18 junho 2014

[Semana dos Nacionais] A Coleira

A Coleira - Nana Pauvolih
Ano: 2013
Páginas: 200
Editora: Editora Multifoco


O que você faria se pudesse salvar as empresas de sua família da falência? Aceitaria a proposta de ir para a cama de um homem rico, frio, lindo, que mexeu com você desde que a fitou pela primeira vez? A jovem Lorenza tinha apenas dezessete anos quando conheceu Miguel Montês. Mas nunca o esqueceu.
Em meio a acordos desonestos e fuga, ela acabou parando na cama dele seis anos depois, obrigada a usar uma coleira e ser prisioneira de um homem que queria cobrar velhas dívidas do passado. De uma louca e intensa atração, permeada por dramas e cenas altamente sensuais, Lorenza vai descobrir o amor de uma forma única, densa, voraz.



Quando estava com dezessete anos, Lorenza viu as empresas do seu pai passar por uma grande dificuldade, ficando à beira da falência. Como medida para remediar a situação, o pai dela recorre a Miguel Montês, um rico empresário que decide ajudá-lo em troca de algo que ele tem de mais preciso: sua filha Lorenza.
Fingindo aceitar a ajuda, o pai de Lorenza aceita o dinheiro e foge do Brasil com a filha, pois não admitia vendê-la dessa forma, o que causa um mal entendido: Miguel acredita que, desde o princípio, ela esteve de acordo em aplicar esse golpe nele, fazendo-o cultivar, junto com a paixão que sente por ela, um grande desejo de vingança.
Após a morte do pai, seis anos depois, Lorenza que viveu com ele em Portugal, decide voltar para o Brasil, decidindo recomeçar a vida, acreditando que Miguel a esqueceu, sem imaginar que, todos esses anos, ele vinha esperando pacientemente o dia em que pudesse chegar até ela e realizar sua vingança, para isso, preparando bem todos os seus passos.
Assim que chega de volta ao Brasil, Lorenza cai na armadilha de Miguel e se vê submetida a ele a aos seus desejos, presa como uma escrava, usando sua coleira.

Agora eu estava ali. Não podia negar que aquela estranha atração, tão forte e intensa, continuava dentro de mim. Mas eu era prisioneira dele e o medo me dominava. Miguel não esquecera e eu sabia que, por trás de sua aparência calma, ele tiraria de mim muito mais do que eu poderia dar. (...)

Mesmo aos dezessete anos, quando conhece Miguel, Lorenza sente uma forte atração por ele, e agora, já uma mulher, mesmo sendo submetida, sente esse desejo mais forte e mais intenso, tornando difícil resistir a atração que sente por ele. E, ainda sendo tratada como uma verdadeira escrava sexual, entrega-se aos desejos dele e às descobertas dos prazeres que seu corpo pode proporcionar. E entrega-se cada vez mais, apesar da frustação de estar presa e das atitudes de Miguel para afrontá-la e diminuir o que sente por ela.
Miguel, um homem perturbado por um passado conturbado devido ao relacionamento com sua mãe que deixou um trauma, não admite se apaixonar. Assim, após sentir seus sentimentos se intensificarem por Lorenza, decide libertá-la, dar sua vida de volta, para afastar essa tentação da sua vida. Porém, quando sentimentos tão fortes estão envolvidos, as vezes é inútil resistir...
O livro, assim como todas as histórias de Nana Pauvolih, é intensamente sensual, justo para pessoas que gostam de um romance que despertam emoções fortes no leitor, seja pelas atitudes dos personagens ou pelas cenas que a autora descreve tão bem.
Então, para quem gosta de histórias mais picantes... boa leitura!

 

Compartilhe!

15 comentários :

  1. Fiquei muito interessada na história. Parece bem intensa e cheia de sensualidade. Vou experimentar ler e ver se aprovo. Beijos.

    ResponderExcluir
  2. Tô louca p ler este livro da Nana, ela escreve muitooooo bem, adogooooooooooo

    ResponderExcluir
  3. Muito curiosa com esse livro e a resenha me deixou ainda mais instigada. Querendo muito!

    ResponderExcluir
  4. Luci, adorei a resenha! Muito obrigada. Sabe que te adoro também, né? rsrsrs Você como sempre perfeita nas resenhas. Um beijão bem carinhoso!

    ResponderExcluir
  5. Gente simplesmente amo os livros da nana são maravilhosos e muito bem escritos!

    ResponderExcluir
  6. Eu preciso, não, necessito desse livro! Só de ler a resenha e a sinopse fiquei querendo saber o que irá acontecer. Vejo muitos comentários dos livros da Nana Pauvolih, mas nunca tinha parado para ler :O Mais um para a minha lista :D

    ResponderExcluir
  7. Alguém sabe se é BDSM? Por que detesto isso!!! Só 50 tons mesmo!!!

    ResponderExcluir
  8. Uauuuu... quero ler, fiquei muito curiosa hehe
    Ainda não cheguei a ler nenhum livro da Nana Pauvolih, mas nos grupos que participo sempre são muito comentados, acrescente na lista, espero poder comprar logo!!!
    Gostei bastante da sua resenha, me deixou com mais vontade de ler ;)

    ResponderExcluir
  9. Só li um livro da Nana e já virei fã dela. Quero muito ter um dia um livrinho autografado pela Nana, acho as historias dela maravilhosas e muito envolventes. Essa não vai ser diferente, certeza. Só pela informação apresentada, vou ficar uns par de dias com vontade desse livro.]

    parabens pela resenha Luci.

    O blog lindo como sempre meninas

    ResponderExcluir
  10. Achei bem interessante, ainda não conhecia, mas fiquei curiosa pois nunca li nada com este mesmo tema e fiquei com vontade de saber como será o desenrolar desta estória. Parece ter um enredo bem construído que prende o leitor!
    beijos

    ResponderExcluir
  11. Dizem que é muito bom fora que gosto muito dos livros da Nana Pauvolih

    ResponderExcluir
  12. Adoro romances "picantes" e pela sinopse já fiquei bem animada,não conhecia a Nana Pauvolih, mas acho que pelo estilo que ela escreve vou gostar bastante não só desse livro mas de outros que ela escrever *-*, gosto dos mocinhos não tão mocinhos e ate meio perturbados mesmos (#shameonme)

    ResponderExcluir
  13. Este eu li pouca coisa sobre ele...
    Mas parece ótimo para os amantes do gênero.
    Eu curto, mas tenho escolhido bem minhas leituras dele, este infelizmente não me interessou tanto. Mas ótima dica de nacional.

    ResponderExcluir





Copyright © 2017 Every Little Book. TODOS OS DIREITOS RESERVADOS | OddThemes | ILUSTRAÇÃO: Yuumei