[Entrevista] Com Vinícius Grossos...

Bom,o autor super gentil de Sereia Negra, Vinicius Grossos nos concedeu uma entrevista, e fizemos algumas perguntas sobre a vida dele, suas inspirações e seus projetos futuros. O resultado você confere aqui em baixo:


1.Conte-nos um pouco mais sobre você.

Meu nome é Vinícius, tenho 21 anos, sou carioca e atualmente moro em Juiz de Fora, Minas Gerais, onde estudo jornalismo na UFJF. Estou ouvindo música em quase todas as horas do meu dia, tenho o sonho de viver só de literatura aqui no Brasil, amo dias nublados, sou viciado em café e todos os meus cachorros se chamaram Bob!

2.Quais foram suas inspirações e influencias literárias?

Quando eu estou em um projeto, eu tento realmente não me influenciar em nada parecido com o que vou criar, e me forço a pensar em uma história que possa ser o mais original possível. Por exemplo, quando estou em processo de escrita, eu procuro não ler nenhum livro, pois tenho medo de que isso vá acabar me ‘influenciando’, mesmo que inconscientemente, de alguma forma.
O que eu gosto de fazer quando estou escrevendo e que de certa forma me inspira, é ouvir música. De verdade, me ajuda demais a entrar na atmosfera do que estou escrevendo.
E quanto as minhas influências literárias, bem... É tanta gente! Mas acho que dos internacionais, cito a JK Rowling e o Markus Zusak, e do time dos nacionais, Raphael Draccon e a Paula Pimenta.

3.Você tem um livro favorito? Por que ele é seu livro favorito?

Nossa, que pergunta difícil! Se eu pudesse citar um top5, seria mais fácil hahaha Mas vamos lá.
(depois de uns cinco minutos pensando)
Eu acho que é ‘Eu sou o Mensageiro’ do Markus Zusak, pois ele consegue fazer com maestria algo que é o meu grande desejo na literatura: poder falar dos temas que eu quero, mas sem fazer isso de forma rasa, sempre deixando uma mensagem mais profunda para o leitor. Mas não posso deixar de citar também ‘As vantagens de ser invisível’ e a série Harry Potter! (foi mal ter trapaceado e falado mais de um, mas foi mais forte que eu hahaha)

4.Como você tomou a decisão de começar a escrever?
Para mim, não há um momento chave em que eu decidi ser escritor. O que aconteceu foi que eu recebi uma dádiva/maldição com o dom da escrita, e quando eu percebi isso, eu tinha duas opções: correr atrás do meu sonho ou viver como um ser humano frustrado. Eu optei pela primeira, e vivo desde então nesta batalha pelo meu espaço.
É engraçado isso, porque eu sempre fui envolvido, de alguma forma, com a arte de escrever. Quando eu tinha sete aninhos, eu fiz e ilustrei meu primeiro livrinho. Algumas pessoas não acreditam, mas é verdade! Era sobre uma estrela que desobedecia os pais e caía do céu, vindo para a Terra hahah Depois, eu comecei a me envolver muito com o universo dos quadrinhos – eu adorava desenhar, criar as histórias, desenvolver as tramas. Mas percebi que meus desenhos eram, na verdade, terríveis (ainda os tenho para provar) e percebi que o meu grande prazer mesmo era a criação das estórias. Foi aí que a minha ficha caiu, com mais ou menos 15, 16 anos, e comecei a correr atrás deste sonho.




5.Sereia Negra é seu primeiro romance, o que você diria para quem também quer começar a escrever?

Parece piegas, mas o maior conselho de todos é NÃO DESISTA. Ficar triste quando recebemos uma resposta que frustra nossos sonhos é aceitável, mas no outro dia, se recupere, reescreva seu texto, o melhore, e continue tentando. No Brasil há muitos bons escritores que talvez nunca vão ser descobertos. A diferença entre os que são publicados e os que não são é justamente a persistência e força de vontade. Então acredite em si próprio e vá à luta!

6.Inês é um personagem de personalidade bem forte, você se inspirou em alguém para cria-la?

Sim! Hora da verdade: Inês é inspirada numa pessoa maravilhosa do meu circulo  pessoal. A Inês (da vida real) é uma tia de consideração minha, que é muito amiga dos meus avós e com quem eu sempre tive contato. Além do nome e da aparência física, a personalidade guerreira de Inês vem dela.

7.A história do seu livro é surpreendente, com varias reviravoltas e conflitos, de onde você tirou a inspiração para cria-la?

Eu não sei! Hahaha No começo, tudo o que eu tinha eram poucas anotações do rumo que eu desejava para o livro, então eu comecei a escrever. Dessas anotações, eu não usei nem 10%, porque quando eu começo a escrever, os personagens parecem ganhar vida própria, e a escrita vai se moldando de acordo com suas personalidades. É louco isso, mas eu me sinto como uma ponte entre meus personagens e os leitores. Então tudo o que preciso fazer é sentar e escrever, pois assim a história vai se desenvolvendo aos poucos, muitas das vezes me surpreendendo!
(Por exemplo, quando eu comecei a escrever, não havia imaginado inserir Iara no livro). Ps.: Desculpa para quem considerar isso um spoiller! Foi mal!

8.Sereia Negra será um livro único ou terá continuações? Você pensa em escrever mais?

Uma pergunta muito pertinente, porque eu a faço a mim mesmo quase todos os dias! E não é brincadeira!? Quando eu comecei a escrever Sereia Negra, eu tinha a intenção de fazer um único livro, sem continuações. Porém, o amor pelos personagens e pela história acabou crescendo em mim de uma forma surpreendente, e agora, com o livro lançado, muitas pessoas parecem ter sentindo o mesmo – que Inês e companhia merecem mais livros, mais páginas dedicadas ao mundo deles. Então, eu realmente estou pensando sim numa continuação...

9.Quais são seus planos futuros, tem algum projeto engavetado, esperando a oportunidade para sair?

Poucas pessoas sabem, mas antes de Sereia Negra, meu objetivo era publicar o primeiro livro de uma série, chamado ‘Quatro Caminhos’, um romance adolescente que não tinha nada a ver com fantasia. Eu tenho, inclusive, 3 livros escritos dos 4 que eu planejo publicar.
Desde 2010 eu corria atrás de uma editora para ele, até que finalmente assinei com uma em agosto de 2012, para a publicação do primeiro volume da série, onde eu deixaria o livro por dois anos à mercê da Editora para a publicação. Por fim, o prazo já irá se esgotar e até hoje a Editora não me deu qualquer justificativa para a não publicação do livro. Então, assim que os direitos voltarem para mim, eu tenho a real intenção de começar a correr atrás para o lançamento desse projeto, que eu acredito muito!

10.Porque sereias, de tantos seres sobrenaturais?

Eu sempre fui fascinado por sereias; Por toda sua aura de sedução, de mistério, de poder. E, para mim, este é um universo que ainda hoje não foi muito explorado. Se você for procurar livros de Sereias, de Vampiros, de Bruxas, ou de outros seres fantásticos, verão que as Sereias são esmagadoramente minorias. Então eu resolvi realmente me jogar no mar, literalmente, e abraçar esse universo.

11.Bom eu sou uma eterna romântica e tenho que perguntar por que temos tão poucas cenas da Inês e do Patrick? Eles são um casal tão lindo.

Hahaha eu tenho coração, viu?! Também sou um grande romântico, mas a intenção do projeto não era focar muito no romance. O livro gira em torno de Inês e de suas descobertas, tanto externas como internas, então Patrick entra ali como uma peça fundamental para que Inês descubra o sentindo do amor, reencontre sua autoestima e a ligue com a vida que tinha antes de ter se tornado Sereia. O amor deles foi consequência.
Mas pode deixar que acontecendo o segundo livro, eu vou me lembrar disso!

12.Bem encerrando a entrevista, deixe um recado para seus fãs.

Eu queria agradecer muito a oportunidade de poder falar um pouquinho sobre mim e meu bebê num blog tão lindo como este, e eu espero, de verdade, que Sereia Negra seja um livro especial para quem decidir pular no mar e mergulhar na história, e que Inês seja um verdadeiro exemplo de que são as diferenças que nos tornam tão especiais e essenciais no mundo. Ame a si mesmo! Obrigado!

Espero que tenham curtido! Quero agradecer ao maravilhoso Vinícius Grossos pela gentileza e atenção, e para quem ainda não leu Seria Negra a resenha pode ser encontrada aqui.

4 comentários:

  1. Ownnnn

    Adorei o recado final !! ❤️

    ResponderExcluir
  2. Amei conhecer o autor e o livro. vou experimentar ler. Parabéns por mais esta entrevista. Beijos.

    ResponderExcluir
  3. Temos a mesma idade! é ótimo ver que temos autores novos entrando no mercado e tenho esperanças que possamos viver num país que valoriza a literatura como 1º mundo. um dia chegaremos lá

    ResponderExcluir

Laura Lendo...

Lud Lendo...

Luiza Lendo...