20 agosto 2013

[Resenha] Captive in the Dark - C.J. Roberts


Oie Leitores. Hoje vamos estrear uma nova coluna no Blog. Chama-se Resenha do Leitor. Se você não quer assumir um compromisso de resenhista, mas fez a resenha de algum livro e quer compartilhar, esse é um espaço aberto para vocês. Sem nenhum compromisso, exceto a de trazer mais livros para nossa infinita estante. E a estreante da vez é a Niandra Melo.







01 - Captive in the Dark 
Série:  The Dark Duet 
C.J. Roberts
Caleb é um homem com um interesse singular em vingança. Sequestrado quando menino e vendido ao trabalho escravo por um poderoso criminoso, seu único objetivo é vingança. Por doze anos ele se inseriu em um mundo de escravos sexuais procurando pelo homem que ele considera responsável. Finalmente, o arquiteto de seu sofrimento emergiu com uma nova identidade, mas não uma nova índole. Para Caleb chegar perto o bastante para atacar ele precisa se tornar o que mais abomina e sequestrar uma linda garota para treiná-la a se ser tudo que ele foi no passado.Com 18 anos Olivia Ruiz/Livvie acabou de acordar em um lugar estranho. De olhos vendados e amarrada, há apenas uma calma voz masculina para recebê-la. Seu nome é Caleb, embora ele exija que seja chamado de Senhor. Olivia é nova, bonita, ingênua e propensa ao erro. Ela possui uma sensualidade sombria que não pode ser escondida ou negada, embora ela tente fazer os dois. Apesar de estar assustada pelo forte, sádico e arrogante homem que a detém prisioneira, o que mantêm Olivia acordada no escuro é sua indesejável atração por ele. 



Gurias, me encorajei e li o livro que estava com medo. 
Bem, vamos lá...

Eu comecei a historia muito apreensiva, achando que seria um desfile de brutalidade, aquela coisa meio só estupro e violência  mas não é nada assim. Ele não é, nem de longe um livro leve, mas também não é nada ruim. O livro descreve um homem que nasceu escravo, ele não lembra o nome, ele foi chamado e tratado como cão a vida inteira, até que um oficial paquistanes o resgata e o ensina a ser um assassino. 
Ele e esse oficial, que teve a mãe assassinada e a irmã sequestrada, arquitetam uma vingança contra o cara que sequestrou o Caleb, e a irmã do oficial. Então, de escravo, o Caleb passa a treinador de escravos, para investigar este homem misterioso.

Ele passa 12 anos planejando uma vingança, e pra isso, ele precisa de uma escrava, a escrava perfeita, que atraia o sequestrador e abra caminho para que eles possam se relacionar. E ele escolhe a Livvie. Uma menina pobre, com uma família problemática, jovem, linda. E ai as coisas acontecem. 
Ele sequestra ela, e começa a prepará-la para ser uma escrava. É cruel, é cru, e ele fica fascinado, mas ao mesmo tempo, ele tem uma missão, e ele cumpre ordens do oficial, enfim... olha, não é uma estoria bela, mas é fascinante, porque ele é um homem sem um pingo de misericórdia, mas ao mesmo tempo que ele é cruel, ele é... não sei... 

Eu não me apaixonei pelo caleb, mas em alguns momentos eu o entendi. A livvie é a mocinha que li que mais sofreu. mas ela é uma sobrevivente. Tem uma coisa que ele fala, sobre os submissos, que ele diz que eles são sobreviventes. Ele a quebra muitas vezes, e ela se reconstrói  apesar da idade, e apesar de tudo o que ela sofre. 

"Ele seria extremamente firme, mas ele também seria tão justo como poderia ser. Ele não tinha escolhido o instrumento de sua vingança ao acaso. Ele havia escolhido uma submissa bonita. E o que era um a submissa se não, um sobrevivente que se adaptou?"

Eu torço mais por um final, que por um final feliz. Torço desesperadamente pra que eles encontrem paz, talvez por sentir os personagens tão reais. Não tem conto de fadas nenhum, tem uma mocinha tão perdida, que se apaixona pelo torturador, porque ele é o único que cuida dela, mesmo quando as vezes ele também é o único que a faz sofrer. Tem um mocinho que sofreu tanto, mas tanto na vida, que ele só quer um encerramento, mesmo que ele não saiba pra onde vai depois. Ele passou mais da metade da vida sobrevivendo, e o restante do tempo em uma cruzada de vingança. 

"Lágrimas sempre foram algo incompreensível a ele. Ele gostava de olhar para elas, prová-las. Verdade seja dita, o fizeram forte. Uma vez que ele detestava essa resposta condicionada, mas para ele era muito sobre auto-aversão. Essas respostas, essas reações, foram uma parte dele agora, para melhor ou para pior. Principalmente pior, ele admitiu com um sorriso e ajustou sua ereção. O que havia em tais manifestações de emoção que apenas escavavam em seu intimo, sem deixar ir? Pura luxúria revirou através dele como uma dor pesada trazendo com ele um forte desejo de possuí-la, para ter poder sobre suas lágrimas."

É impossível ler isso e não sentir dor e tristeza. Sei que estou meio mexida hoje, e que vou ler o segundo porque preciso saber como as coisas acontecerão. É um belo livro, e as veze o Caleb me lembrou o Lothaire, as vezes ele lembrou o Z. Só que sem toda a poesia dos livros sobrenaturais, ele é só um humano duro demais, infeliz e cruel. 

Quem quiser se aventurar, eu recomendo.



Compartilhe!

15 comentários :

  1. Estou para ler faz tempo,mas sempre boto outros na frente :/
    Gostei mesmo da resenha e isso só me faz querer ler mais.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Daniele, Leia, de coração aberto, porque é uma das estorias mais belas e dificeis que já li. obrigada por ter gostado da resenha, ela foi feita em um momento de emoção, depois da leitura do livro. beijos

      Excluir
  2. Oh GOD!

    q livro é esse??

    O problema é q depois de ler livros assim, eu fico de ressaca, um bom tempo sem querer ler nada! huhuhu

    =))

    ResponderExcluir
  3. Li esse livro há uns 2 ou 3 meses.

    E penso que gostei do livro pelos questionamentos que ele me trouxe, e nem tanto pela, vulgo, 'história de amor'...

    Tentei me 'compadecer' do Caleb e até certo ponto consegui... O homem nada mais é do que um reflexo da sociedade em que foi criado.

    Mas algo que eu não consigo suportar são as mocinhas que aceitam o abuso que sofrem, 'perdoam' e ainda amam seus abusadores.

    E é isso que o Caleb é, um abusador/estuprador/espancador de mulheres. F*d@-se os motivos por ele ser assim. Talvez eu apenas julgue duramente demais, mas qualquer pessoa que abusa de alguém mais fraco deveria ser 'abatido', se entendem o que eu quero dizer... (Lisbeth Salander, é minha diva, então quem conhece, pode imaginar o tipo de 'mocinha' que eu adoro nos livros)

    Mas não me entendam mal, eu não sou do tipo 'chick-lit' que espera flores e declarações de amor melosas dos livros. Eu gosto de um livro BDSM, ocasionalmente, quando é na base do Seguro, São e Consensual, algo que não ocorre nesse livro.

    O que me incomoda, no entanto, é quantidade de livros que retratam relacionamentos 'abusivos' - sejam abusos físicos, mentais ou morais - e que são vendidos como histórias de amor/ Eu poderia citar inúmeros exemplos que são os favoritinhos da maioria das pessoas. (Sou da velha escola, que acredita no amor no sentido bíblico de Coríntios 13, kkk)

    Talvez nem seja o caso desse livro, pois na própria sinopse já avisa o tipo de história que o livro retrata, então quem lê é pela própria conta em risco... que foi o meu caso.

    Ainda não li as sequências, que talvez até mude a minha opinião sobre toda a história, mas até o momento não tive o preparo mental para continuar essa 'trilogia'...

    Gostei muito da sua resenha, Niandra, você captou certinho alguns dos pontos mais interessantes do livro. Esse livro causa mesmo dor e tristeza. Espero ler outras resenhas suas aqui no ELB! :D

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ai Jess, pensamos igual !!!

      eu evito ler esses livros!!

      Excluir
    2. Jess, obrigada por ter gostado da resenha. eu resenhei os dois proximos livros da trilogia, então, talvez tu mude de ideia e siga a estoria. eu não gosto de bdsm, eu não gosto de como as autoras retratam isso, enfim, e eu gosto de estorias densas, e essa é assim. não tem como simpatizar com o caleb do primeiro livro, não tem como se apaixonar por ele ai. a livvie é uma mocinha refem das circunstancias, e isso é uma coisa que ela questiona muito nos dois proximos livros. se o que ela sente é mesmo amor, ou outro sentimento distorcido. eu estava com medo dessa serie. estava com medo porque achei que seria uma estoria sem sentido, e muito mais violento do que foi. gosto de personagens que me tiram do chão, esse livro fez isso comigo. é impossivel não se compadecer com aquela situação, e em muitos momentos isso mexeu muito comigo, porque tenho uma sobrinha com 18 anos, e pensei muito sobre o quanto isso é real, que isso pode acontecer com qualquer pessoa. é uma estoria dificil de digerir, e tem uma coisa que eu falo na segunda resenha, que define muito bem o que senti ao longo da serie: eu nunca amaria alguem como o caleb, eu não conseguiria. mas me apaixonei pelo personagem, e a forma como a autora conseguiu humaniza-lo é uma das coisas mais in criveis que já li.
      adorei a experiencia de resenhar, adorei saber que as pessoas leram o que escrevi e que isso tocou alguem. beijos

      Excluir
  4. li os 3 e eh muito muito bom, vcs nao vao se arrepender

    ResponderExcluir
  5. Que legal, adorei a nova coluna e a iniciativa, esse é um espaço ótimo para os leitores indicarem livros e dividirem suas opiniões. Parabéns. Beijos, Mi

    www.recantodami.com

    ResponderExcluir
  6. nossa. eu nunca enojei tanto em um livro.
    kkkkkkkkkkkk

    não me entendam mal.
    ele cumpre o propósito, que é falar sobre a história de um sequestro/estupro e bla blá, como vc falou na resenha.
    mas eu ainda assim não consegui gostar do livro.

    sou meio inquieta e li o segundo, gostei mais, mas ainda não me cativou, como vc diz, só aumentou minha dor e tristeza ao ler esses livros, pensar que tem gente que REALMENTE passa por isso..

    mas o terceiro...
    é lindo <3
    me apaixonei pelo Caleb e sua mente conturbada.
    não queria um nem de graça, mas ele é um bom personagem hahahahahahaha

    quero ler mais livros dessa autora.
    ela criou uma trama de tirar o fôlego, hora por nojo, por dor, por revolta, e por emoção de sentir o amor conturbado porém lindo dos personagens...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. ah, esqueci de dizer; adorei a resenha.
      nós concordamos vários pontos, já que não gostei do Caleb tb de início kkkkkkkkkk

      PS; da Livvie gostei menos ainda, mas reconheço... a garota tem fibra.

      Excluir
  7. Nath, que bom que tu curtiu a resenha. e sinceramente, eu só segui lendo o segundo livro, porque a autora é genia demais e deixa a gente impaciente pra saber o que vai acontecer. acheo o segundo livro uma das melhores narrativas que já li. achei que ela inovou saindo da formula batida dos romances. e no primeiro livro, não dá pra gostar do caleb, nem mesmo simpatizar com ele. mas também não consegui odiar. o segundo livro me fez me envolver com ele e a estoria e eu nunca amaria alguem assim, mas me apaixonei por ele, e o terceiro achei que ele se redimiu e uma forma otima, sem nenhum cliche. ele é o que é, isso é raro de se ler, onde as autoras querem a redenção sempre. me sinto orfã depois de ler, de tanto que eu amei ;) espere a resenha do segundo e do terceiro, porque logo elas saem, beijos

    ResponderExcluir
  8. Bom dia!

    Será que você pode eme encaminhar por e-mail este livro?

    camilaandressalucena@hotmail.com

    Att,

    ResponderExcluir
  9. Estou no segundo livro e estou estarrecida..... Amei sua resenha... bem verdadeira... realmente lembra um pouco o Z , e ainda sim vc percebe como um ser humano tem tantas facetas... a cada momento da leitura vc se envolve, se coloca no personagem , não para ter final feliz mas para ter um final mesmo.... Parabéns

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. muito obrigada pela consideração à minha resenha! ela foi feita com o coração aberto e as emoçoes transbordando, pois me senti muito crua depois de ler. tudo nessa serie me incomoda e me comove. beijos

      Excluir
  10. Depois dessa resenha e dos comentários vou ler esse livro. Ele parece ser inquietante.

    ResponderExcluir





Copyright © 2017 Every Little Book. TODOS OS DIREITOS RESERVADOS | OddThemes | ILUSTRAÇÃO: Yuumei