20 novembro 2013

[Resenha] Paixão sem limites - Abbi Glines

Paixão sem limites ~ Abbi Glines
Título Original: Fallen Too Far
Editora: Arqueiro
Publicação: 05/11/2013

Sinopse: 
Blaire Wynn não teve uma adolescência normal. Ela passou os últimos três anos cuidando da mãe doente. Após a sua morte, Blaire foi obrigada a vender a casa da família no Alabama para arcar com as despesas médicas. Agora, aos 19 anos, está sozinha e sem lugar para ficar. Então não tem outra escolha senão pedir ajuda ao pai que as abandonara.
Ao chegar a Rosemary, na Flórida, ela se depara com uma mansão à beira-mar e um mundo de luxo completamente diferente do seu. Para piorar, o pai viajou com a nova esposa para Paris, deixando Blaire ali sozinha com o filho dela, que não parece nada satisfeito com a chegada da irmã postiça.
Capa original
Rush Finlay é filho da madrasta de Blaire com um famoso astro do rock. Ele tem 24 anos, é lindo, rico, charmoso e parece ter o mundo inteiro a seus pés. Extremamente sexy, orgulha-se de levar várias garotas para a cama e dispensá-las no dia seguinte. Blaire sabe que deve ficar longe dele, mas não consegue evitar a atração que sente, ainda mais quando ele começa a dar sinais de que sente a mesma coisa. 
Convivendo sob o mesmo teto, eles acabam se entregando a uma paixão proibida, sobre a qual não têm nenhum controle. Mas Rush guarda um segredo que Blaire não deve descobrir e que pode mudar para sempre as suas vidas. 

Paixão sem limites – primeiro volume da trilogia Sem Limites, que vendeu mais de 500 mil exemplares como publicação independente – é um livro romântico, sexy e intenso, que vai conquistar os leitores e deixá-los ávidos pela sequência.



Eu li esse livro na minha fase de ler livros YA (Young Adult = jovem adulto) cumulada com minha fase bad boys com tattoos.
Já disse que eu A-M-O bad boys com tattoos?? (Dos livros, em!)



Eles são tão gostosos, trágicos e tem corpos que são verdadeiras obras de arte.



Vocês tem que entender que apesar de eu não ter um tipo de livros favoritos (eu leio de tudo, de tudo mesmo), eu sempre acabo voltando para os livros com bad boys com tattoos, porque eu os ADORO! (gostosos, trágicos e corpos = obras de arte, o que há para não gostar?)

Acho que vocês entenderam...

Então durante minha caça a livros com essa temática no Goodreads, lá me deparo com Fallen Too Far de Abbi Glines.

A sinopse era interessante o suficiente, apesar de um tanto clichê.

Garota com história trágica se muda de sua cidadezinha tentando recomeçar e ali conhece garoto por quem acaba se apaixonando e que carrega com ele a promessa de ser sua perdição.

Nada tão novo até aí.

Ler ou não ler, eis a questão?


Mas as peculiaridades desse livro o fazem passar longe do clichê e o enredo acaba te envolvendo.

Blaire Wynn, nossa mocinha, não apenas é uma garota trágica. Ela realmente é uma garota muito trágica!!!

Tanta tragédia!!

Sua irmã gêmea, que também era sua melhor amiga morreu num acidente de carro.

O pai dela simplesmente abandonou a família depois dessa perda.

Sua mãe lutou contra o câncer por três anos, mas no fim perdeu essa batalha.

Blaire teve que vender a única casa que tinha para pagar as despesas com o tratamento médico da mãe.

Não teve nenhum lugar para ir, por essa razão recorreu ao pai, com quem já não possui mais nenhuma familiaridade, pretendo ficar apenas algum tempo com ele até que conseguisse juntar algum dinheiro para se virar sozinha...

Estão vendo? Dá pra sentir o drama escorrendo pelas páginas.

Sente o drama escorrendo???


E continua... Quando ela chega a casa onde o pai mora descobre que o mesmo foi viajar para Paris e que o filho idiota da nova madrasta dela, que por sinal é o dono da casa onde ela supostamente deveria ficar, não tinha ideia de que ela viria e não esta nenhum um pouco feliz com sua presença ali.

“― Tenho uma casa cheia de convidados esta noite e minha cama já está cheia. ― moveu seu olhar a Grant. ― Acredito que é melhor a deixarmos procurar um hotel até que eu possa entrar em contato com o papai dela.
O desgosto em sua língua ao dizer as palavras "papai" não passou despercebido. Não gostava de meu pai. Realmente não podia culpá-lo. Isto não era sua culpa. Meu pai tinha me enviado aqui. Gastei a maior parte do meu dinheiro em gasolina e comida para dirigir até aqui. Por que confiei nesse homem?
Estirei a mão e agarrei a alça da mala que Grant seguia segurando.
― Ele tem razão. Devo ir. Isto foi uma má ideia. ― expliquei sem olhá-lo. Puxei com força a mala até que ele a soltou a contra gosto. As lágrimas picaram em meus olhos com o pensamento de que estava a ponto de estar sem lar. Não podia olhar a nenhum deles.
Virando-me, fui a caminho da porta, mantendo meu olhar baixo. Ouvi Grant discutindo com Rush, mas o ignorei. Não queria ouvir o que esse lindo homem dizia sobre mim. Não gostava de mim. Isso era evidente. Pelo visto, meu pai não era um membro bem-vindo na família.”

O filho idiota não é ninguém menos do que Rush Finlay, o nosso bad boy tatuado.
E ele é um verdadeiro idiota a maior parte do livro.

A minha cara se alguém falasse comigo da maneira como ele fala com a Blaire.


Mesmo ele sendo um idiota, ele a deixa ficar. Por uma noite. No quarto da empregada, onde não tem nenhuma janela, o mais longe possível de suas vistas.

“― Fiquei sem gasolina. Tenho vinte dólares comigo. Meu pai partiu e me deixou depois de dizer que me ajudaria a voltar a me pôr de pé. Confie em mim, ele era a última pessoa a quem eu pediria ajuda. Não, não uso maquiagem. Tenho problemas maiores que parecer bonita. Agora, vai chamar à polícia ou o guincho? Fico com a polícia no caso de ter uma escolha. ― fechei de repente minha boca ao terminar o discurso. Fui muito longe e não fui capaz de controlar minha boca.
Agora, bobamente, tinha lhe dado à estúpida ideia de um reboque.
Maldição.
Rush inclinou a cabeça e me estudou. O silêncio era quase mais do que eu podia suportar. Só tinha compartilhado um pouco de informação com este tipo. Ele podia fazer minha vida mais difícil se quisesse.
― Eu não gosto do seu pai e pelo tom de sua voz, você tampouco. ― disse pensativo. ― Há um quarto que está vazio esta noite. Vai estar até que minha mãe volte para casa. Não mantenho a sua criada quando ela não está aqui. A senhora Henrietta só deve limpar uma vez por semana quando mamãe está de férias. Pode ter seu quarto sob as escadas. É pequeno, mas tem uma cama.”

"Ta brincando comigo?" Seria minha reação se me mandassem para o quarto de empregada!

Claro que depois que ele conhece a trágica vida da garota, ele acaba permitindo que ela fique por um mês. Até que ela consiga colocar sua vida em ordem, arranjar um emprego, conseguir um novo lugar para morar...

Então ele não é tão idiota assim... mas ele é ainda é um idiota... 

“― Vem aqui, Blaire. ― o tom demandante de Rush veio detrás de mim enquanto uma mão grande deslizava ao redor de meu braço e me devorava contra ele. ― Não esperava que viesse esta noite. ― a advertência em seu tom me dizia que eu tinha interpretado mal seu convite. Seu convite não foi sincero.
― Sinto muito. Pensei que tinha dito que eu podia vir. ― sussurrei envergonhada, Woods poderia estar ouvindo isto. E que outros estivessem olhando. A primeira vez que decidi ser valente e sair de minha carapaça e acontece isso.
― Não esperava que aparecesse vestida assim. ― respondeu com uma mortal calma. Seus olhos encontravam ainda dirigidos para Woods. O que está errado com minha roupa? Minha mamãe se sacrificou por mim para ter este vestido e nunca o tinha usado.
Sessenta dólares era muito dinheiro para nós quando ela me comprou isso. Eu estava cansada desse bando de idiotas que agem como crianças mimadas atuando como se eu estivesse usando algo repulsivo.
Amava este vestido. Amava estes sapatos. Meus pais tinham sido felizes e estiveram apaixonados uma vez. Estes sapatos eram parte disso.
Malditos todos eles, que vão ao inferno.
Soltei-me de Rush e me dirigi para a cozinha. Se ele não me queria aqui para que seus amigos rissem disso, então deveria ter me dito. Mas apenas tinha me feito sentir como uma idiota.
― Qual é seu fodido problema, homem? ― perguntou Woods com fúria. Não olhei para trás. Esperava que eles se agarrassem a socos. Esperava que Woods rompesse o odioso e perfeito nariz de Rush.”

"Quero dar um murro na sua cara."
O desejo de romper o perfeito nariz de Rush era mútuo.

Os dois se sentem atraídos um por outro. Blaire imediatamente se apaixona por ele, porque ele, dãaar, é gostoso, complicado e tem um corpo que é uma obra de arte, com tanquinho, tattoos e piercing... 



Ele admite a atração por ela, mas a aconselha a se manter longe dele... Diz que ela é perfeita demais e que ele a arruinaria... Que os dois devem ser só amigos...

"Não é você, sou eu. Eu sou completamente f-errado."


E isso não deixa só a Blaire confusa, mas também nós leitores... E por isso nos questionamos em conjunto com ela as razões pelas quais ele deseja manter distância...

E a razão mais aparente tem nome:

Nannette ou Nan... A meia-irmã de Rush...

Ela é uma vadia maldosa...

Que vadia!

E odeia a Blaire sem nenhum motivo aparente, simplesmente pelo fato de Blaire existir... E a relação entre Blaire e Rush parecem que apenas pioram toda situação...

E Rush protege a garota com unhas e dentes, inventando desculpas pelo comportamento da irmã e tentando manter ela e Blaire o mais longe possível uma da outra...

Meio que irritante.

Como eu imaginei a vadia da irmã de Rush: Veruca. (A fantástica fábrica de chocolate)

O livro tem altos e baixos. Ficando o ponto mais alto o final explosivo do livro, que para mim foi o que vez o livro valer a pena em primeiro lugar.

Eu fiquei tipo assim ao ler o último capítulo... Uia!

Ao terminar estava mais assim e depois...

Ah, meu Deuuus! É assim que esse livro vai terminar??

Depois, obviamente, fui correndo ler a sequência: Never Too Far.

Não literalmente correndo, apenas... figurativamente correndo!

Então se vocês gostam de YA e caras problemáticos com corpos que são verdadeiras obras de arte, corram ler também.

E se gostaram dessa resenha com gifs, podem conferir as outras assim, clicando aqui: The DUFF e Wait for You. :)

Informações Adicionais:

Abbi Glines nasceu em Birmingham, Alabama. Morou na pequena cidade de Sumiton até os 18 anos, quando seguiu o namorado do colégio até a costa. Atualmente os dois moram com seus três filhos em Fairhope, Alabama.
Autora de diversos livros da lista de mais vendidos do The New York Times, Abbi é viciada no Twitter (@abbiglines) e escreve regularmente no seu blog.






Compartilhe!

14 comentários :

  1. Amei a resenha, super divertida! e mais uma vez fiquei doida pelo livro OMG!!!

    ResponderExcluir
  2. Rarara adorei essa resenha cheia de gifs, super me identifiquei.
    Paixão Sem Limites está na minha lista desde antes da Arqueiro lançar por aqui, mas meu inglês escasso e enferrujado não deixou que eu lesse.
    Com medo de ler agora e ficar morrendo pela continuação. rsrsrsrs

    Abç,
    Garotas de Papel

    ResponderExcluir
  3. Adoreiiiiiiiiiii....

    bem ainda bem q via a resenha, pq não faz meu estilo! mas fiquei curiosa!!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Pode ler, Lud, eu amei, estou esperando ansiosa fevereiro, que é quando sairá o próximo!

      Excluir
  4. eu amo essa serie, toda ela. amei tua resenha, cheia de gifs, e me senti exatamente como tu, principalmente no fim hahaha, beijos

    ResponderExcluir
  5. Amo Abbi! Amo Rush! Amooooooooooooooooooooooooo.... Super recomendada essa série, muita linda!

    ResponderExcluir
  6. Adorei a série!!! Rush me deixou com raiva, depois morri de amor!!! Mas sou #TeamGrant

    ResponderExcluir
  7. Adoooooooro essa série...
    Mas vim aqui só pra dizer que adooooooooorei a sinopse rsrsrs

    ResponderExcluir
  8. Adoro essa série... só falta o 3 p terminar de ler xD
    Mto boa a resenhaaa õ//

    ResponderExcluir
  9. Aii eu adoro essa série!
    Adoro a autora em si..
    Tô terminando agora o Forever Too Far <3
    Adoro resehas com gifs =D

    ResponderExcluir
  10. Oi Jess, li este livro no finde passado, infelizmente não era tudo que eu imaginava.. me irritei com vários aspectos da história, apesar do texto ser viciante sim. Mas que bom que você gostou. Beijos, Mi

    www.recantodami.com

    ResponderExcluir
  11. AMO as suas resenhas com gifs Jess! Mesmo não sendo nem um pouco o meu estilo este livro, mas dá até vontade de ler depois da sua resenha! kkkkkkkkkkkkkkkkkkk

    ResponderExcluir
  12. rsrsrs Amei a Resenha! Já li o livro e me apaixonei pelo Rush.
    Terminando de ler o ultimo livro da serie.

    ResponderExcluir
  13. Voltei... eu li esse livro em um dia!!!

    A-M-E-I

    eu não gosto muito dos NA de agora, mas esse realmente me pegou!!!
    Total favorito...

    a Blaire não é bobinha, e manhosa, ela é inocente, mas não estupida.. eu adorei a personalidade dela... assim como do Rush... eu queria dar um soco nele, mas eu entendi o porque do relacionamento dele com a Nan...

    Como a Jess disse, morri no ultimo cap, e corri ler o livro 02... que não deixa nada a desejar....

    agora to correndo para o 03!

    <3

    ResponderExcluir





Copyright © 2017 Every Little Book. TODOS OS DIREITOS RESERVADOS | OddThemes | ILUSTRAÇÃO: Yuumei