09 junho 2014

[Resenha] Uma Prova de Amor - Emily Giffin

UMA PROVA DE AMOR
EMILY GIFFIN
Ano: 2013 / Páginas: 432

Skoob / Editora 




Primeiro vem o amor, depois vem o casamento e depois… os filhos. Não é assim? Não para Claudia Parr. A bem-sucedida editora de Nova York não pretende ser mãe, e até desistiu de encontrar alguém que aceite esta sua escolha, mas, então, ela conhece Ben. O amor dos dois parece ideal. Ben é o marido perfeito: amoroso, companheiro e — assim como Claudia — também não quer crianças. No entanto, o inesperado acontece: um dos dois muda de ideia a respeito dos filhos. E, agora, o que será do casamento dos sonhos? Uma Prova de Amor é um livro divertido e honesto sobre o que acontece ao casal perfeito quando, de repente, os compromissos assumidos já não servem mais. Contudo, é também uma história sobre como as coisas mudam, sobre o que é mais importante, sobre decisões e, especialmente, sobre até onde se pode ir por amor.


Quando crianças, as pessoas costumam idealizar o que serão um dia: médico, professor, engenheiro... porém, esses ideais vão mudando à medida que vão crescendo, tendo novos objetivos de vida.
Porém, para Claudia, a resolução que tomou de nunca ser mãe, ainda quando criança, nunca mudou e isso permeou toda sua vida. Imediatamente pode-se pensar: qual o trauma que a levou a decidir nunca enfrentar a maternidade? Aparentemente, nenhum. Apesar de não ter tido um exemplo materno em sua mãe, não considera isso como uma influência para a sua decisão. Simplesmente traçou planos e objetivos em sua vida que não incluem um filho.
Aos trinta e um anos, solteira, sente que a sua decisão contribuiu de certa forma para seu atual estado civil, pois deixa claro, em todos seus relacionamentos, que não tem vocação para a maternidade. Diante disso, desistiu de encontrar sua alma gêmea, aquela pessoa que iria compartilhar suas aspirações e suas decisões na vida.
Até que um dia, através de um encontro arranjado entre amigos, ela conhece Ben, e diante da declaração dele de não querer filhos, pretender aproveitar a vida ao máximo sem recorrer à paternidade, ela pensa ter encontrado o homem ideal. Afinal, os dois compartilham a mesma opinião em vários aspectos.
Gostei como a autora, em poucas páginas, explica como se deu o relacionamento dos dois, a forma como foram gradualmente se apaixonando. Sua escrita chegou até a ser poética em certos momentos, o que expressava bem os sentimentos do casal.

Resumindo, nos apaixonamos, todas as coisas se encaixavam no lugar certo. E não era uma alegria sem sentido que vem quando a gente quer acreditar desesperadamente que encontrou o par perfeito. Nosso relacionamento era tão bom, honesto e verdadeiro que, em determinado momento, comecei a acreditar que Ben era minha alma gêmea, a única pessoa que poderia estar ao meu lado. Era algo em que nunca tinha acreditado antes de conhecer Ben.

Diante dessa paixão, os dois resolvem casar, Claudia absolutamente segura de que nunca será pressionada a mudar sua opinião com relação à maternidade. E isso aconteceu, até dois anos depois de casamento, quando Ben quis mais do que somente uma vida a dois: ele passa a sentir desejos de construir uma família com ela, algo que é totalmente rejeitado.
E mesmo que Claudia mostre todos os contras de se terem um filho, razões que achei, como leitora, sem noção e egoístas, Ben não muda suas ideias, o que faz com que o casamento dos dois entre em conflito.
A partir daí, Claudia passa a seguir sua vida, de forma a ir adiante provando sua opinião, negando o amor que tem por Ben, e aceitando a ideia que, afinal, almas gêmeas não existem. Se existissem, um faria o que o outro queria, não? Ou, na verdade, seria abrir mão de algumas coisas para fazer o outro feliz, sem negar a si mesmo?
A história não se concentra somente em Claudia e Bem – este, aliás, fica em segundo plano na maior parte do livro –, envolve dramas familiares, medo de arriscar, assumir o que sente e enfrentar os medos.
Minha sincera opinião de leitora: acho que a autora pecou em não mostrar os sentimentos de Ben, seu ponto de vista, concentrando-se somente em Claudia e suas atitudes muitas vezes covarde e egoísta.
Mas, sem dúvidas, é uma história bem estruturada, bem escrita. Senti falta somente de um final mais longo, daqueles que o leitor não fica divagando no final.
Mas, enfim... boa leitura!




Compartilhe!

9 comentários :

  1. Emily é queridinha, mas eu nunca li um livro dela. Não sei se faz meu estilo. Mas esse definitivamente não faz, o enredo da historia não me animou!

    ResponderExcluir
  2. Lud, sempre tive vontade de ler e nunca tive a coragem! Quase comprei um livro dela... agora desanimei! Mas tem um livro dela, Presentes da Vida, que dizer ser muitooooo bom!

    ResponderExcluir
  3. O livro parece ser ótimo, estou doida pra ler!

    ResponderExcluir
  4. Quero muito esse livro. *o* parece ser muito bom.

    ResponderExcluir
  5. Eu tenho ele... Na verdade tenho uns 3 ou 4 livros da Emliy, mas só li Laços Inseparáveis!
    Todo mundo adoro os livros dela, mas ainda não me conquistou!

    ResponderExcluir
  6. Ainda não li, mas já li muitos comentários bons, sobre os Livros da Emily..

    ResponderExcluir
  7. gosto muito de Ame o que é seu, O noivo da minha melhor amiga e Presentes da vida (PRINCIPALMENTE ESTE) <3 muito amor pela Emily.

    este ainda não tive a chance de ler, mas tá na lista infinita

    ResponderExcluir
  8. Ahhh agora me animei! Esse presentes da Vida já ouvi falar muito bem!

    ResponderExcluir
  9. Realmente este pra mim, é um dos mais belos romances de Emily. Sou apaixonada pela autora. Beijos.

    ResponderExcluir





Copyright © 2017 Every Little Book. TODOS OS DIREITOS RESERVADOS | OddThemes | ILUSTRAÇÃO: Yuumei