreiro!
    Vou colocar em minha lista!
    beijos

    ResponderExcluir
  9. Hi.
    As vezes tenho preguiça de ler resenhas, ainda mais de livros que não me chamam muito atenção. Mas a sua resenha me chamou atenção no início e no fim. As vezes também me canso com algumas leituras, hoje no mercado tem muitos livros parecidos e tem alguns que nem chama muito nossa atenção as vezes e acabamos amando a leitura. Fiquei curiosa com o final do livro, o que realmente acontece com A.J.
    Bye;*

    ResponderExcluir
  10. Adorei a premissa do livro. Te contar uma coisa, até leio e-book, mas eu amo demais os livros físicos e espero que nunca parem de publicar desse modo. Ando sempre com um livro em minha mochila e como o A.J. adoraria ter uma livraria. Iria estar em meu habitat natural. Quem sabe mais pra frente não leio este livro.
    Visite: Paradise Bookss
    Beijos.

    ResponderExcluir
  11. ''É o medo secreto de que não é possível sermos amados o que nos isola - diz a passagem -, mas é apenas porque estamos isolados que pensamos não sermos amáveis. Certo dia, não se sabe quando, vai estar dirigindo por uma rua. E certo dia, não se sabe quando, ele, ou ela, aliás, estará lá. Será amado porque, pela primeira vez na vida, realmente não estará solitário. Terá escolhido não estar solitário.''

    "Lemos para saber que não estamos sós. Lemos porque estamos sós. Lemos e não estamos sós. Não estamos sós."

    "Lembre-se, Maya: as coisas que nos tocam aos vinte não são necessariamente as que nos tocam aos quarenta, e vice-versa. Isso é verdade para os livros e para a vida"

    “Não somos as coisas que colecionamos, adquirimos, lemos. Somos, enquanto estamos aqui, apenas amor. As coisas que amamos. As pessoas que amamos. E estas, acho que estas realmente continuam.”

    Li numa sentada, só tem 155 páginas, mas são tão intensas que parece uma trombada de bitrem!!! M A R A V I L H O S O!!!

    Viviane Gonçalves
    vsg_caue@hotmail.com

    ResponderExcluir

Laura Lendo...

Lud Lendo...

Luiza Lendo...