[Resenha] Souvenir - Therese Fowler


Souvenir

Therese Fowler
Editora: Suma de Letras
Ano: 2009


E se a única pessoa que pode ajudar você fosse aquela cujo coração você partiu? Adolescentes, Carson McKay e Meg Powell são loucos um pelo outro. Até que, aos 21 anos, ela anuncia de repente que vai se casar com outro homem. Carson, atordoado, mergulha na música para afogar suas mágoas, o que acabará por fazer dele, um grande astro do rock. Meg se entrega ao papel de esposa, mãe e dona de casa para o homem que, secretamente, salvou sua família da ruína. E vinte anos se passam. Apreensiva com a impulsividade com que a filha Savannah descobre a sexualidade, Meg agora vê o fogo da paixão adolescente sob uma nova perspectiva. A descoberta do diário de sua falecida mãe a ajuda a entender melhor os acontecimentos do passado. E, de volta à cidade natal depois de longa ausência, desta vez é Carson quem está de casamento marcado. Após duas décadas, as lembranças da juventude vêm bater com força à portados dois. E Carson terá uma nova oportunidade de se mostrar fundamental na vida de Meg. Souvenir é um drama pungente que lança luz sobre a possibilidade de segundas chances, as escolhas ingênuas da juventude, as tensões familiares e o poder transformador do amor. 





Começo dizendo que Souvenir não é um livro qualquer, aquele que você está em um momento de bobeira, pega ele, senta na rede e começa a ler enquanto come chocolate. Não. Você precisa estar no clima, porque a história é bem pesada, não no sentido de cenas fortes, mas no sentido de te dar um tapa na capa.
Meg Powell é uma menina apaixonada pelo garoto da fazenda ao lado, Carson McKay. E eles sempre foram melhores amigos e viveram todas as experiências juntas e já estavam pensando em casamento quando a família de Meg, sufocada por um monte de dívidas e medo de perder a fazenda – o único sustento deles, a encoraja a se comprometer com Brian Hamilton, filho do dono do banco a quem eles devem.
Pressionada, Meg cede e se casa com Brian (não me matem, está na sinopse, rsrs). Ela até tinha esperanças de desenvolver algum tipo de sentimento por ele com o passar do tempo, mas mal sabia ela que o futuro lhe reservava um marido frio que só pensava em trabalho.

“Brian era um homem que contava com o sucesso; ele acreditara que a ganharia, e fora sua confiança, mais que sua aparência, que ela achara atraente no começo. Ele era amigável, decidido, divertido — depois que Meg passara a conhecê-lo, gostara muito dele, mas não de uma maneira que perdesse a cabeça, de jeito nenhum. Ela amou Carson até — e após — o dia em que Brian viera ao encontro com a proposta-surpresa.  Prova de que o amor não vencia tudo”.

Savannah, filha de Meg, estava sempre insatisfeita com o amor exagerado da mãe em cima dela e pelo outro lado, a falta de amor do pai. Ela conhece um rapaz pela internet, Kyle e passa a dividir tudo com ele (tipo, literalmente tudo mesmo; cama, carteira, kkkkk) em segredo dos pais, até que um dia isso deixou de ser segredo.
No meio disso tudo, Carson, agora um músico rico, resolve se casar pela segunda vez com uma menina mais jovem e fica se lembrando cada vez mais da época em que esteve com Meg, até que a encontra por acaso quando vai experimentar o terno de seu casamento e o sentimento dos dois fica confuso a partir dali.

“Ele se sentou novamente, as mãos nos joelhos, a cabeça baixa.  — Não existe felicidade alguma para mim se não dou tudo que tenho. Você entende, Meg? — Ele a encarou. — É você quem eu quero. Por cinco minutos, cinco horas, cinco dias, o que for, eu aceito e fico feliz. Por favor, permita isso”.

Therese Fowler criou uma história linda de amor para a gente, sobre espera, e sobre escolhas e como uma escolha pode refletir em toda a sua vida. É daqueles livros que você lê e pensa; ‘- Nossa, aquela vez que eu fiz...’.
É o tal ‘e se...’
É legal que te ensina a enxergar a importância de parar e pensar no que nós fazemos, à quem damos a nossa confiança, no que se esconde atrás dos computadores e, se um dia, nós teremos tempo de consertar nossos próprios erros.
Recomendo muito a leitura.











2 comentários:

  1. A capa desse livro transparece uma leveza que me faz até dormir. AHAUSH Brincadeira, mas é muito bonita mesmo. Então... a história me pareceu cheia de reviravoltas e eu já até me arrisco a dizer um pouco sobre a obra, mas espero que hajam surpresas. De qualquer forma, vou querer ler o livro e descobrir um pouquinho mais dele. xoxo
    Hey! Estou de volta a blogosfera, vai lá no blog fazer uma visitinha pufavô? hehe
    Bookmore
    Fuuuui!

    ResponderExcluir
  2. é um trama bem diferente dos livros que estão sendo lançados nos últimos tempos, parece ser bem interessante e realmente algo que você tem que se preparar um pouco para ler...
    ps.: indiquei o ELB para fazer uma tag :)
    http://muchdreamer.blogspot.com.br/2014/11/tag-4-x4.html

    ResponderExcluir

Laura Lendo...

Lud Lendo...

Luiza Lendo...