[Semana dos Nacionais] Entrevista autores de Sonhos

Curiosos para saber um pouco sobre esses três autores incríveis do livro Sonhos?
Confiram a nossa entrevista...




ELB: Vi que são três autores, como funcionou essa dinâmica? Sempre tive curiosidade para saber como funciona isso...
Acho que para entender a dinâmica é preciso saber como foi que tudo começou. Sonhos teve início em 2009, entre uma aula e outra do primeiro ano do ensino médio, mais precisamente em uma aula de história. Eis que surge um de nós três com a ideia de escrever um livro sobre um assassino. Não éramos compatíveis em muita coisa, além de um amor imensurável por literatura.
A construção da história não foi algo complicado, conseguimos complementar o pensamento um do outro com muita facilidade. A preocupação toda foi como não perder a identidade dos personagens no decorrer do livro. Porque uma coisa é escrever um livro em que você já tem ideias definidas para cada capítulo, mas serão pessoas diferentes escrevendo cada um deles. Como continuar com o mesmo nível de sentimento? Como na próxima página manter as mesmas preocupações, os mesmos pensamentos, ou até as mudanças deles em consequência do que ocorreu no capítulo  anterior? E isso nós conseguimos!
Não conseguiremos explicar de uma maneira que as pessoas entendam por meio de palavras como ocorre essa dinâmica. Acho que tem mais a ver com se tornar uma mente só. Pensar da mesma forma, ter o "time" certo do que está acontecendo no livro, de como o personagem se sentiu naquele momento, as consequências de um capítulo para o outro. Respeitamos a inspiração de cada um, e não tem aquela coisa definida de "tal pessoa" escreve esse capítulo, e "outra pessoa" escreve esse. Claro que temos noção de onde um deve parar para deixar o outro prosseguir. Mas, ainda que uma mente só, temos formas de escrever diferentes e ao longo do livro nos adaptamos um ao outro.


ELB: Apesar de boa parte da história se passar na Inglaterra, a sua origem é em Salvador, os personagens são de Salvador, por que os nomes são todos americanos/britanicos? Taylor, Thomas, Natali, Elizabeth, Malfet, Eric, Brian, etc...
Essa é uma pergunta muito delicada. Cada elemento constitutivo de Sonhos é um detalhe importante lá na frente, até mesmo os nomes. Ou seja, só lendo os próximos volumes para se entender o porquê de muitas coisas.

ELB: De onde surgiu a idéia para essa ilha Canário, onde pessoas são alteradas geneticamente para ter poderes e lutar para um 'chefe'? Qual foi a inspiração de vocês para começar essa história...
O ponto de partida foi a ideia de se escrever com um assassino. Não queríamos escrever um livro comum de um assassino comum com objetivos comuns. Queríamos "Taylor Shcneider", e para isso precisávamos de um passado complexo e rico, que consequentemente tornou-se a base para toda a sequência da história. 
Nós precisávamos de um local onde o ser humano fosse reformulado. Que desse noção de prisão, sofrimento, dor, e que as pessoas criadas lá aprendessem a ser o que a Ilha Canário queria que fosse, seres apáticos em relação ao o outro, em relação a tudo que as pessoas normais valorizam, amor, lealdade, irmandade, ou até mesmos coisas bestas, como costumes. Então uma ilha deserta, com uma fortaleza quase impenetrável, em que o cheiro de morte e o som de dor é algo constante pareceu-nos uma boa ideia para ser o nascedouro de alguns dos personagens do livro. 
Mas, acredite a Ilha Canário é apenas uma Ilha Canário.

ELB: Eu sempre fico curiosa para saber o que inspirou o autor para criar os seus personagens. Quando eu leio, crio uma imagem na minha cabeça, e fico me perguntando como é para vocês autores. O que ou quem inspirou a criação de Taylor e Sophia? Joseph? E o meu favorito Thomas? Thomas para mim tem uma personalidade complexa, e um charme a parte. Adoraria um livro focado na história dele com a Luh, para mim, ainda tem muito mais do Thomas para ser contado!
Nós não criamos nossos personagens com alguém já estabelecido em nossas mentes, pelo menos, não no aspecto físico. 
Taylor Shcneider deveria ter um tipo de beleza "crua". Uma beleza que encanta, mas ao mesmo tempo, seja misteriosa. Uma beleza tão rica que chega-se a ser oca. E quanto ao psicológico, ele é um assassino, um tipo de ser frio, calculista e altamente objetivo, mas contraditoriamente, um ser que absorve tudo a sua volta.
Nós costumamos a dizer que existem dois tipos de beleza em Sophia. A Sophia na visão de Taylor, que é aquela mulher perfeita, a sobrancelha perfeita, a boca perfeita, os olhos perfeitos, o tipo de beleza criada para ele. E a Sophia na visão dos outros, uma mulher muito bonita que tem um olhor encantador. Ela é uma personagem que deveria ser muito humana, mas que ao mesmo tempo tivesse certezas de seus ideais. Um perfil misterioso em alguns momentos, e em outros totalmente um livro aberto. 
Joseph seria a típica beleza britânica. Loiro de olhos azuis. Joseph deveria ser alguém com o perfil totalmente diferente do de Taylor. Algo para evidenciar esse choque entre dois mundos diferentes.
Thomas, como você mesma disse é um charme a parte. Ele é o tipo de beleza na medida certa da Ilha Canário, com um toque particular de elegância. Criado na Ilha Canário, deveria apresentar os mesmos aspectos que os outros, contudo, sua natureza manteve-se intacta. A sua personalidade é sim muito complexa, mas isso vêm com base no que ele viveu. Ele é o mais velho do grupo, sua experiência de vida é mais longínqua e mesmo com a idade de 21 anos, muitas coisas aconteceram em sua vida, o fazendo perceber determinadas coisas que os outros não.

ELB: Tem previsão para o segundo livro?
Se tudo ocorrer bem, daqui a seis meses.

ELB: Quantos livros serão ao todo?
Cinco. Sonhos, Promessas, Ilusões, Esperança e Salvação. E já temos as histórias montadas de cada um deles. Atualmente estamos no quarto livro, Esperança.

ELB: Muitas perguntas ficaram sem resposta em Sonhos, elas serão respondidas no próximo?
Não todas. Sonhos é uma história que vai se construindo, e acredite é muito, mas muito maior do que você pensa que é quando o lê. Sonhos é o início de tudo, o ponto de partida para uma história gigantesca. 
Ainda assim, muitas perguntas são respondidas em Promessas, contudo, essas mesmas respostas suscitam outras perguntas. A questão toda é que Sonhos tem como foco o "ser humano" em si, suas emoções, suas preocupações, suas valorações. Tenta enxergar a questão se somos frutos do meio em que vivemos, ou se já temos um perfil definido e que ele apenas aflora a medida em que o tempo passa.
A história se desenrola, acontecimentos surgem, mas isso tudo, para eclodir determinadas atitudes dos nossos personagens que farão a história se tornar algo maior do que já é. Mistérios, romances, ação. Guerra!

ELB: Como foi a procura por editora?
Sinceramente? O mercado editorial brasileiro é muito fechado, quem geralmente consegue publicar com facilidade é quem tem uma disponibilidade muito grande de dinheiro, o que infelizmente faz com que muitas estórias boas não cheguem ao conhecimento do público. 
Muitas editoras não leem o original enviado, outras fazem pouco caso dos mesmo. Mas, enfim, com muita luta e bastante persistência, conseguimos. E esperamos que daqui para frente, as coisas melhorem.

ELB: Demorou muito para concluir o livro? E para lançar? Resume para nós esse processo...
Por conta de internalizarmos um perfil que ainda muito parecido com o nosso, era extremamente mais complexo, o primeiro livro demorou um ano e meio, era preciso cuidado quanto a cada atitude, cada palavra, cada gesto. Tudo que acontece em Sonhos tem um motivo e um porquê, então não poderíamos escrever de qualquer forma.
Depois que conseguimos a Editora, lançar se tornou mais fácil. Levou em torno de quatro meses.



Promessas


A saga Sonhos parte para a fase de Promessas. Nesse novo livro, Taylor após a sua escolha final, se vê perdido mais uma vez. Com conflito de personalidade, ele busca entender que novo rumo deverá dar a sua nova vida. Afinal, tudo que aprendera foi causar dor. Nunca planejara um futuro para si mesmo, até encontrá-la. 

Mas as coisas não acontecem como o previsto. Com a ajuda de seus novos e velhos companheiros, ele enfrentará um desafio pior que o anterior. Descobrir os segredos que envolvem sua vida e a de Sophia Mellanie. E achar um meio de se manterem vivos até lá. 

Através de um guia inusitado, as descobertas os levarão a caminhos perigosos e que poderão mudar toda a base de suas vidas. Entre perdas e novos sentimentos, promessas serão feitas, mas nem todas serão cumpridas.

Um comentário:

  1. Primeira vez que leio algo sobre este livro e autor. Fiquei curiosa com a estória que menciona aqui e também encantada. Vou tentar procurar e acompanhar essa série. Espero gostar muito. Beijos.

    ResponderExcluir

Laura Lendo...

Lud Lendo...

Luiza Lendo...