15 julho 2013

[Resenha] Amor Invertido


Amor Invertido
Maximiliano Souza
Modo Editora
193 páginas


Diego é um rapaz de 20 anos, que se muda para SP para morar com a sua irmã Juliete e fazer faculdade lá, morou a vida inteira em Bonito (MS) ajudando a cuidar da pousada com os pais. Ele é um rapaz comum, alegre, inteligente, divertido, e heterossexual.

Logo quando o Diego chega, vai tomar um banho, e quando sai do banho pelado o que ele encontra? Um cara na sala da irmã dele olhando para ele. Logo depois ele descobre que esse cara é o vizinho deles, o Vinicius, e que ele de alguma forma está envolvido com a sua irmã.

Com o tempo Diego passa a trabalhar para o Vinicius que é um fotografo, muito sério e rico. De repente rola aquela faísca sabe? Mas como assim rolou uma faísca com um marmanjo que tá envolvido com a irmã dele? O Diego começa a surtar com isso, e quem não surtaria né? Mas ele faz o melhor que pode para ignorar isso, claro que o Vinicius não ajuda em nada e continua provocando ele.

Eventualmente ele descobre que Vinicius não tem nada com a Juliete, mas isso não tira as paranoias do Diego. Ele sempre gostou de mulher então por que agora ele não consegue parar de pensar no Vinicius? Acima de tudo isso tem outro problema envolvendo o falecido irmão do Diego, o Júlio que eu não vou contar para vocês.

"Mas eu não posso deixar de perguntar. Esta ferida não sangra quando você cutuca?"

Para mim a essência toda desse sentimento confuso é percebida por ele enquanto está em Bonito, em um determinado momento ele está abraçado com a ex e continua achando aquilo bom, ele diz que aquilo tudo é familiar. Com o Vinicius é tudo novo, e apesar de gostar ele tem medo do preconceito e não consegue desistir do ideal de família.


"E além do mais, aquele tipo de relacionamento era algo sem frutos futuros. Mesmo tendo me relacionado com ele, não queria abrir mão de minhas idéias de ter uma família, de ter filhos. Não queria saber de ninguém cochichando pelos cantos a respeito dos dois bichas. Não queria ser anormal. O que havia me deixado curioso a princípio era saber qual dos sentimentos era mais forte: meu instinto ou meu medo. Aparentemente, este último estava vencendo. E, no final das contas, esta parecia ser a melhor opção. Eu tinha mais é que tocar a minha vida."


A família do Diego também não ajuda em nada, são extremamente preconceituosos, enlouquecem quando a Juliete se envolve com um negro. Imagina o que eles vão fazer quando descobrirem que o filho está envolvido com outro homem?

Eu tenho muito orgulho da educação livre de preconceitos que eu recebi, minha mãe sempre me ensinou que somos todos iguais, homem, mulher, cachorro, gato, sapo, e que eu tenho que amar todos os seres vivos da mesma forma. O mundo seria um lugar muito mais pacifico se todos pensassem assim. É tudo amor.

"Não existiam fitas métricas para sentimentos e nem um manual que nos ensinasse a calcular amor. Amor? Quem é que falou que aquilo era amor? Amor por um homem? Faça-me o favor!"

Amor Invertido para mim é um livro maravilhoso, com um romance lindo, li em uma tarde, na hora que ele chegou pelo correio eu parei o que estava fazendo para lê-lo e só parei quando terminei. Como já falei aqui eu gosto de livros que me surpreendam, livros que sejam diferentes, e AI com certeza fez isso muito bem feito. Podemos ver o preconceito que o Diego tem pelo que ele mesmo sente, e o preconceito dos outros contra algo tão lindo e puro como o amor.

A narração é em primeira pessoa, pelo Diego, então podemos acompanhar todo o momento de descobrimento da sexualidade dele. Como já falei é uma leitura rápida e leve que me encantou. Amei a trama, a escrita do autor (que virei fã), se pudesse mudaria apenas uma coisa: triplicaria o tamanho do livro. Achei muito pequeno e acho que a historia poderia ser muito mais desenvolvida sem se tornar cansativa, as palavras do Maximiliano + a história envolvente são incapazes de cansar alguém, tenho certeza que independente do tamanho, o livro continuaria leve e emocionante, ou talvez seja apenas eu querendo mais do Vinicius e do Diego.

"E eu, o que será que eu era? Nunca havia gostado de outros homens. Só dele. Isso o fazia especial? O quanto especial ele era?"





Compartilhe!

19 comentários :

  1. Gostei bastante da resenha, e fiquei bem curiosa para ler esse livro! Concordo com você, sempre aprendi a respeitar cada pessoa pois somos iguais, e se o mundo todo pensasse assim, com certeza viveríamos em um lugar bem melhor! (:
    Muito boa a resenha flor, Beijocas :*

    http://meuuniversox.blogspot.com

    ResponderExcluir
  2. OMG era esse tipo de livro que eu estava procurando! Nunca li um livro onde o foco principal é um cara que se descobre gostar de outro cara. Eu odeio todo esse preconceito que rodeia os homossexuais, lésbicas e bissexuais, isso é ridículo! Minha família é mega preconceituosa, mas nem por isso deixo de ter amigos que tenham uma opção sexual diferente da minha. Eu me importo com o que eu penso e não com o que a minha família pensa.

    ResponderExcluir
  3. Nossa,sinceramente não tenho palavras para descrever essa resenha!
    Super diferente a temática,nunca li um livro assim.
    Gosto de livros que me surpreendam.ADOREI !

    ResponderExcluir
  4. Nossa Laura, adorei a resenha e adorei a premissa do livro. Tem que ter coragem para escrever algo assim, ainda mais no Brasil. Confesso que se fosse pela capa teria passado longe, achei muito feia e pouco atrativa, mas sua resenha fez um ótimo trabalho e me deixou com muita vontade de ler o livro. Beijos, Mi

    www.recantodami.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Lê a entrevista com ele Mi, ele explica direitinho a capa!

      Excluir
  5. Não sou a maior fã de romances água com açúcar, mas este livro despertou a minha curiosidade! Quero ler!!!
    Muito boa a sua resenha amiga! amei!
    Parabéns Maximiliano pela iniciativa, num país tão preconceituoso como o nosso, publicar um livro deste requer bastante coragem! Te desejo MUITO sucesso!

    =D

    ResponderExcluir
  6. Amiga, amei a resenha, ao contrario da Lu adoro romance água com açúcar.
    E eu que tenho melhores amigos homossexuais, e amo as historias de amor deles, to mega curiosa para ler o livro e já tenho uma lista de 6 amigos que querem ler depois de mim.
    Parabéns a Lala pela resenha e ao Maximiliano pela coragem de fazer o livro.

    beijoss

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Vc vai adora amiga!
      O livro é maravilhoso.

      Excluir
    2. Acabei de comprar o livro!!!

      Excluir
    3. Acabou de chegar o meu livro!!!

      Excluir
    4. Terminei de ler.!!!
      ameiiiii!!

      Excluir
  7. menina nuuuunca souube da existência desse livro.
    ameeeii tudoo!
    os nomes, a história e a temática.

    nunca li nada desse gênero.
    tomara q eu ganhe ele na promoção e possa comprovar que ele é bom mesmo hahahahhaa.

    e vc vê, ele tem preconceito contra ele mesmo.
    imagina os outros!

    bela resenha ;)

    ResponderExcluir
  8. Acho que nunca li um livro com essa temática, acho que livros assim podem ajudar a combater o preconceito estupido que ainda existe infelizmente... Adorei sua resenha, espero poder ler em breve.
    Beijos :)

    ResponderExcluir
  9. Omg, livro gay! Que tudo gente, vou amar essa leitura com certeza

    ResponderExcluir
  10. Não conhecia esse livro até ler sua resenha, eu achei a capa estranha quando vi, e ainda acho, mas a história é forte e o tema é bem polemico. Gostei bastante da resenha e fiquei tentada a ler o livro.

    ResponderExcluir
  11. Esse é exemplo de como são bons os autores nacionais. Quero muito ler esse livro, muito bom. Amei a resenha e me deixou ainda mais interessada.

    ResponderExcluir
  12. Adorei ! não tinha visto ainda um livro nacional com esse tema ! Adoro conhecer mais os personagens e ver como eles se sentem, pensam... Não sou preconceituosa, mas muitas pessoas são. Acho que o que ta valendo é o que faz a pessoa feliz e o resto não importa . O único livro que li e gostei com esse tema é com o Blay e o Quinn da IAN. fiquei apaixonada e torci como louca pelo amor deles ! Acho que foi convivência kkk depois de tantos livros vc se sente parte da família . Mas pelo que vi a autora não precisou de tanto assim rsrs é bom ver o quanto autores nacionais são realmente maravilhosos

    ResponderExcluir
  13. Parece ser um livro bacana e acaba com o preconceito de alguns leitores, mas não sei se leria. A sinopse não me chamou a atenção, por mais que eu tenha gostado da sua resenha. Quem sabe mais tarde...

    ResponderExcluir
  14. OH DEUS, EU PRECISO LER ESSE LIVRO!
    *________________________*
    Adorei a resenha.
    Sério, partiu comprar agora mesmo!
    http://leiturasdoedu.blogspot.com

    ResponderExcluir





Copyright © 2017 Every Little Book. TODOS OS DIREITOS RESERVADOS | OddThemes