16 julho 2014

[Resenha] Cartas de Amor Aos Mortos

Cartas de Amor Aos Mortos - Ava Dellaira 
Editora: Seguinte
Ano: 2014

Páginas: 344




Tudo começa com uma tarefa para a escola: escrever uma carta para alguém que já morreu. Logo o caderno de Laurel está repleto de mensagens para Kurt Cobain, Janis Joplin, Amy Winehouse, Heath Ledger, Judy Garland, Elizabeth Bishop… apesar de ela jamais entregá-las à professora. Nessas cartas, ela analisa a história de cada uma dessas personalidades e tenta desvendar os mistérios que envolvem suas mortes. Ao mesmo tempo, conta sobre sua própria vida, como as amizades no novo colégio e seu primeiro amor: um garoto misterioso chamado Sky. Mas Laurel não pode escapar de seu passado. Só quando ela escrever a verdade sobre o que se passou com ela e com a irmã é que poderá aceitar o que aconteceu e perdoar May e a si mesma. E só quando enxergar a irmã como realmente era — encantadora e incrível, mas imperfeita como qualquer um — é que poderá seguir em frente e descobrir seu próprio caminho.


" Todos nós queremos ser alguém, mas temos medo de descobrir que não somos tão bons quanto todo mundo imagina que somos." 

Na minha procura por livros diferentes eu me deparei com esse titulo e essa capa que logo me chamaram atenção. Quando procurei sua sinopse, me encantei e decidi passá-lo na frente de outros livros. E foi uma ótima escolha.


Laurel é uma adolescente em fase de luto. Sua irmã mais velha May morreu e ela tenta de todas as formas superar o sentimento que lhe aflige. Em uma atividade dada por sua professora de inglês, Laurel tem que escrever um carta de amor para alguém já morto. O que seria apenas uma uma atividade escolar, se torna a única forma que Laurel encontra para desabafar todos os seus sentimento. Ela decide então escrever cartas para os seu ídolos já falecidos, Kurt Cobain, Janis Joplin, Amy Winehouse, Heath Ledger, Judy Garland, Elizabeth Bishop.
Eu preciso confessar que fiquei um tanto apreensiva com o inicio da leitura, afinal, ler um livro baseado em cartas escritas para pessoas mortas me pareceu meio estranho, e logo quando passei a conhecer a personagem principal achei que o livro cairia naquele clichê de garota introspectiva,querendo ser descolada e popular como sua falecida irmã. Para minha surpresa a leitura foi me envolvendo de uma tal forma que eu precisa descobrir afinal o que Laurel escondia sobre seu passado com sua irmã, já que no decorrer de suas cartas, ela dava a entender que se sentia culpada pela sua morte, eu fiquei inquieta durante toda a leitura para desvendar o que havia acontecido.
" - Sabe por que se apaixonar é o que pode acontecer de mais profundo com uma pessoa? Porque quando estamos apaixonados, estamos totalmente em perigo e completamente salvo, os dois ao mesmo tempo"
E foi ai que a leitura me arrebatou de vez.... realmente eu não consegui ler o livro direto. Devido a grande carga emocional que ele carrega. Em alguns momentos eu tive que simplesmente me desconectar da historia mesmo querendo muito saber qual seria o próximo desabafo de Laurel. Eu sou uma chorona gente, assumida! Mas fiquei tão tocada com a narrativa que eu não conseguia chorar... era um sentimento de angustia em querer saber, entender e desejar que Laurel sobrevivesse aquela avalanche de sentimentos que ela não sabia como lidar.


A autora consegue nos deixar envolvido nesse historia dramática, triste, eu diria até mesmo melancólica, mas na medida certa. As cartas são sem duvida o diferencial desse livro, durante cada carta escrita a gente vai desvendando um pouco da personagem, chega a ser comovente a forma como ela descreve cada pessoa falecida citada, porque na verdade, cada um daqueles citados teve uma morte prematura, trágica e carregada na maioria das vezes de sentimentos fortes em suas curtas vidas. Eu tenho que confessar que foi lindo a poética do livro, a descrição das músicas de Kurt Cobain e Amy Winehouse, e as mensagens embutidas nelas, foram as que mais mexeram comigo, pois eu era muito fã deles. O trecho da carta de suicídio de Kurt citado por Laurel e toda a revolta expressada em sua escrita em como pessoas incríveis, preferiram a morte ao tentar ao menos lutar, foi realmente de fazer prender o ar.
O que mais me surpreendeu é que mesmo sendo um texto baseado em morte, não é uma leitura mórbida ou depressiva. Ela esta tão conectada com seu ídolos que você fica tocado com o tamanho do carinho que ela nutre por eles, e ao mesmo tempo ela se desespera porque sabe que provavelmente todas aquelas pessoas citadas em algum momento se sentiram perdidas, sozinhas e sem saber o que fazer, assim como ela.
Basicamente Laurel é uma linda menina em fase de amadurecimento, insegura, que viu sua família desmoronar primeiro com o divorcio dos pais, depois com a morte de sua amada irmã. Tentando se descobrir e achar sua verdadeira personalidade, mesmo indo para uma escola distante, seu passado ainda a assombra. Mesmo tendo um amor correspondido com Sky, tendo feito boas amizades, ela mesmo se sabota a todo o instante, como se ela não tivesse o direito de ser feliz por causa de sua irmã morta.
Na verdade todos os personagens travavam lutas pessoais. Suas amigas Natalie e Hannah, até mesmo Sky, a mãe de Laurel, seu pai e sua tia.Todos estão tentando superar seus medos e angustias.
Eu preciso admitir que Laurel me cativou, pela sua doçura, bondade e intenso amor dedicado a sua irmã. Ela passou por cima de seus próprios sentimentos para estar ao lado da irmã, foi de cortar o coração quando eu consegui entender o que realmente tinha acontecido.
Eu diria que Cartas de Amor aos Mortos, não é um livro triste, apesar da tristeza estar presente nele na maior parte do tempo. Eu diria que é um livro sobre luto, amor, superação e cura. Ele mostra a importância da família, das amizades nesse processo de cicatrização da perda. Ele nos mostra também que a dor faz parte e precisa ser sentida, e que os bons momentos ficam eternizados dentro de nós, e que é isso que faz com tenhamos forças para continuar nossa jornada.
Por fim, sua ultima carta, escrita em forma poética, o livro tem varias partes assim, me fez chorar tudo o que não havia chorado antes. Uma lição de amor, de reconstrução pessoal, e de que podemos superar nossos maiores medos. Perdas algumas vezes são inevitáveis, mas é o amor que carregamos dentro de nós, que vai nos sustentar a seguir adiante.



Compartilhe!

11 comentários :

  1. Quando vi esse livro pelo primeira vez não prestei muita atenção nele, pois também achei que seria aqueles tipos de historia em que a mocinha e desajustada e ela acha que o mundo a gira em torno dela.
    Mas já é a segunda resenha que leio do livro,e as duas me deixaram com vontade de ler, parece ser um tipo de historia diferente mesmo,a temática é mais original que muitos livros que estão sendo lançados hoje, já o coloquei na minha lista de leitura.

    ResponderExcluir
  2. Pensei que fosse uma leitura depressiva. Mais ainda bem que estava enganada. Se a história é tudo isso que você menciona, vale a pena dar uma lida. espero gostar tanto ou mais que você. Beijos.

    ResponderExcluir
  3. Eu amei,amei mesmo. É a superação de traumas,de perdas,a gente fica afoito para saber o que aconteceu e como Laurel termina sua historia.Espero que gostem.Beijoss

    ResponderExcluir
  4. Hi, Helaine.
    Desde que vi que a Editora Seguinte ia lançar esse livro fiquei muito interessada e a sua resenha me fez querer mais ainda ele. As vezes também procuro livros diferentes para ler, tem algumas épocas que fico muito presa a determinado gênero e quero quebrar com uma leitura diferente.
    Quero ler essas cartas e me emocionar como você. Saber qual foi a causa da morte de May e porque sua irmã se culpa.
    Bye ;*

    ResponderExcluir
  5. O bacana deste livro é pensar na pesquisa que a autora fez para que a personagem escrevesse sobre essas pessoas que morreram... show de bola.
    Não sei se leria/lerei este livro porque tenho lido muitos que contam a estória e o drama de alguém que tenta superar a perda e estou um tanto carregada...
    Eu curti, achei um tanto biográfico, por parecer também um diário, além de apenas cartas a pessoas mortas, já que mostra um pouco da personagem em cada carta!
    Muito legal... mas vou deixar para uma próxima!
    Bjs

    ResponderExcluir
  6. A primeira coisa que me chamou a atenção foi o titulo do livro. Foi nesse momento que fiquei curiosa e interessada e decidi procurar uma resenha rsrs
    A historia parece linda, emocionante e como vc disse envolvente. cheia de sentimentos que fazem vc ficar até meio angustiado. mas parece bom o enredo. Ja li livros que começam com cartas e não achei ruim.

    ResponderExcluir
  7. ahhhhhhh tá aqui pra eu ler em um lugar não muito proximo do topo da lista. alias, estava né. agora foi diretamente pros 'preferenciais'. adorei todos os seus comentários sobre a história!

    ResponderExcluir
  8. Pra falar a verdade estava super interessada nesse livro apenas de ler a sinopse dele e já até fiz o pedido do mesmo. Agora lendo a sua resenha já sei mais o que esperar dele. Escrever uma carta para uma pessoa que já morreu deve ser complicado, não me imagino fazendo isso. Laurel já fez isso pra artistas que gosta, mas para a irmã que faleceu deve ser mais complicado ainda. Quero ler essas cartas, muito ansiosa para meu exemplar chegar.

    Visite: Paradise Bookss

    Beijos.

    ResponderExcluir
  9. Nossa que livro hein, adorie a sua resenha, é a primeira que vejo do livro. Só de ler esse trecho já podemos sentir o quanto o livro é cheio de emoções, imagino como a vida dessa garota deve ser muito dificil isso sim, sei o quanto é dificil perder alguém querido, uma pessoa que amamos muito, creio que irei meio que me identificar com a personagem, estou curiosa para ler o livro, também sou uma chorona assumida hehehe.
    Beijos!!!!

    ResponderExcluir
  10. Oiee
    Adorei esse livro,primeiro por ele me lembrar muito de "As vantagens de ser invisível" em alguns aspectos e não é por menos,li em algum lugar que o Stephen Chbosky que escreveu AVDSI foi meio que o mentor da autora de Cartas de Amor Aos Mortos,devem ter vindo dai algumas semelhanças.
    Mas sem dúvidas esse livro é mais intenso e emocionante que o citado acima,Laurel é apenas uma garota perdida no meio de todos os grandes conflitos que à atingem,tentando de alguma forma sobreviver a seu "novo" mundo.
    Tenho certeza que vou me emocionar bastante com essa história.
    beijos

    ResponderExcluir
  11. Ainda não tinha lido nenhuma resenha sobre este livro, e achei a proposta deste bem diferente. Gosto muito de livros com cartas e fiquei curiosa para acompanhar estas e, também, saber mais sobre a personagem e o que aconteceu com sua irmã.
    Pela sinopse, pareceu ser uma estória bem melancólica mesmo, mas gostei muito de saber que todo o drama foi colocado na medida certa. Acho que vou adicionar á minha lista!
    Adorei a resenha.
    beijos

    ResponderExcluir





Copyright © 2017 Every Little Book. TODOS OS DIREITOS RESERVADOS | OddThemes | ILUSTRAÇÃO: Yuumei